"Os mais excitantes contos eróticos"

 

O TEMPERO DO PRAZER


autor: Savage
publicado em: 02/09/15
categoria: hetero
leituras: 1877
ver notas


Nessa vida corrida sempre vivemos experiências às vezes excitantes e surpreendentes, e morar sozinho em apartamento tem lá suas vantagens e desvantagens, e foi assim que tudo aconteceu.


Meu trabalho sempre me sugou, mas tinha uma vantagem, eu morava perto de meu apartamento, e por isso no intervalo do almoço corria lá e preparava minha refeição, como minha família sempre foi envolvida em culinária, consegui aprender alguns truques e como preparar pratos rápidos alem de economizar, me saciava com algo saudável, geralmente uma saladinha de verduras feita no vapor, regada ao azeite de oliva e vinagre de maça, um arroz refogado, e completando com frango grelhado, peixe ou carne, claro que nem sempre era assim, até porque assim como algumas coisas na vida temos que ter prazer em fazer.
Mas a vida solitária me dava esse tempo, cozinhava tudo à noite e quando chegava no almoço apenas preparava o principal, o acompanhamento já estava pronto. E Foi assim naquele dia, retirei do refrigerador uns bifes feitos da bola da alcatra, bem macios, que tinha temperado um dia atrás, e comecei a chapeá-los para me deliciar com salada, arroz branco e um pouco de macarrão. Apesar do exaustor estar ligado, o aroma do tempero ainda assim saiu pela janela, e percorria as demais janelas do andar onde morava. Ninguém nunca havia reclamado ou algo parecido, mas de repente, escutei a campainha. Era uma nova vizinha, nem sabia quando tinha mudado, mas a recepcionei ainda com o guardanapo na mão:

- Boa tarde! (ela sorri)
- Boa tarde (respondi)
- Meu nome é Clara sua nova vizinha
- Prazer, Logan, em que posso lhe ajudar?
- É você que esta fazendo essa comida tão cheirosa?> - Sim, desculpa se o cheiro esta incomodando.
- Que nada, vim aqui confirmar quem estava fazendo.rs
- Sou eu, to preparando meu almoço, daqui a pouco volto para o trabalho.
- Esperava encontrar sua esposa fazendo isso.rs
- Sou solteiro, me viro sozinho mesmo.rs

Ainda na porta, pedi para que ela entrasse, foi quando percebi aquela beldade de vizinha que estava ali em pé, ela passou por mim com uma camiseta de algodão, uma saia curta e de sandália, um corpo bem definido, uma falsa magra, 1, 60, morena clara, cabelo comprido e sorriso lindo. Ela sentou no sofá, e pedi que me aguardasse, pois estava com a comida ainda no fogo, convidei-a para almoçar, ela agradeceu, disse que apenas queria saber o que estava fazendo. Voltei à cozinha e retirei da chapa os bifes acebolados, coloquei no prato as demais porções e voltei à sala, mostrei-o a ela, que quase o come com os olhos:

- Poxa que refeição linda, deu até água na boca.(ela sorri)
- Obrigado, é apenas um bife com arroz e salada, coisa rápida.rs
- Mas me conta, qual é o segredo desse tempero em.rs
- Apenas gosto de comer bem, com as coisas simples de uma cozinha, nada sofisticado, e o segredo é querer ter prazer em saborear algo saudável.rs
- Vim aqui justamente perguntar a dona da casa como preparava essa comida, que foi me buscar pelo aroma lá em casa.rs
- Bom, posso te passar a receita, mas como tenho que voltar ao trabalho, não há tempo agora, porém, posso te afirmar que é bem simples.
- E quando poderia me passar essa receita?, Pois acabei de me mudar para o apartamento 311, sou estudante, meus pais me enviaram para cursar faculdade nessa cidade, e preciso me virar, e uma das coisas que adoro e também comer bem e de forma saudável.
- Olha sempre faço minha comida a noite, pois, trabalho pela manha, quer vir mais tarde?
- Fechado, te ligo, não quero lhe incomodar no seu descanso.
- Não atrapalha, vivo sozinho e uma companhia sempre é bom.
- Que bom, a que horas?
- Por volta das 22:00hs
- Ok! , to indo, não quero atrapalhar mais ainda seu almoço.
- Tem certeza que não quer me acompanhar no bife?
- Obrigado, mas já almocei.
- Satisfação em conhecê-la
- Satisfação a minha, Thau!

