"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Pra tudo tem uma primeira vez 2/2


autor: pretinha_69
publicado em: 26/04/17
categoria: incesto
leituras: 3425
ver notas


Depois daquele acontecimento incestuoso com meu primo, fomos ficando cada vez mais íntimos um do outro, ele me mandava fotos dele e do pau que eu tanto desejava, e eu mandava mensagens, e algumas fotos também.

Sempre marcávamos de se ver, e cada vez mais íamos avançando de fase. Fiz o meu primeiro sexo oral nele, na casa dele, no quarto de minha tia, que é irmã gêmea de minha mãe. Ele não havia me chupado, pois estava no meu período fértil, mas isso não o impediu, de brincar com o meu cuzinho.

A primeira vez que o chupei, foi no jogo do Brasil contra a Alemanha, o brasil levava uma goleada no campo, e eu levava socada de pau, na boca.

Minha família havia se reunido, para assistir o jogo, todos juntos, nos divertimos, porém a cada gol que a Alemanha fazia, meus parentes iam indo embora, até que sobrou eu e o Guh, ficamos conversando e ele me chamou pra ficar lá na casa dele, já sabia que iria rolar alguma coisa e automaticamente a minha bucetinha já foi dando sinal de vida.

Fomos direto para o quarto dele e lá ficamos conversando, até que Guh entrou no quarto de minha tia, e me chamou pra ficar lá também. Naquele tempo, eu estava tentando arranjar esquema entre ele e uma amiga minha, e nossa família sabia disso, então não implicava e nem estranhava deixar nós dois juntos, até porque, todos achavam que eu gostava do irmão mais velho, pura ilusão, eu era cachorra, sem coração hahahh.

Enfim, ele deitou na cama da mãe dele, e eu fiquei sentada de frente pra ele e continuamos conversando, até que começamos a falar dessa minha amiga e ele dizia que estava gostando muito dela, mas sentia que ela não estava sentindo o mesmo por ele, disse que ela já havia sofrido muito em relacionamentos passados e que seria difícil mesmo ele ter a confiança dela, mas que eu iria ajudar a adiantar o lado dele, e conclui com "e se ela não te quiser, relaxa que eu quero" e ele riu e falou "eu estou criando um monstro" e eu disse "não meu amor, você está criando uma puta". Depois de ter dito isso, coloquei a minha mão no pau dele e ele puxou minha cabeça, aproximando os nossos lábios e nos beijamos.

Nossas línguas entrelaçadas, dando sugadas leves, um beijo longo e calmo, com as nossas mãos explorando cada parte de nosso corpo, até que sinto a mão dele agarrando a minha bunda, me puxando pra cima dele, e eu recuei, disse que estava naqueles dias e não queria manchar a cama da mãe dele e ele concordou, e veio pra minha frente, me deixou sentada na cama, ajoelhou no chão, e voltou a me beijar.

Dessa vez o beijo foi mais voraz, sentia que ele estava praticamente me sugando com aquela boca e desse modo, foi descendo até o meu pescoço, onde me deu uma chupada, que me arrepiou ate a alma, em seguida foi beijando minha clavícula, ombro, até chegar no meus seios. Eu estava ansiosa e ofegante, ele nunca havia chupado nenhuma parte do meu corpo, e eu estava desejando muito que ele o fizesse, e felizmente, ele fez.

Tirou a minha blusa, e viu meu sutiã de renda preta, e os tirou com uma facilidade extraordinária, deixando os meus seios a mostra e submissos a ele.

Nesse momento eu senti um arrepio vindo de outro mundo, e um tesão inigualável, foi então que ele beijou o meu mamilo, e o sugou em seguida, arrancando um gemido baixo e manhoso, vindo de mim. Começou a sugar meus seios com calma, e a minha bucetinha foi ficando mais molhada ainda. Que boca do caralho que esse homem tinha!!!
Eu estava anestesiada de prazer, até que senti o dedo dele entrar no meu cuzinho, me arrancando outro gemido, só que um pouco mais alto.

Ele me bolinava sem dó, e só sentia ele colocando mais um dedo no meu cu, e eu sentia um puta de um tesão. Estava sentindo meu corpo tremer, e aquela sensação tomar conta de mim, foi então que ele tirou os dois dedos do meu cuzinho, me fez chupar três dedos dele, e afundou dentro do meu cu, nesse momento, meus caros leitores, eu soube a diferença de gozar e ter um orgasmo.

Eu gemi alto e logo em seguida a mão dele tampando a minha boca, senti que ia desmaiar, mas isso não ocorreu, ele me segurou, e beijou a minha testa.

Eu sorri pra ele, e nos beijamos. Sentia o pau dele roçando a minha perna e fui passando a mão, fazendo movimentos de vai e vem, naquele monumento, que era todinho meu. Fiquei deslumbrada com o tamanho e grossura, era muito grande mesmo e então ouvi ele falando:

- Coloca ele na boca minha preta - aquela voz meio rouca, dominadora e manhosa me arrepiou toda, mas novamente, não sabia como fazer e ele pedia mais e eu sem reação, até que ele me beijou e logo em seguida colocou a cabeça do pau dele na minha boca, e eu a beijei, e ele gemeu.

Ele pediu pra mim chupar como se fosse um pirulito e assim o fiz, lembrava das minhas amigas falando que não podia roçar o dente, se não machucava, que tinha que deixar bem babado, e ir punhetando, enquanto chupava e assim o fiz, chupei toda a extensão daquela carne e beijei aquelas bolas grandes e lisinhas, arrancando outro gemido do meu homem.

