"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Raquel, gordinha safada e puta


autor: Brother
publicado em: 19/11/15
categoria: hetero
leituras: 3998
ver notas


Há uns anos atrás conheci a Raquel. Uma gordinha morena dos peitos enormes e uma bunda de dar inveja a muita menina de academia. Ela é o tipo de gordinha gostosa que todo homem deseja. Quando a conheci era estudante do ensino médio assim como eu também era. Na época eu namorava uma menina e nunca tivemos a chance de ficar. Após o término do ensino médio eu nunca mais a vi.

Como eu estava servindo ao exército, não sobrava muito tempo pra nada. Dei sorte de ficar aquele fim de semana no fim de outubro em casa. Meus amigos me chamaram para uma festa que haveria próximo a casa de um deles.

Era festa de halloween, estava com mais dois amigos dá época da escola. O Daniel que é um rapaz negro e musculoso. O outro era o Caio que é o típico cara que as mulheres dão em cima pelo seguinte fato, ele se veste muito bem. Sempre com roupas caras as minas interesseiras ficam louca rs.

A festa rolava solto com muita musica e bebida. De repente uma mão tapa meus olhos e diz:
- Se você adivinhar quem eu sou ganha um beijo.
Senti aqueles seios macios roçando em mim. Pra minha sorte, eu a reconheci pela voz.
- Ah é a Raquel!
- Aí que lindo você lembrou de mim! Agora seu prêmio.
Achei que ganharia um beijo no rosto, quando ela me virou e me deu um beijaço no meio da festa. Correspondi com gosto, mordi aqueles lábios carnudos e puxei ela pra ficar colada no meu corpo.
-Que beijo gostoso! Se eu soubesse que seria tão bom teria te atacado no ensino médio. Disse ela sorrindo de orelha a orelha.

Depois de mais alguns beijos a convidei pra ficar junto de mim e dos meus amigos. Como todo mundo se conhecia não precisei nem apresentar. Ficamos um tempo conversando os quatro mas a Raquel só queria saber de beijar. Enquanto eu a beijava num canto meus amigos tentavam arrumar a presa da noite. Não foi a noite deles, a festa acabou e eles ficaram sem ninguém. Seguimos todos para o apartamento do Caio.

Sentados no sofá já meio bêbados começamos a falar sobre tudo. Ela já bastante alegrinha falou:
-Olha vocês dois sem ninguém! O jeito vai ser eu aliviar cada um pouquinho! Disse rindo.
-Você não dá conta nem do Brother imagina de nos três. Duvidou Daniel.
-Vamos trepar todo mundo. Tô com muito tesão hoje. Passei o dia todo na siririca mas só me satisfaço mesmo é com rola.
Ela levanta da um beijo demorado no Caio e outro no Daniel. Senta no meu colo e fala:
-Agora que eu já beijei todo mundo tá na hora de eu ganhar meus prêmios.

Vorazmente ela puxa Daniel pra perto tira o cinto da calça e começa um boquete gostoso. Caio não perdeu tempo e colocou a pica pra fora também. Eu já levantava aquele vestido preto e notava que a safada já tava ensopada. Tive certeza de que ela estava a pensar nisso desde o fim da festa. Passando os dedos naquela xota quentinha, coloquei a calcinha pro lado e comecei um vai e vem com os dedos enquanto ela se deliciava na rola dos meus amigos. Chupava com gana, desejo e vontade.

Coloquei ela no sofá e saquei meu pau pra fora e ela falou que queria todos eles juntos na boca. Com dois paus que nem cabiam naquela boca tesuda começou uma punheta em mim.
-Vamos mostrar pra essa puta que não se deve dar pra três, vamos deixar ela de cama. Cheia de tesão ela ficou de quatro. Eu e o Daniel tiramos sua calcinha e ele começou a abocanhar aquela xota deliciosa. Vendo aquilo fui ajudar o Caio com aquela boca gulosa.
Toda arreganhada com o negão chupando sua xota e com duas picas pra ela chupar ela gozou intensamente.
-Ai acaba com essa buceta negão! Me arromba toda.
Daniel não perdeu tempo e enterrou o pau de uma vez e gritos, gemidos saindo abafados daquela boca. Babando o sofá e o chão inteiro ela gozava.

Coloquei a camisinha e começamos a revesar as posições de cada um. Era um festival de pirocada naquela buceta e naquela boca que ela não aguentou e depois de gozar muito pediu no cuzinho.
- Ai brother, come esse cú gostoso! Com meu pau enterrado no cú daquela piranha ela pediu pra sentar no Caio. Fizemos uma deliciosa dupla penetração e ela começou a gritar muito conforme eu aumentava o ritmo no seu rabinho. O negão foi o primeiro a gozar em sua boquinha. Caio foi o seguindo ele gozou em seguida.

Não aguentei e enchi também a camisinha de leite.
-Ai dá pra mim esse sacolé de porra!
Tirei a camisinha com cuidado e ela espremeu até a ultima gota engolindo tudinho assim como tinha feito com o Daniel.

Fomos todos para o banho, ela reclamou:
- Ai to toda assada! Seus safados me arregaçaram legal. Adorei a noite! Se vocês colocarem essa pica pra subir de novo pode me acordar pra terminar com o que sobrou…

Meu pau subiu na hora, que mulher safada! Ficamos no banheiro metendo e meus amigos foram deitar alegando que não sabe como tenho tanto fogo. Metemos no apê do Caio em vários lugares até quase de manhã. Dormimos juntinhos e pelados no sofá.

Ao acordar trocamos contatos pra marcar mais vezes. Quando conto pra minha esposa essa história ela fica toda molhada. Aposto que fica se imaginando recebendo três rolas de uma vez. Um dia quem sabe não realizo essa vontade dela…




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.