"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Minha primeira vez...


autor: dryka
publicado em: 11/10/15
categoria: incesto
leituras: 41376
ver notas




Estava com 17 anos e no meu segundo namoro, mas nada de rolar a tão falada 'primeira vez'.
Sacanagem!! Eu entendia de tudo, mas não era porque eu estava esperando aparecer o 'cara certo' que não rolava. Era a química não combinava, só sei que dos dois caras que eu namorei não rolou com nenhum.

Depois que minha mãe se separou do meu pai, ela vivia pra baixo e pra cima envolvida com novos relacionamentos que nunca davam certo. Eu acabei indo morar com meus tios e fazia já uns três anos que estava na casa deles. Minha tia trabalhava por escala a noite e meu tio era encarregado de uma firma.

Um dia depois de ter passado um fim de semana brigando com minha mãe e muitos amassos frustrados com meu namorado, cheguei em casa muito aborrecida e já não estava aguentando mais toda aquela pressão de não acontecer nada certo na minha vida.

Meu tio e eu estávamos sozinhos em casa e ele me chamou para conversarmos, pois ele notou o meu aborrecimento.

-Venha aqui Dryka, conte para o titio o que tanto lhe aflige!

Meu tio era um coroa saradão tipo garotão, com uma barba crescida de três dias que ele sempre deixava assim e toda vez que a gente estava conversando, eu me concentrava naquela barba. Ele cheio dos papos bobos que eu sempre levava na brincadeira.

Até hoje eu me lembro daquela noite. Eu sabia que não tinha saída, estava cheia de frustrações e precisava me abrir com alguém pois eu não tinha amigas. Infelizmente, as meninas da escola morriam de inveja de mim e do meu corpo.

Eu era uma menininha tinha um corpo de mulherão. Minhas pernas são longas, meu bumbum empinado e minha barriguinha sempre chapada. Meus cabelos longos e sedosos, meus seios enormes e chamavam atenção aonde eu ia. Isso fazia com que qualquer menina namoradeira se afastasse de mim. Minha mãe e minha tia? Aff! Essas duas nunca tinham tempo para mim então não tive saída...

- Ta bom tio vou te falar o que está acontecendo.

- Pode se abrir para o titio o que você disser vai ficar só entre nos.
Com essas palavras ele me deu mais confiança.

- Sabe já estou no meu segundo namoro e nada rolou até agora.

- O que você está me dizendo Dryka? Você ainda é virgem?

- Para tio assim eu fico com vergonha!

- Mas não dá para acreditar numa coisa dessas! Eu pensei que já tinha rolado com aquele seu primeiro namoradinho, você parecia tão apaixonada por ele e teve uma vez que ele até dormiu aqui em casa...

- Sim tio ele só dormiu!

- E esse de agora não rolou nada?

- Bem tio, rolou sim mas...

- Mas...?

- Aí tio isso não é coisa para eu estar te contando!

-Confie em mim seu titio não vai falar pra ninguém o que você me disser! Pode confiar!?

- É que nesse último fim de semana ficamos.

-Como assim vocês ficaram? Você não acabou de me dizer que é virgem?

-Sim eu que peguei e fiz um boquete nele que logo gozou e me deixou com uma vontade inexplicável.

- E não rolou nada além disso?

-Não tio!!
Aquele papo estava me deixando irritada e nervosa.

-Mas minha linda você não sabe como um homem e uma mulher faz nessa hora? Você nunca viu uma sena de sexo?

-Mas é claro né tio! Já assisti alguma coisa na net!
Mas é claro que eu não ia contar para ele que meu not quando ligava já ia direto para um canal pornô!

-Então porque você não deixou ele fazer o trabalho dele?!

-Eu deixei tio mas nunca da...

-Não acredito que minha Drykinha só encontrou babacas em sua vida...

Quando ele disse isso me deu vontade de chorar ele me puxou para si e me deu um abraço bem apertado quase me tirando o fôlego.

