"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Tomando coragem, fazendo loucu


autor: CasadaCadelinha
publicado em: 21/11/15
categoria: hetero
leituras: 6541
ver notas


Bem, meu nome é Ana tenho 30 anos , casada há 6 anos e mãe de um filho de 3 aninhos. Tenho 1.65 de altura, 64 kg bem distribuidos, quadril largo, coxas bem torneadas, cintura fina. Sou branquinha e loira (artificial).
Bom vamos lá, esse é meu primeiro conto relatado e espero que seja o primeiro de muitos, afinal tenho muita coisa pra contar apesar de pouco tempo de experiencia com zoofilia. (2 anos e meio)
Apesar de ser uma mulher bonita, feliz e bem realizada sentimentalmente e sexualmente sou adepta do zoo a 2 anos, primeiro por curiosidade depois por ser totalmente insaciável no sexo. Para mim sexo toda hora, todo dia é pouco! Meu corpo pega fogo, e quando se trata de zoo aí sim fico completamente maluca por ser perigoso e totalmente proibido por questões de família e religião. Meu marido nem sonha sobre meus desejos e prazeres.
Conheci a zoofilia na internet como quase todos, mas me lembro que desde adolecente já observava os cães e seus paus enormes. Me lembro de ficar entusiasmada algumas vezes, no sítio do meu pai sempre teve muitos cachorros de porte grande e sempre fui apaixonada por animais, não tanto quanto hoje, mas já gostava.rsrs
Bom, vou falar aqui da minha primeira experiencia com um cachorro grande , mas quero relatar primeiro como começou e de como gradativamente fui tomando coragem e perdendo o medo e o nojo de fazer sexo animal. Como já disse conhecio assunto na net e ja de cara fiquei muito curiosa, ví oque as atrizes porno faziam e fiquei maluca, achava njento de inicio , vi algumas chupando os cães, e mesmo engolindo o esperma, outras beijando na boca, deixando-os lamberem as bocas e linguas. Eu pensava comigo, que era loucura demais, nem imaginava o quanto eu me tornaria porquinha como elas.rsrs Comecei com um cãozinho bem pequeno, um akita , parecido com o pequenez , muito dócil e gentil.Eu o masturbava e ele ficava doidinho , por varias vezes gosava na minha mão, aprendi na net a apreciar o esperma dele espalhado em meu corpo, hoje sinto um prazer enorme com isso, amo ser lambusada de esperma, amo ser lambida e babada por eles, amo o beijo (lambidas) não tenho nojo de mais nada, nem mesmo de saborear uma pica bem grossa, gosto de fazer 69 com eles, adoro aquela ejaculação constante e frenetica em cima de mim, e sim adoro o sabor do esperma.rsrs
Mas minha vontade foi só almentando e meu akita não realizava meu desejo de ser penetrada violentamente como as mulheres da internet. Sempre que ia para o sitio com minha família ficava observando os cães maiores, imaginando o tamanho dos paus deles se ficassem duros, ficava toda exitada mas tinha que me segurar por ser muito movimentado o lugar. Assim seguia brincando apenas com Billy (meu cãozinho) e louca de vontade por um cachorrão, chegava a passear pelas ruas da minha cidade para observar os cães, e sempre que posivel até dava uma comidinha, um biscoito , um pedaço de pão, para ficar mais perto e olha-los com prazer. Sempre que o fazia meu marido é que lucrava pois ficava muito exitada e fazia sexo gostoso com ele a noite. Já transei com meu marido pensando nos cães da rua. Esse desejo foi só aumentando dentro de mim, por ser proibido, perigoso isso me exitava e exita demais, não posso ver qualquer cachorro de porte médio para cima que já olho para o pau dele, disfarço se tem alguem perto , mas não deixo de olhar e pensar no sexo.
