"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Marido e mulher. A Lua De Mel. 3° Cont


autor: 16_Fisher
publicado em: 18/05/16
categoria: hetero
leituras: 2685
ver notas


Se quiser entender melhor este conto leia (Marido e mulher. A Lua De Mel 1°, 2° e 3° Conto) que estão em meu perfil no site.
Bjs espero que gostem amores.

Quando eu acordei sentindo o peso dos braços de Rodrigo ao meu redor, ouvi que ele ressonava levemente, eu estava muito apertada entao lentamente tirei o braço dele e me levantei da cama e caminhei ate o banheiro. No banheiro resolvi tomar um banho, tomei um banho rápido e escovei os dentes e peguei uma camisola de renda branca até os joelhos, ela era de alça a parte dos seios também tinha renda bem detalhada de olhei no espelho e pela primeira vez na minha vida eu estava me sentindo diferente estava me sentindo mulher. Olhei através da porta e Rodrigo ainda dormia enrolado entre os lençóis seu peito descia e subia em uma respiração leve. Eu caminhei em direção a ele, lindo, não sabia como era perfeito vê-lo descansar.
Dei um beijo em sua testa e fui procurar a cozinha eu estava com muita fome, entao resolvi preparar o nosso café da manhã e levar pra cama. Eu ainda não conhecia a casa, entao presumi que a cozinha seria no final do primeiro andar, desci as escadas e comecei a perceber os detalhes da antiga casa que eu nao havia percebido na noite anterior quando cheguei aqui, eu estava tão ansiosa e tensa e o desejo me deixou cega por alguns instantes ate antes de nos chegarmos no quarto. A casa é enorme e o chão de um mármore cinza parece ser do século XX. A sala e bem espaçosa e a decoração antiquada com quadros Renascentistas na parede, tudo bem caro. Custei pra acreditar que agora aquela também era minha casa. A cozinha é no final do segundo corredor, e acompanhava a decoração da casa. Procurei por comida e a geladeira estava cheia, resolvi fazer ovos mechidos e wafer, eu sempre amei cozinhar, e em poucos minutos tudo ja estava pronto. Encontrei uma bandeja de madeira na bancada e levei tudo até o quarto seguindo o caminho de volta a casa é muito grande era fácil se perder nela. Quando abri a porta do quarto com a bandeja nas mãos Rodrigo ainda dormia, coloquei a bandeja em seu lado e pensei em uma maneira de acordá-lo. Os lençóis só cobriam a parte de baixo de seu corpo deixando seu peitoral e músculos a minha vista, e aquilo frisou minhas ideias, me aproximei de seu rosto chegando bem perto de sua orelha e atrevida eu chupei o nódulo de sua orelha lentamente sentindo o gosto agridoce de sua pele em minha boca. E aquilo o fez se mexer, na cama mas eu nao parei eu fui descendo pelo seu pescoço, ate eu ouvir um pequeno riso sair de seus lábios, seus olhos cinzas se abriram preguiçosos, e ele bocejou e logo focou os olhos em mim. Eu sorri pra ele.
E logo ele agarrou meu rosto e me deu um beijo gostoso nos lábios.
-Bom dia. Eu disse mordendo o lábio inferior e olhando nos olhos dele.
-Bom dia, minha esposa. Ele disse abrindo um sorriso divertido.
Ele deslizou os dedos por uma mecha dos meus cabelos, me deixando ruborizada.
Ele olhou pro lado vendo a bandeja do café da manhã.
E olhou pra mim.
-Isso é injusto. Eu que deveria, trazer o café da manhã pra voce na cama. Ele disse
-Entao amanhã voce faz isso ta? Eu disse dando outro beijo em seus lábios. -Vamos comer, eu estou morrendo de fome. Eu disse rindo.
-Eu também estou faminto. Ele disse e entao tomamos o café da manhã e acabamos em poucos minutos Rodrigo estava faminto e eu também entao acabamos tudo bem rápido rs.
Eu me levantei colocando a bandeja no criado-mudo ao lado da cama. E senti que os olhos de Rodrigo me seguiram.
E eu fui abrir as cortinas da janela, eu nao sou muito alta entao me esticando eu abri as longas cortinas vermelhas de veludo da grande janela.
-Me lembre se sempre deixar você abrir a janela pela manhã. Ele disse
E eu me virei.
