"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Ah! Papai...


autor: kaplan
publicado em: 26/07/17
categoria: incesto
leituras: 4931
ver notas



(escrito por Kaplan)

Encontro com meu amigo Beto na rua. A cara de felicidade dele me diz que Olivia deveria ser a responsável. E não deu outra...
Mal me viu, já veio me chamando para tomar uma cerveja (e isso às 15 horas... vê se pode uma coisa dessas!) para me contar o que tinha acontecido naquela manhã.
- Kaplan, meu amigo, você talvez fique de saco cheio de me ouvir contar essas coisas, mas são coisas tão cheias de segredos, que preciso contar pra alguém e a única pessoa em que confio, que sei que não irá espalhar, é você!
- Te garanto que não fico de saco cheio... fico é de saco doendo de tanto tesão que me acomete quando ouço você falar de suas transas com Olívia...
- Está bem, então se prepare que tem mais uma, acabou de acontecer!
- Manda!
- Você sabe que comprei um apartamento pra Olívia, pequeno, mas foi muito bem decorado e é muito confortável. Você sabe, já foi lá!
- De fato, é um lugar agradabilíssimo!
- Então, fui visitá-la hoje cedo. Deviam ser umas nove horas quando entrei no apartamento dela, e ela sempre sorridente, tinha acabado de chegar da corrida que faz toda manhã, estava suada, mas até o suor dela é perfumado.
Sentamos no sofá e ficamos conversando, eu queria saber se ela precisava de alguma coisa, queria saber também como estava a vida dela, se tinha arrumado namorado, enfim, papos de pai e filha.
- Ah! Papai... arrumei ninguém não. Pra quê?
- Olívia, você não pretende casar, ter filhos? Eu gostaria muito de ter um netinho ou uma netinha...
Ela me olhou com olhos de carinho e falou que ia me decepcionar, porque casar e ter filhos não faziam parte dos planos dela... e acho que para me compensar, me deu um beijo... e outro mais e aí a coisa começou. Irresistível!
Tirei a camiseta dela, o sutiã. Lá estavam os belos peitinhos dela, esperando pelas minhas mãos e pela minha boca. Não tiveram de esperar muito tempo, já fui pegando, acariciando e chupando os biquinhos, o que a deixa tresloucada...
Aí ela tirou minha blusa e ficou mamando no meu peito, acredita? Adora dar umas mordidinhas nos meus mamilos! Você sabe disso, quantas vezes ela já fez com você também, né?
- É verdade... ela sempre faz!
- Então... aí ela tirou a calça, e eu continuei beijando-lhe o corpo, até chegar na calcinha, que tirei para dar uma boa lambida na perereca dela. Outra coisa que a deixa tresloucada...
Aí el tirou minha bermuda, se inclinou e começou um boquete. Maravilhoso, como sempre! Tão maravilhoso que não consegui resistir e gozei em sua boca...
Fiquei chateado, nem tinha penetrado nela, mas ela me disse que não tinha problema, tínhamos a manhã toda e ia rolar mais uma vez...
- E rolou no banheiro. Ela cismou de tomar banho, aliás, me levou ao banheiro, entrou no boxe, ligou o chuveiro e pediu que eu desse banho nela. Tirei a bermuda e entrei no boxe com ela. E dei um banho tão caprichado, com direito a lambidas no corpo dela todo, que meu velho pau acordou e endureceu novamente.
Ela viu, sorriu, adorou, chupou-me de novo, inclinou-se e me mostrou a bundinha arrebitada. Entendi que ela queria ser comida em pé mesmo, e enfiei meu pau na xotinha dela. Por sorte o boxe do banheiro dela é espaçoso e pude bombar à vontade, deixando-a arrepiada.
Me pediu para eu sentar, eu sentei e ela veio sentando em meu pau, bem de frente pra mim, com os peitinhos bem na altura da minha boca. Fiquei chupando-os enquanto ela pulava freneticamente.
E aí veio aquele lance gostoso do gozo dela. Estremece, fica estática, olhos fechados, começa a esboçar um sorriso que vai aumentando... e me enche de beijos.
- Viu que não precisava se preocupar? Olha que coisa maravilhosa, que gozo lindo que eu tive...
Levantou-se e percebeu que eu não tinha gozado.
- Guardou pra fazer safadeza, hein? Pode vir!
- O cuzinho...
- Sim, o cuzinho... tão gostoso, tão quentinho... comi até eu gozar...
Bem, terminamos o banho, saímos do chuveiro. Já eram 11 horas, ela disse que ia preparar alguma coisa pra gente comer. Acha que ela pôs roupa? Negativo... Foi pra cozinha peladinha e que coisa maravilhosa que é ver Olivia nua, de costas pra você, mexendo nas panelas, e a bundinha mexendo... tive de me conter!
Almoçamos e voltamos a conversar. Ela sentou em meu colo, nua... impossível segurar. Ela riu de alegria quando viu que eu já estava de pau duro de novo. Tratou de aproveitar, me levando pro quarto. Deitou na cama e eu deitei por cima dela. Ela pegou no meu pau e o enfiou e aí começamos um lindo papai e mamãe... que terminou com outro gozo maravilhoso.
Aí me despedi e saí. Louco para poder conversar com alguém e te acho. Bom demais! O que achou?
- Poxa, Beto... nem tenho palavras... ela é realmente maravilhosa!




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.