"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Vendado por Renata


autor: caiopiresbr
publicado em: 11/03/16
categoria: hetero
leituras: 14080
ver notas


Sou garoto de programa. Não escondo minha profissão. É melhor que as pessoas saibam logo de começo, assim evito perguntas e julgamentos tardios. Sim, o principal motivo é a grana. Não, eu não tenho um agenciador. Sim, eu sinto prazer enquanto transo com mulheres. Sim, eu já comi mulheres nada bonitas. Sim, me rende uma boa grana e ótimas histórias. Mais alguma pergunta?

Pedidos diferentes e inusitados fazem parte do cotidiano. Coisas que você nem ousaria imaginar. Alguns eu topo, outros coloco restrições e alguns raros, mesmo por todo dinheiro no mundo, nego veementemente.

A maioria das minhas transas chegam através de clientes regulares que indicam para suas amigas. Solteiras, casadas, noivas, tem de tudo. Elas querem uma noite de sexo gostoso ou eventualmente carinho. Alguém que as coloque deitada no colo e fique por horas apenas acariciando seus cabelos.

Era segunda de noite, meu dia de folga. Estava malhando na academia quando recebo um telefonema de um número desconhecido. Geralmente não atendo meu telefone em dia de folga. Tenho um celular com dois chips e removo chip de "trabalho" nesse dia. Tinha me esquecido naquela segunda e meio que por intuição acabei atendendo.

Os primeiros minutos de ligação de uma nova cliente são sempre muito parecidos. Geralmente ela está constrangida e teve que tomar coragem para me ligar.

Em plena era de mensagens instantâneas tudo deveria ter ficado mais fácil. Mas não ficou, o que elas querem comigo é o oposto de me ter numa lista de contatos registrado em seu telefone que um futuro (ou atual) companheiro possa encontrar.

A voz era sexy, aveludada e com um sotaque carioca delicioso. Começou da mesma forma que sempre:

_ Oi...é. ..não sei bem o que falar.

_ Vamos começar pelo começo então - falei tentando tranquilizá-la. Sempre achei que é nesse momento inicial que você ganha uma cliente, ela precisa se sentir confortável logo de cara, o que vai literalmente permitir que ela relaxe e se abra - Me chamo Rodrigo, tenho 28 anos e provavelmente sou tudo que você sempre sonhou! - após várias tentativas essa era a piada mais leve e descontraída. Funcionava na maioria das vezes.

_ Com tão pouco tempo de pão e você já sabe quais são meus sonhos? Bem como me falaram. Você deve ser ótimo. Me chamo Renata.

Ela havia sido recomendada por uma amiga cliente. Isso era bom e evitava de eu ter que explicar detalhadamente como tudo funcionava. Quando você recomendo um serviço novo para um amigo é normal que você já explique como ele funciona mais ou menos.

_ Como posso te ajudar Renata?

_ Eu estava conversando com uma amiga. Conversa vai, conversa vem, começamos a falar sobre nossas fantasias. Falei pra ela que tinha uma que achava que seria difícil demais de realizar. Quando contei ela me passou seu número e falou que se tinha alguém que poderia me ajudar era você.

_ Porque não nos encontramos para conversar sobre sua fantasia? - sugeri.

_ Aí está o problema. Nesse caso minha fantasia já era. - ela tinha voz agradável com um aspecto alegre, vivo, tinha certeza que seria boa de cama. - Sempre quis fazer sexo com um garoto de programa... e que ele em nenhum momento soubesse quem eu sou. De forma nenhuma mesmo, a não ser pela minha voz.

Toda profissão tem seu risco, sem exceção, toda profissão sempre tem algum risco associado. No meu caso os riscos são ainda maiores e saber lidar com eles faz toda diferença.

_ Você sabe que isso é bem arriscado pra mim Renata? Mas, tudo tem seu preço e acho que conseguimos chegar num acordo. Algo interessante para ambos. Você poderia pedir para a pessoa que me indicou para você me ligar e corroborar sua história?

_ Até posso, mas quem vai me garantir que você vai pegar uma foto minha com ela? Eu realmente não quero que você me conheça nem antes e nem depois do nosso...encontro.

_ Assim como vou precisar confiar de certa forma em você. Você vai ter que confiar no meu profissionalismo. Creio que você já sabe que isso faz parte do meu preço.

_ Tá tudo bem, eu topo sim e outra coisa.... dinheiro não é problema.

Renata parecia ser uma típica cliente. Provavelmente casada um ricaço que trabalhava 20 horas por dia e que no lugar da atenção lhe dava uma fatura praticamente infinita de cartão de crédito, que pode ser trocado por joias, que pode ser trocado por dinheiro limpo. O lado positivo disso é que abre um mercado em que se encaixa perfeitamente minha profissão.

