"Os mais excitantes contos eróticos"

 

CRUZEIRO DAS LOUCAS PARTE 4


autor: Amora
publicado em: 11/04/15
categoria: grupal
leituras: 3982
ver notas


Na saída para o café da manhã, passei ao lado de Ju, Carol e Mallu e que fizeram uma cara de como estivessem reprovando eu estar ali com Marcos, Paulo e Jaqueline, fiquei meio sem entender e prossegui para o restaurante para tomar o café.
Estava destoando um pouco das pessoas ali no restaurante por causa da roupa que vestia que ainda era da noite passada.
Conversamos muito durante o café estreitando mais a amizade entre nos 4.
Após o café Marcos deixo me na porta de minha cabine com um beijo demorado e gostoso combinamos de nos encontrar antes do almoço novamente.
Para minha surpresa quando entrei no quarto estavam as três conversando, perguntei oque estava acontecendo, mas elas apenas limitaram se a dizer que estava tudo bem e perguntou se eu iria para piscina com elas ou com meus novos amigos, imaginei que aquilo era apenas ciumes.
Ju e Mallu sairam da cabine para se trocar ficando apenas eu e Carol, perguntei a Carol se estava chateada comigo ela me respondeu que não estava, tomei um banho coloquei um biquini estampado fio dental e fomos para piscina.
Na beira da piscina conversando com Mallu descobri todo o problema, todas estavam chateadas comigo por causa da noite passada pois eu teria me comprometido a ajudar a Carol e que quando vi Paulo, teria deixado ela na mão.
Após ouvir tudo, pensei comigo mesma que porcaria de amiga eu seria.
Na hora marcada do meu encontro com Marcos, fui ao local combinado e conversei que não iria almoçar com ele pois precisava estar do lado de uma amiga minha que eu tinha deixado na mão na noite passada, Marcos mostrou compreensão e marcamos um encontro a noite.
Após o almoço as coisas ainda ficariam pior para mim quando conversando com Carol descobri que ela não tinha dormido na cabine e que tinha passado a noite toda andando pelos decks do navio, cada palavra dela me cortava por dentro.
Pedi a ela 1 milhão de desculpas e prometi então que naquela noite não desgrudaria dela por nada.
Desculpas aceitas precisaria mais uma vez desmarcar com Marcos,era fim de tarde e estava muito calor eu decidi colocar o biquini novamente e por cima uma saida de praia rendada e fui na cabine de Marcos explicar toda situação que estava acontecendo.
Marcos mais uma vez compreendeu meu lado e após minha explicação começamos a nos beijar estavamos só nos dois ali e claramente não ficariamos só nos beijos.
Marcos começou a beijar meu pescoço e foi descendo até se ajoelhar em minha frente e colocar meu biquininho de lado e passar a dar linguadinhas em minha amiguinha que já pulsava de prazer desde que começou a beijar meu pescoço.
Eu gemia loucamente e mexia a cintura descompassadamente, minhas pernas começaram a tremer anunciando que estava proxima de gozar, Marcos tentou sair dali mas eu segurei sua cabeça forçando ela de encontro ainda mais a minha grutinha me fazendo gozar loucamente.
Deitei na cama para me recuperar, ainda ofegante chamei Marcos para cima de mim que não teve dificuldade alguma de me penetrar de tanto que eu estava molhada.
Entrelacei minha pernas em sua costas e sentia ele enfiar tudinho em mim.
"Minha deusa maravilhosa", "Minha morena gostosa", eram algumas das coisa que ele falava em meu ouvido, eu gemia e falava o quanto estava gostoso ali, enquanto ele enfiava mais e mais parecendo querer me atravessar.
Nesse ritmo não demorei muito a gozar novamente, gritando loucamente, falando coisas sem sentidos.
destrancei as pernas das costas de Marcos, mas ele continuava num vai vem agora um pouco mais devagar e menos intenso. Meio que quebrei o clima quando perguntei se ele havia gozado, coisa que ele respondeu que não.
Falei para mudarmos de posição, então fiquei de 4 para ele, dessa maneira meu tesão voltou a subir a ponto de me virar para ele e pedir para que ele comesse meu cú.
