"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A Sobrinha e o Tio Parte III


autor: mariana1992
publicado em: 17/06/17
categoria: hetero
leituras: 3544
ver notas


A Sobrinha e o Tio Parte III


Olá! Meu nome é Mariana, aqui vou publicar minhas histórias pessoais e também o que imagino e desejo. Por favor comentem, estou ansiosa para saber se vocês gostaram. Beijos!

*Leia primeiro A sobrinha e o tio Parte I e II.

Adorei aquela noite com meu tio, perder a virgindade com ele foi maravilhoso! Depois disso tivemos várias finais de semana em que aproveitamos demais, um mais gostoso que o outro.

Mas hoje quero contar um dia em especial, era domingo. Tudo ocorreu como sempre e a noite nos encontramos no nosso cantinho secreto, a sala de estar.

Estávamos no sofá, conversando baixinho para minha madrinha não ouvir. Meu tio massageava meus pés porque durante o dia havia tropeçado e quase torcido o pé, mas não estava mais doendo, foi mais o susto mesmo.

Comecei a passar meu pezinho em seu pau que nesse momento estava meio duro. Ele sem dizer nada, parou de massagear para ver meus pezinhos deslizando pelo seu pau.

-Que número de sapato usa Mari?
-34 ou 35, depende.
-Continua que estou gostando...
-Ele está quente
-Você me deixa com tesão, por isso.

Até com meus pés podia sentir como seu pau era grande, então ele abaixou a bermuda e a cueca e senti tesão quando vi meu pezinho em seu pau, era maior que meu pé (!). O contraste de sua pele morena com minha pele branca era sensual demais.

Senti meus pezinhos molharem, seu pau já estava babando. Então com ele deitado no sofá, fiquei de quatro do seu lado e cai de boca em seu pau. Ele apertava meu bumbum com uma mão e segurava meus cabelos com a outra.
Chupei suas bolas enquanto punhetava ele, muito bom! Ele abaixou meu shortinho, minha calcinha branca cavadinha (não uso fio dental, não gosto) e chupou meu grelinho. Nossa! Fico louca com a língua dele! Para baixo e para cima, de um lado para o outro, sua língua no meu grelinho. Fechei os olhos e aproveitei.

Então com ele sentado no sofá fui sentar em seu pau, senti suas mãos no meu bumbum, posicionando para acertar seu pau grosso.

-Assim Mari, senta vai.
-Não tá entrando...

Passou saliva no seu pau e na minha bucetinha e tentamos de novo.

-Agora vai, senta aqui.
-hummm. Gemi baixinho.
-Espera, tá doendo.
-Que foi, tudo bem?
-Ele tá ardidinha sabe quando entra.
-É porque fizemos muito ontem. Não tem problema Mari. Vem aqui.

Ele me abraçou e me acalmou. Disse que fizemos muito então a bucetinha estava assadinha. Logo sarava, dois dias no máximo.

Ficamos abraçados, beijando enquanto eu batia punheta para ele. Apesar de não ter conseguido dar para ele eu estava com muito tesão. Comecei a mamar seu pau de novo, ficava testando o quanto cabia na minha boquinha.

-Mari, vem aqui, deita de bruços no meu colo.
-Tá bom (risos).

Deitei e ele começou a alisar meu cuzinho, igual na primeira vez.

-Ai, tio....
-Gostando?
-Simmmm.
-Vou contar quantas preguinhas seu cuzinho rosinha tem (risos).

Mordi sua coxa enquanto sentia seu pau encostado nos meus seios. Comecei a passar seu pau nos meus seios enquanto ele alisava meu cuzinho.

-Delícia seu cuzinho!
-Seu dedo é gostoso também.

De repente, ele se inclinou e começou a lamber meu cuzinho, fiquei louca com aquilo. A língua mole, lambendo em volta e a pontinha da língua! Delícia!

-Mari, quer tentar?
-Tentar o quê?
-No seu cuzinho...

Fiquei com um pouco de medo na hora. Mas vi na expressão de meu tio que ele nunca iria me machucar, ele gostava de tudo quanto eu.

