"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Paguei a carona com sexo


autor: Mary20
publicado em: 13/04/16
categoria: hetero
leituras: 3610
ver notas


Este fato aconteceu na véspera do carnaval deste ano. Na semana que antecedeu o carnaval, eu tinha combinado com uns amigos para passar o carnaval em Florianópolis. Como não dispunha de muita grana, estava a procura de uma carona. Fiquei sabendo que um colega da faculdade iria pra lá então liguei perguntando se ele me daria uma carona. Como ele é casado vou chamar-lo aqui de Daniel (nome fictício). Daniel era bem mais velho que eu, tem aproximadamente 40 anos, muito charmoso e também safado. Na faculdade ele queria pegar todas as meninas. Embora ele já tivesse dados algumas investidas comigo, eu sempre mantive uma certa distância, por ele ser casado, mas com o tempo fiquei sabendo que ele traia sua esposa com frequência, então passei a aceitar sua cantadas, mas até esse dia não tinha acontecido nada entre a gente.

Quando liguei para o Daniel perguntando se me daria uma carona para Floripa, ele disse: - Claro menina, eu vou sozinho, minha esposa já esta lá, assim você me faz compania na viagem. A principio ele tinha falado que iria no sábado pela manhã bem cedo, mas na quinta feira ele me ligou perguntando se teria algum problema pra mim de irmos na sexta feira a noite depois do seu trabalho. Disse a ele que não teria problema algum, e quem está de carona não tem direito de escolher dia e nem horário. Eu tinha avisado meus amigos que iria no sábado, mas com essa mudança nos planos, acabei não avisando que iria na sexta feira.

Na sexta Daniel me ligou dizendo que passaria na minha casa por volta das 21 horas. Fiquei esperando por ele pronta, usando um vestidinho leve com alcinhas, um palmo acima do joelho, onde deixava a mostra minhas pernas.

No horário combinado ele chegou na minha casa e partimos para Floripa. Para não perder o costume e já foi me elogiando, dizendo que estava muito linda naquele vestido, e eu fui cedendo as suas investidas. Papo vai e papo vem, os assuntos logo foram ficando mais picantes:

- Mary, uma vez você me disse que não tinha namorado, ainda esta sozinha?
- Sim ainda sozinha, pra você ver os homens não querem nada com nada.
- Mas você Mary é uma menina linda e gostosa, deve ter vários te querendo. Acho que você anda muito exigente.
- Ahh Daniel, não é bem assim, mas não estou preocupada, sou nova quero mais me divertir.
- Você está certa Mary, tem que mais curtir a vida.

Comecei cuidar seus olhares, e ele não parava de olhar para minhas pernas. Me acomodei melhor no banco do carro e deixei meu vestido subir mais um pouco, deixando a mostra minhas coxas, ai que ele não parava de olhar.

- Cuidado o trânsito Daniel, falei.
Ele riu e disse: - Ta difícil me concentrar, você sabe que eu sempre tive tesão por você.
- É sei sim Daniel, mas você e casado.
- Sim mas ela só vai ficar sabendo de você contar, e você não vai contar nada não é Mary?

Dizendo isso ele passou sua mão direita na minha perna, fazendo subir ainda mais meu vestido e quase aparecendo minha calcinha. Ele estava com uma bermuda bem folgada, e quando olhei entre suas pernas, percebi seu pau completamente duro. Não resisti e comecei alisar seu pau por cima da roupa. - Nossa Daniel tudo isso é seu? perguntei.
Ele sorriu e disse: - Pode ser seu se você quiser.
- É... acho que preciso pagar minha carona né?
- Não necessariamente Mary, mas se quiser fique a vontade.

Para deixa-lo ainda mais louco de tesão, tirei minha calcinha e pendurei no espelho retrovisor do carro. Ele não esperava essa minha atitude e com o movimento de carros na auto estrada ele quase bateu o carro. Eu disse para ele relaxar e deixar o resto comigo. Ele reduziu a velocidade, e levantando seu corpo do banco desceu sua bermuda até os joelhos e continuou firme na direção, enquanto eu chupava seu pau, passava a língua na cabecinha, colocava ele toda na boca. Enquanto eu o chupava, com uma da mãos, eu esfregava na minha bucetinha, já toda meladinha. Ele afastou minha cabeça e disse: - Ai Mary meu tesão, melhor parar, senão vou gozar na sua boca.
- E porque você não goza safado, enche minha boca com seu leitinho.... respondi, e continuei chupando mais rapidamente. Ele não demorou muito e anunciou seu gozo:

- Aiiii Mary, minha safadinha, vou gozzarrr.... ahhhhh..... Aiiii cachorra, putinha safada.... gostosa... E encheu minha boca com uma farta ejaculação, que tive que engolir em partes para não engasgar. Depois que engoli tudo e limpei seu pau ele disse:

- Mary to louco para comer sua bucetinha, vamos parar em um motel que tem logo ali afrente, quero fazer você gozar também.
- Você quem sabe Daniel, você não precisa chegar hoje e Floripa?
- Não amor, minha esposa acha que eu vou só amanhã (sábado). Me falaram que esse motel é simples mas bem aconchegante, vamos ficar até de manhã fudendo.

- Te falaram é? Quantas você já levou pra lá Daniel? Eu devo ser a vigésima...
- Não Mary você é a primeira.... e riu...

Eu estava com tanto tesão que na nem me importava em ser a primeira ou a vigésima. Minha bucetinha estava toda meladinha e eu só pensava no seu pau entrando e saindo de dentro dela. Mal chegamos motel e ele tirou minha roupa, me jogou na cama e sem dizer uma palavra caiu de boca na minha bucetinha e chupava como se estivesse com sede de uma xaninha novinha. Cinco minutos depois eu já estava gozando na boca dele, tal era meu estado de excitação. Ficamos ali abraçados conversando enquanto a banheira de hidromassagem enchia de água. Fomos para a hidro e continuamos fudendo dento da água, não sem antes eu chupar gostoso o pau dele e ele me chupar também. Gozamos duas vezes na banheira e depois voltamos para a cama. Pediu para eu ficar de quatro e foi metendo com força. Eu sentia dor, mas a sensação de prazer era bem maior, fui relaxando e ele metendo cada vez mais rápido até que gozei sentido seu pau latejando dentro de mim, só parando depois que ele lambuzou toda minha bucetinha com sua porra.
Já passava da três horas da madrugada quando resolvemos dormir um pouco pois anda tinha estrada para percorrer de manhã.

Daniel sabia bem o tempo que levaria da casa dele até Florianópolis e também de onde estávamos. Então calculou o percurso e o tempo que levaria para chegar. Acordou cedo mandou uma mensagem para sua esposa dizendo que estava saindo de casa. Esses homens são todos safados, mandou mensagem, tomamos um banho para reanimar e ainda gozamos mais duas vezes antes de seguir viagem. Eu nunca tinha visto um homens com tanta disposição para fuder. Fiquei com minha buceta assadinha de tanto levar pica.

Me deixou na casa dos meus amigos e foi para sua casa. Na despedida perguntei se me daria uma carona de volta mas ele disse que voltaria com a família, e depois disse: - Mary, o que aconteceu fica só entre nós tá... quando quiser carona é só me ligar. Já na janela do carro eu disse: - Mas nem aconteceu nada, você só me deu uma carona.... Ele sorriu e saiu....

Leiam e comentem..... Bjos molhados.






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.