"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Comeram minha ex na escada.


autor: publicitario45
publicado em: 25/08/15
categoria: hetero
leituras: 8762
ver notas


Como já relatei anteriormente, sou separado há alguns anos mas mantenho uma excelente relação com a minha ex. a relação é tão tranquila que as vezes transamos e na maioria das vezes ela me conta suas farras.

Semana passada estivemos juntos para resolver a venda de um terreno que iríamos construir uma casa. Como não estamos mais juntos, resolvemos vender. Lúcia é uma mulher linda. Tem 1,65 de altura, cabelos avermelhados, curtos, cacheados, olhos azuis, boca carnuda e seios médios, porém durinhos com bicos grandes, pernas grossas, bunda normal mas uma buceta carnuda que mata qualquer um de tesão.

No meio da nossa conversa, ela recebeu uma ligação de um cara, o tal do Felipe. Conversaram alguns minutos na minha frente e combinaram de sair no dia seguinte para jantar. Estava claro que ele estava falando alguma sacanagem no ouvido dela, pois ela sorria o tempo todo e chama ele de safado. No final se despediram e nós voltamos ao assunto do apartamento. Não resisti e comecei a perguntar sobre o amigo:

Eu: vai dar pra ele amanhã?

Ela: já dei! Semana passada numa festa.

Eu: ah é, outro novinho?

Ela: sim, ele tem 21 aninhos de puro sexo.

Eu: me conta tudo.

Ela: a festa era numa casa aqui no bairro mesmo. Ai começamos a conversar, dançamos um forró, demos uns beijinhos e o menino começou a me amassar. O calor foi subindo e eu disse a ele que a gente tinha que parar, pois as pessoas estavam começando a reparar.

Eu: e ai? (Eu já estava de pau duro).

Ela: ele me disse que era pra gente ir pra casa dele, então saímos e fomos para o prédio dele que fica perto da casa. Só que quando chegamos lá, o avô dele estava deitado na sala, ai fiquei sem graça e falei que queria ir embora. Quando saímos do apartamento, ele me arrastou para a escada, que tem pouco movimento por causa do elevador. Prédio novo, poucos moradores... sabe como é...

Eu: e ai?

Ela: e ai que fomos para a escada e ele começou a me amassar toda na escada. Suas mãos pareciam loucas passeando pelo meu corpo. Ele beijava meu pescoço e você sabe que eu fico louca com isso. Depois ele soltou as alças do meu vestido deixando meus seios à mostra. Caiu de boca me chupando com vontade. Minha buceta já estava ensopada quando ele meteu o dedo. Quase morri.

Eu: e você não caiu de boca no pau dele não?

Ela: claro que cai. Depois que eu gozei três vezes nos dedos dele, ele me olhou com uma cara de safado, lambeu os três dedos melados do meu gozo e tirou a bermuda. Quando o pau dele saiu e eu quase desisti. Um menino moreno, forte, alto e com uma pica daquele tamanho, fiquei com medo.

Eu: desistiu?

Ela: que nada, ele nem me deu tempo de pensar. Já foi metendo aquela cabeçorra na minha boca e eu comecei a mamar com vontade. Pedi a ele que não gozasse porque eu não gosto de beber porra, mas chupei até as bolas daquele saco enorme. Depois ele se sentou e nós lembramos que as camisinhas estavam na casa dele, mas eu já estava bamba de tesão e não quis nem saber. Sentei naquela tora, senti ela entrando e me preenchendo toda. Parecia que o pau não terminava nunca de entrar. Dai comecei a rebolar, já estava ficando mole de novo e gozei de novo. Ele então me colocou com as mãos na parede, abriu minhas pernas e me chupou por trás até eu gozar de novo.

Eu: e depois?

Ela: ele se levantou, passou a pica dele na porta da minha bucetinha e meteu tudo. Desta vez em pé, ele socou com força. Senti dor e prazer. Ele me segurava pela cintura com uma mão e com a outra apertava meios seios. Não aguentei e gozei de novo e ele gozou logo em seguida. A porra escorreu pelas escadas. Arrumei minha calcinha, passei aqui em casa, lavei o rosto e chupei o pau dele de novo exatamente neste sofá que você está sentado.

Nesta hora, coloquei meu pau pra fora e pedi que ela chupasse. Ela veio com aquela cara porca dela e começou a chupar meu pau, falando como o pau dele era grande e grosso. Não resisti e a puxei pelos cabelos fazendo com que ela se sentasse no meu colo.

Com uma das mãos, arranquei-lhe a sua calcinha e ela pediu para eu ir devagar, pois sua xaninha estava dolorida da pica do amigo. Não quis nem saber dos seus argumentos, coloquei meu pau e ele entrou fácil. Depois da sua bela cavalgada, Lúcia pediu para ficar de quatro e eu meti com força cada vez que ela falava do pau do amigo. Gozamos juntos, nos beijamos.

Mais uma vez Lúcia me disse que ainda me amava, mas que ela estava apenas se divertindo enquanto eu não voltava pra ela.









ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.