Continuei tocando minha vida quando alguns dias depois recebo um telefonema de Rita. Ela era uma das minhas clientes favoritas. Uma mulher inteligente e super comunicativa que tinha um ar brincalhão e ao mesmo tempo sexy. Ela era solteira e exercia o cargo de gerente de alguma multinacional. Tinha um corpo muito bem cuidado por horas de aula de academia com personal trainer e conseguia exercer um controle sobre mim que foram raras que conseguiram.

Aquela era uma mulher que ofuscava qualquer tentativa de domínio de um macho alfa. Ela gostava de submissão, adorava mandar e ser obedecida e é responsável pelas melhores noites de trabalho de minha vida, as quais pretendo entrar em mais detalhes em outro conto.

_ E aí safadão? Como vai esse corpo gostoso?

_ Esperando ansiosamente por mais uma noite de amor com vossa safadeza. - ouvi risos gostosos do outro lado.

_ Escuta, eu não tenho muito tempo e vou viajar, caso contrário tinha marcado uma conversar presencial. Estou ligado à pedido da Renata, que você já deve ter conhecido.

_ Sim ela me ligou. Se soubesse que era você quem tinha sugerido não teria nem pedido confirmação.

_ Ótimo, então nem vou precisar gastar toda minha argumentação de como você vai ter uma noite dos sonhos do lado dela. Uma pena que ela não deixa eu descrever nada pra você. Mas posso te garantir que você vai adorar tigrão.

_ O bom é que se qualquer coisa anormal acontecer, agora eu tenho em quem colocar a culpa.

_ Prometo que caso algo ocorra eu deixo você fazer comigo aquilo que sempre quis. Vê se cuida bem dela tá?

_ Espero que você deixe eu fazer aquilo independente de qualquer coisa - eu respondi desligando o celular.

Algumas horas depois a Renata me liga e combinamos os detalhes do encontro.

Como falei antes sempre atendi mulheres de alta classe e meu programa nunca foi considerado algo muito barato. Isso me permitia manter uma casa de luxo alugada e distante de qualquer curioso. A casa era toda de vidro e tinha uma vista magnífica para um lago. A propriedade era fechada e sempre me preocupei muito com a privacidade de minhas clientes.

Marquei com a Renata em uma terça feira a noite. Segundo ela era o único dia possível, ela tinha três horas no fim da tarde que poderia se ausentar completamente do mundo.

Os termos foram claros , ela queria ausência de informação total, eu precisei desligar as todas as câmeras de segurança. E ela pediu um contrato por escrito. Minha advogada,também uma cliente, cuidava desses trâmites.

Cheguei mais cedo e preparei todo o ambiente. Estava exatamente como ela pedira.

Assim que chegou de carro, ela me avisou por mensagem no celular e tocou o interfone. Abri o portão remotamente e fui me posicionar onde combinei encontrá-la Retirei toda minha roupa e me deitei na cama. Tampei meus olhos completamente com óculos escuros de natação envoltos por um lenço de seda preto para ficar com um aspecto sedutor. Eu realmente não conseguiria ver nada, mesmo com os olhos abertos.

Antes de tampar os olhos algemei meus pés e meus braços a cama. Deixando a chave no bidê. É claro que as algemas possuíam mecanismos de emergência elaborados para caso eu precisasse me soltar. No entanto, depois de conversar com Rita eu fiquei bem tranquilo com relação ao que viria em seguida.

Ouvi os primeiros passos quando ela começou a subir a escada. Caso tivesse feito tudo conforme as instruções ela deveria ter entrado em casa e trancado a porta. A sala estava cheia de velas e com rosas pelo chão. Deixei um cartaz escrito: Remova toda sua roupa e suba.

Ela tinha passos firmes porém receosos. Certamente estava com um salto alto. Quando me viu pela primeira vez senti uma parada repentina. Imaginei ela me olhando ali deitado, totalmente imóvel e meu pau foi ficando duro aos poucos.

Ela me observou por alguns minutos antes de se aproximar e se colocar ao meu lado. Senti suas mãos deslizarem pelo meu peito, barriga, coxas, pés. Ela não tocou no meu pau. Depois se alguns segundos sinto um perfume adocicado e sinto sua respiração próxima aos meus ouvidos.

_ Prazer Rodrigo. Estava muito curiosa pra te conhecer. - ela colocou um dedo sobre meus lábios indicando que eu não deveria responder nada.

Escutei ela andando em volta da cama. Imagino que me admirava ali preso, inerte, totalmente entregue para ela e seus desejos mais secretos. Escutava suspiros de leve e eventualmente sentia uma de suas mãos passar sobre meu corpo.

Comecei imaginar ela excitada com a situação e meu pau foi ficando ainda mais duro.

Nesse momento sinto ela subir na cama e se posicionar sentada sobre minhas pernas. Aos poucos sua boca se aproximou da minha e começou a lamber meus lábios de forma insistente. Alternava suas lambidas com mordiscadas de leve, até que enfim enfiou sua língua em minha boca e permitiu que eu a beijasse.

Instintivamente minhas mãos puxaram as algemas com vontade de agarrá-la com força fazendo-a se sentir protegida e entregue ao prazer. Mas daquela vez seria bem diferente.

