"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Surpresinha da Bia


autor: Carpe diem
publicado em: 08/05/15
categoria: hetero
leituras: 3286
ver notas


Mais uma competição, desta vez, a tradicional Copa HCV de Handebol de Areia.

A competição transcorre durante todo o dia de domingo com a presença de várias escolas e atletas dos naipes masculinos e femininos.

O clima de competição, sol, areia, arquibancadas cheias, muitos “rolés”, muita zoação entre amigos e claro, alguns beijos na boca faziam parte deste clima. Aquelas conversinhas de quem tá pegando quem, quem vai ou está ficando com quem, os ciúmes acontecendo e por aí
vai.

Eu, conhecido pelos amigos por Caputão... Nem faço idéia por quê? Rsrsrsrs Estou no auge dos meus 17 aninhos, branquinho, cabelos e olhos claros, magro normal (Normal é modo de falar, pois nesta idade, somos meios desengonçados mesmo). O apelido veio proveniente de eu
ser o capitão de nosso time, sempre tive um espírito de liderança aflorado em mim, inspirava meus amigos, gritava, vibrava, reclamava, apoiava, e isso era contagiante...

Já a fase do putão era da idade né... E da música... Putão, sou putão...

Daí surgiu o Caputão!

A verdade é que me destacava dentro da arena junto com meu time, e é muito bom jogar com a arquibancada cheia, e gritando seu nome então... Putz!

Após o término do jogo da semifinal, ao qual saímos vitoriosos, gritamos nosso grito de guerra ainda na arena, sobre muitas palmas pela bela vitória conquistada. Abraçamos-nos e fomos abraçados pelos amigos e amigas ali presentes, agora é só esperar a final contra o time
da casa, o HCV, onde tínhamos uma velha rivalidade, perfeito!

Após cada jogo, eu gosto de me isolar por um momento, procuro um local isolado, distante da arena, que não foi difícil achar pelo amplo espaço da escola. É como um “ritual” pessoal, gosto de pensar sobre o jogo, dos erros cometidos, do que podia ter feito, poderia ter fintado naquele lance, passado a bola noutro, etc. Sempre me cobrei bastante e isso me ajudava a melhorar sempre.

Acho meu local, um gramado na sombra próximo a um banheiro meio escondido, perfeito para um banho em seguida, ao qual costumo tomar sempre após os jogos. Tem gente que deixa para tomar banho ao final de todos os jogos, aff! Então me deito sem camisa, cubro meus
olhos e coloco minhas pernas cansadas em cima de um banco de madeira para meu “ritual” de reflexão...

Após alguns minutos ali deitado sou surpreendido por um beijo, um selinho rápido...

Hammmm...

Assusto-me... Quem será está? Ou este? Vala me Deus! Sei lá, tinha umas bibas por lá...

Descubro os olhos e me surpreendo novamente... Era a Bia...

Biiiiiiaaaaa...

Bia: O que foi? Está surpreso? Rsrsrs

- Claro né! Quem não ficaria?

Bia sorridente fala: Disseram-me que você estava querendo ficar comigo... Esta informação procede?

Apenas sorri e claro tasquei um beijão...

Ela, linda loirinha de pele bronzeada, cabelos lisos e cumpridos, olhos castanhos e um corpo perfeito, é aquela falsa “magra”, super simpática e que arrancava suspiro de todos,
inclusive o meu claro!

Beijamo-nos por um tempo, beijos molhados, intensos e saborosos devido ao seu gloss de morango.

Digo-a que gostaria de tomar um banho, estava sujo e fedorento... rsrsrrs

Tinha acabado de jogar... Ela sorrindo diz: Se é gostoso assim sujo, imagine cheirosinho... rsrsrsrsrss

Vai lá que te espero... Obedeço e vou correndo... Estava ainda sem acreditar que estava ficando com Bia, a loirinha do HCV que todos desejavam...

Estou lá tomando meu banho... Excitado pelos seus beijos... Ensaiando uma punhetinha e pensando que ainda tinha uma final para jogar... Não podia me desgastar e desapontar meu time...

