"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A Festa de Fim de Ano


autor: LAraujo
publicado em: 29/12/15
categoria: casual
leituras: 39278
ver notas



Depois de um ano tenso, com várias demissões na empresa, estresses diários, temos direito também de nos divertir e na empresa onde eu trabalho, o chefe pensa assim. Tanto que sempre no final do ano, tem aquela confraternização com o pessoal e tal...
Nesse ano, por conta da crise e algumas mudanças na empresa, nossa festa foi menos luxuosa, dentro do nosso novo galpão de estoque, do outro lado da rua do prédio onde fica a administração da empresa. Menos luxuosa, porém, super animada como sempre. Comida e bebida liberadas, música ao vivo e eu, no auge da curtição, com 22 anos, sempre me acabo.
Trabalho na empresa há uns 6 anos e em todas as festas de fim de ano, sempre me divertir demais. De umas três festas pra cá, a cerveja entrou no meu cardápio de bebidas e aí que eu me diverti mais ainda.
Pois bem, nesse ano, eu estava com a intenção de beber pouco, apesar da festa ser praticamente, do lado da minha casa, mas com o calor que fazia, era praticamente impossível. Cheguei na festa com a minha amiga Vanessa, mais conhecida como Vanessão, por ser um mulherão de parar o trânsito. 25 anos, morena jambo, cabelos lisos até abaixo dos ombros, olhos castanhos claros e um corpo que deixa todos os homens da empresa babando ! Tem os peitos redondinhos, cheios e empinadinhos, coxas bem grossas e um bumbum bem grandinho, durinho e empinadinho. Seguramos uma mesa, guardamos o lugar da Florinha, que estava pra chegar e começamos a beber, mas dessa vez, não cerveja e sim, caipirinha. Vanessa é louca por caipirinha e eu resolvi acompanhá-la, naquela empolgação de menina.
Conforme o pessoal ia chegando, a festa ía ficando mais animada e em uma hora de festa, eu já tinha tomado uns três copos de caipirinha, junto com ela. Fotos e mais fotos com o pessoal e depois dessas caipirinhas todas, estávamos bem alegres e bem sociáveis e em um determinado momento, eu fui ao banheiro. Vanessa pediu que eu esperasse, pois ela iria também, mas antes, tiramos foto com o André, o nosso amigo gato, porém, gay. Vanessa ficou de ladinho, ele encaixou atrás dela e eu atrás dele e logo depois, fomos pro banheiro. Chegando lá, Vanessa se abanava com as mãos, suava, suspirava, sua respiração super ofegante e seus peitos pareciam pular pra fora do decote, a cada respiração...
- O que foi, amiga ? Você tá bem ?
- Tô sim amiga...Só nervosa e surpresa...Geente, que isso !!!
- Ainn, o que amiga ? Conta logo !!
- Menina, num é que o André tava com aquela coisa, dura !
- Mentiraaaa !!! Sério ??? O André ???
- Sério !! Não entendi nada também...Senti direitinho aquele troço encostando na minha bunda....E não tava pouco não...Estava muito dura !
- Nossa, tô passada !! Fiquei até tensa ! Ai ai...
Eu pegaria o André, em qualquer circunstância, de tão gato e gostoso que ele é. Tenho um jeitinho ingênua de ser, mas quando quero, sou sonsa e uso essa minha ingenuidade, pra ouvir certas coisas e atiçar meus desejos mais secretos.
Bom, a festa continuava, eu e Vanessa continuávamos bebendo e em um determinado momento, eu me sentei pra descansar um pouco. Apesar de estar bem alegre, eu prestava atenção em tudo o que acontecia, inclusive, no fato de ver a Vanessa saindo do galpão falando no telefone. Achei aquilo normal, até, ver o André saindo e falando no telefone também. A curiosidade falou mais alto e, de fininho, fui até o portão do galpão. Abri o portão discretamente, fingindo que estava vendo como estava o movimento daquela rua, que à noite, sempre foi deserta, e vi o André entrando no prédio em que trabalhávamos. Coincidentemente, Vanessa não estava ali do lado de fora.
