"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Cliente gostoso


autor: NegraGata
publicado em: 18/08/17
categoria: hetero
leituras: 2947
ver notas


Sou camareira em um hotel de luxo, nós camareiras sempre temos que arrumar os quartos quando o cliente já de foi, ou quando o cliente ainda esta no hospedado, então para não invadir a privacidade dos clientes nós sempre temos que bater 3 vezes na porta antes de entrar no quarto, porque vai que o cliente esteja no quarto, se o mesmo estiver temos que voltar depois.
Enfim, estava trabalhando num dia comum, era uma quinta-feira, o dia estava muito quente, estava arrumando os quartos como de costume. Quarto 609 era o próximo, bati na porta 3 vezes e ninguém se manifestou, então fui entrando no quarto, quando ouço o chuveiro ligado e tinha alguém tomando banho, fiquei morrendo de curiosidade para ver quem estava no banheiro pois no quarto tinha alguns aparelhos de musculação, então entrei e comecei a arrumar o quarto como se nao tivesse ninguém por ali, quando  o chuveiro desligou, fiquei morrendo de medo de ver o que sairia daquela porta, quando então a porta se abriu e eu simplesmente me deparei com o pinto mais lindo que já tinha visto, que HOMEM, acho que ele tinha 1,90 loiro, gostoso e ainda por cima roludo. Então pedi desculpas e me virei para nao deixar o moço constrangido, então ele começou a rir e disse: Nao precisa se virar, eu nao tenho vergonha, todo mundo tem o que eu tenho!
Então eu me virei e encarei novamente aquele rola linda e gostosa na minha frente, pedi desculpas e fui sai do do quarto quando ele disse: Nao precisa sair, vou me trocar e você pode continuar. Então resolvi continuar para ver até onde iria isso, fui para o banheiro trocar as toalhas que ele tinha acabado de usar, quando voltei ele estava deitado na cama com uma cueca box branca, impossível me concentrar, minha vontade era cair de boca naquele pau e chupar bem gostoso. Então quando terminei de trocar tudo me despedi do gostoso, e perguntei se ele precisava de mais alguma coisa, ele disse sim, na hora eu só pensava nele me comendo gostosinho, então ele disse que a carteira dele havia caido no meio da cama, e ele não conseguia pegar porque a cama na verdade era uma caixa toda fechada, não dava para enfiar o braço lá dentro, então fui pegar algo para conseguir alcançar a carteira dele, foi ai que fiquei de quatro pra poder pegar a carteira de baixo na cama, nessa hora eu sabia que ele estava me olhando, e já tinha percebido que ele estava com outras intenções, então resolvi investi, fiquei de quatro, mandei o rabo pra cima e fiquei lá por mais de 1 minuto até pegar a carteira, então pude perceber ele mexendo naquele pau em quanto me olhava. Levantei, entrei a carteira, então ele agradeceu e perguntou como poderia retribuir esse favor? Quase falei: me come gostoso!
Mas só dei uma mordidinha na boca e falei: Pode retribuir como quiser.
Foi então que ele me jogou na cama e começou a me beijar, nossa que beijo quente e delicioso, me deixou morrendo de tesao, então ele arrancou minha blusa e abriu meu sutiã, então começou a lamber meu peito, minha barriga e foi descendo, a essa altura eu já estava encharcada e só queria sentir aquele pau dentro de mim. Então ele tirou minha calça e meteu a boca, nossa que coisa louca, cada vez eu queria mais e mais sentir aquele homem dentro de mim, ele começou a me chupar, e eu nao conseguia me conter, estava gemendo muito, ele passava a lingua no meu clitores em quanto enfiava o dedo em mim, foi assim que gozei, e gozei muitooo!
Então ele levantou, não pensei duas vezes, fiquei de joelho e cai de boca naquele pau rosadinho e chupei com muita vontade, nunca tinha chupado um pau tão gostoso assim, chupei as bolas dele e ele já tava indo a loucura, quando me levantou, me pegou no colo e começou a meter, que sensação incrível sentir aquela rola dentro de mim, e ele começou a meter, e começou a ir mais rápido, quando me colocou de quatro na cama e começou a me comer gostoso, e ele puxava meu cabelo, apertava meu peito, me dava uns tapinhas na bunda e eu tava simplesmente amando aquele momento, depois ele me virou de frente e fizemos o tradicional papai e mamãe, foi ai que gozei pela segunda vez, nossa que sexo delicioso. Então fui por cima, e sentei, sentei muito, sentei até ver os olhos dele revirando, queria sentir aquela porra quente entrando dentro de mim, não estava me importanto porque eu tomava remédio, então só queria fazer ele homem gozar muito, e ele gozou, gozou na minha bucetinha que a essa altura já tava escorrendo. Então deitei do lado dele e nao sabia o que fazer, pois precisava voltar ao trabalho, mas queria ficar ali com ele o resto do dia. Então ele começou a me beijar de novo, passar a mao pelo meu corpo até chegar no meu cuzinho, então ele enfiou um dedo e começou a massagear bem devagar, aquilo foi me dando um prazer, e até entao eu nunca tinha dado meu cupra ninguem, estava com medo, mas ele me deixou tao relaxada, e com tanto prazer que eu nao via a hora dele me comer de novo, mas dessa vez por trás. Ele me colocou de quatro e começou a colocar, bem devagarzinho, dei um gemido muito alto, estava realmente gostando disso, quando senti que ele tinha enfiado tudo, conseguia sentir aquela pica inteira dentro de mim, então ele começou a aumentar a velocidade, tava gemendo muito e tava adorando, foi quando ele gozou na minha bunda, fiquei toda melada de porra daquele gostoso. Então fomos pro banho, não queria ir embora dali. Após o banho, já tinha se passado 2hrs que eu estava sumida do trabalho, eu tinha que voltar. Então ele me deu um beijo demorado, e disse que ia pagar mais um dia de hospedagem só para poder me ver amanhã.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.