"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Cansei de Ser Santa - Parte 2


autor: maryrouge
publicado em: 12/05/16
categoria: virgindade
leituras: 4818
ver notas


ra entender melhor o caso e a minha pessoa, sugiro ler o conto anterior.
Então, basicamente eu havia descoberto que meu namorado me traia com minha amiga, e que eu estava virgem até aquela idade sem razão.
Comecei então a planejar minha vingança.

Eu tinha um plano, mas primeiro precisava perder minha virgindade.
Precisei desconstruir na minha cabeça toda a formação religiosa que tinha tido. Precisei adotar uma visão utilitarista da situação. Não estava procurando uma super noite romantica com o amor da minha vida, precisava alguem que me comesse logo pra eu poder aprender tudo sobre sexo, pra eu poder me vingar do traidor.

Comecei a assistir vários videos pornos na internet. Cenas de boquetes, anal, grupal, bukkake, e tudo aquilo me excitava de um jeito que até então eu nunca havia sentido. Eu sentia uma necessidade de me tocar, não prestava atenção que a porta do quarto tava aberta, que eu ia me sujar toda, não pensava em nada.

Passei a olhar os homens e meninos ao meu redor de um jeito diferente. Sonhava imaginando eu no lugar das atrizes porno e meus colegas de escola no lugar dos homens, me fodendo em grupo. Tudo aquilo me enlouquecia, e havia horas que já tinha esquecido da minha vingança.

Entrei então em uma sala do Uol com o nick "VirgemProcura" e dizia claramente para os caras que não queria nada mais além de perder a virgindade e aprender a ser safada.
Comecei a conversar com um cara chamado "RoludoTatuado", ele tinha 27a, bem mais velho que eu, e ele morava perto. Na hora, não pensei em perigo, não pensei em nada. Só pensei no meu tesão e no meu desejo de vingança.

Fui com uma saia na altura dos joelhos (afinal, ainda era a santinha do papai, só tinha roupas comportadas) e um top vermelho, que combinava com minha pele branquinha e meus cabelos ruivos.
Cheguei na casa dele, ele estava sem camisa (um peitoral peludo lindo, super sarado, tanquinho e cheio de tatuagens orientais nos braços).

- Ate voce entrar nessa porta, eu ainda tava achando que você era fake me enganando. Não tava imaginando uma sorte dessa. - disse ele

- Você vai me ensinar tudo?

Nessa hora ele me encarou, foi pegando na minha cintura, desceu as maos até meu joelho e foi subindo minha saia.. até ela ficar quase tocando minha bunda... nisso ele me puxou com tudo pra cima e me deixou no colo dele, com as pernas entrelaçadas em sua cintura e os braços em seu pescoço. Olhando cara a cara.
Eu não estava esperando isso. Comecei a me tremer, de susto e de tesão.
O peitoral daquele homem tava encostado no meu busto.
Minha bucetinha tava encostada no pau dele, mesmo que na bermuda.
E sua respiração estava a milimetros da minha.
O rosto dele era liso, sem barba, se fosse pra comparar com alguem conhecido em diria que parecia o Márcio Garcia.

Nisso ele fala bem calmamente e nunca tirando os olhos dos meus.

- Eu vou te beijar agora. Nessa hora, você tem que começar a se entregar, e relaxar seu corpo. Se sentir vontade, pode me morder, me arranhar, me apertar. O que importa é você ficar a vontade pra fazer o que quiser, e sentir meu corpo colado ao seu. Isso vai ajudar você a se lubrificar, entendeu?

Eu nem tinha terminado de falar o "sim.." ele me pegou em um beijo que eu nunca tinha recebido antes do meu namorado. Ele segurava com força meu cabelo pra eu nao escapar. A lingua dele estava em todo canto da minha boca. Eu perdia o folego e recuperava sem nunca dsgrudar de seus labios. Minhas pernas apertavam a cintura dele com uma força que eu senti que podia partí-lo ao meio.

Ele foi me levando até a cama, e me jogou com tudo nela, de um modo que quando eu caí meu rosto ainda foi instintivamente em direção ao dele por sentir falta do beijo.

- Sua primeira aula é o boquete - disse, enquanto tirava sua bermuda - e ele é importante pra você se familiarizar com um pau, senti-lo em sua mão, o tamanho, a grossura.

Quando ele botou pra fora, achei um pau normal (mesmo porque somente havia visto paus de filmes pornôs até então), e só depois que fui descobrir que 22cm é realmente grande.

Dizia ele
- Você vai chupando como lembra dos filmes que você viu, mas o mais importante é ficar olhando de tempo em tempo pro rosto do seu homem, pra ir identificando de que jeito ele gosta e de que jeito ele não gosta.

