"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Amigo pauzudo do marido


autor: katyferreira
publicado em: 29/06/17
categoria: traição
leituras: 5078
ver notas


Sempre fui muito discreta com meus “affairs” e traições, mas ultimamente eu tenho me descuidado um pouco, talvez por causa da vontade intensa e da necessidade de me relacionar com alguém fora do casamento e também por descobrir algumas traições do meu marido, mas chumbo trocado… rs

Não faz muito tempo que conheci Paulo, amigo do meu marido e ex colega de escola, ele é negro, alto e tem seu charme. Bem no estilo solteirão e pegador ele nos últimos tempos estava cheio de piadinhas pro meu lado, claro que não deixei por menos. De alguma forma o jeito dele me despertou curiosidade, então deixei rolar meu lado mais perversa.

Alguns de conversa foram suficientes pra marcar um choop, eu toda assanhada e ele se achando o galã, no bar fomos discretos, afinal ele sabe que sou casada e finge que respeita a situação.

Entre uma bebida e outra algumas verdades foram aparecendo, ele revelou que adora mulheres do bumbum grande e eu que adoro palavrões naquelas horas.

Quase 1 hora de conversa e eu não me contive e perguntei o tamanho, em tom de brincadeira ele disse 25 centímetros. Talvez eu não tivesse ideia do “problema” que estava arrumando, mas eu me joguei nessa aventura.

Sem muitas delongas seguimos pra casa de Paulo, qualquer pessoa que nos visse no mesmo carro era só uma carona. Ao chegar tomamos todo um cuidado pra ninguém ver e entramos. Ele mora sozinho, o que tornou tudo mais simples pros dois.

Mal entramos passamos da porta e Paulo me deu um tapa daqueles violentos na bunda, eu sorri e perguntei se eu havia deixado, ele também sorrindo me pediu desculpas e disse que iria se conter, prontamente respondi que não precisava se conter, era só curtir.

Já no sofá Paulo beijou meu pescoço, meus ombros…
Rapidinho eu fui ficando excitada e pedi mais e quanto mais intensificaram os carinhos mais eu pedia. Talvez a situação o deixou mais safado ou descontrolado pois só lembro dele me jogando no sofá e tirando minha roupa feito um maníaco, só assim pra eu parar de pedir mais, embora eu ainda quisesse rsrs

Me assustei um pouco com a “violência”, mas acho que ele não conseguia medir muito bem a força, pois cada toque dele era forte o bastante pra me marcar, eu acabei gostando de tudo aquilo, apesar do medo de perder o controle.

Paulo me deixou nua, jogou minhas roupas pela sala e me tocou por inteira, quando aproximou o rosto da minha bucetinha parece que acendeu um nível mais extremo, aquele homem ficou maluco, rapidamente ele colocou a língua pra fora e começou a lamber e esfregar o rosto em minha xana.

Eu suspirava e deixava ele controlar a situação, suas mãos pegavam em minhas coxas, cada mão em uma e seu rosto estava “enfiado” entre minhas pernas, mais precisamente com a boca na minha buceta. Era um carinho desgovernado, rosto com buceta, no fim ele estava todo melado rsrs

Me excitei muito com tudo aquilo e percebendo meu amante negro me colocou em seu colo, ainda sem penetração eu fiquei ali rebolando enquanto ele sussurrava putarias no meu ouvido, pude sentir naquele momento o volume em sua bermuda jeans, pedi que tirasse e ele se fez de difícil, então me ajoelhei bem próxima ao sofá e abri o zíper.

Um caralho bem maior do que eu estava acostumada, talvez nem tanto pelo tamanho mas pela expessura, eu sorri e disse que ele iria me rasgar e ele também sorrindo disse que eu teria que aguentar.

Pra saber o que me esperava eu fui abocanhar aquele mastro duro e grosso, minha boquinha ficou pequena pra todo aquele pau rs

Eu engoli a cabecinha e fui descendo, acho que não passei da metade e já me engasguei com aquele pauzão batendo em minha garganta, Paulo gostou da cena e forçou minha cabeça mais e mais.

