"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Minha vizinha Alice


autor: caiopiresbr
publicado em: 22/02/16
categoria: hetero
leituras: 35500
ver notas


Me chamo Henrique. Tenho 32 anos e sou divorciado há 3. Casei cedo e meu casamento foi realmente muito bom enquanto durou.Em outros contos pretendo conta todas as aventuras que tive enquanto estava casado. Hoje gostaria de confidenciar uma história que às vezes ainda acho que foi um sonho. Nem em minhas fantasias mais secretas esperava que algo parecido pudesse acontecer.

Quando me separei fui morar sozinho em uma cobertura de 2 quartos extremamente confortável em um bairro nobre de Curitiba.

O único problema do apartamento é que ficava de frente para um outro um outro bloco do mesmo condomínio. Dessa forma meus vizinhos podiam ver tudo que eu fazia em casa. Como o valor estava muito bom acabei aceitando. Pra variar a minha vizinha era uma senhora católica de seus 60 anos que se me visse só de cueca poderia infartar ou quem sabe até me colocar na cadeia. Coloquei algumas cortinas no apartamento e pronto, tudo estava resolvido. Meu único trabalho era abrir elas ao sair de casa pela manhã e fechar a noite quando chegasse.

Minha sorte mudou quando, por algum motivo, minha vizinha resolveu se mudar. Tudo aconteceu muito rápido. Em um momento vi ela conversando com um engravatado que supus inicialmente ser o corretor e logo em seguida vi uma equipe de mudança remover seus móveis. Ela não se despediu. Foi um alívio.

O apartamento ficou uns 2 meses parado. Até que começaram algumas visitas. Sempre vinha o corretor acompanhado em sua maior parte de casais.

Em uma dessas visitas. Num ensolarado sábado de manhã eis que surge um casal um pouco diferente. Ele tinha por volta de seus 50 ou 60 anos, maior pinta de senhor de idade e que joga baralho as quinta feiras e frequenta salões de dança aos domingos. Ela tinhas 18, uma loira de olhos verdes e o que mais me chamou atenção foi seu traje. Vestia uma roupa de corrida. Uma blusinha preta colada ao corpo e um shorts rosa. Seus seios eram medianos, imaginei minhas mãos envolvendo cada um deles. Tinha coxas torneadas e morenas de praia. Enfim, uma burguesinha cheia de curvas, não musculosa, mas com lindas curvas que provavelmente deveriam já ter um dono. Fiquei um bom tempo vislumbrando aquela beldade andado pra lá e pra cá no apartamento. Lembrei que tinha um compromisso e precisei sair.

Passaram umas 3 semanas, mais algumas visitas aconteceram e eventualmente me lembrava daquela loirinha que provavelmente nunca mais veria. Lembro de ter me tocado algumas vezes pensando nela.

Minha surpresa aconteceu numa segunda feira quando, ao chegar do trabalho vejo um caminhão de mudanças na frente do prédio. Ao chegar em casa e ir fechar as cortinas eis que vejo aquela loirinha dos meus sonhos se abaixando para colocar uma caixa no chão. Ela usava uma blusinha solta e nesse momento, do ângulo que eu estava, conseguir ter a visão perfeita de seu decote. Das duas uma, ou ela tinha colocado silicone ou tinha nascido com uma genética impecável. Na mesma hora me dirigi ao banheiro e tomei um banho gostoso.

Nessa primeira semana tive poucas oportunidade de vê-la em casa. Eles estavam no processo de mudança e nossos horários não coincidiram. Logo percebi que ele era pai dela, e pela ausência de outras pessoas frequentando a casa percebi que ela não deveria ter namorado. Após um tempo de observação comecei a perceber que após as 10 horas da noite as luzes da sala se apagavam e eles iam dormir.

Num desses dias precisei ficar até mais tarde no trabalho, cheguei lá pelas 10 horas e fui para meu quarto. Tomei meu banho. E como era verão, após meu banho, decidi abrir a janela do meu quarto e ficar um tempo ali curtindo a paisagem.