Marcos levantou correndo e pegou um lubrificante quando se aproximou pedi que fosse com calma pois ainda era virgem ali (só falei isso para aumentar o tesão dele).
Com calma e carinho Marcos começou a penetrar falando o quanto era apertado, quente e gostoso, eu gritava e mordia o travesseiro (não lembrava que doia tanto ou talvez o pau do Junior fosse menos grosso ou até mesmo eu estava anestesiada por causa da bebida sei lá)
Quando Marcos já tinha enfiado tudo ele veio com uma das mãos por baixo de minha cintura e foi tentar massagear meu clitoris mas pedi que tirasse a mão dali nesse momento eu tentava me concentrar em não sentir dor.
Com aquele vai vem meu cuzinho passou a esquentar e os gemidos de dor passaram a ser de prazer eu mesma com uma das mãos comecei a massagear meu clitoris, dando ainda mais prazer.
Estava me realizando sexualmente e dessa maneira comecei a gozar só parando depois que Marcos gozou.
Sem folego fiquei deitada do seu lado recebendo um carinho gostoso em minha barriga, Marcos me disse que nunca havia tido uma mulher assim como eu, e respondi a ele que nem eu um homem como ele e que isso me trazia medo, pois poderia me apaixonar por ele, após um longo beijo ele disse que sentia que poderia se apaixonar por mim também.
Romantismos a parte me despedi pois ja estava a noite e após a despedida meu lado putinha surgiu, neguei seu convite para um banho me vesti novamente e sai de sua cabine com o cuzinho cheio de porra rebolando nos corredores do navio.
Tomei um bom banho e fui me trocar para sair com Carol em busca de um cara que eu já nem sabia se existia ou se tudo aquilo não era fruto da imaginação dela que derrepente estava bebada na hora.
Depois da transa da tarde estava super satisfeita mas com o libido lá em cima, não lembrava qual era ultima vez que tinha gozado por 3 vezes numa mesma transa!
Fiz um rabo de cavalo, coloquei um top e uma mini saia preta (por baixo uma micro calcinha preta) e com um saltinho e estava pronta, naquela noite queria apenas desfilar, queria ser vista por todos.
Mallu e Ju já haviam saido ficamos eu e Carol para trás, com um vestido hippie Carol estava linda.
Nossa caçada começava mas era sempre interrompida por homesn que se aproximavam por minha roupa estar chamando tanta atenção, meu ego estava super inflado.
As horas passavam e nada eu já estava quase desistindo, quando Mallu apareceu e falou que o rapaz estava no bar da piscina, saimos correndo para lá.
A felicidade de Carol foi grande só não foi maior do que a de Wilian e seu amigo Eduardo ao me verem.
Fui devidamente apresentada aos dois e ficamos os 4 ali no bar conversando oque não foi uma boa ideia.
Carol passou a beber uma dose atrás da outra incentivada pelos 2 amigos, só não sabia o motivo de tanta bebedeira por parte dela, já tinha encontrado quem ela queria mas talvez o fato de eu estar ali vestida da forma que estava tenha feito ela tomar tantas doses, pois ali eu era o centro das atenções.
Pedi para que Wilian procura se Carol no outro dia já que visivelmente ela já tava chapada, fui taxada de chata por todos ali.
Carol falou que pararia de beber se saissemos dali, concordei mas pensava que iriamos a outro lugar mas não ao lugar que Carol queria ir que era nossa cabine.
Não conseguia ver oque Carol tinha visto naquele rapaz que não tinha papo apenas um corpinho e um rostinho bonito e o mesmo acontecia com seu amigo Eduardo.
Os dois enquanto estavamos no bar só sabiam falar besteiras bater um na mão do outro comemorando cada dose bebida e exibir seus musculos, para completar ao sairmos do bar Eduardo roubou uma garrafa de wiskey por enquanto que Carol e Wilian destraia o barman.
Estava explicado Carol gostava do playboy metido a vagabundo.
Na cabine Carol ligou o som e começou a dançar como se estivesse em uma have o som era baixo mas para Carol parecia estar no ultimo volume.
Eduardo tentou se aproximar de mim algumas vezes mas eu expulsava o de perto.
Passei a imaginar oque aconteceria caso Carol quisesse transar com Wilian ali eu teria de sair e arrumar um jeito de arrancar Eduardo dali também.
