"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Era só uma ficadinha


autor: negro23cms
publicado em: 29/06/17
categoria: hetero
leituras: 1473
ver notas


Meu nome é Rayan, tenho 31 anos, moreno, 1.76 de altura e corpo bem chamativo.
Conheci a Anastácia a alguns anos atrás através da internet e amigos em comum.
Ela mulatinha deliciosa, por volta de 1.65 de altura, corpinho de modelo e uma boca incomparável. Saímos varias vezes por muitos anos, mesmo ela tendo namorado e eu noivo.
Mas num belo dia, eram quase 22hrs e estávamos trocando msg pelo WhatsApp. Conversa vem conversa vai e o assunto começou a ficar bem excitante, pois começamos a falar de nossas loucuras nos primeiros encontros e a maldade começou a falar mais alto. Pedi a ela que se encontrasse comigo na porta de sua casa pois eu estava afim de beijar aquela boca carnuda que so ela tem. Depois de um tempinho desci e quando avistei aquele corpinho escultural me esperando com um shortinho branco com bolinhas rosas, cabelos pretos amarrados e uma blusinha folgadinha dando destaque para aqueles peitinhos deliciosos, meu kct começou a endurecer. Ela entrou no carro e fomos para uma rua mais tranquila. Dai começou aquele sarro gostoso, beijei aquela boca indecente, seu pescoço, desci passando a língua de leve ate os peitinhos durinhos e pontiagudos... Que delicia. Logo desci pro umbiguinho que tinha um belo piercing, que tesao, já lancei minha mão naquela buceta deliciosa que já estava molhadinha louca pra receber meu kact. Senti que ela estava contorcendo de tesao, tirei meu kct, que já estava latejando de muito tesao e pedi que ela mamasse gostoso. Sem pensar duas vezes ela caiu de boca, com aquela mamada serena que deixa qualquer qualquer homem louco, hora serena hora selvagem com uma gula como quem estivesse querendo deliciar de um leitinho.
Naquele momento ambos respiravam ofegantes, carro todo embaçado, loucos de tesao que não nos cabia la dentro a convidei pra ir pro motel e ela aceitou...
Chegando no motel, continuamos naquele sarro gostoso desde a saída do carro até entrarmos no quarto. Arranquei toda sua roupa com facilidade, pois sabia que ela estava louca querendo ação, a joguei na cama, tirei minha roupa subi encima dela segurei seus braços pra cima e fui beijando, chupando, e mordendo de leve seu pescoço. Nisso meu macete roçava naquela buceta molhadinha, e ela se contorcia, gemia pedia pra fode-la porque não aguentava mais. Desci pros peitinhos comecei a mama-los passava a lingua nos mamilos e ela gemia gostoso. Entao caí de boca naquela buceta carnuda. Linguadas magicas que a fazia tremer de tesao. Entao ela pediu que me virasse com o cacete pra ela, no mesmo instante ela abocanhou e começou a mamar freneticamente ao mesmo tempo que gemia.
Fomos entao pra execução, coloquei ela de ladinho, ela levantou a perna um pouco e direcionei meu pau naquele buceta molhadinha. Coloquei a cabecinha dentro e ela empinou o bumbum de vagarinho ate que entrasse tudo. Começamos aquele movimento de leve para dar um pouco de contato e intercalamos com movimentos mais violentos. Com uma mão segurei seu cabelo e a outra lancei na bucetinha e roçava com os dedos enquanto ela aos gemidos e gritos se contorcia. Sem tirar meu pau daquela xaninha suculenta viramos e ela ficou de 4. Fiquei parado e ela rebolava de leve. Com aquela voz de safada ela dizia:
_Você quer me ganhar mais ainda seu safado? Quer? Entao me abre e mete gostoso vaiiii...
Mais que depressa ela se empinou todinha pra mim e eu abri seu bumbum pros lados e metia mais forte ainda naquela buceta faminta. Ela gritava “isso, me abre delicia” e eu fazia com mais força. O detalhe de uma bela tatoo que ela tem na perna seguindo para o bumbum que me deixava mais louco ainda. Ela entao disse que queria selvageria. Enrolei combina mao seu cabelo com muita força e com ela ainda de quatro a puxava com violência fodendo gotoso. Ainda travando seu cabelo naquele movimento de vai e vem frenético e a temperatura subindo, sentia meu pau queimando, soltei-lhe um tapa no lado da tatoo, ela engoliu folego calando momentaneamente e logo depois pediu que batesse mais. Percebi que sua tatoo destacou como se fosse de alto relevo que tesao. Entao pedi que ela ainda de costas deitadas e sem tirar meu pau desci junto. Ela deitada deu uma empinadinha e comecei a socar com força. Ela gemia, gritava e tremia de tesao. Foi aqui que no auge da loucura gozamos selvagemente juntos.
Que noite.
Tomamos uma ducha juntos, e como estávamos pulando a cerca fomos embora.
No caminho ela me confessou que ninguém nunca tinha comido ela daquele jeito a ponto de machucar, que ela sentia uma dor gostosa e que queria mais uma noite como essa.
Oooo mulatinha dos meus sonhos!!!





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.