Nisso, o tesão já estava tão grande por causa daquele homem e daquele beijo que ajoelhei e comecei a abocanhar seu pau delicioso.
Não cabia na minha boca e por pouco não fechava a mão. Mas eu estava nas nuvens. Todos os sonhos em que eu era a atriz porno estavam se realizando. Eu chupava deliciosamente aquele pau grande e grosso, passava a lingua por ele todo, mantinha ele na minha boca e brincava com ele. Eu estava salivando, babando, sujando ele todo, mas eu não conseguia pensar em tira-lo da minha boca.

- Caralhoooo... uma porra que voce é virgem... isso é boquete de puta... porra, chupa cadela, chupa...

Eu chupava, e como ele ensinou, de vez em quando olhava pro seu rosto. Ele parecia estar aproveitando loucamente e eu era invadida por uma onda de calor e tesão simplesmente por ver que eu, aquela santinha que nunca tinha feito nada na vida, era capaz de deixar um homem daquele jeito.

Nisso ele me puxa com tudo para longe do seu pau e manda eu tirar a roupa e deitar na cama, o que eu obedeço.

- Eu ia te chupar, mas voce me deixou louco de tesão, não aguento um segundo mais sem te fuder. Eu vou botando aos poucos até chegar no limite da sua virgindade. Depois eu vou enfiar com tudo pra dor vir de uma única vez e não aos pouquinhos.
Eu vou amarrar suas mãos na cama, porque talvez voce tenha uma reaçao de me empurrar, de se movimentar muito de dor e pode só piorar. Voce se importa?

- Não sei...

- Você quer perder a virgindade e ser uma putinha de verdade ou não?

Nessa hora sorri, ajudei ele a botar a camisinha, deixei ele me amarrar e levantei minhas pernas, só esperando a dor surgir.

Quando ele tocou a cabeçinha na entrada da minha bucetinha, eu dei uma respiração ofegada que nunca tinha feito, foi um raio passando por todo meu corpo.
Nisso ele foi penetrando, e meu corpo tava se debatendo sozinho, eu parecia não ter mais controle do que estava acontecendo.

Nisso ele enfiou o resto TODO, até as bolas baterem em mim.
Lembrem-se, eram 22cm...

Nessa hora, senti uma dor rasgante, imensa, e dei um grito, que foi abafado por sua mão em minha boca. Parecia que eu ia perder a consciencia e eu não podia fazer nada porque ele prendeu as minhas mãos e botou o peso dele no meu corpo.
Ele só dizia

- Vai passar, vai passar..

Para mim foi uma eternidade, e por um instante me arrependi de tudo aquilo.

Mas, segundo ele, não passou nem 1 minuto.

- Já está melhor? Posso me mexer um pouco?

Ele voltou a me beijar. Nisso, eu comecei a sentir o gosto da boca dele misturado com o gosto de seu pau que ainda estava comigo, e ele começou a tirar e a botar de novo. Eu ainda sentia dor, mas já era diferente.

Eu já não lembrava da dor.
Eu so sentia seu pau grosso me furando e meu corpo tremendo e vibrando e se contorcendo.
Ele ainda estava num ritmo lento e eu já estava quase gozando.

- Me xinga, como nos filmes - eu disse

- Cachorra, vadia santinha do papai que agora virou minha puta, geme sua cadela, geme!

Quando ele falava isso, eu prendia o corpo dele com minhas pernas e forçava ele a aumentar o ritmo, já estava enlouquecedor. Rápido, forte, seu suor pingava no meu corpo, no meu rosto, ele me fodia enquanto me beijava, enquanto sua mão passava por todo o meu corpo me apertando, enquanto ele chupava meus peitos.

Não era mais eu lá.. Naquele momento eu não consegui imaginar como eu tinha passado tanto tempo sem sexo.
Não consegui mais pensar como eu ia passar mais um segundo da minha vida sem estar sendo fodida por um pau gostoso.

Depois de muito tempo dessa delicia, ele chegou bem no meu ouvidinho e falou

- Já quer provar porra na primeira aula?

Eu fiz com a cabeça que sim

Ele saiu de cima de mim, e começou a se masturbar, ajoelhado em cima de mim.

Eu ainda estava amarrada.

Quando ele começou a gozar, jorrou.. na parede, no meu rosto, nos meus peitos.. e ele saia limpando com os dedos e levando até minha boca, e eu chupava e engolia.

Depois, ele me soltou, mas eu ainda fiquei alguns minutos me recuperando na cama, que, por sinal, estava toda suja de sangue.

Fiquei ainda umas horas conversando com ele, até que fui embora, já que meu namorado estava me procurando.

Antes de sair, ele ainda me pegou no colo, me deu outro beijo daquele e falou

- Próxima aula você vai me dar o cuzinho.


Se esse conto for bem votado, eu conto como ele me ensinou a fazer um anal gostoso e.... enfim, qual era meu plano de vingança.

Beijos



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.