"Os mais excitantes contos eróticos"

 

O Começo. ..


autor: luah
publicado em: 11/05/17
categoria: hetero
leituras: 2346
ver notas


Hoje acordei com uma sensação diferente de que algo vai me surpreender. Entrei no ônibus para ir trabalhar já sentindo um calafrio, só tinha um lugar lá no final, sentei e coloquei os fones e Anavitoria começou a embalar a minha viagem e meus pensamentos foram levados ao meu passado.

Meu nome é Luah, alta, 1,75 m, de presença notada facilmente, cabelos pretos em sintonia com os olhos e a cor chocolate que toma meu corpo, só deixando rosado avermelhado como um morango a entrada do caminho da felicidade, coxas grossas, bunda suculenta, daquelas que sabes que precisará ser forte para dominar e vai poder realizar todos os seus desejos se conseguir conquistar a sua confiança e fazer aflorar a entrega dela ao sexo.

Depois de alguns poucos meses namorando aquele rapaz que vou chamar de Vítor, alto, moreno e jovem recatado enquanto eu era curiosa e doida pra entrar na vida dos prazeres, estávamos vendo televisão em casa com a família, num sobrado onde todos os quartos ficavam na parte superior e Vitor dormia na sala nos fins de semana por morar a mais de 40 km. Naquela noite todos subiram e nós ficamos terminando de ver um filme quando ele puxou meu corpo pro seu no sofá num abraço quente e sua mãos foram passeando pelo meu corpo fazendo minha calcinha molhar, já estávamos num clima quente a algumas semanas e já tínhamos ensaiado um boquete e uns toques mais ousados, naquele dia de setembro eu sabia que seria devorada e eu queria demais sentir aquela sensação apesar dos tabus que envolvem, precisava me entregar aquele homem que assistia a vídeos mas nunca tinha feito sexo, só era torturado pelos amigos que o zuavam ser virginal, aquilo me excitava, saber que a minha entrega seria junto com a dele, marcamos nossas vidas eternamente, seríamos os primeiros e o momento seria imortalizado.

Vitor era calmo e muito paciente, caralho rigido e latejando, eu chupei de forma que só molhasse e tirei minha calcinha enquanto ele enfiava seu dedo e beijava meu pescoço, quase que me sugando de tesão e eu já safada, deitei meu corpo no tapete encostada numa almofada e abri as pernas pedindo silêncio com o meu indicador na boca, ele de corpo nu penetrou minha vagina bem devagar com receios de um grito meu, abafamos os gemidos e cravei as unhas nas suas costas quando cada preguinha ia sendo rompida e ali percebi que a felicidade existia e o corpo respondia num rebolar pra ele socar aquela pika até o talo, meu apetite era enorme e logo senti minha gozada escorrer de tara guardada por grande parte da adolescência, Vitor continuou as estocadas até que gozou gostoso deixando seu corpo cair sobre o meu e relaxando enquanto o filme estava passando na tv e aquela adrenalina invadiu o local com a possibilidade de alguém chegar.

Ele levantou e foi ao banheiro depois de me dar aquele beijo gostoso de cumplicidade e respeito de me feito sua mulher. Nosso relacionamento se tornou uma bela história de alguns anos que nos fizeram felizes por um tempo mas eu não nasci naquele instante, a minha vagina foi rompida naquele dia porém meu verdadeiro nascimento, vou te contar agora.

O trabalho é necessidade, fui trabalhar numa loja de móveis rústicos e lá havia um homem mais velho que lustrava cada peça quando era vendida, sempre sorria ao falar e era muito safado, algumas mulheres ligavam procurando por ele e aumentava minha curiosidade até que uma tarde ele tirou a blusa para trabalhar e soava deixando seu peito brilhando e me olhou fixo quando percebeu que estava na porta feito estátua contemplando aquele corpo bem definido e mordeu seu lábio inferior enquanto abriu seus braços se oferecendo pra mim, virei as costas e voltei pro meu serviço.

