"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Beth - O começo


autor: Publicitario45
publicado em: 07/03/16
categoria: hetero
leituras: 1918
ver notas


Atendendo ao pedido do nosso amigo, Zeus o Gde, segue o relato de um ano de relacionamento com Beth, uma advogada que trabalhava na Promotoria Pública aqui do Espirito Santo. Como eu acredito que os detalhes fazem toda diferença, resolvi dividir este conto em três partes. Espero que vocês se deliciem e comente.

Tudo aconteceu em 1996, eu tinha 25 anos, tinha acabado de virar pai solteiro e terminado um namoro de 6 anos. Saia da agencia e corria pra casa para ver meu pequeno e caminhar com ele todos os dias na praia. Realmente eu estava empolgado com a paternidade e quase na saia de casa e é claro que os amigos cobravam, afinal de contas, eu basicamente salvava as segundas e terças, porque o resto dos dias era só farra.

Um belo fim de semana, Fernando (Escrevi uns contos sobre ele e suas namoradas) me convidou para um churrasco na Ponta da Fruta para comemorar o aniversário de Luciana, uma amiga que treinava na mesma academia que ele.

No inicio relutei pois teríamos que dormir lá e a ultima coisa que eu queria era fica longe do meu pequeno. Mas por outro lado, tinha o estresse da agencia, queria sair, beber e dar uma relaxada e acabei indo pro tal churrasco.

Chegamos lá na sexta-feira por volta das 19h. a casa estava repleta de ninfetas de 15 anos, todas amigas da aniversariante que dava toda pinta do mundo de gostar mais das meninas do que dos meninos. Camila foi super gentil com a gente, nos recebeu bem, abraçou todo mundo e nos conduziu até o segundo andar da casa de apoio, onde havia pelo menos uns oito quartos. Entramos, colocamos nossas mochilas e fomos até o carro descarregar as cervejas, já que o combinado era o pai dela bancar a carne e os convidados levaria uma caixa de cerveja cada.

Inicialmente eu achei estranho, tinha muita menina de menor bebendo e os pais da Camila ainda não haviam chegado, na verdade, eles chegariam no sábado, portanto, eu estava numa casa com umas 15 meninas de menor, sendo que os maiores de idade eram eu, Fernando, o namorado da Abigail, a própria Abigail e Luciana, a prima da Camila.

A casa era grande, ficava entre a lagoa e o mar, mas como dentro tinha uma piscina, ninguém saiu de casa e o festival de meninas novinhas de biquíni era sensacional. Poucos meninos foram à festa e os que foram era bobos demais para perceberem o paraíso em volta. Então, eu e meus amigos fomos colocar uma sunga e cair na piscina também. Praticamente passamos a noite dentro
d´agua. Fernando catou uma loirinha com cara de putinha de filme pornô e arrastou pro canto da piscina. Ele amassou a menina de tudo quanto foi jeito e depois subiram pro quarto. Pelo tamanho dele e o dela, a surra de pica deve ter sido monstruosa, já que a menina só apareceu lá embaixo no dia seguinte e com sérias dificuldade em andar. Fernando era muito forte, treinava numa das principais equipes de remo do estado e a ninfeta, bem, era apenas uma loirinha tipo mignon.

Continuei na piscina bebendo Abigail me apresentou para Luciana que ao me dar três beijinhos me deu um selinho e ao ser puxada por mim em direção ao meu corpo foi beijada dentro da piscina com volúpia. Nossos corpos colaram dentro d´agua, suas pernas laçaram minha cintura e em questão de segundos meu pau já estava latejando dentro da sunga. Com 25 anos de idade e mais de seis meses sem trepar não seria difícil ficar doido de tesão com aquela cena. Luciana era de maior, tinha 21 anos, moreninha, corpinho magrinho mas com uma bundinha empinada, seios pequenos, cabelos tipo indiazinha, boca carnuda e olhos negros. Era sobrinha de Beth, a dona da casa e por ser filha de pais pobres foi morar com a tia para poder estudar numa boa faculdade de Vitória. Era um pouco infantil para a idade mas mesmo assim, acabamos trepando na escada da casa de apoio. Não foi das melhores trepadas da minha vida, pois além de inexperiente, Luciana ficou o tempo todo com medo de alguém aparecer.

