"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A hóspede - 3o dia.


autor: Publicitario45
publicado em: 05/05/17
categoria: hetero
leituras: 2431
ver notas


O segundo e ultimo dia de prova na primeira fase parecia prometer.
Juliana estava mais calma devido as provas do dia anterior.
Acordamos cedo, tomamos banho juntos, mas não transamos para não correr risco de perder o horário. Tirando um delicioso e provocante boquete onde ela não me deixou gozar, o banho até que foi comportado.

Juliana estava tão a vontade na minha casa que já não se importava mais em andar nua pelos cômodos.

O ritual se repetiu. Deixei ela na UFES e aguardei ela me ligar após a prova. Quando ela me ligou eu já estava lá.

- Como foi a prova?

- Hoje foi mais difícil, mas acho que me sair bem.

- E o que você quer fazer agora?

- Estou morrendo de fome, vamos almoçar?

Almoçamos num restaurante bacana em Jacaraipe famoso por servir uma das melhores moquecas do estado. Depois fomos pra casa e passamos a tarde assistindo TV e nos provocando ao mesmo tempo.

Quando deu 19h, pedi que Juliana tomasse um banho, se arrumasse pois qu queria fazer uma surpresa pra ela, ali mesmo no apartamento.
Ela sorriu, foi pro quarto, pegou suas coisas e foi pro banho. Pedi a ela que não tivesse pressa.

Enquanto Juliana se arrumava, peguei um decanter, abri um vinho, coloquei duas taças em cima da mesa, acendi algumas velas para que a sala tivesse iluminação natural, depois acendi um incenso, desliguei a TV, coloquei uma música apropriada e coloquei queijos e patês na mesa.

Quando ela saiu do quarto ficou surpresa. Seus olhos brilharam. Me aproximei e servi uma taça de vinho, ela me beijou, disse que nunca tinham feito nada igual por ela e me beijou novamente.

Juliana estava perfeita. Amarrou os cabelos num coque, colocou um vestido longo, simples, daqueles que as meninas adoram para dançar forró em Itaunas, porem extremamente sedutor com um decote generoso na frente e uma enorme fenda na lateral.

Ficamos nos beijando, nossos corpos se movimentavam quase que numa dança sensual. Minhas mãos deslizavam pelo seu corpo e eu sentia a sua pele arrepiar quando tocava a suas costas.

Bebemos um pouco, conversamos, falamos das nossas aventuras e fantasias.

- Me leva pra sua cama?

- Levo, mas ainda não terminamos. Tem mais coisas pra você relaxar.

Levei Juliana pro meu quarto com os olhos vendados, deixei ela de pé ao lado da cama enquanto iluminaca o quarto com as velas. Peguei a taça que estava em suas mãos, bebi um gole generoso de vinho depois dividi com ela num beijo quente.

Soltei as alças do seu vestido e o tecido deslizou até o chão. Juliana não estava usando nada por baixo.

Pedi a ela que mesmo com os olhos vendados deitasse de bunda pra cima. Ela obedeceu, mas já suspirava com uma certa intensidade.
Deslizei a ponta dos meus dedos por toda extensão do seu corpo, ela gemeu baixinho e instintivamente abriu as pernas.

Peguei um vidro de óleo, derramei nas suas costas, o liquido frio lhe fez arrepiar. Juliana não sabia, mas a esta altura eu já estava apenas de cueca e nada mais.

Me posicionei em cima dela e comecei a massagear seus ombros – isso é pelo bons resultados nas provas de ontem e hoje – ela apenas sorriu e foi relaxando o corpo. Minhas mãos continuaram massageando suas costas, desci pelas pernas, fui até os pés que receberam uma atenção especial. Subi novamente pelas pernas, massageei a parte interna das suas coxas, toquei levemente seu sexo e ela se contorceu, retirei as mãos, subi pelas costas e massageei os ombros novamente.

Depois pedi que ela se virasse e ficasse de frente, porém ainda com os olhos vendados. Toquei com os dedos os seus lábios, desci pelos seios, acariciei os bicos rijos, desci pela sua barriga, passei pela virilha e Juliana se abriu novamente. Peguei seu pé, levei até minha boca e chupei cada um dos dedos. Juliana serpenteava na cama, gemia baixinho, cravava as unhas no lençol branco, seu corpo moreno iluminado pelas velas estava inquieto. Soltei os pés e fui beijando as pernas, as coxas, a barriga, sentindo cada arrepio daquele pele linda e cheirosa. Beijei seus lábios, retornei aos seus, beijei cada um deles sem pressa. Juliana continuava arfando, dizia umas coisas que eu nem conseguia entender. Cheguei na sua xana, ela se abriu toda quase que implorando para ser chupada. Me aproximei e respirei fundo, ela sentiu o hálito quente e puxou meus cabelos em direção ao seu sexo.

Cai de boca, lambi cada pedacinho daquela boceta rosada, mordi o grelo, meti os dedos, chupei de novo, beijei sua boceta como se fosse seu lábios, Juliana rebolava incansavelmente em busca de um orgasmos intenso, senti quando ela acelerou as reboladas esfregando a boceta na minha boca e gozou melando não somente a minha cara como parte da cama. Ela continuou gemendo, rebolando, se esfregando e anunciando que a onda de choques ainda não havia terminado, gozou de novo e desta vez soltou um único gemido que provavelmente foi ouvido pelos vizinhos.

- Me come, me come logo.... estou febril de tesão.

Juliana ia resmungando e me puxando em direção aos seus lábios que grudaram nos meus completamente melados. Nos beijamos enquanto ela se movia por baixo de mim querendo encaixar meu pau na sua boceta. Quando entrou ela gemeu de novo e tratou de girar o corpo sobre o meu. Começou a cavalgar, rebolar na minha rola enquanto senti meus dedos acariciando o seu cuzinho. Juliana estava incansável, o orgasmos se sucediam com facilidade, ela gozou mais uma vez e deitou exausta sobre o meu peito.

Deitei ela de lado, abri suas pernas e comecei a meter na sua xaninha por trás. Socava com força até que Juliana pediu que eu a colocasse de quatro.

- Come minha bundinha e enche ela de porra.

Na mesma hora nos levantamos, ela se posicionou, abriu bem as pernas e eu fui entrando naquele cuzinho apertado, quente, que me mordia insistentemente me fazendo gozar como um cavalo.

Passamos a noite trepando e bebendo vinho. No dia seguinte Juliana retornou a Belo Horizonte mas ainda transamos na mesma do café da manhã.

A segunda fase do processo seletivo ela abriu mão pois conseguiu passar na UFMG, e hoje, sempre que vou a BH recebo a visita da minha hóspede no hotel.

Beijos a todos vocês.
Bom fim de semana.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.