Meu coração disparou ! Olhei pra trás e como todos estavam se divertindo, sem olhar pro portão onde eu estava, saí bem rapidinho e fui até onde o André tinha entrado. Como o carro de alguns funcionários estavam dentro do galpão antigo, que fica no mesmo prédio, era só empurrar o portão da garagem. Foi o que eu fiz...Abri, fechei bem devagar...O medo de escuro me deixava nervosa, mas entrei no estoque assim mesmo e como não ouvi nada, entrei pela recepção, que é onde eu fico e subi as escadas em direção ao salão de vendas. A porta estava encostada...Olhei pelo espelho, não vi ninguém, entrei e continuei, tensa, ansiosa pra encontrar algo, até que, passando pelo setor de compras, eu comecei a ouvir alguns gemidos um pouco distantes...Fui me aproximando da escada que desce pra copa e os gemidos transformaram-se em gritos, cada vez mais alto, de prazer. Eles só poderiam estar lá...Eu ouvia perfeitamente a Vanessa pedindo em voz alta pro André colocar mais, colocar tudo, que ele tinha um pau gostoso...
O clima dentro daquela copa, deveria estar pegando fogo, assim como eu. Já sentia minha calcinha toda molhada e resolvi descer as escadas bem devagar...Os gritos ficavam cada vez mais altos e a porta estava entreaberta. Eu não chegaria até ali, pra ficar apenas ouvindo aquela sinfonia sexual...André urrava feito um homem no cio, Vanessa gritava e gemia como uma cadela...Cheguei mais perto da porta e, ao olhar la pra dentro, não poderia ter visto cena mais linda do que aquela: Vanessa estava com as mãos apoiadas em cima da mesa, de joelho no banco, os peitos por fora do decote, sua saia longa, listrada e apertada, jogada no chão, sua calcinha branca, pequenininha, no meio das coxas e aquela bunda linda, bem empinada, enquanto o gostoso do André, estava em pé, atrás dela, sem camisa, com aquele peitoral lindo e maravilhoso todo à mostra, com a calça e a sunga nos pés, enfiando aquela coisa enorme dentro da Vanessa, que tinha razão: Que pau ! Super enorme, duro que nem uma pedra e muito grosso ! Deveria ser uma delícia mesmo.
André segurava na cintura da Vanessa, puxava seus cabelos e enfiava com vontade ! A cada enfiada, Vanessa gritava de tesão e minha calcinha ficava mais molhada ainda. Então, bem devagar e sem tirar os olhos daquela cena, fui levantando meu vestido estampado e longo, até a cintura. Puxei a minha calcinha preta pro lado e comecei a me masturbar na mesma intensidade em que eles transavam. Nossa ! Era um ritmo alucinante...Meus dedinhos entravam ao mesmo tempo em que o pau do André entrava na Vanessa. Quando eu estava prestes a gozar, coloquei pra fora o meu lado estabanada e deixei escapar um gemido um pouco alto. Pronto. Eu tinha acabado de ser vista, por eles, me masturbando...
- Poxa, amiga, se eu soubesse que você gosta de ver essas coisas, teria te chamado...
- Ainn amiga, eu gosto sim, mas escondido é mais gostoso...
André tirou seu pau de dentro da Vanessa, foi até a porta, pegou na minha mão e disse:
- Vem...Entra...Fica aqui com a gente
Eu não conseguia parar de olhar aquele pau, todo enorme, pro alto, ali na minha frente. André foi levando minha mão até ele e assim que apertei, tive a sensação de nunca mais querer largar. Sentei no banco e ele foi logo tirando o pau da minha mão e levando ele na direção da minha boca. Eu não sabia o que fazer, fiquei nervosa, tensa, afinal, André era meu amigo gay daquela empresa...Ou melhor, bissexual.
- Abre a boca e chupa, amiga...Tá gostoso !
Ouvindo ela pedindo, eu abri a boca e André foi enfiando lentamente aquela coisa enorme na minha boca. Eu ía engolindo, engolindo, até onde dava. Foi quando eu me engasguei. Tirei-o rapidamente da minha boca, mas logo em seguida, segurei ele e o enfiei novamente. Dessa vez, chupando de verdade, com vontade...André segurava meus cabelos e enquanto isso, Vanessa o beijava na boca e minha calcinha já não suportava mais o meu tesão, de tão molhada que estava.
