"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Chantageado pelo funcionário


autor: mlkgato24
publicado em: 08/11/15
categoria: gays
leituras: 4097
ver notas


Olá meu nome é Gabriel, venho contar algumas histórias e experiências verídicas da minha vida. Moro em Sp, sou discreto e não frequento o meio gls, amigos e família não sabem das minhas aventuras. Sempre fui ligado ao esporte, treino quase todos os dias e me cuido bastante, tenho um corpo atlético é uma bunda avantajada, que deixas os homens loucos.

Bom esse fato tem ligação ao meu último conto ( Dando para o vizinho tatuado), quando conheci Thiago na praia. Após a nossa louca noite de sexo, nos separamos pelos nossos compromissos e nada mais aconteceu no final de semana. Após o meu retorno meus pais resolveram fazer algumas manutenções no apartamento e fiquei um mês sem retornar à praia. Obras concluídas, fui designado a ir a praia verificar como tinha ficado o apartamento, já que meus pais estavam viajando. Resolvi descer na sexta feira e retornar logo no sábado pela manhã, pois tinha outras coisas em Sp para fazer.

Fui sozinho e chegando ao apartamento verifiquei que tudo estava em ordem. Enquanto arrastava alguns móveis para colocar no lugar alguém bate na porta. Era o funcionário do prédio, ao qual chamarei de Pedro. Pedro é um rapaz de 25 anos, negro, alto e bem magro. Ele trabalha no prédio a algum tempo como um ajudante geral, tem uma origem bastante humilde mas é uma excelente pessoa. Sempre muito educado e solicito com os condôminos. Pedi a Pedro que entrasse para ver como tinha ficado os consertos. Ele me ajudou com alguns móveis e na organização da casa, após toda a arrumação nos sentamos na sacada e ofereci uma bebida gelada como agradecimento, pois a sua ajuda foi fundamental. Ficamos descansando e batendo papo quando ele vira para mim e diz que precisávamos conversar. Achei um pouco estranho o seu tom mas perguntei o que seria.
- Pedro: Então Gabriel, sabe o último final de semana que o sr veio aqui? Eu fiquei trabalhando até mais tarde, fazendo um bico de pintura no apartamento ao lado. Não quero parecer inxerido mas não pude evitar de escutar o que o sr e o parente do seu vizinho estavam fazendo.
Nesse momento eu gelei, fiquei completamente sem graça mas tentei disfarçar dizendo que apenas estávamos tomando uma breja.
- O sr me desculpe mas não era só cerveja que estava tomando, escutei tudinho pela sacada ao lado e o Sr tava dando o rabo para aquele cara.
Eu queria abrir um buraco e me enfiar dentro, não tinha como desmentir, fui flagrado. Respondi a Pedro que ninguém poderia saber disso, ninguém da minha família ou amigos do prédio poderiam desconfiar, ele teria de guardar esse segredo.
- Olha Gabriel (mudando seu tom de fala), isso vai depender do Sr? Sempre fiquei te olhando na piscina do prédio, morria de tesao quando vc passava de sunga com essa bunda gostosa. Aposto que vários boyzinhos te comem, sacanagem um cara como eu não ter essa oportunidade.
Pedro estava me chantageando, guardaria segredo se eu desse para ele também, filho da puta queria se aproveitar. Tentei desconversar mas ele estava decidido.
- A minha proposta é fácil, já que você gosta de ser putinha vai ter que ser a minha também, se você concordar nunca ninguém ficará sabendo de nada.

Mesmo sem concordar e sem ter atração por ele tive de aceitar, ninguém poderia ficar sabendo de nada. Disse a ele que tudo bem, que seria o nosso segredo. Levantamos da sacada e o levei ao meu quarto, teria de satisfazê-lo para não me prejudicar, que situação. Chegando ao meu quarto fui tirando a minha roupa, ele apenas me observava, parecia não acreditar no que estava acontecendo. Virei de costas para ele e perguntei se ele iria ficar parado, Pedro enfurecido veio e me agarrou por trás, me encoxava com força e lambia meu pescoço. Ficava elogiando a minha bunda sem parar, fiquei de 4 na cama empinando bastante meu rabo e ele caiu de boca. Mordia, chupava e lambia a minha bunda e o meu cuzinho, parecia uma criança com um brinquedo novo. Nesse momento fui ficando mais à vontade e o tesao começou a bater, deixei ele lambuzando meu rabo por bastante tempo, aliás eu seria a sua puta e teria de obedecer suas ordens. Pedro se levanta e tira a sua roupa, ele era bastante magro, pernas finas mas algo em sua cueca parecia explodir. Assim que ele saca a sua rola quase que eu desmaio, ele tinha um pau enorme, grande e cabeçudo, dessas rolas de negão que agente vê em filme. Fiquei apaixonado pelo pau, deitei ele na cama e comecei a mamar com gosto, chupava sua rola enquanto olhava para a sua cara, batendo com aquele monumento em meu rosto. Me sentia uma puta, chantageado e dando para aquele negro roludo. Deixei seu pau bem duro, passei bastante gel no meu rabo e na sua pica, fiquei de costas para ele e fui sentando devagar. Fui descendo bem lentamente, aquela rola parecia que iria me rasgar, como estava doendo. Após um tempo me acostumando com a dor fui rebolando devagar, descendo e subindo naquele cacete, Pedro estava em outro universo, ele não conseguia falar nada, apenas gemia e apertava minha bunda. O misto de dor e prazer foi tomando conta e eu me excitava cada vez mais. Rebolava e fazia movimentos mais rápidos, deixava meu rabo bater em suas pernas fazendo os barulhos nas estocadas, delirava de tesao. Sai de cima do negão e fiquei de 4 novamente, dessa vez ele veio com vontade, enfio a sua rola novamente em meu cuzinho e fudeu com gosto. Parecia que ele iria me quebrar ao meio, não estava aguentando as suas metidas, relaxei as pernas e deitei na cama, ele por cima de mim fodia como um animal. Aquela rola enorme e o cheiro de macho me deixaram louco, gozei sem encostar no meu pau, mas empinava mais o rabo a cada metida. Pedro não demorou e gozou na camisinha.

Até que me dei bem nessa chantagem, dei para o vizinho e agora seria a puta do funcionário. Após nos limpar Pedro deveria retornar ao serviço, mas antes de ir embora me avisou que repetiríamos novamente esses encontros, e que eu seria sua putinha sempre.

Para alguma sugestão ou critica me escrevam boyte20@hotmail.com



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.