"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Dando pro meu professor (part II)


autor: Kate
publicado em: 24/08/17
categoria: hetero
leituras: 1382
ver notas


🔴Para entender melhor esse conto leia a primeira parte.

Depois do gozo intenso e com o corpo sem forças o professor deita alguns minutos do meu lado. Lhe faltava o ar, sua respiração estava ofegante e com minhas mãos sobre o seu peito eu sentia seus batimentos fortemente acelerados.

Eu levantei e fui tomar banho, entrei na banheira e logo ele me fez companhia, seu pau estava duro como um ferro despertando em mim uma vontade de engolir todo aquele cacete.

Relaxado na banheira fui pra cima dele deixando-o completamente sem domínio. Com a minha mão direita segurei firme aquele pau enquanto outra mão segurava em seu ombro. Sentei delicamente e sentia minha bucetinha esticando toda pra receber aquela delicia. Ele segurava meu quadril e me conduzia a cavalgar no seu cacete.

Revirando os olhos ele me segurava com força e seus dedos passavam pelo meu cuzinho me deixando mais excitada, eu gemia feito uma cadelinha no ciu. Eu encostava meus seios em seu rosto fazendo ele mamar bem gostoso, ele chupava e com sua selvageria deixava algumas marquinhas.

Ele anunciando seu gozo ficou em pé e eu ajoelhada na banheira comecei a chupar seu pau, eu sugava enquanto deslizava minha mão e pegava nas suas bolas, passava minha língua por todo o comprimento e forçava até minha garganta. Eu estava cheia de vontade de sentir seu leitinho e ele em êxtase fala:
_Abre essa boquinha minha safadinha, eu vou enche-la de porra!
Com uma das mãos ele segurou meu cabelo enquanto outra pegava seu pau socando rápido e gozando na minha cara e na minha boca.

Delirando ele enfia aquele cacete todo melado na minha garganta e me faz engolir toda a sua porra quentinha e deliciosa...
_Toma o pau do teu macho, engoli tudo!
_Eu quero mais professor!
(Falei com a voz manhosa )
_Quer mais é?
_pfv
_Vem cá minha safada...
Fomos pro sofá onde eu fiquei de 4 e ele ajoelhado no carpete começa a chupar minha bucetinha melada.

Empinava cada vez mais meu rabão pro professor e ele dava tapas e mais tapas deixando minhas nádegas toda vermelha e com as marcas dos seus dedos. Eu gritava e gemia recebendo aquelas linguadas e implorei por aquela pica gostosa.
_Me fode professor, me fode gostoso, sacia minha sede.
Não querendo tirar a boca da minha bucetinha inchada e vermelha de tanto ser chupada ele me puxa pro carpete e me deixa deitada de ladinho. Deitado atrás de mim ele introduz aquele pau enorme na minha xoxotinha inundada por sua saliva e começa a dar leves socadas enquanto beija minha nuca e segura meus seios.

Meu corpo deslizava no dele enquanto eu era fodida, logo ele segura uma de minhas pernas levantando-a e suspendendo um pouco facilitando a introdução de todo o seu cacete na minha buceta, ele metia tudoooo e eu pedia mais:
_Ahhhh que delícia de pau, mete tudo professor gostoso!
_Safadinha pra gostar de pica você hein?!
_Gosto sim, quero a sua sempre!
_Pode ter certeza que vc vai ter. Gostosa!

Ouvir aquilo me instigava de prazer. Então eu mudei a posição indo pra cima dele e de costas pra ele comecei a quicar gostoso em seu pau e ele tendo visão do meu cuzinho começou a passar o dedindo me causando fortes arrepios. Eu me apoiei no sofá e socava cada vez mais aquele cacete pra dentro da minha bucetinha.

Louca de tanto tesão eu comecei a gozar, ficando sem forças ele me puxa pra trás fazendo eu deitar sob seu peito enquanto ele continuava a me foder naquele gozo alucinante. Eu tremia toda, eu perdi as forças das minhas pernas...
_Quer delicia professor!
_Eu te quero muito!
Então ele me sentando no sofá começou a chupar por alguns minutinhos minha buceta, e eu olhando cada movimento da sua língua.

Ver aquele homem lindo abrindo minhas pernas e me chupando me deixou com vontade de gozar novamente. Ele mamava no meu pinguelo como se tivesse chupando uma chupeta, meu prazer se intensificava ainda mais. Ele não tirou a boca da minha bucetinha e começou a punhetar sua pica.

Joguei meu corpo pra trás e comecei a gozar novamente, me contorcia e pegava nos biquínhos dos meus seios. Lambuzei a toda a boca do professor Paulo e assim como eu ele tomou todo meu
melzinho. Sugando cada gotinha ele parecia faminto. Logo ele deixa a minha buceta e me puxa mais pra ponta do sofá e abrindo mais minhas pernas ele goza em cima da minha barriguinha. Aquele leitinho ia escorrendo e deslizando pela rachinha da minha xoxotinha.

O professor me deu uma surra de pica me deixando com as pernas bambas. Depois de me recuperar fui tomar banho com ele e comemos alguma coisa antes de ele me deixar em casa.

Foi muito bom ter uma experiência com ele, até então nunca havia gozado tanto com um pau rs. Aquela noite foi só o começo de uma história. Sempre que eu saía mais cedo do colégio ele me dava uma "aulinha extra".

Cada encontro era prazeroso, mas tínhamos que nos manter discretos principalmente na escola. Mas sempre que eu podia e o encontrava sozinho nas salas dos professores eu o beijava e ele pegava na minha xoxotinha ficando de pau duro e cheio de vontade de me dar uma surra de rola só porque eu ficava provocando daquele jeito. Sabendo do meu poder sobre ele eu sempre abusava e tirava todo seu foco o que resultava em noites picantes. Meu professor estava cada vez mais viciado na minha bucetinha e assim como eu ele gozava inúmeras vezes a cada encontro nosso.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.