"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Apostando a esposa com os amigos


autor: Katita
publicado em: 19/07/17
categoria: traição
leituras: 3858
ver notas


Era sexta feira a noite, e eu queria sair, dançar passear um pouco, me divertir, mas o Roberto tinha combinado de jogar poquer com os amigos, lá em casa, pensei em ir com a Taís mas minha amiga já tinha compromisso ia sair com o chefe do marido dela, estava dando pra ele em troca de uma promoção para o Rick na empresa, como não queria sair sozinha a solução foi ficar em casa, mas se era pra ficar em plena sexta feira vendo homens jogando cartas ia pelo menos tentar deixar essa noite mais divertida, não combinei nada com o meu corninho dessa vez, tomei um banho fiquei bem raspadinha passei creme no meu corpo todinho o deixando bem macio e perfumado depois escolhi uma roupa bem provocante um vestidinho preto bem curtinho com as coxas todinhas de fora e um decote bem grande com busto apertado que forçava os meus seios um contra o outro ressaltando ainda mais o tamanho e formato redondinho deles, depois fui me maquiar queria estar perfeita aquela noite, já dava para ouvir os rapazes conversando na sala.

Quando cheguei na sala de casa a mesinha de centro estava uma bagunça cheia de cartas fixas e copos de uísque e os garotos sentados em volta nos sofás e na poltrona, quando entrei todos os amigos do meu corno me secaram dos pés a cabeça.

----- Olá vim ver como está o jogo de vocês...

Demoraram um pouco a responder uns olhando pras minhas coxas outros pró meu decote.

----- Rapazes essa é minha esposa a Kátia - disse meu maridinho me apresentando aos seus amigos de carteado.- esse é o Maurício, o Ugo, o Otávio e o Renato.

A cada um que meu marido me disse o nome, lhe estendia a mão e lhe dava um beijinho no rosto, tinha que me curvar um pouco já que os rapazes nada cavalheiros não se levantaram para me cumprimentar, ao curvar meu decote ficava ainda mais esposo aos rapazes que me beijaram o rosto com os olhos nos meus peitos, e os que estavam por trás em volta dá mesa aproveitaram outra paisagem quando me curvar o vestidinho subia mostrando um pouco dá poupa dá minha bunda. Foi uma bela entrada só na recepção já tive a impressão de ter deixado todos na sala de pau duro inclusive o meu corninho, que estava surpreso pela minha atitude já que sabe que evitamos qualquer coisa com os amigos dele preferimos sempre desconhecidos para as nossas aventuras.

Sai e deixei os rapazes curtirem um pouco o jogo, já que cada vez que eu chegava na sala a partida quase parava de tanto que me olhavam e me secavam, todos aqueles olhares de desejo estavam me deixando já molhada. Voltei um pouco depois e o jogo estava quente tanto que dessa vez mal prestaram atenção em mim havia rolado um clima tenso entre os rapazes parece que o Maurício havia ganho as últimas partidas e parecia ter um bom jogo também naquela e outros jogadores o acusavam de estar blefando, no que Maurício tirou a chave do carro do bolso e jogou na mesa, o que deixou os outros ainda mais nervosos, Otavio e Renato jogaram as cartas na mesa saindo do jogo, Ugo bancou a aposta pondo a chave da sua moto na mesa e meu corninho foi e jogou a chave do nosso carro na mesa.

---- Tá doido amor?! Não vai apostar nosso carro não, e se você perder? Ficamos sem carro?...

---- Meu bem esse malandro tá blefando!!

---- Tá bom se você acha mesmo que não vai perder vamos fazer assim então...

Peguei a chave do carro dá mesa e devolvi para o Roberto então puis as mãos por baixo do vestido e baixei minha calcinha com cuidado sem deixar ninguém ver nada antes dá hora, joguei a calcinha na mesa com as fichas e chaves, todos pararam atonitos me olhando e olhando para Roberto.

----- Pra homem que é homem uma boa buceta vale tanto quanto um carro. - falei.

Ninguém teve coragem de discordar de mim, e o jogo seguiu ainda mais tenso estava na hora de mostrar as cartas Ugo foi o primeiro não entendo nada de poquer mas persebi pela sua confiança que era estava com uma boa mão, então foi a vez do meu corninho que baixou as cartas contente dizendo.

---- Parece que alguém acaba de perder uma moto!

Nisso foi a vez de Maurício que deitando as cartas disse.

----- Ele perdeu a moto e você perdeu a mulher.- disse Maurício puxando as fixas e as chaves é minha calcinha tudo pró seu lado.

Eu meu corninho trocamos um olhar cúmplice enquanto Maurício cheirava minha calcinha todo animado.

----- Aposta é aposta- disse Maurício - Quem perde tem de pagar e não vou abri mão de receber o que ganhei.

----- Calma rapaz. - disse eu indo pra frente dele- Vai ter tudo que é seu direito... Amor vou ter de pagar nossa aposta sinto muito, mas pelo menos ainda temos carro, acabamos de pagar e quase ficamos sem ele hem.

