"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Anal de verdade


autor: tinatanya
publicado em: 27/07/17
categoria: virgindade
leituras: 2648
ver notas


Depois da minha decepcionante relação com meu primo, passei um tempo quietinha. Porém, sempre que saía com as amigas pra balada, acabava a noite com alguém me levando em casa. Lógico que rolava os maiores amassos. Até mesmo na balada, dançando com alguém, me esfregava tanto nele, que o fazia gozar nas calças... eu adorava aquilo. Me sentia poderosa!
Tinha um rapaz, Fernando, que sempre que o via, ficava toda excitada. Ele era lindo . Um corpo de academia maravilhoso. Sempre que nos encontrávamos, trocávamos uns beijos mas, ele nunca me deixava ir muito além. Dizia que eu não devia brincar com fogo e tal... Eu ficava encucada com aquilo. Sabia que ele me queria. Mas, fugia de mim. Ele morava sozinho numa kit net próximo a escola onde eu estudava. Um dia, não aguentei: sai da escola na segunda aula e fui dar uma "incerta " no ap do Fernando. Chegando lá, fui logo encostando ele contra a parede. Perguntei pra ele o que estava acontecendo. Se ele não gostava de mim. Ele respondeu que gostava até demais porém, Sabia que era errado. Ele já era um homem. Tinha quase 30 anos e eu era quase uma criança. Eu, pra me defender, disse que já tinha quase 16 anos. (Affff... grandes coisas!) Daí, Ele falou pra mim, que não Tinha mais idade pra "brincar de casinha" que o negócio com ele tinha que ser verdade. Ele percebeu que eu não estava entendendo muito bem o que ele tentava me dizer, foi aí que ele falou:
- Eu não gosto de ficar só nos beijinhos, como sei que é só o que você pode me oferecer. Quero uma mulher que possa me dar tudo que necessito.
Então, eu falei pra ele que poderíamos nos divertir bastante, que poderia suprir sim, todas as suas necessidades. Foi aí que eu me ferrei. Ele se aproximou de mim com uma ferocidade que me deixou com medo. Beijou minha boca com força, mordendo meus lábios, puxando minha língua como se quisesse arranca-la. Ao mesmo tempo suas mãos apertando meu corpo inteiro, me amassando, me arranhando, me machucando . Eu nem pra parar com aquilo. Fiquei foi excitada. Ele foi me conduzindo pro sofá e lá me faz sentar e encostou seu pau por cima do shorts que vestia na minha cara. Ficou esfregando assim no meu rosto com força. Achei um volume muito grande mas, pensava que era por causa das roupas que ele vestia. Ele ficou pedindo pra que eu tirasse-o pra fora pra ver se eu teria coragem de encarar. Sinceramente, apesar do tesão, Eu estava com medo. Ele percebendo isso, não me deu chance de recuar. Abaixando-se, tirou toda minha roupa, inclusive a calcinha, Sempre me beijando selvagemente. Abriu minhas pernas e pediu que eu ficasse quieta. Chupando minha buceta, foi passando seu dedo na minha pequena abertura e tentou introduzi-lo. Foi aí que ele percebeu que eu ainda era virgem. Ele ficou bravo. Falou que eu o tinha enganado. Eu falei que ele podia tirar. Não Tinha problema. O que eu queria era ser dele aquela noite. Ele me disse que não faria isso mas, não ia ficar no prejuízo. Então, me lembrando do acontecido com meu primo, falei pra ele comer meu cuzinho. Que eu já tinha "experiencia" em dar. Kkkkkkkk coitada de mim.