Já faziam uns 6 meses que estava brincando com o Billy, já chupava, beijava e engolia esperma, queria agora fazer tudo isso com um cão maior, pensei em adotar um, mas em casa não dá, por ter filho pequeno e não ter quintal. Só temos uma garagem fechada, mas fica ocupada quando meu marido chega da empresa a tardinha ou a noite. Certa tarde , pouco depois de voltar caminhando da casa de minha mãe, sozinha , pois meu filho ficou com minha mãe em sua casa. Me deparei com o cachorrão dos meus sonhos, enoooooooorme. Quase altura da minha cintura, ele vinha caminhando na minha rua, pouco antes da minha casa, olhei mais que depressa para o penis que chegava a balançar em seu caminhar apressado, quase uma corridinha. Quando ele quase passando por mim se desviou para o meio da rua descendo da calçada, lembrei do biscoito recheado do meu filho que estava dentro da bolça, dei um pequeno assobio no que fez ele parar logo. Me olhou um instante e andou em minha direção . Meu coração disparou, um frio na barriga , estava gelada, pensamentos a mil na minha cabeça. Finalmente a oportunidade que eu esperava a muito tempo, meu marido no trabalho, meu filho com a avó, eu sozinha em casa. Continuei então com aquele plano que eu desenhara tantas vezes em meus pensamentos. Assobiei novamente e falei com ele, joguei um pedaço do biscoito, ele comeu logo e continuou andando atraz de mim na calçada, eu comecei a andar depressa pra aproveitar que ninguem estava na rua e nenhum vizinho me ver. Deixando os pedaços de biscoito cairem ele veio me seguindo e comendo, sem pensar duas vezes peguei o controle do portão da garagem na bolça e comecei a abrir o portão , joguei um biscoite perto da porta da garagem ja meio aberta quando ele comeu joguei outro dentro da garagem, ele logo entrou pra pegar seu lanche joguei mais tres biscoitos no dentro da garagem e apertei o botão pra fechar o portão, enquanto o cachorrão comia o portão fechou por completo. Eu estava na minha calçada agora, toda exitada, com um cão enorme preso em minha garagem, olhei em volta para ver se alguem poderia ter visto a cena, tava tudo tranquilo por ser meu bairro afastado, e cidade pequena. Entrei em minha casa pela porta da sala, liguei para minha mãe e disse a ela que iria dormir um pouco , e depois buscaria meu filho, aí fui na geladeira e peguei umas salsichas para meu novo amigo. Dei a volta pelos fundos pelo outro acesso a garagem e ele estava lá , assentado perto do portão esperando abrir para que pudesse voltar para a rua. Chamei-o com outro assobio agora com as salsichas na mão, algo mais gostoso para ele, a primeira joguei no chão, a segunda dei na boca assim como a terceira, então enquanto ele comia comecei a toca-lo nas costas, oque não o incomodou. Continuei acariciando ainda meio receosa mas já cheia de tesão fui alisando a barriga dele e me ajoelhando. continuei alisando as costas ,a barriga , o pescoço, e ele tranquilo. Alisei a cabeça, e ví que o cão apesar de grande não oferecia risco por ser muito dócil, num ímpeto de desejo segurei com cuidado aquele pacotão que envolvia o penis que num instante começou a ficar mais firme em minha mão. Comecei punheta-lo e logo estava duro como um pau, era um pauzão lindo, grosso, vermelhinho, eu fiquei louca de tesão e ja me deitei no chão embaixo dele tentando colocar em minha boca, mas o cachorro mais tarado que eu começou a subir em mim com movimentos de vai e vem, tentando loucamente me penetrar. Ao ver isso fiquei maluca, com dificuldade fiquei de pé com ele tentando subir em mim, fui tirando a blusa e quando soltava meu sutiã , ele me derrubou tentando subir em mim, tirei a bermuda e a calcinha ajoelhada mesmo, enquanto ele lambia meu rosto e pescoço, louca de tesão, chamei ele mais para o fundo da garagem pra não me ouvirem da calçada do outro lado do portão. Aí foi só ficar de quatro que ele já veio montando , me derrubando pois era muito pesado, quando enfim me equilibrei com ele ja em cima de mim, sentia as pontadas do seu penis ja esguichando esperma em minhas pernas e bumbum, algumas estocadas na minha xaninha apertada , mas so na portinha. Até que num movimento que fiz empinando a bunda senti aquela pontada gostosa la no fundo da minha buceta, a qual meio dolorida e muito quente foi ficando cada vez mais profunda uma vez que ele me agarrou muito forte por traz e estocava cada vez mais forte. Senti outra fisgada ainda mais profunda e dolorida e os movimentos de vai e vem agora diminuirem aos poucos, e sentia ele despejando seu esperma na no fundo as portas do meu útero. Eu estava cheia, sentia minha buceta totalmente tomada por aquele pau enerme, quente, quente, quente demais. Nunca havia sentido aquele calor antes, sentia ele vibrar dentro de mim, a cada vibrada um jato de esperma entornava , estava tão maluca e exitada que contraia minha xana apertando ainda mais o pau dele. Meus seios furmigavam os mamilos, era um tesão , um prazer inesplicavel. Ele parou de estocar e ficou parado um instante, dai ele desceu de mim e tentou sair mas estavamos engatados pelo nó, minutos depois forçando um pouco senti mais uma fisgada mas o excesso de esperma ajudou a sair de dentro. Quando vi aquela rolona vermelha pendurada mau acreditei que coube e mim. O chao estava todo molhado de esperma onde estávamos, e ainda continuava a sair esperma do pau dele, fui até ele e acariciando me deitei e comecei a chupar aquele pau lindo. Direcionava a ponta para meus seios e os molhava com sua porra, eu parecia aquelas mulheres dos videos , tarada e experiente. Me deliciei com aquele pau por uns 20 minutos, até amolecer e a pele o cobrir. Eu estava toda molhada de esperma e toda suada e suja do pó da garagem. Ainda deitada no piso exausta depois de haver gosado muito, perdi as contas de orgasmos, senti a lingua dele em minha bariga, quando me assentei ele se aproximou lambendo meu rosto, foi quando resolvi o beijar, e ele respondendo lambeu minha boca bem gostoso, hoje gosto mais do beijo dos cães que de um homem. Depois de acariia-lo um pouco resolvi entrar e tomar banho , me escondi atras da parede e abri o portao , foi a última vez que ví aquele cachorro safadinho em minha rua. Esse relato pode parecer exagerado nos detalhes, mas foi assim minha primeira grande experiencia com um cão grande. Eu volto pra contar mais, Abraços , CasadaCadelinha.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.