Então escuto alguém entrando no banheiro e me enrolo rapidamente na toalha...

Para minha surpresa, era Bia...

Biiiiiaaaa...

... Psiuuuuuu!!!

Colocando o dedinho na boca...

Entra vagarosamente e fecha a porta... Vendo que a chave
desta se encontrava na fechadura... Perfeito!

Sensualmente, vira-se de costas pra mim, encosta-se na porta
empinando aquela bundinha linda e gira a chave suavemente enquanto me olha só
de toalha com uma cara de safadinha...

Meu amigão lateja com tamanha sensualidade e ousadia dela...

Estendo minha mão e busco-a carinhosamente indo de encontro
ao seu pescoço e nuca, seu cabelo amarrado tipo rabo de cavalo me deixa louco,
sinto o cheiro adocicado do Egeo Dolce em sua pele, chupo-a com vontade...  Vontade de deixar registrada minha marca em
seu pescoço...

Arrepiada... Se esquiva e me beija enquanto me encosta à
parede... Envolve-me com seu beijo molhado e sua respiração ofegante... Fazendo
de mim o homem mais feliz do mundo!

Percorro minhas mãos pela extensão das suas costas enquanto
ela pressiona-me contra a parede sentindo meu pau duro e envergado à direita...
Chego a suas nádegas e as seguro firmemente, início um belo sarro na loirinha.

Seguro firmemente pela cintura buscando sua blusa e a retiro
vorazmente... Olho admirado pela barriga lisinha e seios durinhos de Bia...
Volto a segurar suas nádegas e coxas e a suspendo... Fazendo-a entrelaçar suas
pernas em mim enquanto chupo seus peitinhos... Ela inclina-se para traz
demonstrando completa excitação em seu corpo.

Após algumas lambidas naqueles mamilos, coloco-a em pé, ela me
beija e desce lentamente suas mãos, fazendo-me arrepiar... Toca meu peito,
abdômen e retira minha toalha...

Ajeita sua sandália, fica de joelhos e inicia o melhor
boquete já recebido até então... Abocanha a cabeça rosada de meu pau... Neste
momento, minhas pernas amolecem, sinto-me extasiado, encantado e auspicioso...
Ela, novinha e hábil com suas mãos e boca... Mostra um vasto repertório entre
mordidinhas em minha glande rosada... Lambe toda a extensão de meu pau e
finaliza preenchendo sua boca enquanto bate um punheta.

Digo: Vem cá, loirinha... Vêm pra mim!

Tiro seu short e calcinha num movimento só e busco o
melzinho daquela grutinha encharcada...

Agacho-me e coloco uma de suas pernas em cima do banco...
Chupo seu grelo enquanto ela geme baixinho... Percebo o quão torneado está seu
músculo posterior da coxa e fico louco a ver a marquinha fina do seu bronzeado...

Abro sua grutinha com meu indicador e médio, e com a ponta da
língua, chupo lentamente e alterno movimentos circulares e de vai e vem em seu
grelo teso e inchado...

Ela, involuntariamente empurra seu quadril de encontro a
minha língua, como se num movimento descoordenado pedisse para ser
introduzida... Estava no ápice de seu gozar em minha boca...

Interpreto aquele movimento e levanto-me, ainda de pé, introduzo
lentamente meu pau grosso em sua buceta apertadinha e quentinha enquanto ela
geme baixinho em meu ouvido...

Depois de alguns movimentos repetitivos e intensos ainda de
pé... Trouxe-a novamente para cavalgar, desta vez com meu pau enterrado em sua
buceta, acabamos gozando juntos e baixinho um no ouvido do outro...

Tomamos um banho, nos trocamos e saímos inicialmente
escondidos...

Logo nos abraçamos como um casal de namorados e segui para
jogar minha final...

Ela me beijou, despediu-se e me desejou um bom jogo... Mesmo
sendo contra o HCV,  sua escola!

Ganhamos o jogo, levantamos a taça e ainda
ganhei uma namorada e uma transa sensacional.






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.