"Os mais excitantes contos eróticos"

 

A garota da lan house


autor: guigs22
publicado em: 13/01/16
categoria: jovens
leituras: 4573
ver notas


Bem, já narrei algumas aventuras envolvendo mulheres maduras e decidi que também havia espaço para narrar outras histórias. Essa ocorreu em 2009, quando eu tinha 16 anos.
Nem sempre tive internet em minha casa e muitas vezes necessitava ir até o cyber café ou lan house que ficava quase na esquina da minha rua.
A proprietária era a Dona Lúcia, que também tinha uma locadora de DVDs, velha amiga da minha mãe.
Eu sempre ia àquela lan house quando tinha trabalhos da escola, jogar CS, para entrar no na época principal rede de relacionamento que era o Orkut, baixar músicas, etc. Nunca havia entrado em sites de pornô, mesmo tendo muita vontade, mais por conta da velha Lúcia, uma mulher muito chata e fofoqueira.
Nesse dia era domingo. Tinha pouca gente, eu e mais dois que estavam jogando lá.
Porém, nesse dia não era a Dona Lúcia que estava tomando de conta da Lan House e sim sua sobrinha, Daiane.
Daiane tinha uns 19 anos, morena, olhos castanhos, baixinha de seios fartos e bumbum grande e que morava em um bairro vizinho, mas que quase sempre estava na casa da tia.
Como não sabia quanto tempo passaria na Lan House, decidi deixar o tempo em aberto e ao sair, pagaria a quantidade de horas que eu ficaria.
Terminei o trabalho de História que eu estava pendente e por fim, fiquei conversando com amigos no MSN e em comunidades no Orkut. Havia chegado às 8h30 e já eram quase 11h quando os outros dois que estavam ali haviam saído.
Logo perguntei a Daiane:
- Você vai fechar logo?
- Não, só 12h. Se eu fechar antes, a Tia Lúcia me mata.
- Ela é bem rigorosa, não é mesmo?
- Sim, coisa da educação dela. Bem diferente da minha mãe, ela é mais liberal e tal, sabe.
- Sei.
Continuei lá e vi que ela sairia dali para comprar algo na mercearia vizinha a Lan House.
Olhei para a mesa onde a menina estava e ela devia estar falando no MSN, com fones nos ouvidos distraída.
Eu, na minha, continuei o que fazia.
Logo um colega me envia um site com diversas fotos eróticas com diversas fotos de amadoras.
Iniciei uma punheta lenta, vendo as diversas fotos daquele site, sempre com o medo de ser percebido pela garota.
Intensificava lentamente as punhetadas em meu pau, que estava já molhado e extremamente rígido.
Eu massageava o pinto na bermuda esquecendo de estar numa lan, quando ouvi a porta da lan sendo baixada até a metade.
– Moça, você vai fechar, eu já vou...
– Não vou fechar ainda, relaxe, mais uma meia hora.
Me concentrei de novo. Afogado no tesão das fotos pervertidas que estava vendo ali.
Continuava naquela punheta gostosa, até que...
- Veio pra Lan House só pra bater punheta, novinho? -disse Daiane.
– Puta merda! – disse, sem jeito.
– Relaxa...esse cheiro de porra tá me deixando excitada-disse ela, levando minha mão melada até sua boquinha...
Ela usava um shortinho curto e uma camiseta de alcinha, enquanto eu estava apenas de camiseta e bermuda.
A safadinha estava olhando para o meio das minhas pernas, lentamente baixou a mão e segurou bem forte no meu pau.
Gemi de dor mas adorei aquele apertão
-Hmmm que pica gostosa hein? Vou fazer você gozar bem gostoso.
Dito isso ela se agachou na minha frente, abaixou minha bermuda e cueca até o chão e em seguida abriu minhas pernas. Apertou meu saco forte e começou a me bater punheta.
Aquela sensação era deliciosa e eu gemia baixinho, olhando para ela que retribuia o olhar sorrindo de modo extremamente safado para o meu rosto aumentando mais ainda meu meu tesão.
-Adoro cheiro de pau, me deixa molhadinha de tesão. Cheiro de homem. Quer que eu chupe você? Me pede, safado...pede!
Eu não conseguia falar e então só abaixei a cabeça dela em direção ao meu pau
Ela engoliu minha rola inteirinha e depois soltou fazendo um barulho de sucção gostoso. Meu pau saiu lambuzado de saliva.
Ela cupiu na cabeça e desceu a lingua lambendo toda extensão do meu pau.
Eu falei que estava quase gozando e ela começou a chupar e punhetar ao mesmo tempo bem forte.
Logo ela tiraria sua blusinha e me punhetaria enquanto eu mamava nos peitões dela, que eram suculentos demais e também enfiava meus dedos por dentro de seus short, sentindo sua bucetinha completamente molhada.
Enfiei meu pau entre os peitões dela, fazendo uma espanhola, a primeira de toda a minha vida. Metia e tirava meu pau dos peitões dela, subindo e descendo, enquanto ela gemia e se tocava lentamente.
Na hora em que o gozo veio eu gritei alto e gozei bem no meio daqueles peitões enormes, mas também joguei um pouco de porra no rostinho safado dela.
Ela sorriu e abriu o short puxando minha mão em direção a buceta dela.
Estava toda molhadinha de tesão e quente, quente como o inferno em chamas.
- Lambe isso que eu fiquei assim por sua culpa seu safado.
Eu meti a lingua na minha mão e lambi aquele néctar que saiu da sua buceta.
Logo ela disse que tinha que fechar logo a Lan House, pois já era quase 1h da tarde.
- Não precisa pagar, Gui. -disse ela.
Depois daquele dia, tive outras aventuras com a Daiane, mas isso, irei contar em novos contos.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.