"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Ela perde as contas


autor: Publicitario45
publicado em: 07/07/17
categoria: hetero
leituras: 1923
ver notas


Pensa numa menina de 26 anos, pele e olhos claros, cabelos compridos, boca perfeita e com uma facilidade incrível em gozar. Pensou? Então, ela é a Melissa, uma fã que mora em Vila Velha e me escreveu recentemente. Nos encontramos no seu apartamento alguns meses atrás e a sintonia foi ficando cada vez melhor.

Porém, por conta de uma viagem dela, passamos alguns dias sem nos encontrar, o tesão subiu do lado de cá e muito do lado de lá, uma vez que o apetite da menina não acaba nunca.

Quarta-feira decidimos ir a um motel, a gente nunca tinha ido, pois sempre nos encontramos na casa dela. No horário marcado Melissa entrou no carro, linda, cheirosa e de óculos de grau, o que me deixa bem excitado.

Rapidamente entramos na suíte e já começamos a nos beijar. Melissa sabe beijar, aliás ela sabe enlouquecer um homem na cama. Enquanto nos beijávamos fomos nos livrando das roupas, peça por peça e em pouco tempo ela estava nua na minha frente.

Cai de boca em seus seios, mamei um, depois o outro e ao levar meu dedo na sua boceta, já senti o mel escorrendo, poucos segundos Melissa já estava tendo seu primeiro orgasmo, no meu dedo.

Empurrei seu corpo e ela caiu na cama já com as pernas aberta, sua xana depilada com lábios rosados estavam ali a minha disposição, era só cair de boca e eu cai. Melissa gosta de chupadas mais fortes, algumas mordidas e quando eu alternos com lambidinhas mais sutis ela goza fácil e gozou. Gozou uma, duas, três, foi se contorcendo, ora gritava, ora ela mesma tapava sua boca para abafar seus gemidos que iam ficando cada vez mais intensos.

As chupadas e lambidas ganharam a companhia dos meus dedos que passaram a foder a sua boceta sempre muito encharcada e depois de mais uma gozada deliciosa eu me deitei e pedi que Melissa caísse de boca na minha pica.

A menina sabe chupar uma rola, lambe, morde, suga, enfia ele inteiro na boca até engasgar, passa a língua por toda extensão, lambe as bolas e não para repetindo tudo de novo. Só que o fogo na sua boceta fala mais alto e ela não aguenta e pede pra sentar na minha pica.

Ela senta e o pau entra gostoso, entra apertado naquela boceta melada e ela se agacha em cima de mim e começa a quicar enquanto eu seguro seu corpo com as mãos.

Melissa sobe, desce, geme, fala coisas desconexas, goza, para um pouco e começa de novo, o som do seu corpo se chocando com o meu vai ficando cada vez mais alto.

- Agora vem e chupa meu pau de novo. Sente o gosto da sua boceta nele vai.

Melissa obedece, sai de cima de mim e mete meu pau inteiro na boca, chupa com vontade me fazendo ir ao delírio e quase gozar.

- Senta nele de novo.

Ela se agacha novamente em cima de mim e começa a quica, gemendo alto, rebolando e gozando várias vezes em seguida.

Depois Melissa deitou ao meu lado pra tomar um ar, mas em seguida caiu de boca no meu pau, chupou com vontade até me fazer gozar na sua boca e assistir de camarote ela sugando até a última gota de porra.

Depois dessa trepação toda, ficamos por um tempo conversando e colocando o papo em dia e no meio dessa conversa toda voltamos a falar de sacanagem e meu pau foi ficando duro de novo, eu comecei a esfregar meu dedo na sua boceta, ela foi encharcando e de repente eu já estava puxando Melissa pra beirada da cama, coloquei suas pernas no meu ombro e comecei a meter com força e na medida que o som dos nossos corpos ia ficando mais alto, mais forte eu metia e a cada gozada Melissa envergava a coluna pra trás, eu dava um tempinho e voltava a meter com vontade.

- Hoje eu vou acabar com a sua raça. Você vai voltar pra casa inchada.

Melissa sorria com malicia como se estivesse me desafiando. Mais surra de pica, cada vez mais forte e outros orgasmos iam brotando de dentro dela.
Depois do quarto gozo, me ajoelhei na cama, levantei ainda mais as suas pernas e apontei a cabeça do meu pau pro seu cuzinho.

- Cuidado, não me machuca.

Fui empurrando devagar, Melissa deu uma pequena recuada e o pau foi entrando e quando ela disse – mete gostoso no meu cu - eu enfiei o pau todo e comecei a socar com vontade. O pau na bunda e meu corpo tocando a sua xana fez a menina gozar de novo, ela gemia, tapava a boca com a travesseiro e as vezes esquecia gemendo alto. Ficamos nesse ritmo até que senti que meu gozo estava chegando, acelerei mais as estocadas e enchi seu cuzinho de porra quente.

Depois dessa trepação toda pedimos a conta, tomamos um banho e fomos pra casa, saciados e já pensando na próxima farra que eu irei contar com detalhes pra vocês.

Beijos.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.