-Sabe Dryka? A primeira coisa que tem que acontecer é o macho te reconhecer como sua fêmea! Entende o que estou falando?

Apenas balancei a cabeça negando, enquanto ele enfiava a mão para dentro do meu short. Quando alcançou minha xaninha a tocou com todo carinho um dedo e retirou a mão lentamente.

-E a segunda coisa é sentir o cheiro e o gosto da sua fêmea.

Ele falou isso com o dedo no nariz e depois na boca. Aquilo fez com que meu tesão que já estava latente ir nas alturas.
-o macho tem que passar confiança suficiente para sua fêmea para ela saber que ele é dela e ela é dele!

E de novo enfiou a mão no meu short mas dessa vez minha xaninha estava completamente molhada pulsando com vontade mesmo, meu corpo ficou todo mole e ele pegou minha boca enfiou sua língua nela senti o seu gosto que até hoje não me esqueço. Ele pegou meus seio por cima da blusa e os acariciou me deixando numa tormenta sem fim até que ele levantou a blusa e pôs a boca em um dos meu melões.

-Aí tio assim eu não me aguento!

Ele sugou gostoso e foi descendo pela minha barriguinha com beijos molhados e quentes. Abaixou meu short até meus joelhos e abriu minhas pernas e foi com sua língua até o meu ponto quente e pulsante com pelos pubianos fininhos. A lambeu lentamente até enfiar aquela língua maravilhosa nela toda.

Com um vai e vem louco que chegou a um ponto que eu senti o que até agora só havia sentido no chuveiro com meus dedinhos. Gemi bem alto quando atingi o clímax era o meu primeiro gozo e ele lambeu todo o melzinho que saiu dela.

Saiu de cima de mim e me levantou em seus braços e me olhou com olhos bem sacana:

-A aula ainda não acabou, vem com o titio!

Ele falou isso me levando para o meu quarto, lá chegando eu me deitei na cama e pude ver quando ele ia tirando a roupa o quanto ele estava excitado. Seu pau enorme pulsando e eu com meu corpo todo em chamas. Ele recomeçou com aquela deliciosa tortura começando pelos meus peitos descendo pela barriga e novamente me levando ao delírio com aquela boca com aquela barba espetando meu ponto mais sensível.

-Tio! Tio!

-O que foi minha delicia? Calma se você aguentou até agora, aguenta mais um pouquinho pois o que você quer o titio também quer!

Eu segurava ele pelos cabelos curtos em vão tentando me controlar mais o tesão era demais, o calor que eu sentia era demais aquela tortura era demais!

Finalmente ele se posicionou sobre mim. Confesso que nessa hora senti muito medo, pois pensava que aquela pica grossa e grande nunca ia entrar toda na minha xota.

Mas não senti dor, apenas umas pontadas que me incomodou na hora em que entrou. Como eu gemi muito alto ele pensou que havia me machucado e ficou parado dentro de mim e eu comecei a me contorcer esperando o próximo passo dele.

Eu rebolava embaixo dele em agonia, mas finalmente ele começou um maravilhoso vai e vem até que chegamos ao clímax juntos. Como ele me envolvia toda nele e como o pau dele entrava e saia de mim tão gostoso, naquela hora me senti como se fosse a mulher maravilha, alcançando o céu no seu jato invisível. E eu recebendo na minha barriguinha um jato de porra maravilhoso

-Gostou da aulina que o titio te deu?

Ele me perguntou isso todo suado se jogando ao meu lado. O que mais me satisfez naquele momento foi o cheiro que ele exalou. Cheiro de macho saciado e foi eu quem fiz aquilo.

É claro que por dois anos dando gostoso pro meu tio ele me ensinou tudo que eu sei hoje e a primeira vez que dei pro meu namorado?

Passou de longe a experiência que tive com meu titio. Claro que ele quis saber todos os detalhes daquela e de todas as outras transas que tive. Ele sempre ficava excitando em saber como a putinha dele se comportava com outros homens.

Até hoje de vez em quando vou na casa ele pra gente se lembrar do passado.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.