Uma semana se passou e nada comentamos e nada mudou, trabalhávamos no profissionalismo e uma tarde o horário foi extrapolado e numa atitude de cavalheiro ele me ofereceu uma carona, aceitei por ser cômodo pra mim, estava de vestido longo de malha fria, solto no corpo para ser discreto nas minhas curvas e não deixar evidências das belas coxas que mostravam o caminho certo para um gozo perfeito.

Era uma distância de uns 30 km e na estrada haviam comércios e nada demais poderia acontecer, entrei no carro tranquila e agradecida e ele, o João perguntou se eu havia ligado pra avisar que ia chegar mais tarde, disse que sim e ele sorriu e eu gelei, confesso que molhadinha de tesão naquele homem maduro.

A conversa transcorreu de assuntos do trabalho até nos distanciarmos uns 20 km e ele parar o carro na beirada da estrada, me puxar pela nuca beijando a boca com fome e desejo guardado que retribui sem ao menos pensar em nada. O beijo devorador levou a calça dele a latejar escondendo uma surpresa que ele levou a minha mão para tocar e só me fez ficar mais quente quando apertou minha coxa e nossa respiração ficou ofegante, faltando a ponto de nos afastar e somente sorrir e nos olhar profundamente.

Passado alguns minutos, ele olhou e disse:

Seja minha !!!

Filho da puta, aquele cachorro vinha me observando bem mais do que havia percebido e sabia que naquele momento eu já era dele, balancei a cabeça sinalizando um sim e ele automaticamente ligou o carro e entrou num motel a um quilômetro a frente, pediu uma suíte simples, colocou o carro na garagem e ao trancar a porta do quarto foi me beijando e tirando meu vestido, me jogou na cama e me chupou com força me sugando até latejar e quando me deixou respirar depois de tentar sair do seu domínio, vi ele tirando a sua roupa me torturando devagar e logo enfiou aquela pika roliça e grossa na minha vagina aproveitando meu mel, me segurando pelas coxas com força pois doía entrando sem piedade, quando tentava sair ele batia nas coxas por fora e foi assim na marra que senti no fundo de mim ele todinho me devorando e as minha pernas cansaram de lutar e me entreguei, fui domada por alguns minutos enquanto ele me cansava, me arrombava, não há termo melhor e quando fiquei confortável naquelas penetradas fortes, ele juntou as minhas pernas e com a pika dentro enfiou um dedo no meu cuzinho e forçava a dupla penetração enquanto tentava tirar seu dedo por nunca ter sido tocada naquela região, ele sorria com gosto e separou um tornozelo meu em um ombro seu e o outro no outro ombro e sentia uma loucura dele rebolando com a pika dele arrebentando tudo, estava apoiada com os braços apoiando o pouco do corpo sobre a cama e ele me puxa para a beirada da cama e enfia de uma vez no meu cuzinho, caralho, gritei muito e tentei sair, queria fugir e ele se excitava mais me vendo ser sua presa e logo deu uma gozada forte e deixou meu corpo deitar, minhas pernas tremiam, faltava ar, tudo latejava no meu corpo, um momento maravilhoso, nada comparado a gozada que eu dei ao ser jogada. Ele sentou numa poltrona próxima a cama e deixou a sua respiração voltar eu vi quando comecei a cochilar e acho que alguns minutos depois me acordou já arrumado e de banho tomado me chamando pra ir pra casa por causa da hora.

No carro nada falou, me arrumei e agradeci por ser tarde e ao chegar em casa todos estariam dormindo e não veriam o estado que eu estava de êxtase.

Avise que você estava comigo e o pneu do carro furou por isso demoramos, até amanhã.

E depois dessas palavras ele se foi ao me ver entrar no portão, sem nenhum beijo, nenhum comentário, João nada falou.

Tomei outro banho e me joguei na cama e aceitei de corpo doido tudo como um renascimento sexual total, o nascimento da LUAH.

No dia seguinte tudo normal, nenhuma palavra dita e a vida seguiu por uma semana, quando outra carona aconteceu e ele me levou direto pro motel e assim começou um curso sexual de coisas loucas.

Queria saber o que achou?! Aguardo um contato seu ?! Acho que esse será meu último conto, não sei o que você acha ...






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.