"Os mais excitantes contos eróticos"

 

O Psicologo e a paciente tímida pt6


autor: Raskolnikov
publicado em: 12/08/17
categoria: hetero
leituras: 1439
ver notas


Continuando a série depois de um longo tempo, pra quem não conhece recomendo que leia os capítulos anteriores clicando sobre meu nick, espero que gostem. Naquela manhã após a maravilhosa noite na casa de Ana eu acordei quase não acreditando em tudo que estava acontecendo, jamais iria imaginar que uma paciente iria virar uma pessoa tão próxima, com gostos tão iguais e além disso se tornar uma namorada, poucas coisas são mais satisfatórias do que poder ter alguém pra conversar sobre suas músicas, seus filmes livros prediletos e ela de tudo ela ser divertida, companheira e claro, adorar um sexo gostoso, pensei em tudo isso sem sair da cama e o melhor a pessoa quem e fazia ter tudo isso estava ali, deitada ao meu lado vestida do jeito que me deixa louco de tesão, e o melhor, aquele tesão da manhã. Naquela manhã a minha Ana, a minha paciente, a minha putinha, estava com o pijaminha justinho, shortinho de malha e blusinha de alcinha, ambos branquinhos, acordei com o pau latejando e já fui me esfregar nela pra dar o meu "bom dia especial". Eu vestia apenas uma camiseta e uma cueca box. Fui me encostando nela de conxinha e falando baixinho no ouvido: - Bom dia, acorda que eu tenho um presentinho pra você vem... (e continuava a roçar na bundinha com o pau quase saindo da cueca) - Bom dia Edu, ain que preguiça, nossa você acorda sempre assim? continua devagarzinho assim que eu vou querer todo dia - Acordo todo dia cheio de vontade, gosta assim? (e continuei a roçar) - Adoro, mas eu ... quero um beijo bem gostoso, me da? Subi por cima dela e comecei a beija-la lentamente esfregando meu pau por cima do shortinho e falando baixinho no ouvido o quando eu estava gostando daquele momento e mandando ela pedir mais, quanto mais ela pedia pra continuar mais eu forçava o pau, depois que mordisquei seus lábios fui descendo com a boca pelos ombros tirando a alcinha do ombro chegando com os lábios molhados até o bico durinho e rosado do seu seio, comecei a lamber com a ponta da língua rapidamente sem parar e com a outra mão já meio de lado por dentro do seu short fui lentamente massageando seu grelinho, quanto mais chupava os seios mais ia sentindo a bucetinha ir melando, coloquei mais um dedo e massageei mais rápido, mais rápido, mais rápido. Depois eu abri as minhas pernas e pedi pra que ela sentasse de costas pra mim entre minhas pernas, ela sentou e eu comecei a masturba-la com uma mão e a outra massageando seu seio, alternando entre a boca pra ela chupar o dedo, quanto ficava molhado eu voltava pro seio e continuava a masturbar mais rápido, estavamos cheios de tesão quanto mais ela gemia mais rápido eu masturbava, depois quando ela estava quase gozando comecei a xingar : - Assim cadelinha, é assim que você gosta minha putinha, é assim? (puxando seu cabelo com força) - Faz mais Edu, não para, não para, não para, vai vai vai tô quase. Quando ela estava quase e eu sentindo as mãos ensopadas rapidamente coloquei ela deitada e passei a fazer um oral bem gostoso, com a ponta da língua no grelinho sentia suãs mãos quase arrancando meus cabelos, sentia o seu gosto em meus lábios em minha boca toda até minutos depois chupando senti o seu melzinho escorrendo pela minha boca e ela gemendo de prazer segurando forte o lençol, me levantei e disse: - agora é minha vez, fica de joelho - Assim Edu? te olhando com cara de safada, ah espera vou fazer do jeito que você gosta (se levantou e pegou o óculos de grau de armação preta que me deixa louco) agora vou mamar do jeito que aprendi quando ainda era tímida nos primeiros dias em seu consultório. Com meu pau lizinho ela começou a mamar muito muito, como eu estava com aquele tesão da manhã explodindo gozei rapidamente em sua boca sem ela deixar uma gotinha escorrer. Caí exausto na cama e olhei pra ela dizendo: Bom dia! Depois do nosso banho juntos, nos despedimos e fui pra casa, porém ainda passamos o dia sempre trocando mensagens, em casa tive que fazer análise de caso dos pacientes que iria atender na semana, isso ocupou o meu tempo e fez com que eu me distraísse, na segunda feira fui cedo ao consultório e atendi normalmente os mais diversos casos, achei estranho que Ana não tivesse mandando nenhuma mensagem, normalmente ela sempre mandava um recadinho, achei normal, mas pensei por um momento - Teria Ana voltado a ser tímida e se arrependido de tudo? coisas que todo homem que está maluco por alguém pensa, ledo engano! perto da hora de ... fechar o consultório a secretária toca a porta e diz que tem a mãe de uma paciente querendo tirar uma dúvida, pedi que ela entrasse, esperando uma senhora quem é que entra? ela Ana, era uma surpresa! a sacana resolveu alegrar minha segunda! vestida do jeitinho que eu fico maluco, tênis all star, meia calça, short jeans, blusinha branca e com seu óculos de nerd que a deixa mais linda ainda. Abracei ela sorrindo sentindo seu perfume, trocamos um longo e safado beijo. Pedi um minuto, fui até a secretária e falei que hoje ela poderia ir embora mais cedo, ela sorriu, se despediu e eu tranquei a porta! Naquela tarde de segunda Ana e eu tivemos uma deliciosa rapidinha no consultório, não deixei ela nem tirar a roupa, apenas abaixei o shortinho e a calcinha e em pé mesmo com uma perna erguida e a beijando muito abri minha calça e fodi ela em pé ali mesmo em uma rapidinha quente e cheia de prazer. Ana sabia que adoro surpresas e adoro uma rapidinha! Depois disso fomos pra um barzinho tomar algumas e conversar, falamos em determinado momento sobre sexo, dominação, bondage e BDSM, tomamos a decisão que iriamos fazer isso, eu já era dominador e adorava amarrar, mas devido a ela ser tímida e ser recente tinha receio disso, ela topou! levei Ana pra casa já planejando tudo como seria e o que iria comprar, mas isso é assunto pro próximo capítulo...

SE VOCÊ GOSTOU E QUER SE CORRESPONDER , ESCREVA PARA : escritordecontos80@yahoo.com



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.