"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Marcia A Cabeleleira Safada


autor: Panhe4ad
publicado em: 03/03/16
categoria: hetero
leituras: 4906
ver notas


Me tornei cliente fiel de Marcia,uma cabeleireira de primeira,não tinha muito o que fazer no meu cabelo mas ele sempre com muita atenção caprichava no corte. Por ironia do destino em alguns meses me mudei pra uma casa ao lado de seu salão. Geralmente eu era uns dos últimos clientes,saia tarde do trabalho e chegava lá próximo ao horário de fechamento,inclusive as vezes ela fechava as portas pra me atender e não receber mais ninguém.
Numa terça feira,cheguei no salão era por volta das 19:40 estava uma noite de chuva forte,precisava cortar o cabelo pois haveria uma reunião no dia seguinte e eu gostaria de estar no mínimo bem aprentavel.
Me sentei na cadeira,e diferente de outros dias senti Marcia mais animada,conversando bastante e brincando.
Ela era mulher simpática e muito linda,corpo normal,seios médios, bunda firme e média também, cabelos até o ombro louros prateados,sempre usando vestidos coloridos e um perfume maravilhoso.
Enquanto cortava meu cabelos,seus seios encostavam em meus ombros e com a frequência passou a me deixar excitado.
Num determinado momento quase finalizando o serviço de corte,ele pousou a tesoura na minha perna e percebi seus olhos brilhando quando percebeu meu cacete duro escondido sobre a calça.
Deixou a tesoura e abriu uma gaveta,pegou uma gilete e antes de passar no meu cabelo pediu licença pra abaixar ase portas do salão, disse que já era tarde e não iria atender mais ninguém. A sensação de estamos ali sozinhos me deixou ainda mais tarado e o pau não baixava nem com reza brava.
Quando terminou de passar a navalha e foi pegar a tesoura que estava na minha perna,não se conteve e correu sua mãos leve e linda pelo tronco do meu cacete.

-Nossa nego,o que acontece aí?

-Desculpe Marcinha,esse clima de portas fechadas me deixou um tanto quanto animado.

-ual gato,Saca ele pra fora,preciso conhecer de perto esse volume.

Nem pensei duas vezes,abri o botão da calça,zíper e botei ele todinho pra fora,ele observou e agarrou com vontade. Bateu uma punheta gostosa,mãos leves e carinhosas.

-Que pau gostoso!

Se abaixou e engoliu ele todinho,colocava ele até a garganta e tirava já punhetando.
Me levando a loucura,sentado ali sentia toda prazer que aquela boca transmitia.

Ficamos de pé e nos beijamos,subi seu vestido e senti a sua bunda quente nas palma da minha mão, ali colocados meu pau tocava em sua barriga e minha língua corria pelos seu pescoço.
Subi seu vestido até a cintura,lhe encostei no balcão Onde fica produtos de cabelos e lhe ajudei a sentar no balcão.
Sua buceta ficou na altura perfeita de ser invadida,desci com minha mão até ela é já estava encharcada,so tive o trabalho de empurrar a calcinha pequena pro lado e invadireceber aquela buceta quente.
Não tive pressa,metia devagar,agarrando seus cabelos entre os meus dedos e lhe beijando,ela em extase jogou pro chão tudo que estava ao seu redor,apaixonadamente abaixei as alças de seu vestido e tirei seis seios durinhos pra fora,agarrei com força lhe fazendo gemer ainda mais.

Tirei meu pau,ele estava todo lambuzado,desci ela do balcão e lhe virei de uma vez de costas pra mim,não quis perder tempo tirando calcinha,com a fúria de um leao,rasguei com as mãos aquele decido leve que tapava seu sexo.
Agarrei em sua cintura e coloquei de uma vez meu cacete todo dentro,ela olhou pra traz com a boca aberta e gemeu

-fode,fode,me arromba todo seu negro safado!

O barulho daquela bunda batendo em minhas coxas tomando conta do ambiente ao lado dos gemidos de ambos.
Levantei uma de suas pernas quase lhe é pegando no alto e deitei seu corpo todo no balcão,fodia sem dó,lhe dava rola como uma puta merece,sua buceta quente acolhia toda aquela pica com gosto.

-Não para seu filho da puta,sua vadia vai gozaaaaaar.

Ela mau terminou de falar e se derreteu na minha rola,travei dentro dela e senti sua buceta latejar se derretendo em prazer


-Aí caralho,que pau gostoso,que delicia,quanto tempo não gozava assim.

Tirei meu pau de dentro a buceta da safadinha Tava vermelha,de tanta rola que recebeu,o meu dela escorria pelas coxas.
Ela pediu um tempo pra se recompor,nem percebi que não havia tirado nenhuma peça de roupa.

Sentamos cansados no sofá e batemos um papo.

Ela me disse:

-Nego,que transa deliciosa,espero que não esteja com pressa,temos muito o que aproveitar,não me contive quando comecei a perceber o volume em sua calça, você me fudeu gostoso,a tempos não recebia uma rola bem dada,eu sei que você não gozou ainda mas calma que farei algo que lhe fará gozar gostoso assim como eu.

Me pediu licença,é foi até um quartinho num canto do salão, voltou com uma caixa e me mandou aguardar e enquanto isso tirar a roupa,obedeci e lhe aguardei no sofá,com o pau apontado para o teto rsrsrs e cheio de teSão.

-Bom gato,quero lhe dar algo que não dou a algum tempo,vai com calma,pois lhe darei meu cuzinho.

Se deitou no sofá e me entregou um gel,admirei um pouco aquele cuzinho rosadinho,e massageei com calma cada prega daquele rabo prestes a ser arrombado. Fiz um bom preparo,e só me aprontei a colocar meu pau,quando o curso da safada engolia pelo menos três dedos de minhas maos,cuzinho apertado iria ser uma delícia fuder,nessa brincadeira a buceta da safada se derretia,e ela já rebola só de sentir os dedos lhe invadir por trás.
Marcia se inclinou e empinou a bunda,chegou a hora,passei gel na cabeça e com dificuldade entrou,o resto foi fácil,em segundos meu pau já deslizava com rapidez,era um cuzinho apertado,mas delicioso. O sofá praticamente saiu do lugar com a foda. Eu metia com vontade e a puta gostava,rebolava não meu pau,a essa altura não sentia mais dor,somente prazer anal.
Meti com naquele cuzinho por 5 minutos sem parar,já aguentava mais segurar tanto teSão e despejei porra dentro do rabo da safada,bunda,costas.
Me levantei e ainda recebi uma chupada gostosa até meu pau amolecer.
Assim terminou a noite com Marcia a Cabeleleira safada.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.