A garrafa de wiskey já estava praticamente no final, quando decide ser a estraga prazeres daquela bagunça pedindo que os rapazes fossem embora dali.
"Calma, calma meu amorzinho ela tá só brincando, não se preocupa", falou Carol enquanto acariciava o rosto de Wilian.
Em seguida Carol se aproximou de mim e olhando em meus olhos falou "Relaxa amiga vamos se divertir", antes que eu pudesse falar qualquer coisa, Carol direcionou seu olhar para baixo e com uma das mãos tocou minha barriga, um frio e um calor em questão de segundos tomou conta do meu corpo, novamente Carol olhou em meus olhos e aproximou seus labios dos meus, eu sem reação correspondi ao seu beijo, comemorado por Wilian e Eduardo como se tivesse saido um gol naquele instante.
Sentindo aquela boca macia na minha eu não conseguia pensar até Carol para de me beijar, quando paramos fui tentar falar algo mas ñao sabia por onde ou como começar.
"Psiu, relaxa amiga você vai ver como vai ser bom", Carol falou enquanto colocava seu dedo indicador em meus labios sinalizando que era para eu ficar calada. Em seguida passou a beijar meu pescoço fazendo com que eu fecha se os olhos, descendo ate meus peitos Carol passou a dar mordidinhas neles "Sempre tive vontade de beija los", revelou Carol.
Já estava toda encharcada e só aumentou após a revelação de que minha amiga tinha desejo em me tocar.
Com meu top abaixado Carol levantou minha mini saia revelando para aqueles dois tarados minha minuscula calcinha já ensopada.
Eu passava minhas mãos pela cintura de Carol quando senti Wilian já nu encostar nas costas de Carol, por sua vez Eduardo me abraçou por trás também, mas mandei ele sair de perto de mim.
"Não amiga deixa, vai ser bom, você vai ver!" Carol com uma voz suave falou.
Eu sentia diversas mãos em meu corpo e o pau de Eduardo em minha bunda.
Despi Carol e comecei a beijar seus peitos que eram uma delicia eram peitos medios durinhos de biquinhos rosados em seguida desci até seu umbiguinho arcando meu corpo e deixando minha binda todinha a disposição de Eduardo que começou a bater com seu pau nela.
Os dois já haviam juntado as camas e eu e Carol fomos conduzidas até elas naquele sanduiche humano.
Deitamos uma de frente para outra e eu não conseguia parar de beijar a sua boca!
Eduardo como um cachorro no cio tentava a todo custo me penetrar ali de ladinho, mas eu estava tão excitada com aquela experiencia nova de beijar outra mulher que nem me importava com oque ele estava fazendo.
Já Wilian tinha conseguido penetrar Carol o que tornava os beijos mais gostosos ainda devido aos seus gemidinhos entre nossos beijos.
Dei uma ajudinha a Eduardo colocando seu pau bem na portinha para que ele penetrasse logo e deixa se eu curtir os beijos de Carol.
Minha excitação com Carol era tanta que parecia só existir nos duas ali.
Carol falou para mudarmos de posição.
Wilian ficou deitado, Carol ficou de costas sobre ele e eu de frente com ela e Eduardo por cima de mim fazendo um sanduiche novamente.
Dessa forma ficamos sendo penetradas e esfregando uma xota na outra, o esfrega - esfrega me fazia gemer gostoso, mas não ficamos muito nessa posição que era desconfortável a Wilian que pediu para mudar.
Desta vez os dois ficaram deitados na cama e eu e Carol na posição montada uma ao lado da outra, Carol passou a esfregar sua mão minha amiguinha e falava com Wilian perguntando se estava bom e dizendo que o amava enquanto ele apenas respondia sim.
Comecei a esfregar a mão na de bucetinha de Carol.
Mais uma vez pediram para mudar de posição, mas dessa vez não era só de posição que queriam trocar era de parceiras também, eu nem me importei pois a unica coisa que me interessava ali era a Carol.
Wilian me posicionou de 4, Carol foi para debaixo de mim ficando na posição de 69 e dessa forma ela me chupava e chupava também as bolas de Wilian enquanto Eduardo a penetrava de frango assado.