-Sabe que eu quero tudo com você tio, mas ele é grande, você sabe né?
-Eu sei, eu sei amorzinho.

Quando ele me chamou de amorzinho, meu coração disparou, vi que ele estava gostando de mim, porque com certeza eu já gostava dele.

-Eu não vou te machucar, prometo. Se você falar para parar, paramos na hora, se você não gostar, nunca mais fazemos.

-Tá bom! Como fico?

Ele me beijou e disse:

- fica de quatro na beira do sofá. Vou no quarto, rapidinho.
-Vai ver a madrinha?
-Não ela tá dormindo, fica tranquila. Já volto.

Fiquei de quatro na beira do sofá, mas mudei de ideia, resolvi fica no braço do sofá debruçada, assim não machucava meu joelho. De bumbum para cima, mas com as pernas esticadas.

Enquanto ele não voltava tentei colocar o dedo no meu cuzinho, o buraquinho é pequeno. Dei risada comigo mesma quando senti as preguinhas que meu tio comentou, só ele mesmo para dizer essas coisas. Fiquei em dúvida se iria dar certo... buraquinho pequeno e pau grande...

Quando ele voltou disse:

-perfeita essa posição (risos) fica assim amorzinho.
-acho que é melhor assim para mim, fico mais confortável. Que isso na sua mão?
-É um gel lubrificante. Eu e sua madrinha usávamos.

Fiquei com ciúme da minha madrinha, mas afastei esse pensamento, eu era a errada na história.

-Ah sim.
-Para entrar mais fácil.

Chupei seu pau duro e grosso enquanto ele passava gel no meu cuzinho, segundo ele mesmo dizia, rosinha e com preguinhas.

-Relaxa bem o cuzinho tá bom?
-Tá bom.
-Você confia em mim amorzinho?
-Sim.
-Então relaxa, não vou te machucar.

Relaxei o máximo que pude. Primeiro ele esfregou a cabeça em volta do cuzinho, depois forçou a entradinha com a cabeça. Ficou assim um tempo.

-Tô sentindo tio.
-Eu também, já vai entrar.
-hummmmmm.
-Não faz barulho!

Agarrei uma almofada e mordi a fronha porque minha vontade era gemer alto. O tesão era demais! Lembrei de quando perdi a virgindade, mesmo que doesse iria ser gostoso.

Enquanto mordia a fronha da almofada e fazia forças para não me contorcer para não atrapalhar meu tio, senti uma pressão bem forte, até vi estrelas, sabe aquela sensação quando você cai e senti um baque que não ouve e não enxerga por alguns segundos. Me senti assim.

-A cabeça entrou. Tudo bem Amorzinho?
-hummm
-Se quiser parar me fala.
-uhuhm.

Não conseguia falar, mas não queria que ele parasse. Me esqueci de tudo, estava 100% vivendo o momento.

-Ai que delícia amorzinho!! Vi seu cuzinho abrir e a cabeça escorregar para dentro.
-hummmm.

Eu tentava falar, mas só saiam murmúrios.

-Amorzinho, não vou por mais porque não vai entrar. Tá tudo bem Mari?!
-É para parar? Fala alguma coisa??

Acho que ele ficou com medo de ter me machucado, fiz o que consegui, um sinal de positivo com a mão e quando soltei a almofada para fazer o sinal de positivo percebi que havia babado na fronha e no sofá.

-Também estou gostando, estou louco de tesão por você!!!

Sentir a cabeça de seu pau preenchendo meu cuzinho me deu muito tesão. Estava ensopada de suor e molhada de tesão. Ele começou a tirar a cabeça do meu cuzinho devagar, isso deu muito tesão e senti todo seu gozo escorrer pelo meu bumbum, foram jatos fortes.

Então fique ali de bumbum para cima recuperando as forças, mole de prazer e ele sentou no sofá, me deu um beijo e ficou fazendo carinhos nos meus cabelos molhados.


Espero que tenham gostado! Comentem, adoro ler os comentários, compartilhar experiências. Um beijo em especial a todos que gostaram da primeira e segunda parte e estão acompanhando a história. Caso gostem posso continuar a escrever as sequências!

Beijos!!




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.