"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Meu namorado me pegou à forç


autor: Sabrina Costa
publicado em: 11/04/15
categoria: jovens
leituras: 125462
ver notas



Ah!! Se aquela mesa da área de serviço falasse!! Quantas vezes meu namorado e eu fizemos coisas incríveis em cima daquela mesa, enquanto minha mãe cochilava assistindo novela no sofá da sala.

Eu era louquinha por ele e ele por mim. Porém, semanas atrás, eu tinha cometido um erro grave: botei um chifre nele durante uma excursão da escola. Depois me bateu um arrependimento tão grande que não consegui esconder e acabei confessando meu crime pra ele.

Passamos por um momento muito delicado e conflituoso. Mesmo eu tendo lhe confessado tudo e pedido mil desculpas pelo meu delito, nosso namoro ficou abalado. Nikolas ficou arrasado, queria terminar o namoro. Mas ele me amava tanto que aceitou manter o namoro. Mas vieram as condições...

Ele mudou drasticamente. Nikolas se tornou muito ciumento, autoritário e agressivo. Eu o amava e tentava compreendê-lo, por isso aceitava suas condições e fazia o que ele queria. Me tornei refém do sentimento que tinha por ele.

Até que fomos convidados para o casamento de uma prima minha. Estava empolgada, a festa ia ser incrível e minha família estaria toda reunida.

No dia do casamento, fiz questão de me arrumar à altura do evento. Vesti um vestido tubinho vermelho, na frente um decote generoso mostrando o colo dos meus seios e atrás, outro decote em “V” que mostrava minhas costas até a cintura.

O vestido era bem justo e modelava todo o meu corpo, destacando minha cintura e a bunda avantajada. Não era um vestido tão curto, mas deixava minhas coxas grossas expostas. Sempre fui cheinha das carnes.

Pra valorizar minhas pernas, um belo par de scapin nos pés, um par de sapatos preto de salto alto e bem fino, lindo!

Meus cabelos negros presos num elegante rabo de cavalo. A maquiagem, os acessórios, tudo em harmonia, compondo o charme e sensualidade do meu visual. Realmente eu estava de arrasar.

Na hora marcada Nikolas chegou em minha casa e ao me ver ficou desconcertado, vi em seus olhos a sua admiração. Ele também era um gato, estava malhando e seu corpo estava forte e definido. Meu loirinho estava lindo de terno preto.

Então, todos prontos, eu, ele e meus pais, fomos para a cerimônia religiosa na igreja mais bela e tradicional da cidade.

Na igreja chamei a atenção das pessoas, fiquei até sem graça. Gosto mesmo é de ser bem discreta, mas naquele dia eu causei.

O noivo da minha prima era um militar das forças armadas e o casamento foi realizado com todas as honras. No altar havia militares com fardamento de gala que empunhavam espadas que as cruzaram a cima dos noivos.

Estávamos bem próximos do altar e pude apreciar livremente a celebração do casamento. De repente, meu namorado apertou com força meu braço, na hora senti um calafrio. A cerimônia mal havia começado e Nikinha já estava boladão. Decidimos sair da igreja pra conversarmos do lado de fora. Ele estava furioso e me acusou de dar mole pra um dos militares do altar.

Começamos a discutir na frente da igreja. Nik estava ficando exaltado e sua voz ficando cada vez mais alta. Acho que eram umas oito horas da noite e não havia mais clima pra curtir uma festa de casamento que ia rasgar madrugada à dentro.

Mandei uma mensagem no celular da minha mãe dizendo que estava me sentindo mal e que iria pra casa. Chamamos um taxi e voltamos pra casa pra resolver nossos problemas.

Quando chegamos em minha casa, fui direto tomar um banho, estava chorando muito e precisava daquele banho pra me acalmar. Nik ficou na sala sentado no sofá me esperando. Saí do banho usando uma camisolinha de seda e uma calcinha fina de malha bem confortável.

Nikolas já tinha tirado blazer e a gravata, quando entrei na sala e me sentei ao seu lado. Então continuou a discussão:

- Sabrina! Tem certeza que você quer continuar esse namoro?

- Claro meu amor!! Você é tudo que eu quero!

- Você tava dando mole pra aquele cara!!

- Você tá me ofendendo, já disse que não!

- Quer dar essa buceta pra todo mundo neh!!... Vadia!

- Para com isso Nik... pelo amor!! Num é nada disso!

- Você quer ser uma puta neh?!!

Falou isso exaltado, quase gritando, ele estava muito irritado e tirou o cinto da calça.

- Para com isso Nik! Você tá me assustando!

- Se você quer ser uma puta, vou te ensinar a ser uma!...

Muito agressivo, ele me puxou com força, me deitando de bruços no colo dele. Fiquei apavorada com o que ele poderia fazer comigo. Meus pais iriam ficar na festa até de madrugada e Nikolas estava descontrolado.

- Para com isso Nik!! Por favor!!

- Cala a boca vadia!!

Meu namorado irreconhecível, comigo em seu colo, abaixou minha calcinha até embaixo da bunda, deixando-a parcialmente exposta. Com o cinto dobrado ele me deu umas lambadas na bunda, que até chorei de dor. Minha bunda tão branquinha! Naquele momento ficou com uns vergões largos avermelhados.

- Por favor Nik!! Para com isso!

Pedi muito pra ele parar, mas me bateu o quanto quis. Quando Nik parou de bater, abaixou minha calcinha até a metade das minhas coxas. Meu namorado era bem forte. Eu não tinha como me livrar dele e eu estava ficando cada vez mais assustada com a fúria dele.