Erguida o vestido pra cima do umbigo e me sentei na mesa de centro, Maurício veio pró meu lado e segurando nos meus joelhos me fez abrir as pernas, minha bucetinha ficou arreganhada pra ele que nem pensou duas vezes caiu de boca e me deu uma surra e língua, lambeu minha rachinha chupou meu grelhinho com força, eu que já estava molhada a essa altura fiquei ainda mais, me apoiava com as mãos na mesinha enquanto ele chupava e os outros rapazes e meu marido assistiam todos de pau duro dentro dá calça, o que me deixava louwuinha de tesão, estava precisando de um pau.

----- Anda me come! - pedi esfregando a buceta na cara dele.

Ele se levantou e desabotoando a calça.

----- Não acredito que vai mesmo fazer isso com a minha mulher Maurício?! - meu corninho se fez de indignado mas já tinha até se levantado pra ver melhor a Sena.

----- Sinto muito Roberto mas, aposta é aposta e também essa sua mulherzinha é bem putinha olha do a buceta dela tá pingando de vontade... Vou te dar o que você tá querendo gostosa.- completou olhando para mim.

----- Sinto muito amor mas ele ganhou, deixa logo ele pegar seu prêmio, você perdeu vai ter que ficar só olhando.

Maurício tirou o pau pra fora, vi animada que era grande, não era muito grosso mas era bem cumprido, arreganhada bem a bucetinha, todos estavam de pé a minha volta assistindo, enquanto ele pincelava com a cabeça do pau na minha rachinha.

----- Mete vai. - pedi não conseguindo disfarçar a vontade de dar que eu estava.

Encolhi minhas pernas quando ele foi pra dentro de mim, foi bem fundo com aquela vara toda, deixou ele inteirinho enfiado ate colar o saco na entradinha dá minha buceta eu fechei os olhos e aproveitei, abracei ele com as pernas e dei bem gostoso sem nem ligar que todos estavam vendo ser assistida transando só me deixava mais exitada principalmente quando o corno também estava vendo, Maurício me comeu com jeito não fodeu com força bem rápido se concentrou em ir bem fundo em cada enfiada e aproveitar a buceta todinha, eu toda melada em volta dele abria bem a racha pra ele enfiar tudinho.

---- Ahh... Hunnn... Ah. - gemia eu naquela vara gostosa.

---- Sua mulher é deliciosa Robertão. Que buceta gostosa dá porra, essa puta tem apertadinha e quente, caralho que delícia.

---- Ahh... Ahh.

Eu só gemia e deixava ele me foder tomei uns trancos com mais força, ele agarrou meu seio direito que escapou pelo decote, e apertou com força enquanto mordia o biquinho isso sem parar de me meter aquela vara no meio das minhas pernas.

---- Já tá bom Maurício. - disse Ugo preocupado- já comeu a mulher do cara meu, o Roberto tá aqui.

---- Deixa ele Ugo ! - disse Roberto- deixa ele aproveitar bem o que ganhou é assim que se conhecem os amigos... - completou se fazendo de ofendido

---- Aposta é aposta, quem mandou deixar a mulher apostar a buceta no poquer agora vai ter que pagar direitinho e me dar boazinha até eu gozar, e não vai ser rápido não safada.

E eu estava torcendo pra não ser mesmo queria muito aquela pica dentro de mim ainda.

----- Entendeu putinha boazinha.

Fiz que sim com a cabeça e ele disse dando risada.

---- A safada tá gostando... Não tá?

Com a buceta encharcada daquele jeito como eu podia dizer que não estava fiz que sim com a cabeça de novo e ele me bombou bem rápido e eu me contorcendo toda tive o primeiro orgasmo dá noite, gozei muito naquela piroca me invadindo e continuei levando ferro sem parar e sem pedir arrego, aguentei tudinho enquanto os outros me olhavam doidos pra me comer também. Tomei duas investidas com mais força e senti ele gozando dentro dá minha buceta apertou o pau dentro de mim até escorrer tudinho e quando tirou deixou minha rachinha transbordando vazando pra fora seu leitinho quente. Maurício se levantou e guardou o pau na calça outra vez.

---- Parabéns Robertão, que mulher maravilhosa você tem, gostosa de mais.

---- É eu sei, a Kátinha é mesmo uma delícia.

Me levantei arrumando o vestido e olhando para os outros dois disse.

---- Coitados amor só eles que um e não vão se divertir hoje?

---- Também os dois não ganham uma. - disse Maurício numa gargalhada.

---- É verdade . - confirmou meu corninho- amor o que acha de ser o prêmio de consolação dos dois.

----- Hummer amor.... Acho ótimo, e vocês rapazes? - falei olhando para Ugo e Renato.

Os dois me olharam surpresos.