Eu sempre li sobre menáge a trois, mas nunca me vi fazendo um, porém, se eu soubesse que era tão gostoso, eu já teria feito. Depois de meter bastante aquele pau na minha boca, ele se sentou no banco e disse:
- Vem....Senta no meu colo, vem minha delícia...
Levantei minha saia longa e montei no colo dele, que só teve o trabalho de puxar a minha calcinha pro lado e ir enfiando aquela coisa enorme e deliciosa dentro de mim. Mal aquele cabeção entrou em mim, eu já estava gemendo horrores, ficando toda arrepiada...
- Amiiigaa....Vigia a porta...Vai que vem alguém...
Vanessa se encostou na porta, enfiou a mão por dentro da calcinha e começou a se masturbar, vendo eu cavalgar no colo daquele gay gostoso. André me dava vários tapas na bunda, puxava meus cabelos, colocou meus peitões pra fora do vestido, à força, colocou um deles na boca e começou a chupar sem parar. Vendo aquilo, Vanessa não se conteve. Sentou-se do meu lado e começou a chupar meu outro peito. Nossa !! Eu via estrelas ! Vanessa tem uma boca muito gostosa e como chupava gostoso ! Aquilo estava uma loucura de delícia e aí, eu não resisti, principalmente porque o André, mesmo sentado, socava firme dentro de mim. Cheguei a um orgasmo enlouquecedor, maravilhoso, onde eu me tremia toda e gozava sem parar no pau dele...
- Caralho, suas putas, tô louco pra gozar !
- Aaahh não ! Falta eu !
Vanessa não tinha gozado ainda e assim que eu saí do colo do André, ela montou em cima dele e começou a trepar enlouquecidamente. Uau ! Vanessa era realmente linda transando...Subia e descia, rebolava, ía pra frente, pra trás, gemia, gritava, urrava...Aqueles peitos lindos, balançando enquanto o André socava firme dentro dela, até que ela agarrou ele bem firme e logo depois, começou a se tremer toda e a gritar desesperadamente. Vanessa estava tendo um orgasmo delicioso e enquanto isso, eu perdi a vergonha e apertei aquela bunda linda...Alisei, acariciei, dei beijinho e logo depois, fui chupar os peitos dela...Deliciosos ! Redondinhos, volumosos, muito bom de chupar...
- Agora, será que eu posso gozar, caralho ? Será que vocês podem me dar os peitos de vocês ??
- Ainnn amigo, eu quero na boca, no rosto... - Pediu Vanessa.
Ele tirou ela do colo dele rapidamente e entendemos direitinho o que era pra ser feito. André subiu em cima da mesa, ficou em pé e nós duas ficamos em pé, na frente dele, do chão mesmo, com nossas bocas abertas, iguais umas cadelas no cio. Aproveitando que estava bem pertinho, Vanessa abocanhou aquele pau e foi chupando bem devagar, saboreando aquele cacetão gostoso...Depois, ela colocou na minha boca e eu fui fazendo a mesma coisa, até que ele pediu:
- Vanessa, beija ela, pra eu gozar no meio do beijo de vocês, vai...
Fiquei super tensa ! Eu nunca tinha pensado em beijar uma mulher, que dirá, ter beijado, mas Vanessa é linda, atraente...Ela foi segurando na minha nuca, foi me abraçando...Nossos peitos se esfregando..Beijei ! O melhor beijo da minha vida ! Aquela boca me enlouquecia, aquela língua passeava dentro da minha boca...De olhos fechados, senti aqueles jatos de goza quentinha, espirrando no nosso beijo, no meu rosto, nos meus peitos...Quando abri os olhos, Vanessa estava toda lambuzada também, com goza no rosto, na boca, nos peitos...
Estávamos em êxtase...Eu ainda me tremia um pouco...Enquanto nos beijávamos mais um pouco, André tirava fotos nossas, todas lambuzadas...Ajeitei minha calcinha, coloquei meus peitões pra dentro do vestido novamente...Vanessa levantava sua calcinha, colocava sua saia, guardava seus lindos seios e depois, fomos pro banheiro tirar toda aquela goza do nosso rosto.. Quando saímos, André já tinha voltado pra festa...Fui na frente, e logo depois, Vanessa apareceu e voltamos a curtir a nossa festa. Foi uma loucura inesquecível !




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.