Seu sorriso me dizia muito mais, porem, como sempre não passei da boa e velha educação que aprendera. Naquela tarde a imagem de Clara ficou em minha mente, seu olhar de menina do interior, escondia algo mais, ao mesmo tempo inocente e sapeca, uma verdadeira incógnita. Contava as horas para sair do trabalho e poder revê-la, e assim chegou logo as 18:00 hs cheguei em meu prédio, e ao passar pelo apartamento 311 fiquei imaginando o que ela estaria fazendo. Mesmo assim, não me empolguei, poderia ser apenas mais uma amizade que realmente eu conquistaria, e não uma aventura.
Já eram 19:30 hs, como sempre tomei aquela ducha, arrumei a bagunça que estava no meu quarto e sala, de repente meu fone tocou, era Clara me indagando:

- Oi Logan, e ai já pode me ensinar a fazer aqueles pratos deliciosos? (sorrindo)
- Sim Clara, pode vir, estou lhe aguardando.

Em menos de 5 minutos toca a campainha, observo pelo olho mágico, estava linda e sorridente, ao abrir a porta, ela entra e percebo algo engraçado, ela estava vestida caráter, até com avental, é quando lhe falo:

- Humm veio preparada em.rs
- Sim, afinal lhe disse que gostaria de aprender como fazer essas suas receitas.rs

Levei-a minha cozinha, tudo simples e limpo, sempre preservei alguns ensinamentos da família, o local onde preparamos nossas refeições devem estar sempre em completa limpeza. Ela sentou e passou a prestar atenção em tudo que fazia com as mãos, o modo como preparava os legumes, os azeites, temperos e quantidades, anotava algumas coisas e perguntava como podia ser tão cuidadoso com tudo, ela se considerava muito atrapalhada, lhe respondia que era uma questão de disciplina e prazer pela culinária. Seus olhos brilhavam a cada porção que preparava, tinha escolhido uma massa simples, com molho de tomate seco,acompanhando uma pequena salada de legume feita ao vapor, regada azeite e gotas de vinho branco, e para completar um filé de frango grelhado na manteiga.
Clara ficara com um desejo enorme de saborear, fiz um prato rápido para ela e reservei as demais porções ao refrigerador, para o outro dia, apenas aquecer no forno e grelhar o principal. Antes de servir o jantar, pedi a minha convidada para me aguardar, pois tomaria um banho e voltaria para saborearmos o sabor de tudo. Seu sorriso agora era diferente, não apenas de curiosidade e desejo pelos meus pratos, me olhava dos pés a cabeça, como que analisando outro prato a ser servido. Fui ao quarto retirei a roupa e tomei mais uma ducha deliciosa, sai de roupão e coloquei uma bermuda jeans e camiseta de algodão, antes passei o “Docce & Gabanna Blue, que sempre uso, ao voltar à sala de jantar vejo Clara tomando uma taça de vinho branco, o mesmo que utilizei antes, o mesmo estava com gelo. Ela meio tímida diz:
- Desculpe-me, mais não resistir a provar desse vinho que você usou.rs
- Tudo bem, mais colocou gelo?
- Sim claro, pois o vinho já esquenta por si só.rs
- Verdade, cuidado.rs
- Sempre tomava escondido dos meus pais, abre o apetite.rs
- Concordo, mas vamos jantar então?
- Que perfume é esse que usas? É muito bom!
- Docce
- Hummm, másculo em?rs

Respondi apenas com um sorriso, fui até ela e puxei a cadeira para ela sentar, ela sorri dizendo:

- E ainda por cima gentleman?
- Apenas recepcionando minha companhia para jantar, afinal nem sempre tenho a oportunidade de ter alguém aqui.
- Pois assim vai me acostumar mal em.rs
- Vamos provar se estar bom?
- Não vejo a hora.rs


Degustamos aquele jantar conversando sobre nossas vidas, ela me contara que adorará me conhecer, pois, se sentia sozinha naquele apartamento, e não conhecia muita gente na cidade, apenas uma tia e primos que moravam a algumas quadras dali. Eu disse em que trabalhava e que optei por morar sozinho, pois gostava da independência dos pais e de ter a liberdade para viver intensamente, mas com responsabilidade. A cada momento que continuávamos a trocar idéias e palavras, íamos secando aquela garrafa de vinho branco, geladinho e com algumas pedrinhas de gelo ele descia sem nenhum problema até que, ela tentou levantar dizendo que já era tarde, e que já estava indo, agradecendo o jantar e prometendo tentar fazer os pratos e me convidar para saber se aprovava. Ela meio tonta, quase cai se segurando na cadeira, é quando corri e a segurei pelos braços, ela me olhou com aquele rosto de sapeca, abrindo seus lábios em minha direção dizendo:

- Não sei o que aconteceu, esse vinho, bebi um pouco a mais.rs
- Eu lhe disse, se você não é acostumada, ele pega mesmo.rs
- Mais é tão docinho... Parece você!

