"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Sexo forte com a vizinha 02


autor: Lenhador
publicado em: 07/09/17
categoria: casual
leituras: 1342
ver notas


A noite estava perfeita com as estrelas e a lua cheia dando todo o charme. O vinho era sorvido aos pequenos goles a mente conspirando muito ao lembrar de Inês. A pequena morena que amava socar uma escova na buceta.

Passados 15 dias da foda mágica não tínhamos conversado a respeito ou repetido.

Pego o celular e resolvo enviar um SMS para puxar conversa.

Oi como você está?

Saudades de você, mas viva. Chega a resposta

Será? Provoco

Chega ao muro e olha o que estou fazendo te querendo. Instiga-a

Largo o vinho na mesa e rodeio a casa e ao erguer a cabeça sobre o muro me deparo com a bela visão da safada manipulando um pepino na buceta e me provocando com a língua. O cacete vibrou com a perspectiva de entrar em ação.

Pulo o muro com todo o cuidado pra não fazer barulho e depois a janela e paro ao lado da gostosinha roçando o cacete nos seios dela e já me apossando do clitóris. A boca pequena tentando abocanhar o cacete grosso me desperta um imenso tesão, mas não queria gozar naquele momento e me afasto caindo de língua naquele corpo firme e capricho nas caricias ousadas nos seios e mamilos no que sou premiado em proporcionar varias gozadas sucessivas.



Enquanto e ela acaricia os bicos dos seios começo a bolinar a bucetinha apertada com o pepino e saio relando na bucetinha sensível e a cada gemido enfio e tiro de dentro da cobiçada grutinha pra deixar aquela taradinha bem no cio.

A bucetinha já estava tão ensopada que começou a escorrer o mel em direção do cuzinho e num movimento ágil continuei socando o pepino na bucetinha dela e ao mesmo tempo bolinando o cuzinho com os dedos no que a deixei ofegante e se contorcendo num pré gozo.

_ Gostoso fode meu cuzinho. Implora ela

Coloco a camisinha e miro a entrada do cuzinho e vou enterrando a cabeça do cacete devagar pra ir sacaneando com aquela vadia iniciante no mundo do sexo.

_ Você está me rasgando o cuzinho safado. Ela começa a entrar no clima de boa foda.

_ Você merece ser bem comida gostosinha. Adoro mulher sem pudor que fode com gosto.

_ Acaba comigo vizinho gostoso. Pede ela

_ Com todo prazer minha bela vizinha. Concordo já aumentando as cutucadas na buceta com o pepino e bombando o cacete no cuzinho da vadia.

Não demora ela tem orgasmo forte e ejacula nos molhando. Mordisco os mamilos e ela não para de ter orgasmos e não se controlando me morde pra evitar gritar.

_ Você acabou comigo safado. Ela sorri feliz sem me soltar

_ Um pouco, pois nem te comi direito. Reclamo sorrindo

_ Sério? O que você deseja fazer comigo que ainda não fez? Pergunta ela curiosa.

_ Muitas coisas gostosinha. Sorrio enigmático.

_ Me conta duas, por favor. Pede ela

_ Te comer na laje e te masturbar no ponto de ônibus. Solto as fantasias e ela revira os olhos e passa a língua nos lábios me olhando bem safadinha.

_ Uauuu... eu topo as duas. Concorda ela

_ Pega uma saia e nada de calcinha e me segue. Ordeno sem deixar ela pensar muito. Subimos pra laje da casa dela e num ponto mais escuro me posiciono, por traz dela e começo a bolinar a bucetinha já molhada e fodida. O cacete roçando o cuzinho e a bela bucetinha com poucos pelinhos. Minha língua devorando a nuca e o perfumado pescoço e uma das mãos atacando os seios.

A sensação de perigo estava tão forte que não demorou Inés ter orgasmo e sentir choquinhos.

A sensação de perigo aliada a ousadia mexia com o tesão dela de tal forma que ela se virou e começou a sarrar meu cacete enquanto me beijava.



Notando que eu estava ficando bem aceso ela guia meu cacete pra dentro da bucetinha e rebola com muito empenho até me fazer gozar forte. Com sorriso de satisfação ela agacha e tira a camisinha pra lamber o cacete sugando a porra e acariciando minhas bolas.



Satisfeitos pela foda realizada descemos pra nos limparmos e me despeço com um oral demorado até fazer com que a safadinha insaciável tenha o orgasmo de saideira.



Despedimos-nos após combinar irmos para o ponto meia hora antes no outro dia. Custo a dormir e acordo muito antes do horário normal.

Banho tomado e já arrumado pra sair envio SMS para Inés, pois talves ela tenha perdido a hora e eu ficaria na rua cedo atoa.

_ Bom dia gostosinha. Envio todo aflorado

_ Bom dia moreno gostoso. Retorna em seguia ela

_ Ainda se arrumando? Pergunto sem rodeios

_ Já estou prontinha pra você. Responde.

Encontramos-nos na rua e seguimos pro ponto, más como havia uma construção sem iluminação a puxo pra ela e começo a beija-la. A safada já tinha facilitado tudo, pois estava de saia e sem calcinha. Começo a mover a língua naquela bucetinha com cheirinho de maça e aperto as nádegas com as mãos no que não demora ela tem orgasmos sucessivos. Ambos sabendo que era mesmo pouco tempo sem mais delongas saco o cacete pra fora da calça e atolo pra dentro da bucetinha em estocadas ritmadas com minha gula em foder.

Prestes a gozar retiro o cacete da bucetinha de Inés e ela se abaixa pra mamar o cacete até o leite jorrar.

Ajeitamos-nos depressa e seguimos pro ponto sorrindo um pro outro em perfeita sintonia.

_ Você está proibido de parar de me comer. Ordena ela no ponto de ônibus

_ Enquanto você não arruma namorado continuamos transando. Proponho

_ O prazer que sinto com você e meu foco na faculdade me impendem de namorar sério. Prefiro me satisfazer com você do que ser mal comida pelos carinhas que não sabem cuidar de mulher.

Continua...





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.