"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Histórias Quentes - Capitulo 4


autor: Publicitario45
publicado em: 25/07/17
categoria: hetero
leituras: 1221
ver notas


Com Pedro em casa Laurinha quase não tinha tempo pra Joao, o primo do seu marido que havia se tornado seu amante. Com ele ela aprendeu o que era dar e sentir prazer. Eles faziam mil loucuras, ela experimentou sexo oral de verdade, bebeu porra, fez sexo anal e parecia querer mais e mais.

Seu marido apesar de ser um cara bom, honesto e trabalhador, não tinha se dado conta que não basta por comida na mesa, a mulher dele gostava de pica e descobriu isso com o seu primo, o João, um cara de pau grande e grosso que foi morar no quartinhos dos fundos para poder estudar.

Sempre que Pedro saia, Laurinha dava um jeito de dar pro amante. Eles eram insaciáveis, transavam de todas as formas e quando não dava para transar, Laurinha se masturbava assistindo filmes pornôs e os que mais lhe chamavam atenção eram os filmes com lésbicas.
Laurinha era fascinada pela rola do primo do seu marido, mas se sentia cada vez mais atraída por filmes com mulheres.

A ideia de ser chupada por uma menina começou a fazer parte dos seus pensamentos enquanto ela se masturbava. Seu marido nada percebia, até que ele chegou em casa e
Laurinha estava nua, debaixo do edredom. Para disfarçar, Laurinha chamou o marido para se deitar junto dela, ele tirou suas roupas rapidamente esse juntou a sua esposa que estava cheia de planos.

Quando Pedro deitou e se cobriu ela puxou as cobertas e revelou seu corpo nú. Voou pra cima do marido e puxou sua cueca deixando seu pau livre para que a sua boca o abocanhasse.
Laurinha meteu a rola na boca e começou a chupar como uma vadia, Pedro estranhou mas estava sentindo um prazer absurdo, Laurinha nunca tinha lhe aplicado um boquete daquela forma.

- Vai amor, chupa assim. Tô quase gozando.

- Se gozar rápido eu te mato.

Laurinha subiu com a boca pela sua barriga, beijou todo seu corpo e foi ate a sua boca, Pedro pareceu desconfortável com a ideia de beijar uma boca que havia chupado seu próprio pau.
Laurinha segurou seu rosto e voltou a beija-lo enquanto lhe batia uma punheta.

- Me come de quatro. Me fode Pedro!

Pedro estranhou essa versão da esposa mas obedeceu. Colocou Laurinha de quatro e foi metendo a rola na sua boceta.

- Ai não, quero atrás.

- Atrás? Você nunca deixou!!!

- Me come Pedro.

Pedro nem discutiu. Colocou a ponta da sua pica no rabinho e começou a meter, o pau foi entrando fácil já que a rola do primo era bem maior e mais grossa e já tinha feito uns estragos ali.

Enquanto Pedro socava Laurinha lembrava de João, seu amante, sentia prazer com um pensando em outro, fechou os olhos e pediu que o marido acelerasse as estocadas até que sentiu o gozo chegando, gemeu alto na esperança que João ouvisse e em seguida sentiu o pau do marido explodir num gozo farto.

Depois da trepada os dois deitaram abraçados na cama e Pedro começou uma série de perguntas. Queria saber tudo. O que o deixava espantado era a volúpia da sua esposa o chupando, o tom de voz quando ela pediu que o comesse e claro, porque ela estava dando o cuzinho que ele sempre quis e sempre lhe foi negado.

- Estou assistindo filmes pornográficos. Daí, enquanto você fica fora, eu me divirto sozinha.

Pedro acreditou na resposta da esposa e lhe deu um beijo apaixonado. A boceta de Laurinha já latejava de vontade quando Pedro cortou seu barato dizendo que tinha que sair.

- Mas amor, eu quero mais!! Fica vai.

- Preciso dar um pulinho na cidade ao lado. Tenho que deixar o caminhão na revisão, no inicio da noite eu volto.

- Mas Pedro, são 10h da manhã!

- Eu sei amor, mas preciso ir.

Pedro foi pro banho e deixou Laurinha nua, com aquele belo corpo jogado na cama. Seu corpo queria mais, queria gozar de novo e seu marido estava prestes a sair.

Assim que Pedro saiu Laurinha foi ver as mensagens no celular e tinha algumas de Pedro. A ultima que acabara de chegar lia-se: a farra foi boa heim!?

Laurinha não se intimidou e respondeu: vem aqui terminar o que o seu primo deixou pra trás.

Minutos depois Laurinha ouviu o som da porta abrir e fechar, era João, com cara de poucos amigos mas com muita vontade de comer a esposa do seu primo.

Laurinha riu, riu com cara de safada e sentou na beirada da cama, abriu o zíper, tirou a calça do amante que estava sem cueca e sem camisa. Pegou o pau e começou a chupar, lambeu as bolas, mordeu o pau, fez uma pressão na cabeça e se colocou de quatro.

- Seu primo gozou aqui. vai deixar barato?

João viu aquele cuzinho melado de porra e colocou a cabeça na porta. Seu pau era muito maior e muito mais grosso que o de Pedro.

- Vai se arrepender vagabunda!

Laurinha sorriu e João meteu a tora de uma vez só. O sorriso deu lugar a um gemido de dor, João não se importou e continuou metendo com força, socando cada vez mais rápido e dando fortes tapas na bunda da sua amante casada.

Laurinha sentia prazer e dor ao mesmo tempo, tinha vontade de pedir para parar mas seu corpo traia seus pensamentos e os orgasmos iam chegando sem avisar. João puxava seus cabelos, segurava pelas ancas e metia a rola até o fundo.

- Voce está querendo me matar de tanto gozar é?

- Cala a boca e senta no meu pau.

João deitou na cama do casal e Laurinha foi por cima. Com as mãos ele travou seu corpo e começou a socar de baixo pra cima na boceta da esposa do primo, ela gemia, sentir ondas de choque percorrerem pelo seu corpo, os orgasmos se sucediam e João sem dó, com uma energia inesgotável continuava socando naquela boceta sedenta por pica.

Depois de perder as contas de quantas vezes Laurinha havia gozado, João acelerou o ritmo, gemeu mais alto e gozou forte. Laurinha abafou seus gemidos de prazer com um longo beijo até que a sensação de choques pelo corpo passasse e eles caíssem abraçados na cama.

- Amanhã seu marido vai fazer o tal churrasco. Vai trazer uma amiga da igreja de vocês e a sobrinha dela.

- Eu sei. É a Vanessa, uma patricinha da capital que veio morar aqui.

- Ela é bonita?

- Não sei João. Nunca vi, mas já não gosto dela. Ai de você se se enrolar com essa garota.







ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.