No dia seguinte todo mundo acordou tarde. Eu, Fernando e o namorado de Abigail fomos na padaria comprar pão e fazer um café enquanto todos da casa dormiam. Quando retornamos, tinha um carro grande na garagem, tipo Jeep, era o carro da Beth e do marido dela, Sérgio, um gaúcho gente boa, engenheiro em uma das maiores empresas aqui do estado.

Entramos e fomos recebido pelo Sergio, pela Camila e pelo irmão mais novo dela, um garoto de mais ou menos 5 anos. Sérgio foi muito educado e nos deixou a vontade. Sentamos na cozinha e começamos a conversar sobre tudo.

Apesar da conversa ter sido ótima parecia mais uma entrevista, pois ele queria saber de tudo, onde morávamos, com quem, o que fazíamos etc.

As meninas foram acordando e já desceram de biquíni. Luciana também chegou exibindo seu corpinho moreno. Deu um beijo no tio e sentou-se do meu lado. A conversa na casa ia ficando mais animada na medida que as meninas iam descendo dos quartos e Sergio como bom gaúcho, resolveu iniciar o churrasco lá pelas 10h30. Neste dia, as meninas passaram a base de refrigerante, já que eram todas de menor de idade e a dona da casa, a Beth, era promotora de justiça.

No meio do churrasco outro carro parou na garagem da casa. Camila correu em direção ao carro gritando pela mãe. Eu estava de costas e só fui ver a Beth quando ela entrou na área do churrasco. Camila saiu apresentando a mão a cada um dos convidados e quando ela chegou perto de mim senti um frio na barriga.

Beth tinha 36 anos, morena clara, cabelos lisos castanhos com mechas loiras, olhos castanhos tão claro que pareciam de vidro, um corpo que nem de longe denunciava que ela mãe de uma adolescente e um meninos de 5 anos. Boca bem desenhada e brilhando muito devido ao batom que ela usava e um perfume capaz de inebriar qualquer homem.

Quando Camila me apresentou a sua mãe ela apenas segurou a minha mão e disse: muito prazer. Nossos olhos se cruzaram e ela seguiu cumprimentando um po um.

Mais tarde na piscina, eu, Fernando e o namorado da Abigail não tínhamos outro assunto a não ser a Beth. Linda, bem sucedida, gostosa e rica. Precisa de mais? Precisava, de pica, de homem pra comer aquilo tudo, pois Sérgio apesar de gente finíssima era cardíaco e estava bem acima do peso. Resumindo, sexo ali devia ser coisa rara.

Luciana percebeu a roda dos meninos e veio perguntar se estávamos falando da tia dela. No incio negamos, mas depois eu confessei e disse que Beth apesar de ser mãe de dois filhos, deixava qualquer uma das meninas no chinelo. No início Luciana não gostou muito, mas depois rimos do meu comentário e ela acabou concordando comigo.

Durante o sábado todo comemos muita carne e bebemos muita cerveja, mas a noite, teríamos um DJ pra animar a festa com direito a bolo, salgados, champagne entre outros mimos. Todo mundo se arrumou e descemos pra festa.

Chegando lá embaixo, passei por Beth e ela perguntou que perfume eu estava usando. Respondi que era Azzarro e ela apenas elogiou. Beth estava irresistivelmente linda. Um vestido branco, logo, com decotes generosos na frente e nas costas. Todo mundo bebeu, dançou e a rapaziada só sabia reparar na dona da casa. Eu, resolvi aproveitar a noite com a Luciana e acabamos dormindo juntos.

No domingo todos combinaram de ir pra praia cedo mesmo eu. Estava morrendo de saudades do meu pequeno e disse que não iria ficar. Ao saber que eu era pai solteiro Beth quis saber mais a respeito e eu disse que em outro momento eu contaria tudo e foi ai que ela pediu que eu ligasse pra casa dela e combinasse com a Camila e Juliana um novo encontro na casa dela.

No dia seguinte, liguei para agradecer a hospitalidade e Luciana me surpreendeu dizendo que tinha falado pra tia dela que eu disse que ela colocava todas as novinhas no bolso. O resultado deste elogio foi mais surpreendente, Beth pediu que eu ligasse e falasse isso pessoalmente.

Continua...




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.