"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Proposta indecente


autor: LOBO
publicado em: 18/09/15
categoria: hetero
leituras: 6748
ver notas


Olá, delícia!...

Tudo bem com você por aí? Espero que sim.

Pode ser que esteja em casa, num momento de privacidade, e veio aqui buscando contos eróticos para alguma inspiração, para algo que mexesse e adicionasse um enredo às fantasias que rondam sua cabecinha.

Ou talvez esteja no trabalho. Num momento de tranqüilidade e privacidade, aproveita para dar aquela "espiadinha". Se é assim, então serei discreto. Entenda estas palavras escritas como um sussurro ao teu ouvido, ditas só a você, sem que os outros em volta possam te ouvir.

Vou te falar bem baixinho:

Aliás, queria te perguntar uma coisa. O que era mesmo? Aguarde. Já vou lembrar.

Estou aqui de imaginando você nua dentro dessas roupas recatadas do trabalho. Sei bem o que há dentro delas...

Sinto o aroma de almíscar de fêmea no cio que vem do teu sexo. Sinto que escorre.

Ah... como quero te chupar, mulher...como quero te sugar toda, engolir teus seios, te lamber inteira, cair de boca na tua fornalha e seguir até você gritar de gozo.

Como quero que você me chupe. Como quero ver essa boca gulosa engolir meu membro rijo, como quero ver essa cara de safada deliciosamente tarada me encarando, me dizendo que quer tudo. Como quero, pois bem sei que você quer, despejar meu líquido na tua língua para que você o sorva todo...

Tenho sede: traga-me algo para beber. Você sai. Mas quando volta vai me encontrar deitado de barriga para cima, meu pau ereto no ar.

Ele te chama: venha sentar-se!

Venha cavalgar um macho faminto. Faça-o entrar todo dentro de você. Solte toda tua libido, rebole sem parar. A cada rebolada tua vou dar estocadas mais e mais fundas. Assim seguimos, eu te penetrando mais e mais, minhas mãos tomando teus seios.

Até que mais esse gozo nos atinja...

Descansamos um pouco, naquela paz que só momentos intensos bem vividos proporcionam. Mas você não se aquieta, não é, mulher? Logo começa a brincar, mexer em meu pau. Que te responde, cresce nas tuas mãos...

Se começou um jogo, sabe que tem que ir até o fim. Te viro de bruços, te aplico uma vigorosa palmada na tua bunda. Vejo tuas carnes macias reverberarem, na energia que te foi dada. Antes que fale qualquer coisa, novas palmadas te vêm. Com uma ordem:

- Abra-se...

Você sabe. Separa as coxas, fecha os olhos e espera. Sente que uma cabeça roxa de tesão se aperta contra teu anelzinho. Você já foi bem treinada nas artes do sexo anal. Relaxa e faz a dilatação que permite a teu corpo receber a entrada de teu dono sem problemas.

Te tomo toda, te penetro fundo, na forma profana que só as amantes plenas têm a sabedoria de permitir. Te faço sentir toda uma onda de calor. Um êxtase que te faz pressentir o clímax de um gozo muito especial. Ali, com um pau todo enfiando na tua entrada mais proibida, você quase enlouquece de prazer. Tua loucura me impregna.

Gozamos juntos, profundamente...

Mas eu tinha algo a te perguntar. O que era mesmo? Ah... lembrei:

Quer ser minha parceira de aventuras?

Quer ser minha amiga íntima?

Ou sendo mais direto, vou abandonar qualquer tipo de censura e te perguntar bem na linguagem explícita e crua das alcovas dos amantes: quer ser minha puta, como só musas muito especiais têm a generosa sabedoria de ser?

Aguardo sua resposta...

Uma ótima tarde para você! Bom trabalho...

Beijos,

LOBO


Texto Publicado. Direitos autorais reservados. Proibidas sua reprodução, total ou parcial, bem como sua cessão a terceiros, exceto com autorização formal do autor. Lei 5988 de 1973








ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.