-Por que? Eu perguntei
-Por que quando você se estica pra abrir as cortinas, o fino tecido da sua camisola sobe atrás me deixando com uma bela visão. Ele disse com um sorriso malicioso nos lábios.
-A é? Eu disse abrindo bem os olhos.
-Vem cá. Ele disse com um sorriso de lado e me chamando com as mãos. Eu corri e subi em cima da cama e ele me segurou me abraçando. Suas mãos alisaram minhas coxas lentamente me causando arrepios leves pelo corpo. Eu segurei seu rosto.
-Oh! Meu Deus! Ele disse rindo feito um bobo olhando pra mim.
-O que Rodrigo? Eu perguntei rindo.
-Eu te amo, mulher! Ele disse e nao me deu tempo de respirar e beijou minha boca, invadindo-a com sua deliciosa e quente língua. Chupando meus lábios e aquilo me deixou totalmente confiante e eu comecei a beijá-lo com mas avidez que nunca, suas mãos subiram minha camisola até os quadris ele me virou de lado e começou a apertar minha bunda com vontade, Nossa! Como isso me da tesão... As mãos grandes e ásperas dele apertando minha bunda com vontade me deixa molhada na hora. Ele colou seu quadril no meu me fazendo sentir como ja estava excitado. Deslizando as mãos pelas minhas costas enquanto me beijava apaixonadamente,  eu me virei rapidamente,  e me sentei em cima dele não parando o beijo e senti seu membro já duro e rígido embaixo de mim. Ele levantou ainda mas minha camisola apertando minha bunda, Rodrigo começou a puxar minha camisola por cima dos meus braços pra tirá-la, e a joguei no chão e agora so estava de calcinha de renda também branca, em cima dele comecei a ter o controle, e gostei disso. Assim que tirei a camisola, ele pegou meus dois seios com as duas mãos e apertou com vontade, "sentir as mãos dele me apertando", não existe nada que me excite mas que isso. Eu ja estava muito molhada, e instintivamente comecei a mexer os quadris em cima de seu membro duro como pedra, roçando na minha bucetinha molhada coberta apenas pela fina renda de minha calcinha. Comecei a rebolar, e rebolar gostoso em cima dele. Rodrigo beijou meu pescoço me dando arrepios fortes como eletricidade na pele.
-Se continuar rebolando desse jeito... Eu não vou conseguir me segurar. Ele disse ofegando em meu ouvido.
Eu olhei pra ele e seus olhos cinzas haviam adiquirido um tom violeta inebriante.
Eu parei de rebolar.
Não queria que ele gozasse, ainda não. E ele parecia estar realmente se segurando.
Eu sorri pra ele e beijei seus lábios lentamente.
E resolvi matar de uma vez minha curiosidade.
Nunca havia feito sexo oral em ninguém.
Eu era virgem até ontem...
Mas eu estava tao excitada, e Rodrigo embaixo de mim totalmente duro! Olhei pra seu corpo embaixo de mim... Seus músculos definidos, seus ombros largos, ele é másculo!  E eu gosto assim.
-Eu quero fazer uma coisa. Eu disse com um certo receio.
Ele me olhou.
-O que quer fazer? Ele me perguntou curioso.
-É que nunca fiz isso antes... E sempre tive muita vontade de fazer isso em você. Eu disse olhando nos olhos dele.
Rodrigo arregalou os olhos pra mim. Posso apostar que sua imaginação estava voando tentando imaginar oque era.
Mas eu não o dei tempo pra responder, beijei seus labios carnudos com vontade. E fui descendo pelo pescoço dando chupoes demorados por onde eu passava deixando um leve avermelhado. Vi que a respiração dele começou a ficar cada vez mas acelerada a cada vez mas que eu descia. Beijei seu peitoral. Deslizando as mãos por todo seu peito lentamente. Tirei os lençóis que cobriam a parte de baixo de seu corpo, e eu senti seu membro encostar nos meus seios. Eu continuei descendo pela sua barriga, e sua respiração continuava muito rápida fazendo seu peito subir e descer, ele estava ansioso, nervoso?
Eu não sabia.
