"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Minha esposa Ibida deu o cu na minha


autor: Ibida
publicado em: 17/08/17
categoria: traição
leituras: 1908
ver notas


Meu marido descobriu que eu dei pra outro e depois de muito tempo ficou muito carinhoso comigo e que por curiosidade queria ver como foi isso. E soube por uma amiga que o tal que me comeu estava passando uns dias na cidade. E contei pro meu esposo que o rapaz estava na cidade e ficaria por 15 dias e se ele quisesse eu ia atrás dele e deixasse o resto comigo e no ultimo dia dele por perto meu marido concordou e procurei e o convidei-o pra ir a casa e não se preocupar que marido não estaria e ele aceitou e na entrada de casa fiquei receosa, mas enfim entrei, e houve bebidas e amassos e sem ele perceber dei um toque pelo celular pro meu esposo e passo agora os relatos as mãos dele...

_ Eu soube que minha esposa teve uma relação com ele e nunca combinamos tal coisa. Então quando descobri foi um misto de raiva, mas depois me deu uma excitação que a comi direto sempre tentando imaginar como seria o rapaz que fez isso com ela.
Confesso que tinha medo e logo após a relação amorosa eu achava que não queria e quando o vi tive uma supressa que amenizou meu ego de alfa... O rapaz era um sujeito magrinho muito diferente do meu modo de ser e me vestir.

E quando me viu desce ela diz... Amor não sabia que estavas aqui? É não viajei e cumprimente e vi que ele ficou incomodado, mas ela não o deixou ir embora e com minutos de bebida e conversa soube por ele o que minha esposa havia contado que mora fora do país e iria outro dia embora.
E logo percebo minha mulher alisando o pau dele por baixo da mesa. E logo o ciúme, mas ela não teve pressa e vez sinal com o rosto como quem diz posso fazer? Fiz sinal concordando e ela deu um beijo no rosto dele e falou lindo meu marido é um cara legal sabia?
Ele não ralha comigo se eu chupar pica.
E disse que ver como ele é um cara legal? E ela desabotoou a calça e me olhando direto nos olhos começa a bater uma pra ele e logo começa a mamar, mas de costa pra mim, pois assim meu ciúme seria menos, mas ela olha pra mim com a vara na boca e isso me excitou e logo levantar tira a saia e calcinha e senta no pau dele dizendo, vem foder minha boceta, ele que ser corno e não vai fazer nada. E nervoso bebo copos de vinhos e acendi um cigarro e logo quis outro e caiu o isqueiro no chão e puder ver de lado minha esposa gemendo baixinho no pau dele.

Ela percebe e logo me sentei, ela pegou a calcinha do chão e vem até mim e desabotoa minha calça e salta um cacete duro e ela amarra a sua calcinha de seda com força na minha mão e no meu pau e me faz iniciar uma bronha... E assim eu estava me tornando um corno por saber que minha esposa havia dado pra outro e apesar da raiva inicial fiquei excitado, agora eu era corno por vê lá chupando na minha frente e me transformei num corno manso, pois agora vendo começava a bater uma com a calcinha de seda da esposa amarada na mão e no cacete.
E ela volta a sentar no pau e o efeito da bebida segurou meu gozo e vi minha esposa gemer e gozar no pau de outro e meu pau deu uma guinada querendo gozar e vinham gotas de espermas que rolavam da cabeça ao restante do cacete.
E ela diz... Me fode na frente dele, ele sabe que preciso de leite na boceta.
Ela me fez levantar dizendo... Vem querido bate uma pra ele... Sei que o segredo seria mantido e levanto e pego no pau grosso e ela numa posição só com a cabeça enfiada na boceta e no sobe e desce da minha mão começo a punhetar e era mais um passo pra me torna um corno bati punheta pra ele goza na boceta dela e assim dando a ela o leite.
E o faço gozar na xotinha da minha esposa e o rapaz que tava mais pra um garoto, mas ele tinha dito que fazia atletismo então o folego estava em dias e sendo assim ela falou num tom baixinho mais audível...
_ Come meu cuzinho na frente dele come que ele deixa.
Ela falou bem baixinho no ouvido dele, mas eu ouvi... Ele já bateu uma pra você então não tema ele que ser corno e dito isso passou por mim puxando ele pelo pau pingando semém e pega algo na gaveta que não puder ver o que era.
E dançou na minha frente com ele a segurando por trás e ela se vira e agora não havia censura e a mamada foi frontal pra mim e olhando pra ele falou, você vai comer um cuzinho e tenho lubrificante, mas primeiro mete o dedo no meu cu na frente dele... E logo...
Passou ela mesma o lubrificante no pau dele e em pé mesmo encostou-se à entrada da argolinha e deu um empurrão pra trás o “Ai” Que ela deu foi tão sensual e falou... Dilataram as pregas, a cabecinha passou...
E pra minha supressa retirou e caminha com ele até a janela pondo as mãos nas laterais da janela sendo que somente um lado da janela estava aberto e ficando de lado pra mim e ela pôs o pau dele na entradinha e ele novamente enfia a cabeça do pau no cu da minha esposa.
E pra ajudar na posição ela curvou as costas ficando meio que de quatro com as duas mãos apoiada na janela e o rosto dela foi cada vez batendo na janela aumentando a velocidade e se passasse alguém do lado de fora só veria a cena dela batendo com a lateral do rosto na janela aberta.
E esse “alguém” veria um cenário estranho... Uma mulher vai e volta batendo com a lateral do rosto na janela por quê? E eu era o privilegiado espectador da cena completa, um casado que até pouco tempo nem sonhava em ser um marido manso vendo outro enfiar com força no cuzinho de sua adorada e amada esposa e melhor se masturbando.