Eu de alguma maneira tentava chupar ela tentando não ter contato com pau de Eduardo mas isso era impossível.
Carol sendo comida e chupada foi a 1º a atingir o orgasmo, saindo debaixo de mim que ainda era fodida de 4 por Wilian.
Eduardo me fez chupar seu pau, Carol veio em seguida para juntas chupa lo até ele que gozasse em nossas bocas!
Depois que ele gozou em nossas bocas, Carol eu começamos a nos beijar com a boca cheia de porra!
Já não existia mais pudor entre nós quando Wilian anunciou que gozaria, Carol e eu fomos como duas cadelas sedentas para chupa lo e receber seu gozo em nossas bocas!
Após o gozo de Wilian eu queria mais, eu queria mais beijos de Carol, mais outra chupada dela!
Eu não a larguei e ficamos nos beijando na cama, Carol passou o dedo em um pouco de porra que estava na sua bochecha e em seguida levou ate minha grutinha, passando a me masturbar!
Os dois agora eram expectadores e se masturbavam enquanto nós trocávamos caricias!
Wilian foi o 1º a gozar e Carol passou a lamber cada gota de porra que estava em cima de meu corpo!
Carol então desceu e passou a me chupar sua lingua deliciosa me chupava como nem um outro homem havia me chupado! Comecei a gozar enquanto punhetava Eduardo.
Soltei o pau de Eduardo e fui sentir o gosto da chaninha de Carol! Me posicionei de 4 na cama, coloquei as pernas de Carol sobre meus ombros e comecei a lambe la, Carol delirava de tesão, na posição em que eu estava Eduardo achou que aquilo era um convite a me penetrar!
Posicionando atrás de mim Eduardo começou a penetrar impiedosamente, arrancando alguns gemidos meu de dor e prazer!
Wilian tinha seu pau ainda meio molenga depois da gozada, chupado por Carol!
Rapidamente Eduardo gozou sobre minhas costas!
Carol soltou o pau de Wilian e puxando meus cabelos passou a gritar que estava gozando!!!
Já amanhecia o dia e ficamos os 4 deitados apertados na cama, curtindo aquele cheiro de sexo sem pudores.
Após um breve cochilo acordei e pedi para que os dois fossem embora dali e que Wilian procura se por Carol após desembarcarmos.
Quando fechei a porta, sentei no chão e comecei a chorar, acordando Carol.
"Oque tá acontecendo amor?", perguntou Carol enrrolada no lençol da cama.
"Olha só oque acabamos de fazer!", respondi.
"Só fizemos aquilo que tinhamos vontade e desejo!", falou Carol.
"Isso pode destruir nossa amizade!", disse a ela.
"Ou então fortalece la!", retrucou Carol me chamando para seu lado na cama tentando encerrar o assunto.
Ao seu lado tentei argumentar que aquila loucura toda não poderia acontecer.
Carol apenas disse que eramos amigas e que agora além de ser amigas eramos amigas intimas com segredinhos!
"E você não disse que achava ter visto a Mallu e a Ju se beijando, pensei que você queria experimentar também?" falou Carol.
Respondi que nem lembrava de ter comentado isso com ela.
Então Carol disse que provavelmente aquilo não tinha sido minha imaginação e que Mallu as vezes gosta de ficar com outras garotas.
Perguntei a ela se as ela e Mallu já tinham ficado, e ela me respondeu que sim, e me confidenciou que em uma das vezes que elas tinham ficado, as duas fantasiaram comigo e que elas duas tinham gozado muito fantasiando nos três juntas e aquilo tinha sido um desejo dela que tinha se realizado.
Além de que, oque tinha acontecido a horas atrás também era uma fantasia que ela teve na 1º noite em que transou com Wilian e Eduardo.
Depois desse papo não sabia oque pensar nem oque falar.
Desembarcamos e fomos cada uma para sua casa, na primeira noite quase não consegui pregar o olho pensando em tudo oque tinha acontecido na viagem e principalmente em tudo que Carol me disse no ultimo dia.
Depois dessa viajem nossas amizades continuaram as mesmas e até mais forte.

Espero que vocês tenham curtido ler o tanto o quanto eu curti estar lá!
Beijos e até a proxima!!!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.