Estava lá pensando na vida quando do vejo uma luz aparecer de leve no quarto da frente, como que vindo de outro cômodo. Decidir apagar minha luz de forma que ninguém conseguiria me ver do outro apartamento. Nesse momento percebo que a luz do quarto da frente se acende e entra pela porta a minha a loirinha deliciosa enrolada em uma toalha rosa. Era muita sorte ela ter ficado logo com o quarto na frente do meu. Imaginei que ela deveria ter acabado de ter saído do banho e não se deu conta que a janela estava aberta.

Resolvi não dar bola para minha consciência e fiquei ali escondido observando. Ela foi para frente de um espelho, ficando de costas pra mim, removeu uma outra toalha da cabeça e começou a secar os cabelos. Aquilo começou a me deixar muito excitado. Poderia assistir de camarote um espetáculo VIP. Enquanto secava o cabelo a toalha que estava enrolada em seu corpo começou a se desprender aos poucos. A cada sacudida dela a toalha se desprendia mais e mais. Até que finalmente caiu.

Ela realmente tinha uma genética perfeita. Sua bunda era perfeitamente redonda e grande. Ela estava completamente depilada e com marquinha de biquíni na parte de cima e de baixo. Tirei meu pau pra fora da calça e comecei a me tocar ali mesmo.

Pelo espelho consegui ter uma visão perfeita dos seus seios. Bicos clarinhos, rosados que tinham tudo para ser saborosos. A barriga dela era fenomenal e não preciso nem falar de sua bocetinha. O que eu não daria para estar ajoelhado em sua frente deixando ela cavalgar na minha boca.

Fiquei ali mais alguns minutos enquanto ela passava um creme pelo corpo com toda calma. Em um certo momento ela veio até a janela e fechou sua cortina. Creio que não preciso dizer o que fiz em seguida. Em vários momentos daquela noite tive sonhos safados com ela.

Por incrível que pareça aquilo virou rotina, todos os dias, no mesmo horário eu me posicionava em meu lugar de espera. Sempre tinha algo diferente, às vezes ao juntar uma toalha caída ela se inclinava totalmente pra frente me dando uma visão de bunda empinada. Em outras ela demorava minutos passando o creme em seus seios.

Num sábado a noite qualquer saí com amigos e voltei umas 2 horas da manhã. Quando estava entrado no condomínio percebo ela de longe também chegando sozinha de uma festa. Já imaginando que ela iria tomar um banho antes de dormir me posicionei no lugar de sempre. Pude ver em detalhes a hora que ela entrou no quarto e começou a tirar, primeiro o salto que a deixava extremamente sexy e logo após seu vestido preto e justo. Me surpreendi ao ver que ela tinha saído para a noitada sem calcinha,estando apenas com um sutiã preto desses com mais volume, mesmo que ela não precisasse.

Em vez de ir em direção ao banheiro ela se deitou na cama abriu uma gaveta e tirou um vibrado rosa. Meu pau pulou de minha calça e comecei a me tocar loucamente. Minha vizinha loirinha gostosa de morrer estava se masturba do gostoso na minha frente. Seus olhinhos fechados de tesão, sua boquinha safada se contorcendo e seus gemidos abafados completavam o meu show particular.

Quando estava prestes a gozar levei um dos maiores sustos de minha vida. Ela inesperadamente tirou o vibrado de dentro de sua você tá olhou em direção ao meu apartamento e fez um sinal de vem cá com o dedo indicador.

Nessa hora eu estava num misto de susto com tesão profundo. Ela deveria ter me percebido ali desde o primeiro dia e esperou pacientemente uma chance de me chamar. Nem me preocupei com o fato do pai dela poder estar em casa. Peguei um champanhe na geladeira e fui assim mesmo.

Adivinhei o número do seu apartamento pela posição do e bati de leve na porta. Assim que a porta se abriu me vislumbrei com ela me olhando:

- Vai ficar só olhando como sempre ou vai agir dessa vez?- ela me perguntou uma voz bem sexy.

