"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Tio Eduardo - Cap 21


autor: Novinho16
publicado em: 19/12/15
categoria: gays
leituras: 2137
ver notas


Entrei na casa e fechei a porta, ele me puxou pra perto e me beijou.
Passei meus braços por sua cintura e comecei a acariciar suas costas.
Tirei minha blusa e desabotoei a calça dele.
Me ajoelhei e mamei ele mais um pouco.
- Que boquinha deliciosa - ele disse gemendo.
Parei de chupar e me levantei novamente.
- Vamos pro quarto? - pedi
Ele me levou para o quarto, tirou minha calça e minha cueca e ficou pelado também.
Ele me jogou na cama e se deitou por cima de mim.
Ele me beijava intensamente, mordia minha orelha, lambia meu pescoço.
Ele sussurrou no meu ouvido:
- Posso chupar seu cuzinho?
Confirmei com a cabeça.
Ele me virou de bruço, segurou minha bunda com força e começou a enfiar a língua no meu cu.
Eu gemia de prazer e ele chupava mais.
Depois ele se levantou.
- Fica de quatro, quero foder esse cuzinho.
Obedeci e fiquei de quatro na cama.
Tadeu foi se aaproximando, segurou minha cintura com firmeza e posicionou a cabeça do pau na entrada do meu cu.
Ele enfiou tudo de uma vez me fazendo gritar.
- Aaah, aaah isso.
- Aguenta a piroca meu viadinho.
Ele bombava com força e dava fortes tapas na minha bunda.
Ele urrava de prazer e eu gemia como uma puta levando aquela pica grossa.
- Que cu gostoso.
Ele diminuiu o ritmo e eu falei.
- Quero de frango assado.
- Seu pedido é uma ordem - ele disse rindo.
Ele segurou minha cintura e me virou de barriga pra cima, abri minhas pernas e ele se encaixou no meio se curvando sobre mim.
Ele voltou a socar no meu cu com força.
Ele dava tapas na minha cara e me chamava de viadinho.
Eu adorava e pedia mais.
Ele atolava o pau dele no meu cu até as bolas e eu conseguia ouvir o barulho do seu saco batento rapidamente na minha bunda.
Ele tirou o pau do meu cu, me mandou levantar e se deitou na cama.
- Agora vamos ver se você aprendeu direito - ele disse - vem cavalgar.
- Só se for agora.
Subi em cima dele e me sentei naquela pica.
Comecei os movimentos do jeito que ele ensinou, pra frente e pra trás.
Minhas mãos estavam apoiadas no seu peito, e as mãos dele na minha cintura.
Eu gemia, gemia muito e ele fazia o mesmo.
- Aaaah, cavalga mais vai safadinho, você gosta dessa pica não é?
- Gosto, e quero mais, quero leite.
Comecei a cavalgar mais rápido e ele gemia mais alto, gemido de macho que me dava mais tesão.
Depois de um tempo de sacanagem ele anunciou:
- Aah vou gozar.
Eu sai rapidamente de cima dele, me posicionei de quatro na frente do seu pau e comecei a punhetalo, até que ele gozou, esporrou muito, tudo na minha cara e na minha boca.
- AAH, ISSO, BEBE MEU LEITE VADIA!
- Bebo tudo meu peão.
Ele começou a enfiar o dedo no meu cu e a me punhetar. Até que gozei em seu peito e ele deu uma lambida com o dedo.

Ficamos ali deitados, todos sujos de porra um do outro, nos beijando.
- Parece que eu estava enganado - falei.
- Enganado por quê? - ele riu.
- Achei que você era super tímido.
- E sou. Mas algumas pessoas conseguem vencer minha timidez.
Rimos.
- Vamos tomar um banho - ele propoz.
- Sim.
Nos levantamos e fomos até o banheiro.
Nos lavamos.
- É, acho que tenho que voltar pro serviço, ainda temos muitos cavalos pra escovar.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.