"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Aluna de SDM III


autor: adriano.master
publicado em: 31/08/15
categoria: bdsm
leituras: 4514
ver notas



Pela manhã foi acordada por D. Ana, D. Emile já estava em pé,nua ao lado da cama. D. Ana disse para D. Emile, cachorra leve Regina para a cozinha e faça meu café da manhã. Responda qualquer coisa que ela perguntar. Ela agora é sua superior, você deve obediência a todas que fazem parte da minha família. D. Emile, latiu um sim como resposta. Saímos do quarto, segui D. Emile em direção a cozinha. Chegando lá disse: D. Emile o que vamos fazer para D. Ana. D. Emile respondeu, você não deve me chamar de Dona. D. Ana proibiu isso, você deve me chamar de cachorra. Se ela ouvir você cometendo esse erro ela vai punir a nós duas, mas, principalmente a mim, senhora. Estranhei a inversão de papeis, mas, gostei da sensação de poder, que agora tinha sobre D. Emile. Então disse: cachorra o que faremos pra D. Ana? Ela respondeu: D. Ana gosta de café, queijo, pão e frutas no café da manhã. Preparamos o café da manhã rapidamente, mas com todo cuidado, para não decepcionarmos D. Ana e voltamos ao quarto, onde ela já trabalhava. Ela estava sentada em conversando ao telefone com alguém sobre negócios. Esperamos enquanto ela terminava a conversa ao telefone. Quando ela terminou, colocamos o café da manhã sobre a mesa e aguardamos. Ela ordenou que eu me ajoelha-se ao seu lado. Obedeci. Ela acariciava meus cabelos enquanto tomava café. Quando terminou ordenou que a cachorra leva-se tudo para cozinha e limpa-se. Quando terminasse retorna-se. A cachorra fez como ordenado. D. Ana disse: Regina, vou tomar banho, quando retornar, quero que você me ajude a me vestir. Respondi: Sim senhora. Fiquei decepcionada, pensei que fossemos tomar banho juntas. Aguardei ansiosa minha senhora. Ela saiu do banho com uma toalha envolta do corpo. Ela jogou a toalha e foi em direção ao guarda roupa, demorou algum tempo pra escolher um vestido preto longo. Ela vestiu uma calcinha e eu a ajudei com o vestido. Ela se ficou se admirando no enorme espelho do quarto. Ela se virou e ordenou, Regina, vá na cozinha e traga aquela cachorra burra, pois ela esta demorando demais. Fiz como ordenado. Quando cheguei a cozinha, percebi que D. Emile, agora "cachorra" havia quebrado a chicará de D. Ana. Gritei, sua burra, você não sabe nem lavar prato. Vamos logo, que D. Ana esta esperando. A cachorra pediu que eu não dissesse nada para D. Ana. Senti medo em sua voz, aquilo me excitou. Falei: Cala a boca, e vamos logo. Ela esta impaciente com sua demora. Corremos para o quarto. Entramos no quarto e aguardamos as ordens de D. Ana. Ela se dirigiu a mim. Regina qual o motivo da demora? A cachorra olhou pra mim com medo. Respondi: A cachorra quebro a sua chicará, minha senhora. Sorria, enquanto dizia as palavras. D. Ana me olhou fixamente, depois de algum tempo olhou pra cachorra e disse você é uma decepção sem fim. Tanto tempo desperdiçando com sua educação. Talvez eu deva desistir de você. É isso que você quer? A cachorra latiu duas vezes. D. Ana disse, você esta preparada para sua punição? A cachorra latiu uma vez. D. Ana se dirigiu ao armário onde guardava seus instrumento de educação. Pegou dois deles e colocou sobre a cama. Olhou pra mim e me mandou ajoelhar próximo a cachorra. Veio em direção a mim e disse: Você pensa que eu não notei sua satisfação quando falou que a cachorra tinha quebrado a chicará? Meu Deus, ela havia notado? Você me decepciona, ficou feliz com um erro que deu prejuízo e mais ainda, me causou decepção. Você também vai ter uma lição. D. Ana foi em direção a cachorra e disse: Só por este instante, eu vou lhe permitir falar, depois desta lição você volta a latir. Você me entendeu cachorra? A cachorra, respondeu: Sim, minha senhora. D. Ana começou a falar:
D. Ana - Você só tem me causando decepções. Eu não lhe ensinei bem?
Cachorra - Eu só estava tentando...
D. Ana - Eu sei, tentando e falhando. Na primeira oportunidade me desobedeceu, na primeira oportunidade me desafiou. Pensou que eu não ficaria sabendo da sua transgressão. Pensou que eu não saberia da sua transa com a Regina. Você sabe que só eu que escolho com quem vocês podem transar ou não!!!
D. Ana - Eu tenho tentando lhe ensinar. Tentado lhe mostrar o amor que tenho por você, por todas vocês. É errado isso? Ensinar? Compartilhar?
D. Ana - O que eu faço, faço porque quero o melhor. Quero... eu exijo o melhor de vocês.
D. Ana - As coisas boas deste mundo são conquistadas através da disciplina e correção.
D. Ana - Você tem que querer. Você quer?
Cachorra - Sim, senhora!
D. Ana - Olhando para os instrumentos de educação sobre a cama. Então a escolha é sua. O cinto ou a vara?
Cachorra - Demorando pra responder, ela disse: O cinto.
D. Ana - Bom. Então será o cinto. Se levante. Apoie as mãos na parede. Você vai contar cada cintada que lhe der. Você vai contar e agradecer por eu lhe ensinar e pedir por mais. A cachorra respondeu: Sim senhora. Ela se levantou, foi em direção a parede, se reclinou e apoiou as mãos. D. Ana se colocou atrás dela e começou.
Cachorra - Um, obrigado senhora por me ensinar. Por favor, mais...
Cachorra - Dois, obrigado senhora por me ensinar. Por favor, mais...
Cachorra - Três, obrigado senhora por me ensinar. Por favor, mais...
Cachorra - Quatro, obrigado senhora por me ensinar. Por favor, mais...
Cachorra - Hummm...Cinco, obrigado senhora por me ensinar. Por favor, mais...
Cachorra - Aaaiiii...Seis, obrigado senhora por me ensinar. Por favor, mais...
Quando a contagem chegou a vinte ela parou.
D. Ana olhou pra mim e ordenou: Regina, tome o lugar da cachorra. Obedeci. Levantei-me e me reclinei sobre a parede. D. Ana foi em direção a cama e trocou o cinto pela vara. Chegou por trás de mim e falou: Hoje você me decepcionou pela primeira vez. Hoje vou ser boazinha, vou só lhe dar quinze varadas. Toda as vezes você deve fazer como a cachorra fez. Contar, agradecer e pedir por mais. Respondi: Sim senhora. Zapt, me assustei com a dor aguda. Um...obrigado senhora por me ensinar. Por favor mais... Zapt... Dois, ...obrigado senhora por me ensinar. Por favor mais... Zapt...Aaahh... Três ...obrigado senhora por me ensinar. Por favor mais... Aaahhh...Quatro, ...obrigado senhora por me ensinar. Por favor mais... Zapt..Cinco, ...obrigado senhora por me ensinar. Por favor mais... Zapt... Hummmm...Seis... ...obrigado senhora por me ensinar. Por favor mais...Zapt...Ahhhhh... ...obrigado senhora por me ensinar. Por favor mais. putinha burra, não sabe mais conta? Essa eu vou repetir...Zapt...Sete, ...obrigado senhora por me ensinar. Por favor mais...A sessão parecia não chegar ao fim. Cada varada doía mais que a anterior, estava ficando difícil se manter em pé. Assim ela continuou até chegar quinze.
Depois da sessão de educação, ela mandou eu me ajoelhar ao lado da cachorra. Bom Regina, você me decepcionou. Eu vou sair para trabalhar. Quero que você e a cachorra velha, "Cachorra velha", gostei deste nome, você e a cachorra velha vão cuidar da casa. Devo voltar lá pelas 18:00. Quero tudo arrumado quando chegar, jantar pronto. Vou trazer minha irmã e sua aluna pra jantar. Hoje vamos nos divertir com você. É sua responsabilidade cuidar de tudo. Dizendo isso ela saiu. Passei o dia ansiosa cuidado da casa e preparando o jantar para minha senhora.

adriano.master@hotmail.com




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.