"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Saciando a manicure casada pelo cu


autor: lobodotado
publicado em: 10/09/17
categoria: hetero
leituras: 3748
ver notas


A presente narrativa decorre de uma aventura com a manicure de minha ex. Certa tarde, Ana me pediu para dar carona à Natália, pois ela estava se recuperando de uma fratura no pé e queria evitar longas caminhadas. Lá chegando, não pude resistir ao convite para um café. Foi automático, apoós um pouco de conversa, já nos atracávamos e a vadia já mamava com desenvoltura. Ela chupava de forma voluptosa e deliciosa, usando só os lábios, depois lambia a cabeça e toda a extensão, depois lhe pedi para me mostrar os seios, ela os sacou e tirou a calça branca também, fizemos uma espanhola dos deuses, batia o pau em sua cara. – Toma, manicure cadela, puta safada, toma ferro na cara, tá com fome de rola, né? Ela voultou a me chupar e gozou com a siririca simultânea, em seguida se entregou. – Ai, não aguento, minha xoxota tá piscando, vem foder gostoso a boceta da tua manicure puta, pintudo safado. Quero gozar com a boceta engolindo todo esse caralho! Foi a deixa, comecei metendo nela de calcinha e tudo, de quatro no chão, bombava ritmicamente e com pressão, segura a alça da calcinha, apertava a bunda, ela pediu pra apanhar, dei muuitos tapas na grande bunda branca que logo ficou um pimentão, em pouco tempo meu pau estava ensopado. – Aaaahhhh pauzudo gostoso, cachorro filho da puta, come a tua doutura, dá chá de piroca nessa xana…aaahhh vou gozar muuuitooo…aaahhhh. Ela gozou tão lubrificada que meu pau até amoleceu um pouco, tirei e esguichei em sua cara, mas o estímulo foi tão forte que não amoleceu, ela se limpou e exclamou: – Não acredito que continua duro, que pinto é esse que não descansa? – – Acho que só tem um jeito de descansar, prosseguirmos na brincadeira até ele chegar à exaustão. – Que safado, então vem me chupar bem gostoso pra acender meu fogo…Obedeci prontamente e como chupei aquela deliciosa boceta carnuda, percorri os grandes lábios com a ponta da língua, provocando-lhe arrepios, gemidos, suspiros, depois passava a siriricar o clitóris com a língua, dessa forma ela teve o primeiro orgasmo em minha boca, em seguida, mergulhei na xoxota de queixo e tudo, ela perdeu os sentidos e gozou duas vezes seguidas. – Aaaaahhh seu puto, devorador de fêmea, Omo você chupa gostosa, tá acabando comigo…aaahhhh. Depois, passei a lamber o períneo e o cuzinho, soquei dedos, ela se deliciava piscando o buraquinho…- Humm que tesão gostoso tá me dando no rabo, quer comer meu cu, safado? – Preciso responder…vou te enrabar como um louco, sua puta safada. – Aaai que delícia de macho dominador, fico louca de tesão com essa pegada. – Vai ficar mais louca ainda tomando no cu, abre bem a bunda, disse enquanto cuspia no pau. – Nãoo, no cu não quero, sinto tesão mas tenho medo, vergonha...- Pode deixar que vou curar isso já, exortei enquanto pegava o cinto e o dobrava, imediatamente lhe dei lambadas secas na bunda, cinco em cada nádega que a fizeram gritar e lacrimejar. – Aaaaaiiiii, filho da putaaaa. –Está pronta, puta, ou precisa apanhar mais do teu macho, espero que entenda quem manda aqui, ou será bem pior pra você, disse balançando o cinto em sua cara e puxando seu cabelo. – Fui claro?! Perguntei, dando-lhe um tapa no rosto. – Siii....Ela respondeu, choramingando. – Vai parar de frescura e abrir a bunda para o teu macho experimentar teu rabo ou vai querer apanhar feito adolescente rebelde? Ela obedeceu prontamente, entrou a glande, ela soltou um leve uuui e logo empurrei metade….- Tá doendo. – Só um pouquinho, mete tudo….Pediu já rebolando, meti, esperei ela se acomodar e comecei a bombar, estávamos de lado, mas logo eu a coloquei por cima e passei a masturbá-la, em alguns minutos, a puta jorrava mel em minha mão, enquanto eu dilacerava o reguinho quente e úmido…- Toma nesse cuzão, vadia safada, toma nesse rabo, rola grossa de macho, goza na mão do teu puto, ordinária..aahhh. Eu mexia para os lados e de cima para baixo, socava um pouco na diagonal, um pouco de frente, queria deixar seu cu bel dilatado para sentir meu pau escorregar facilmente para dentro – Dá esse cu, cadela, dá esse cu como puta... Aaaaahhhhh que pau gostoso, destruiu minhas pregas, dizia contraindo o ânus, querendo mastigar a carne de pica dura…Sentia o pau sendo estrangulado e ardendo, quando tirei e gozei na bunda dela, saía um filete de sangue do prepúcio, esfolei a pica no cu maravilhoso da vagabunda. Então beijamo-nos e disse que um dia gostaria de repetir aquela foda selvagem, ela disse que iria aguardar e tocar siririca lembrando desses momentos de prazer avassalador. Contato: pacerodrigo2015@gmail.com



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.