Enquanto me beijava sentir ela cavalgar e meu pau tocar em sua barriga, que pelo que pude sentir era grande e volumosa.

Ela parou de me beijar e senti uma pele lisa e macia chegar próximo a minha boca. Eram seus seios, senti eles pequenos, seus bicos inchados e saborosos brincavam por minha boca e lábios. O jogo tinha começado. Ela colocaria diferentes partes de seu corpo em minha boca para que eu adivinhasse e me esforçasse ao máximo para chupar apropriadamente.

Alternou entre seus seios por alguns segundos. Não se contentando com minhas chupadas ela novamente foi até meu ouvido e sussurrou:

_ Morde. - ela gostava de dor. Agora só me resta a descobri a intensidade ideal.

Voltou com seus seios para minha boca e voltei a chupá-los alternando entre mordiscadas que foram ficando cada vez mais forte. Senti um gemido de dor e entendi que aquele era o limite.

Fiquei ali por alguns segundos mordiscando e lambendo seus seios, até que ela se cansou e resolveu se levantar.

Em todas as outras vez em que fui vendado era comum saber o que estava acontecendo. As vendas, mesmo que bem apertadas sempre tinham algum espaço onde era possível dar umas espiadas rápidas. Agora não. Eu realmente não conseguia enxergar nada e cada pausa dela era uma entrega para uma infinidade de pensamentos sobre o que viria a seguir.

Comecei a sentir um cheiro de leve que foi me deixando excitado. Era o um cheiro gostoso e forte que só poderia estar vindo de sua boceta que deveria estar posicionada exatamente sobre meu nariz. Comecei a dar fungadas fortes, tentando inspirar o máximo de ar possível. Adivinhei que era isso que ela queria e coloquei minha língua fora tentando alcançar a origem do aroma.

_ Fecha a boca e só faz o que eu mandar - Renata ordenou.

Ela estava pagando e meu objetivo naquela noite era o de levá-la as alturas. Ela estava dominando a situação. Molhei meus lábios e deixei eles fechados. Meu nariz foi invadido nessa hora por sua boceta. Consegui sentir o extrato máximo de seu aroma e tive que me segurar para não abrir a boca. Ela rebolou com ela em meu nariz e logo em seguida foi descendo para minha boca. Renata brincava subindo e descendo com sua boceta. Literalmente fazendo com que ela me beijasse e depois se aprofundasse em meu nariz. E eu não podia fazer nada a não ser me mexer meus lábios de forma carinhosa. Aos poucos percebi que ela também colocava seu cu, em cima da minha boca e rebolava como que dançando ao som de funk.

O cheiro de seu mel me despertou um tesão incontrolável. Me fez lembrar de sensações que tinha esquecido e conhecer novas que nunca imaginei que tivesse.

Renata voltou a se sentar sobre minhas pernas e começou a cheirar o meu rosto.

_ Que cheiro de buceta gostoso. - ela comentou.

Senti sua língua lamber meus lábios e meu nariz. Passando por todos os lugares onde sua boceta tinha acabado de estar. Me limpando enquanto me lambia com tesão.

Percebi que renata começou a descer com seu corpo pela minha perna direita e sua língua começou a chupar todos os dedos do meu pé. Meu pé ficou quente e percebi que estava escorrendo um líquido sobre ele, uma espécie de calda, de chocolate? Será? Ela voltou a lamber meus pés agora cobertos pela calda. Ela limpava, conseguia sentir sua lingua percorrer por toda minha sola.

Ela voltou para a cama e senti sua boceta posicionada na entrada do meu dedão do pé. Ela estava cavalgando ele de uma forma bem gostosa. Senti ele entrar todo em sua boceta. Ela removou ele de lá e chupou novamente. Retornou com sua boceta para o pé, dessa vez enfiando uns três dedos. Também não podia mexer meus pés ajudando. Relaxei e aproveitei. Meu pau ficando cada vez mais duro

Ouvi o barulho o barulho de suas mãos puxando a chave das algemas. Ela destrancou a algema da minha mão direita:

_ Faça apenas o que eu mandar. - ela ordenou

Voltou sua boca para o meu pau. Dessa vez colocando minha mão em sua cabeça e mandando que eu empurrasse. Meu tesão nesse momento era imenso. Fodi sua boca descontroladamente. Fazendo que ela ficasse sem ar por vários momentos. Deixava ela parar apenas para tossir quando se engasgava. Senti que meu pau estava cheio de saliva, sua boca super molhada. Voltava empurrando ele fundo em sua garganta.

Gozei forte em sua boca sem permitir que ela se afastasse nenhum centímetro. Ela engoliu tudo e se afastou..

FIM DA PRIMEIRA PARTE. CONTINUA ...

Gostou?
Mande um email para: caiopiresbrasil@gmail.com
Siga no tumblr: caiopiresbr.tumblr.com
Siga no twitter: twitter.com>




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.