Eu olhei pra ele, ele estava com a cabeça inclinada pra trás, seus olhos estavam fechados e as mãos agarravam com força os lenços, vê-lo daquele jeito, totalmente entregue. Totalmente excitado! Me senti confiante! E meu desejo por ele triplicou, continuei descendo beijando sua barriga. Arrisquei até dar umas leves mordidas em sua pele, quando o Mordi levemente vi que seu corpo tinha espasmos. Entao continuei, beijei o "V" De seus quadris, eu estava me deliciando, admirando seu corpo musculoso. E entao me deparei com seu membro, realmente grande e grosso, a cabeça avermelhada pulsando, e aquilo me deu tanta água na boca. Eu não sabia que tinha tanta vontade chulá-lo assim. E entao com vontade eu segurei, sentindo pela primeira vez seu membro em minha mão. Era diferente, firme e pulsante parecia delicioso. Comecei a fazer movimentos de subir e descer com a mão, e fui movimentamdo... E me familiarizando com ele em minhas mãos, Olhei pra Rodrigo e ele continuava de olhos fechados, sua boca estava entre aberta me fazendo ouvir seus suspiros de prazer, e entao senti uma vontade quase incontrolável de por seu membro em minha boca. Nunca tinha feito aquilo entao segui meus instintos, beijei sua virilha e resolvi começar com a língua e lambi seu membro, do talo até a ponta, e entao segurei firme em minha mão e coloquei na minha boca como um pirulito.
-Oooh!... Rodrigo gemeu rouco.
E ouvi-lo gemer me motivou, comecei a chupar,e a fazer movimento de sucção com os lábios chupando a cabeça de sua pirroca, enquanto continuava fazendo movimentos de descer e subir com a mão.
É gostoso sentir sua pica quente e pulsante na minha boca, ela é tao grossa que preenche minha boca.
Eu chupo sua glande (a cabeça do pénis) e passo a língua em volta como em um sorvete.
Rodrigo começa a se contorcer na cama .
-Oh! Ele geme gostoso me dando cada vez mas tesão.
E ótimo saber que sou eu que causa isso nele.
Entao encorajada eu comecei a tentar enfiar pra dentro da minha boca, pra ver até onde eu aguento.
Começo a engolir... E a engolir sentindo sua pica encostar na minha garganta. Ouvi Rodrigo gritar de prazer, ele segura minha cabeça se contorcendo de prazer.
-Oh!....ooh.... Ele geme.
Eu engulo mas uma vez, e consigo ir mas fundo agora. Começo a chupar e a chupar sua cabeça pulsando em minha boca. Ele segura meus cabelos acima da minha cabeça, e começo a ir mas rápido, freneticamente vou chupando sua pirroca deliciosa. E enquanto chupo eu levanto meus olhos pra ele, e vejo que ele não esta mas de olhos fechados, mas sim com os olhos bem abertos e me olhando pocessivamente, seus olhos dilatados de desejo e sua boca entre aberta, e sua respiração rápida ele solta um novo gemido alto quando eu engulo e enfio sua pica novamente na minha boca e dessa vez eu demoro pra tirar e depois começo de novo. Chupando a glande enquanto deslizo a língua por ela .
-Bela... Se você não parar eu vou gozar na sua boca! Ele diz gemendo grave.
Mas eu não parei continuei!
Fui chupando e chupando. Ouvindo seus gemidos e sentindo sua pica cada vez mais pulsante e enfiei ela inteira na boca.
O corpo dele foi tomado por tremores, e espasmos ele segurou meu braço com toda força.
Foi quando senti seu jato forte e quente na minha boca.
-OOOOH.... Ele enquanto gozava na minha boca.
E eu me deliciei com seu gozo. E continuei chupando e engoli todo seu gozo lambendo todo seu pau. E limpando tudo.
Olhei pra Rodrigo que se recuperava do êxtase, e passei as mãos por suas coxas alisando.
Ele olhou pra mim.
Com os olhos surpresos e eu não resisti e sorri pra ele limpando meus labios com a língua, fiquei de joelhos entre as pernas dele e vi que havia jorrado um pouco entre meus seios. Olhei pra ele novamente e passei o dedo entre meus seios limpando seu gozo, e no impulso da excitação eu chupei meu dedo limpando tudo olhando diretamente nos olhos cinzentos dele que me olhavam com algo à mas do que só desejo.
Passei minha língua pelos meus lábios, seu gosto era um pouco neutro, e ácido e um pouco adocicado. Era diferente... Eu amei seu gosto...
Rodrigo me puxou pra ele pelos ombros.
-Você sabe exatamente como me satisfazer. Ele disse me olhando nos olhos.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.