Com a boca bem aberta fui engolindo tudo o que podia, pau, saliva e um líquido salgadinho que escorria dele. Entre engasgos e cuspes eu acabei me acostumando com o tamanho e então pude me deliciar com aquele pau.

Chupei por um tempo até meu “touro” se manifestar novamente e em um movimento brusco me jogou no sofá, bem aberta e vadia, ele então procurou uma camisinha e foi “encapando” aquele caralho enorme, prestei atenção em cada detalhe, era lindo.

Meu macho negro veio voraz pra cima da putinha dele, eu simplesmente abri mais as pernas que já estavam bem abertinhas e deixei ele controlar (mais uma vez).

Senti a cabecinha na “portinha” da minha buceta e então em uma socada forte ele enfiou, dei um grito/gemido de dor mas me acalmei em seguida, Paulo era bruto e fazia questão que eu soubesse disso.

Ele por cima e eu aberta feito uma putinha no cio me deliciava com a situação, embora minha bucetinha latejasse em uma mistura de dor e prazer. Assim que relaxei aproveitei ao máximo a penetração e fui gemendo a medida que ele intensificava a respiração.

Do início até o final Paulo não falou um A, eram só gemidos sussurros, putarias e palavrões rs

Quando eu já estava em ponto de extase meu tourão resolveu me virar, eu então fiquei de costas pra ele, ajoelhada no sofá, me apoiando com as mãos e empinando o bumbum, ele não fez muito esforço pra me penetrar novamente.
Vaii caralhooo, enfiaa isso!

Acho que entrei no jogo bruto daquele safado e estava ficando alucinada com o poder daquele pauzão em mim, ele socava forte e eu podia sentir o pau dele me preencher em todos os sentidos, talvez o melhor que já provei até hoje.

No meio daquele vai e vem eu apanhava na bunda e era chamada de vadia constantemente, tudo colaborou pra que eu ficasse realmente muito vadia, Paulo percebeu e começou a me comer de um jeito maluco, chegando até me machucar, percebi que era hora de mudar.

Tirei o pau daquele macho de mim, fiz ele ficar sentadinho e comecei a beijá-lo, sem ele perceber fui subindo no colinho dele novamente, mas dessa vez os dois despidos, foi então que encaixei…

Pensa em um tesão enormeee que senti!
Aiiiiiiii que delíciaaa!

Meu amante sentado de frente pra mim, eu no colinho dele escorregando e subindo no seu grande pau duro. Naquele movimento todo meus seios roçavam o peitoral dele e ele começou a acariciá-los, eu ainda o beijei muito antes de gozarmos, ele não se conteve.
Vaiiii filho da puta, me dá esse leitee

Paulo se levantou em um pulo e já havia tirado a camisinha e estava com pau apontado pro meu rosto, uma grande arma negra cheia de leite pra mim.

Nem preciso dizer que ele melou além da minha boca meu rosto inteiro, além do pau enorme a quantidade de porra é algo de outro mundo. Claroo que me deliciei e lambi tudinho como uma bela puta que sou.

Ele então se sentou novamente e eu não largava o osso, ou melhor, o pau rs

Continuei chupando até ele se recompor e ficar durinho novamente, pedi outra camisinha e ele rapidamente me deu, mamei até ele começar a gemer e então coloquei a camisinha, me pegando com as duas mãos na cintura ele me colocou de quatro no sofá, era exatamente o que eu queria.

Abri a buceta, empinei tudo que podia e deixei ele comer.

O entra e sai me deixou tarada, falei coisas que nem me lembro mais, pedi que me comesse, que me fodesse, esfolasse…

Eu precisava gozar com aquele pau em mim, era quase uma questão de honra. Alguns minutos metendo eu cheguei ao meu máximo.

GOZEII MUITOO!

Talvez aquilo tenha excitado mais ainda meu macho e ele rapidinho gozou também, pela segunda vez e mesmo com camisinha eu pude sentir aquele líquido na minha buceta, quente e prazeroso.

Paulo se tornou mais um amante e cada vez mais o círculo de amizade do meu marido se tornou o meu círculo de amantes rs

Espero que tenham gostado do meu relato de traição.
Me escrevam

katyf083@gmail.com




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.