Não consegui me segurar entrei e agarrei ela fechando a porta com os pés. Coloquei a champanhe no chão e pressionei ela com força contra a parede. Comecei a procurar sua língua dentro da boca. Ela não parava de se mexer querendo beijos cada vez mais intensos. Chupei forte aquela língua algumas vezes e senti ela mordiscar a minha outras várias. Ambos estávamos entregues a um tesão contido que foi sendo liberado com tudo. Nesse momento ela já estava com o corpo todo pressionado na parede com as pernas envolvidas nas minhas e as mãos me agarrando forte. Puxei o cabelo dela pra baixo deixando seu pescoço totalmente exposto.

Como ela era cheirosa. Beijei e lambi seu pescoço descontroladamente apertando sua cinturinha fina e deslizando minha mão pra sua bunda. Encaixei meu joelho direito entre suas pernas permitindo que ela cavalgasse de leve, ergui ela um pouco, ela se inclinou para frente ofertando seus seios rosados para meus lábios.

Resolvi ir um pouco com mais calma e comecei a passar minha língua em movimentos circulares em volta de seus biquinhos. Assoprei de leve e ao sentir ela arrepiada chupei com minha língua cheia de saliva. Coloquei minha mão sobre sua boca abafando seu berro e senti ela ficar louca e começou a cavalgar intensamente.

Olhei para o lado e vi uma mesa de madeira sem nada em cima perfeita para o que eu tinha em mente. Passei as mãos por baixo de sua bunda ergui ela e a levei até a mesa estendendo seu corpo em cima, fazendo ela deitar.

Voltei e peguei o champanhe, me aproximei da mesa para abrir. Ela não esperou, tirou meu pau pra fora da calça e começou a chupar. Abri o champanhe rapidamente e joguei sobre seu corpo. Sem pensar duas vezes comecei a sugar cada gota independente do lugar onde caíra.

Voltei a chupar seus seios, fui descendo pela sua barriga e propositalmente pulei para suas coxas, deixando o melhor para o final. Ela era minha e eu queria que ela nunca mais esquecesse essa noite. Chupei todo champanhe de suas coxas e fui descendo até chegar no seu pezinho. Chupei cada dedinho inicialmente e por fim coloquei todos juntos em mina boca. Aqueles pezinhos 35 nunca deveriam ter sentido tanto tesão quanto naquele momento.

_ Eu não consigo mais me segurar. Por favor me fode! - ouvi ela suplicar desesperada

Tirei minha camisa e me despi completamente. Puxei ela pra ponta da mesa e coloquei sentada ficando apenas com a entrada de sua bocetinha pra fora. Meu pau não encontrou nenhum atrito ao entrar em sua boceta, deslizou perfeitamente. Além do champanhe senti que ela já estava pingando de tanto tesão faz tempo. Ela se agarrou me puxando para um abraço apertado.

Aproximei minha boca de seu ouvido e disse:

_ Você é a coisa mais gostosa que já comi na minha vida. Vou te foder tanto que você vai suplicar pra ser minha puta pra sempre.

Nunca tinha encontrado uma mulher com tanta vontade de ser comida, tão necessitada. Resolvi arriscar e envolvi seu pescoço com minha mão apertando de leve. Deixando ela ligeiramente sem ar. Ela colocou as duas mãos no meu braço e pediu:

_ Aperta mais

Comecei a socar meu pau descontroladamente enquanto seu rosto ficava mais vermelho. Afrouxei um pouco minha mão e senti ela gozar como nunca vi alguém gozar até hoje. Seu corpo era puro espasmo e prazer. Ela não não tinha mais forças e se entregou completamente. Segurei ela em meus braços.

Assim que ela recobrou os sentidos percebeu que eu ainda estava com o pau duro e muito excitado. Se ajoelhou na minha frente e começou a chupar forte meu pau, engasgando de vez em quando e deixando ele bem molhado com sua saliva. Gozei forte em sua boca por vários segundos e não vi o tempo passar.

Quando abri os olhos ela sorriu:

_ Prazer, meu nome é Alice.

FIM

Gostou?
Mande um email para: caiopiresbrasil@gmail.com
Siga no tumblr: caiopiresbr.tumblr.com
Siga no twitter: twitter.com>



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.