"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Clube Secreto


autor: Silvya Castle
publicado em: 13/10/15
categoria: hetero
leituras: 2009
ver notas


Eu cheguei às 9h o horário estava bom, é quer dizer, havia alguém me observando, me senti curiosa e olhei de relance, ele não podia ver meu rosto e nem eu o dele, o que era bom, me excitava, ele veio em minha direção, e me levou para um dos quartos, não posso dizer onde é, a sociedade secreta não admite que falemos sobre nós e nem de nossos lugares. Quando entramos no quarto senti a mão dele em meu pescoço eu estava de trás para ele, meu vestido tinha um ziper atrás ele abriu meu ziper deixando as minhas costas nua, foi então que ele abaixou o meu vestido por completo e lá estava eu, só de calcinha,me virei para toca-lo e ele segurou minha mão e disse:
-Vire-se
Então eu me virei e ele pôs uma de suas mãos em minha cintura e esfregou sua ereção contra minha bunda, naquela hora senti um tremor ele me beijou na nunca e disse:
-Quieta.
Eu estremeci e obedeci.
Ele tirou seus sapatos e ternos e ficou nu, ele me virou para sua frente oara que eu vizualiza-se aquele corpo escutural e minha deusa interior explodiu ao ver o quão grande e inchado estava o seu pau duro querendo me penetrar, com uma de suas mãos tirou minha calcinha e me deitou na cama e ele me olhou diretamente nos olhos, mesmo com a máscara era tudo tão sexy. Deitada toquei o seu ombro e ele segurou minhas mãos acima, começando a beijar meu pescoço e até chegar aos meus seios e ele começou a chupar, meus seios estavam duros, soltando a minhas mãos em cima ele pegou um de seus dedos e enfiou em mim, beijando o meu umbigo, e mais pra baixo e pra baixo, até eu sentir o meu clitóris sendo lambido e chupado, a forma como tudo estava indo, seria mais que uma foda, minhas pernas se contorceram eu tinha chegado ao prazer, dando um leve gemido então ele foi me penetrar senti a cabeça de seu pai duro encostando em minhas entranhas e ele ficou esfregando até que eu senti ele me penetrar, uma, duas, três e olhou nos meus olhos e continuava a me preencher, uma, duas, três, infinitas vezes, ah o quanto eu senti, explodi na mesma hora que ele, tinha sido mais que uma foda, sai do quarto pegando meu vestido e sapatos dando um leve Beijo em sua nuca e depois fui para casa. Quem era ele? A máscara, maldita máscara, quase ninguém se revelava, o mal das sociedades secretas, a maioria não se revela.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.