"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Filme perfeito


autor: Insanus
publicado em: 16/12/15
categoria: casual
leituras: 2698
ver notas


Numa sexta feira fria, resolvi pegar um cineminha, enquanto escolhia o filme, uma morena clara, aproximadamente de 1,73m, cabelos longos e sedosamente lisos, usando um vestido floral curto, que dava destaque as suas pernas grossas e torneadas, a olhei de baixo para cima, e percebi que tudo era atraente. Foi quando olhei para o seu rosto, logo me encantei, com um sorriso discreto e ao mesmo tempo cretino, com um olhar penetrante e safado, com aquele corpão de mulher e aquele rosto angelical de menina,no auge dos seus 24 anos. Logo me peguei pensando:
"na rua é uma dama, mas é cachorra na cama"!
Ela passou por mim e sorrindo me deu um "boa noite", e eu todo surpreso e encantado, gaguejei ao retribuir o boa noite. Então, ela parou e se virou perguntando qual filme eu a indicaria, levei alguns segundos para responder, pois já estava imaginando minha mão lentamente derrubando a alça do vestido e apertando aqueles seios duros e gostosos. Depois de um tempo respondi qual eu iria assistir, ela agradeceu e se virou e saiu rebolando graciosamente em direção a fila.
A esta altura já estava de pau duro e fui logo atrás dela, quando de repente ela deixou o dinheiro cair e se agachou pra pegar e de propósito encostou a bunda no meu cacete, senti cada centímetro do meu pau roçando naquela bunda gostosa... Ela se levantou olhando para a minha piroca, deu um sorriso malicioso e foi em direção do banheiro feminino.
Comprei minha entrada e sentei na última fila de cadeiras e pra minha surpresa eis que ela aparece ao meu lado e falando:
- "Que bom que está quase vazia"
Eu a perguntei porque era bom
Ela me disse:
- "Porque assim posso curtir o filme do jeito que gosto"
Eu logo perguntei:
- "Que jeito?''
Ela respondeu
- "Você verá"
Tão logo que se apagaram as luzes, ela começou a alisar a parte interna das pernas e baixinho começou a sussurar repetindo os movimentos com mais intensidade.
Eu não acreditei, aquela gostosa estava transbordando em tesão do meu lado, eu tinha que fazer alguma coisa.
Meti a mão no peito dela e apertei, foi quando ela enfiou a mão dentro do vestido e por fora da calcinha e começou a massagear o clitoris e sussurando cada vez mais alto, então desci o vestido dela e comecei a chupar os seios dela apertando ao outro, quando ela puxou minha mão até sua buceta e sussurando no meu ouvido:
- "Me faça gozar, me faça gozar bem gostoso".
Na hora puxei a calcinha dela de lado e comecei a tocar uma siririca pra ela, ao mesmo tempo que chupava e apertava os seios dela, então ela começou a alisar o meu cacete, colocou ele pra fora e me punhetou.
Foi quando os sussurros viraram gemidos. Continuei a estimular o clitoris dela cada vez mais, então decidi enfiar o meus dedos na pepeka dela e senti aquele santuário do prazer, morna e úmida, não resisti e cai de boca na buceta dela, passei a língua em cada milímetro da xoxota, como quem toma danone sem colher.
O gemidos eram cada vez mais alto, a cachorra apertava minha cabeça contra a sua buceta e eu podia sentir o espasmos que ela estava tendo, intensifiquei tudo até que pude perceber que ela gemia gritando e sentir o gozo escorrendo em mim.
Então ela se levantou tirou a calcinha, limpou a xoxota e esfregou na minha cara enquanto dizia:
- "Toma, guarda, que é pra nunca se esquecer de mim"
Guardei e até hoje ainda conserva aquele cheiro gostoso



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.