Ele pegou a minha cabeça e foi afundando mais ainda, dentro da minha boca, como se fosse uma bucetinha, e ouvia ele dizendo:

" que boca quentinha que você tem minha putinha" "mama no meu pau mama" "como você é gostosa" e eu mamava, babava, chupava, sugava, até ele dizer que ia gozar, ai eu parei de chupa lo e fui punhetando-o, olhando para ele, com a cara mais tesuda que eu podia fazer e ele empurrou a minha cabeça, novamente no seu pau, e eu senti jatos grossos e quentes, indo direto em minha garganta, engoli tudinho.

Depois daquele dia, marcamos de fazer outra coisa, disse que havia amado sentir o pau dele na minha boca, mas que ia amar mais ainda, sentir ele bombando dentro de mim e ele respondia com frases de "eu não vejo a hora de te ver de quatro", "essa sua bunda vai ser enchida de porra, "minha gostosa".

E eu fui a loucura, nunca havia me masturbado com tanta frequência, como naqueles dias. Até que chegou o dia, em que ele viria passar o dia aqui em casa, junto de mim. Eu havia feito uma faxina geral na casa, tomado um banho longo e prazeroso, me depilado toda, feito a chuca direitinho e estava totalmente limpa, gostosa, cheirosa e ansiosa pelo o que iria acontecer naquele maravilhoso dia.

O Gustavo chegou do treino e foi direto ao banheiro, deixando a porta um pouco aberta, onde pude perceber que o pau dele já estava no ponto, e eu nem precisei fazer nada.

Ficamos conversando, contando como foi o dia de cada um. . Até que eu perguntei se ele estava com fome e ele perguntou o que tinha pra comer e eu falei:

- Tem arroz, strogonoff de frango, eu, batata palha e salada de alface - falei isso mordendo os lábios e olhando nos olhos dele.

- Acho que nunca fiquei tão excitado, ouvindo opções de comidas - disse ele.

- É porque você nunca provou a minha comida antes.

E ele riu, se aproximou, eu estava de pé encostada na parede, e ele grudou o corpo dele no meu, passando a mão na minha nuca, levantando a minha cabeça, e falando no meu ouvido "pois irei provar agora", e me beijou.

Minhas pernas ficaram bambas com aquela frase e aquele beijo, ele me pegou no colo, e foi me beijando, até entrar no quarto do meu irmão, chegando lá, ele me sentou na cama, tirou a roupa e mandou eu ir por cima e assim o fiz.

Tirei a minha roupa, ficando apenas de lingerie vermelha, o que foi difícil de procurar depois, pois o quarto estava sem luz, mas enfim, fui por cima dele, o beijando novamente, e indo dando beijos pelo corpo daquele Deus, até chegar em teu pau.

Dei um selinho na cabecinha, que já estava soltando o liquido de pré gozo, e abocanhei em seguida, fiz do jeitinho que ele gostava, fazendo ele gemer, e me xingar, até que ele anunciou o gozo e eu abocanhei na hora e senti aquele pau lançar jatos e mais jatos de porra, garganta a baixo.

Em seguida sorri e disse que amava o gosto dele e ele disse que tava na hora de sentir o meu, ele me deitou na cama e deixou a minha perna bem aberta e começou a me chupar.

QUE LÍNGUA MAGNÍFICA!!!!
Ele fazia movimentos circulatórios, precisos e calmos em meu clitóris, beijava os meus grandes lábios e enfiava dois dedos dentro da minha buceta, arrancando novamente, os gemidos mais manhosos e prazerosos de mim.

Eu gozei, e ele sugou todinho o meu mel, e começou a chupar meu cuzinho, dizendo que ele estava cheiroso, que era bem apertadinho, uma delicia de chupar e eu gemendo.

Até que ele deita e fala: Enfia na onde você quiser.

Naquele momento eu desejava muito aquele pau na minha buceta e fui encaixando ele nela, mas estava doendo muito e lembrei que fazia exames para ver se era virgem ou não, todo mês. Então disse a ele que estava doendo muito e ele pediu pra colocar no meu cu, que não ia doer tanto, ilusão a minha.

Fui sentindo aquele pau arrombar as minhas entranhas, e eu quase chorando de dor, ele fazia carinho em mim, dizendo pra mim relaxar, que tava entrando a cabecinha, aos poucos fui me acalmando e o pau dele entrando. Estava doendo muito, tinha entrado tudo dentro de mim e ele ficou parado, esperando eu me acostumar.

Assim que relaxei no pau dele, ele começou a bombar devagarzinho, me fazendo gemer de dor e prazer, do mesmo jeito, até que ele anunciou que ia gozar e eu pedi pra espojar leitinho na minha cara e assim ele fez.

Ganhei uma chuva de gozo e um beijo delicioso na boca, ele tomou um banho, se arrumou e foi embora.

Depois daquele dia, fizemos sexo anal, mais duas vezes, porém acabamos nos afastando, devido alguns acontecimentos em nossas vidas, atualmente ele namora uma menina incrível e eu estou com o amor de minha vida. Nunca conversamos sobre essas experiências, mas eu sou extremamente grata, por ele ter me iniciado, e ter me mostrado o caminho da felicidade.

FIM.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.