Nik ensandecido esfregou de leve minha xoxota por trás e enfiou bem devagar um dedo na minha xoxota. Aquela massagem que ele fez dentro da minha bucetinha me deixou excitada.

Aquilo estava me levando à loucura. Como eu podia sentir tesão com ele sendo tão agressivo comigo?!! Eu o amava, mas naquela hora eu estava com medo dele. Ele continuava me masturbando com seus dedos e eu tentando sair do colo dele. Porém, ele me segurava com firmeza. Então ele com energia na voz me disse:

-Tá gostando?... Puta!

- Por favor meu amor!! Para com isso!

- Vem cá cachorra!... Chupa meu pau!... Puta safada!

Meu namorado me tirou de seu colo, acabou de tirar minha calcinha e mandou ficar de joelhos diante dele. Me fez tirar seu pau pra fora. A pica dele saltou de dentro daquela calça dura como uma rocha. E ele ordenou:

- Chupa gostoso! Você num é uma puta?!! Então chupa!

Ele gemia de tesão me dominando daquele jeito. Ajoelhada diante dele eu tentei resistir fechando a boca e me afastando dele com as mãos.

Daquele jeito rude eu não queria. Eu queria meu namorado doce e carinhoso de sempre e que naquele momento parecia um animal feroz.

Ele segurou minha cabeça com força e meteu seu pau na minha boca como se estivesse metendo numa buceta. Me deu uns tapas na cara em quanto me fodia a boca, enfiando seu pau grosso até minha garganta e me causando ânsias.

Mamei seu pau como nunca. Lambi do saco até a cabeça daquele pau veiudo. Chupei a cabeça inchada durante o tempo que ele quis. Ele segurava minha cabeça e dava ritmo aos meus movimentos.

Até que suas pernas estremeceram, ele começou a urrar e seu esperma quente jorrou na minha boca. Ofegante ele ordenou:

- Engole tudo! Anda vadia! Engole!

Obedeci, engoli, lambi tudinho. Depois disse a ele:

- Agora me deixe sair daqui seu estúpido!

- Não! Vou meter no teu cuzinho sua putinha!

-Não Nik! Desse jeito não!!

- Anda logo cachorra safada! Fica de quatro aqui!... Tô mandando!

- Não! Vou pro meu quarto! Vai embora...

Ele ficou furioso e com estupidez me levantou do chão me jogou de quatro no sofá com a bunda empinada pra ele. Ele passou seu pau na minha bucetinha que estava muito molhada e escorregadia. Gelei naquele momento e gritei:

-NÃO NIK!! AÍ NÃO! POR FAVOR!

- Cala boca vagabunda!

Depois de pincelar bem muito a minha bucetinha por trás. Depois de deixar seu pau bem molhado no meu mel, ele deu umas cusparadas no meu cuzinho e meteu o dedo nele. Quando meu cu estava bem lubrificado, ele posicionou a cabeçorra no meu anelzinho e forçou.

Vi até estrelas de tesão!! Aquele jeito agressivo dele estava me levando ao delírio de prazer. Meu namorado desorientado, metendo no meu cu contra a minha vontade me deixou extremamente excitada.

Não resisti o tesão comecei a esfregar meu grelinho. Ele metia vigorosamente no meu cu, quando percebeu que eu estava quase gozando. O sacana tirou seu pau do meu cuzinho na hora. Fiquei louca!! Já estava quase gozando e ele tira pra fora... Pow!!

Então ele disse:

- Quer gozar neh??!! Sua puta!!

- Num para não!!

- Então cachorra, você vai gozar no meu pau! Vou meter na sua bucetinha!

- NÃO POR FAVOR!! ASSIM NÃO!...

Gritei apavorada e saí da posição. Ele foi rápido e me jogou deitada de barriga pra cima no sofá e se deitou sobre mim. Nik estava sedento por minha xoxota há muito tempo.

Pedi, implorei e nada. Ele colocou seu pau na entradinha da minha bucetinha e começou a forçar. Eu tentei sair debaixo dele de todo jeito, mas ele me dominou com facilidade.

Minha bucetinha estava toda babada e eu estava num conflito daqueles. Queria ser penetrada e ao mesmo tempo não podia, ainda não, num era a hora. Mas meu namorado não quis nem saber.

Forçou com toda força seu pau na minha xoxota. Senti rasgando quando a cabeça de seu pau entrou. Até me contorci de dor e tesão. Ele continuou empurrando sua pica duríssima e, aos poucos foi entrando, me arrombando por dentro.

Quando sua pica estava completamente enfiada na minha buceta, ele socou com vontade. Meteu sem parar até a gente não aguentar mais de tanto prazer.

Nossos corpos suavam, nossa respiração ficou ofegante, eu me contorcia embaixo dele, até que ele concentrado gemeu alto, exaltado e senti seu leite quentinho derramando dentro de minha bucetinha que pulsava descontrolada. Eu estava gozando deliciosamente no pau dele em quanto ele também gozava. Foi de tirar o fôlego. Delicioso.

Mesmo sendo contra minha vontade, aquela foi umas das melhores gozadas que já tive. Depois de tudo, conversamos e ficamos bem e Nik quis voltar pra festa de casamento.

Nos arrumamos rapidamente, pegamos um taxi e fomos pra festa. Chegamos lá urrando de fome... Claro que o namoro continuou!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.