"Os mais excitantes contos eróticos"

 

"Apenas me obedeça"


autor: lola_21
publicado em: 03/12/15
categoria: hetero
leituras: 5548
ver notas


Eu estava em casa numa sexta-feira, devia ser umas 20hs, meus pais haviam ido pra minha casa de praia, mas eu não havia ido porque no sábado de manhã eu teria simulado na escola. Por esse motivo eu e meu namorado havíamos combinado que não íamos fazer nada na sexta à noite, apenas estudar pro simulado cada um em sua casa mesmo (porque estudar juntos e sozinhos nunca deu certo).


Eu estava tranquila em casa quando começo a escutar uma buzina de moto, mas eu não liguei, Pq eu não havia pedido nada pra comer e também não estava esperando ninguém. Mas a buzina não parou.. Quando olhei pelo enorme vidro da minha casa vi um motoqueiro aparentemente de pizzaria parado no meu portão. Coloquei a primeira roupa que vi na frente e desci para atendê-lo. Chegando lá ele disse que era uma entrega de comida japonesa, então eu disse que não havia pedido nada e pedi desculpas pelo transtorno, mas ele disse que já estava inclusive pago, e que só mandaram entregar. Então eu pedi para ele verificar o endereço. Ele confirmou e era realmente o meu. Eu peguei a comida e o agradeci. Assim que entrei em casa meu celular estava tocando, era meu namorado, atendi:
- Oi amor..
- Oi, tudo bem? Recebeu a comida que eu pedi pra gente?
- Então foi você quem pediu, né.. Mas pera, como assim pra gente?
- Desculpa amor.. Calma..
E desligou o celular.
Eu fiquei sem saber o que fazer. Em 5 segundos alguém começa a bater na porta, quando atendo, é ele:
- Não me mata! Porfavooorr! Posso explicar...
- Você é louco? O combinado não era esse!
- Briguei com meus pais, o clima lá em casa tá tenso. Posso dormir aqui hoje?
- É, pode. Na verdade não. Mas pode né..
- Obrigado gostosa.
E entrou na minha casa.
Comemos..


Fomos pra sala procurar um filme bom pra assistir, mas assim que cheguei na sala ele me agarrou, me jogou no sofá e sussurrou no meu ouvido: "a partir de agora apenas me obedeça.." Quando ele disse isso eu gelei, meu corpo e meus pensamentos se resumiram a tesão. Ele começou a beijar meu pescoço, mas de uma forma diferente, não tão suave quanto antes, mas sexy, extremamente sexy e mais dominador, com mordidas e chupões, aquele toque de dor e prazer como na primeira vez. Ele tirou minha roupa (toda) e me pôs de quatro, pediu para que eu colocasse as mãos no braço do sofá e que as não tirasse dali, obedeci, mas não por muito tempo. E ele também tirou a sua roupa e começou a me chupar. O oral dele é inexplicável. Parece que a língua dele foi feita exatamente para a minha buceta. Ele alternava em vários movimentos, mas sempre focando no clitoris, pois era quando eu mais gemia. Quando ele viu que eu tava quase gozando ele parou, ele estava querendo me torturar, pegou uma camisinha no bolso da bermuda dele, vestiu e começou a penetrar, bem devagarinho aquele pau delicioso dele na minha buceta. Eu disse:
- Enfia mais, vai..
- Você quer mais é cachorra?
Ele nem esperou minha resposta: segurou minha cintura muito forte e enfiou tudo, até o talo. Depois deu um tapa na minha bunda que todos os vizinhos devem ter escutado. E começou a penetrar repetidas vezes, eu estava alucinada de tanto prazer. E sem notar eu tirei as mãos de onde ele havia mandando deixar, na mesma hora ele me deu outro tapa bem forte e pediu para que eu as colocasse lá de novo, e que se eu as tirasse eu seria castigada novamente.
Então ele começou a penetrar mais forte. Uma mão dele segurava meu cabelo, que estava enrolado em sua mão em um rabo de cavalo, a outra segurava, apertava e batia na minha bunda. Quando eu estava quase gozando mais uma vez ele tirou o pau e disse: "ainda não sua gostosa, hoje eu vou te torturar.."

Então ele me deitou no sofá e ficou por cima, primeiro ele ficou me masturbando, até que eu implorei pelo seu pau.. E ele enfiou, todo, até o talo, cada vez mais rápido, ele segurava meu pescoço e apertava minha garganta, chupava o bico do meu peito, lambia, e mordia.. Chupava meu pescoço, me deixava toda marcada com vários chupões espalhados pelo corpo que dariam trabalho pra esconder depois. E ele foi aumentando a velocidade, falava merda no meu ouvido, dizia que me ver gozando no pau dele, me masturbava, não tinha como, gozei. Eu fui as nuvens, fiquei sem ação por uns 10 segundos, enquanto ele me beijava suavemente no pescoço e seios. Quando eu me recuperei eu disse:
- Sei que hoje quem tá mandado é você e que eu não posso te pedir nada mas só quero uma coisa: me deixa chupar seu pau?
- Isso é uma ordem! Quero gozar na tua boca..

Comecei a chupar, primeiro com movimentos leves e devagar, passando a língua por todo o pau, da base até a cabeça. Chupava a cabeça. Descia de novo e chupava as bolas, ouvia ele gemer e continuava enquanto batia punheta.. Voltava pro pau.. Então comecei a ir mais rápido, enfiava o pau até não caber mais na minha garganta, e aumentava a velocidade... Comecei a auxiliar com as mãos e chupava enquanto batia punheta e assim quando menos esperei senti aquele leite quente escorrendo pela minha garganta, e como uma boa menina engoli tudo e lambi o que tinha restado no pau, até deixá-lo limpinho.

E assim terminamos a noite, e é claro que fizemos um péssimo simulado no sábado, mas valeu a pena! Mas uma foda perfeita pra minha lista..



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.