E ela fez questão de ir rebolando da cabeça ao talo e eu ouvia os gemidos... Tá doendo... E quando menos esperava ela olha pra mim de forma sensual com os lábios entre abertos e no ritmo das bombadas que recebia a lateral do rosto batia na janela...
E percebo que a calcinha que ela havia amarrado no meu pau havia caído ao chão e tinha parado com a bronha e começo a bate foi quando ela pôs as mãos pra trás abrindo totalmente a bundinha a dizer... Goza no cu da vagabundinha meu marido deixa ele fica só olhando.
E dito isso olhou pra mim e fala... Amor tou dando o cuzinho olha amor tua esposa da o cu na tua frente... E voltou a olhar pra janela na direção da rua e voltou a dizer, mas agora pra ele... Mete que ele não faz nada o corno não faz nada.

Comecei a gozar vendo a cena de rapaz deposita o semém na bundinha da minha esposa e ela ainda requebra como a deixa a ultima golfada de porra a adentrar, pois ela estava igualzinha as vagabas que eu estava acostumado ver na internet tomando no traseiro pedindo rola na rosca.
Ela retirou e deu um longo beijo de língua e põem um dedo nos lábios dele e diz, isso é segredo só nosso e pra cortar lances da depois relação, pois assim ficaria longo demais meus relatos seguirei direto ao ponto que ela se despediu dele.
Veio até mim e me leva pra mesma janela ficando na mesmíssima posição e ao abri as pernas, vem o sinal que eu era um marido manso... Escorre semém da boceta dela pelas coxas e enfio e fazia o som inebriante de chec, chec e chec... Estava cheia de porra, e ela pegou no meu pau e pôs na entrada do ânus que eu estava acostumado a comer sempre apertado.

Minha caceta entrou fácil e acho que nunca bombeei com tanta força. Não havia pregas a serem comidas e digo que ela poderia trazer ele pra casa toda semana e era pra ela fica de pernas abertas e dar a boceta na nossa cama e se ela não quiser que eu fique na cama não tem problema eu coloco uma cadeira no quarto e fico olhando, mas ela tinha pelo menos que me deixa por o pau dele na boceta dela e eu só ia fica do lado da cama me masturbando.
Mas ela lembrou-me... Você se esqueceu de que ele ia embora? Mas respondi... Têm amigos eu deixo você dar, mas não posso confiar neles e me escondo e quando ele sair eu apareço na frente de casa assim ninguém desconfia... E não esqueço a resposta dela.
_ jura amor eu posso dar? Eu transformei meu marido num lindo corno manso transformei?
_Você deu minha frente e fiquei de pau durinho? E tirei o pau, ela contraiu as pregas abrindo e fechando e vi nesse momento como o cu dela ficou frouxo e inicio a punheta e veio à porra em jatos ao redor das pregas e fomos pra cama e houve amor em poucas palavras, e pra quer tantas palavras? Pois os beijos ardentes já diziam o quanto gostei de vê-la dando.
A partir desse dia ela convida algum amigo dela a ir pra casa e não é no nosso quarto, mas em outro quarto e pelo buraco da fechadura eu olho e se ele vai sair eu me escondo às vezes é de pau meladinho caindo porra pelo chão.
Nem sempre em casa. Há vezes que ela convida pra umas praças e lá ela chupa dar a xotinha e quando o local favorece acredite eu pude a ver dando na tal pracinha o apertado cuzinho dela. Mas o que eu gosto mesmo é quando a vejo dentro do nosso carro ela chupando e logo que o amigo se vai a vejo caminhar em minha direção limpando com os dedos os lábios.
E FOI ASSIM QUE VIREI CORNO DA MINHA ESPOSA.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.