Fernando se esticou e mostrou pra mim o seu PAU. Sim, amigos! PAU com letras maiúsculas. A visão daquilo me deixou sem fala, sem ar, sem chão. O pau do Fernando foi o maior que já vi até hoje. Era enorme. Creio que media uns 25 cm. Muito grosso. Eu não conseguia juntar meus dedos em volta dele. E tinha uma cabeçona maior ainda. Bem maior que uma bola de sinuca. Aquela cabeça roxa, brilhante, dura. Saindo aquele liquido deicioso da abertura. Ele foi aproximando do meu rosto mais uma vez. Queria desistir mas, não conseguia. Aquela cheiro delicioso que vinha dele me deixou muito mais excitada do que assustada. Passei a lamber seu melzinho delicadamente. Com as duas mãos segurava aquele monstro e tentava meter a cabeça toda na minha boca. Foi difícil. Depois de várias tentativas, consegui socar na minha boquinha um pedacinho pequeno daquela pica gigantesca. O Fernando estava gostando pois, ele gemia bem rouco, puxando meus cabelos,forçando minha Boca pra frente, me fazendo babar muito naquela tora. Ele me elogiava, falava que eu estava indo muito bem, que eu era muito valente, que poucas mulheres tinham conseguido chupar seu pau tão gostoso daquele jeito...aquilo me incentivou a ir mais fundo ainda. Continuei forçando minha boquinha de menina a abrigar mais e mais daquele cacete. Depois de um tempo naquele boquete, Fernando perguntou se eu ainda queria ser penetrada por ele. Respondi que sim. Mas, queria que fosse na buceta. Ele disse que não. Só ia testar no meu cuzinho, já que eu tinha feito outras vezes. Minha bucetinha virgem não seria dessa vez. Ele me colocou na posição de 4, passou a lamber meu cuzinho bem gostoso. Eu estava quase gozando. Pedia que ele não demorasse muito. Estava ansiosa pra sentir aquele tora de carne pulsante dentro de mim. Ele foi deixando meu rabinho todo melado com sua saliva e foi testando com um dedo e falando que nem parecia que ele já tinha levado pica. Estava muito fechadinho. Mesmo assim, seu dedo entrou todo. Ele ficou fazendo movimentos pra que eu relaxasse. Cuspiu mais um pouco e colocou dois dedos. Aquilo doeu pra caramba mas, eu não reclamei, senão ele desistia. Ele ficou fazendo movimentos com os dois dedos no meu cu. Sentia que ele estava bem aberto. Parecia que não tinha mais pressão nas preguinhas. Gemia feito uma gatinha no cio. Ele então tirou os dedos, passou um pouco de uma pomadinha que tinha em cima da mesinha de centro , pegou aquele caralho duro e colocou na posição e forçou. Nada. Não entrou. A cabeçona Lisa escapou. Ele pedia que eu fizesse força pra fora, como se fosse fazer cocô. Ele tentou mais uma vez. Aquilo foi rompendo minhas resistências trazendo uma dor dilacerante. Conseguimos fazer aquela cabeçorra gigante passar mas,a dor que eu sentia parecia que ia me partir ao meio. Mas, Fernando foi muito paciente e carinhoso comigo. Ficou quietinho por um tempo esperando que a dor aliviasse um pouquinho, fazendo carinhos em mim, bolinando com uma mão nos meus peitinhos e com a outra no meu grelo. Falava palavras carinhosas, elogiava minha coragem e falava que doeria menos se eu fosse empurrando meu bumbum no sentido dele, pra controlar a pressão. Foi assim que eu fiz. E sem mais sofrimentos, senti as pernas de Fernando coladas nas minhas: ou seja, seu pau tinha entrado todinho dentro do meu cu. Nossa!!!! Que coisa incrível. Como era possível? Eu sentia uma quentura dentro de mim. Não sei se era do pau dele ou se era meu cu arrombado que ardia . Fernando pediu que fosse me movimentando lentamente pra frente e pra trás. Era uma sensação tão gostosa que eu já não Sentia mais dor. Sentia apenas meu tesão aumentando, aquele calor me queimando as virilhas, seus dedos no meu grelo... meu gozo estava vindo. Falei pra ele que iria gozar. Ele me incentivava a deixar vir. Explodi no mesmo instante. Foi o gozo mais intenso que já tive. Meu cu piscava loucamente. Fernando tomou as rédeas da situação. Passou a comandar aquela foda. Segurando nos meus quadris, foi metendo mais rápido, seu pau duro feito Rocha, entrava e saia do meu cu com mais facilidade. Parecia que realmente já havia dado o cu muitas vezes. Fernando disse que queria me mostrar outras posições. Eu aceitei lógico. Ele tirou seu pau de dentro de mim, deixando uma sensação de vazio. Me deitou delicadamente e veio por cima de mim,beijando minha boca, descendo sua boca gostosa por todo meu corpo. Me chupou o grelo mais uma vez. Colocou minhas pernas nos seus ombros, e foi aproximando seu cacete do meu pequeno orifício recem-arrombado. Senti uma dor absurda ao passar a cabeça do pau mas, logo foi substituída pelo tesão de ter aquele caralho majestoso dentro de mim. Os movimentos foram acelerando aos poucos. Fernando olhava pra baixo, via sua tora sendo engolida por meu pequeno cuzinho dilacerado e soltava um urro como se fosse um animal ferido. Que coisa mais sexy! Aquilo foi me arrastando mais uma vez pra loucura de um novo clímax. Fernando anunciou seu gozo. Eu fui junto. Sentindo aquele pau crescer mais ainda e engrossar Dentro do meu cu. Ele começou a ejacular. Sentia o pulsar do seu canal expulsando jatos e mais jatos de porra dentro de mim. Eu também Estava em transe gozando pela segunda vez com seu cacete dentro do meu cuzinho. Fernando acabou de gozar e desabou por cima de mim, exausto. Estava suando feito um cavalo. Seu coração parecia que ia sair pela boca. Quando seu pau começou a amolecer, ele se levantou, me deu a mão me ajudando a levantar também e fomos tomar banho. Tinha que ir pra casa pois, a aula já tinha acabado. Fernando queria que eu ficasse dormindo com ele mas,eu não podia. Fui, com a promessa de voltar outro dia. Tinha que dar um tempo pro meu cuzinho se recuperar do estrago. Bjs!!!!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.