Aquilo me despertou algo mais, alem do sorriso, levantei-a junto a meu peito e a beijei levemente dizendo:

- Então me deixa provar sua doçura também!
- Humm, assim eu não resisto (responde fechando os olhos)

Aquele beijo foi mais que uma prova foi uma explosão de tesão, senti-a ali entregue em meus braços, sentei na cadeira e coloquei-a em meu colo, ela com sua roupa de mestre cuca, escondera algo mais, ao tirar o avental, sua calça branca coladinha delineia um quadril delicioso, o qual a levanto e a faço sentar em meu colo, ela sentada de frente , abre suas pernas e se encaixa, sente meu membro duro roçar em sua calça, Os beijos continuam agora em ritmo acelerado, meu perfume se mistura ao dela, nossos corpos começam a suar, minhas mãos percorrem toda sua costa e seu bumbum, e mais do que imediato sinto o cheiro de sexo a nos embriagar, ela arranha minhas costas e eu com uma mão no seio esquerdo e outra dentro de sua calça por trás em seu bumbum, chegando a passar pelo cuzinho e melando todos os dedos em sua bucetinha, ela geme e cavalga em minha mão, beijo seu pescoço e pego uma taça de vinho na mesa e levo a sua boca, derramando e transbordando em seus lábios, devido aos movimentos Rápidos que ela faz em cima de mim, o vinho escorre até chegar aos seios, grudando sua roupa, é quando avisto os biquinhos querendo furar a blusa, que delicia, puxo o uniforme, estourando cada botão até expor seu seio, ela grita, abocanho-o e o sugo com gosto de vinho, que delicia, com a taça ainda em uma das mãos, jogo o vinho na mesa, caindo as pedras de gelo, pego uma e enquanto sugo um dos seios, passo a pedra no biquinho de outro seio, ela não resisti, parece que vai gozar na minha mão, nisso, retiro a mão que estava em sua buceta,e coloco em sua boca e a faço provar de seu melzinho de tesão, e quando ela grita:

-Vou gozar meu tesão, enfia de novo lá , Porra!

Após esfregar seu mel em minha boca, novamente enfio por trás de sua calça, sendo o indicador lá dentro, sinto a contração de um gozo se anunciando, ela rebola e eu continuo a sugá-la, agora enfio o gelo em sua boca com a outra mão, isso a faz delirar, meu membro quer rasgar a bermuda jeans, e ela goza alucinadamente. Tendo espasmos, eu a observo, os globos oculares perdem suas órbitas, ela ao mesmo tempo que treme, sorri, chora e abraça, suas unhas penetram minhas costas, uma mistura de dor e tesão, ela segura minha cabeça com força e eu a beijo, ela fala baixinho no meu ouvido:

- Me fode forte amor, quero sentir ele que esta preso ai dentro,agora!

A levanto como uma criança, coloco-a na mesa, retiro sua calça e calcinha ao mesmo tempo, com forca, estourando os botões, chegando as rasgar cada peça, abro minha bermuda, retiro e jogo-a bem longe, ela olha para meu pau com quem ver o maior dos seus desejos, morde o cantinho a boca e sorri, seguro-a e a faço sentar nele, na mesma cadeira. Ao entrar lisinho e duro, ela solta um grito que ecoa por todo o apartamento, e começa e cavalgar com uma amazona, cabelo jogado para trás, braços segurando em meu pescoço, estou dentro quase explodindo de tesão, duro, quente, latejante e liso, o barulho de suas coxas e pernas batendo, faz um barulho alucinante, sua buceta encharcada molha minhas coxas, e o cheiro, que delicia, Docce,vinho,sexo, tudo de bom, quando ela percebe meu pau inchando, sabe que vou gozar, sai de cima, se ajoelha e me masturba sorrindo, ao ver meu leite explodir, ela busca cada gota com sua boca, me olhando percebe como tremo a cada jato que sai, e já sem nada par sair, ela o abocanha e chupa com carinho, eu quase desmaio ao sentir sua boca quente, ali deitado na cadeira, com a cabeça voltada para trás, sinto seus lábios macios me tocar.

Ela levanta chega ao meu ouvido, e diz:

- Muito obrigado pela receita meu chefe, prometo voltar todos os dias para as aulas, e não se esqueça dos ingredientes, pois eu não esquecerei de trazer o prazer de fazer bem gostoso.rs

E com aquelas palavras a vejo vestir o que restava de suas roupas e sair batendo a porta, levanto e vejo a bagunça que fizemos, e começo a sorrir imaginando quantos pratos ainda teria que ensinar a minha aprendiz de cozinha.

Bom mais isso já é outro conto...em breve.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.