----- Tô vendo que vocês querem sim... - falei olhando o volume na calça deles dos pais já duros.

Fui pra perto do sofá e me ajoelhou no tapete bem na frente dos dois.

----- Vamos ver essas o tamanho dessas rolas.

Cuidadosamente abri o zíper do Renato e segurando seu pau tirei da cueca e puxei pra fora, depois foi a vez do Ugo, fiz o mesmo e daí segurando os dois cacetes um em cada mão comecei a masrurba-los olhando pra eles os dois paus eram bem gostosos o do Ugo ganhava na bitola minha mão nem fechava na sua jeba, descasquei os dois deixando a cabeça pra fora e comecei um boquete primeiro em um depois no outro e fui revezando as chupada fiz a cabeça de chupetinha e trabalhei bem eles com a língua, os paus estavam duros que nem pedra e eu louquinha pra ter eles dentro de mim.

---- Então quem vai ser o primeiro? - perguntei no que os dois gritaram "eu" ao mesmo tempo- calma rapazes os dois vão poder meter não se preocupem, deixa que eu escolhi então.

Me levantei e escolhi o Ugo primeiro que era mais grosso montei no seu colo e apontando o pau na minha bucetinha deci com cuidado encaixando ele todinho em mim.

----huuun... Que grosso... - falei.

Ugo me agarrou pelos cabelos e meteu o pau pra cima, estava muito exitado vi que ele queria meter com força na minha buceta então apoiei os pés no sofá e comecei a quicar bem forte batendo a xana com tudo no pau dele.

------ Ahh.. Ahh.. delícia. - eu gemia a cada estocada

O Renato me olhava babando de vontade eu sorri pra ele dizendo.

----- Daqui a pouco é a sua vez tá bom.

---- E a minha vez quando vai ser? - perguntou meu corninho reclamando.

---- Ah não corno pra você não vou dar hoje não, você já me tem sempre que quer deixa os meninos aproveitarem um pouco.

Os amigos dele já nem se preocupavam mais de estar me fodendo na frente dele já tinham persebido que o amigo erá mesmo um corno manso. Desmontei do pau do Ugo e fui montar um pouco no Renato coitado nem precisei levantar do sofá sai de um pau e já cai no outro.

---- Vamos lá rapaz quero ele assim bem duro.

Girei o corpo e fiquei apoiada pelos calcanhares em cima do sofá e sentei de costas pró Renato de pernas abertas pró meu corninho ver o pau do seu amigo entrando direitinho na minha buceta, quiquei bem gostoso a buceta no pau dele enquanto Ugo continuava sentado ao nosso lado me esperando voltar pra ele dai olho pró Maurício de pé a minha frente e já estava com o pau duro de novo querendo mais, era tanto tesão de ver todos aqueles machos querendo me fuder que gozei de novo dessa vez no pau do Renato, meu corpo todo suado tinha espasmos de prazer e eu cada vez mais doida de tesão vendo os rapazes anciosos esperando sua vez dai propus que todos brincassem juntos e ao mesmo tempo, ergui o corpo desencaixando do o pau do Renato cuspi na minha mãozinha e lambusei ele um pouco.

----- Você vai aqui... - disse segurando na piroca dele e apontando no meu e cuzinho - com cuidadinho tá olha lá- desci o corpo de vagar pra não machucar fui rebolando até entrar inteiro e com ele todo enfiado chamei o Ugo - levanta vem aqui, você eu quero na frente.

O dá rola mais grossa eu queria na buceta, fiquei bem arreganhada pra ele entrar, eu mordia os labios já estava com dois paus dentro de mim.

---- E eu? - perguntou Maurício batendo punheta com o pau duro.

---- Pra você sobrou a minha boquinha voce quer- falei fazendo biquinho com cara de manhosa.

Ele veio com tudo e ficou de pé em cima do sofá assumindo seu lugar e então eles começaram Ugo e Renato metiam como conseguiam e meu corpo prensado no meio deles era jogando contra o pau de um e do outro, estavam me laciando toda.

----- Ahh... Hunnn... - eu mal podia gemer direito com Maurício fodendo a minha boca metia na minha boquinha como se fosse uma buceta.

Estava tomando em todos os buracos do meu corpo ao mesmo tempo e meu corninho vendo tudo de pertinho nunca senti tanto tesão, assim, não me aguentei e gozei de novo, ja era meu terceiro orgasmo e não demorou muito tambem pra eles gozarem e me encherem de porra por todos os lados, os três gozaram dentro, quando terminaram e tiraram os paus de mim, minha buceta e meu cuzinho transbordaram espirrando sêmen pra fora só o dá boquinha que tive de engolir tudinho, me levantei e os deixei exaltos no sofá um do lado do outro.

---- Foi ótimo rapazes... Adorei a surra de cacete que vocês me deram , na próxima vez que jogarem quero ser apostar de novo viu amor.

Pisquei pró meu corninho e fui para o banho precisava urgente de um banho.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.