"Os mais excitantes contos eróticos"

 

TRAIÇÃO EM FAMÍLIA


autor: Amora
publicado em: 13/05/15
categoria: hetero
leituras: 15807
ver notas


Por achar que havia passado dos limites fugia de Thiago como diabo foge da cruz, Roberto também me procurava com menos intensidade é verdade mas eu o evitava também.
Outro que me procurava era meu amigo policial, após tanta insistência e a falta de desculpas para não encontra lo acabei cedendo a um convite para um jantar.
Após essa noite de jantar entre nós dois, minha sala no serviço parecia mais uma floricultura por ganhar todos os dias flores de meu amiguinho policial, tantos agrados lhe renderam mais alguns jantares, nos quais conversávamos muito sobre tudo e qualquer assunto relevante ou não, só não falávamos de sexo.
Sua maneira respeitadora comigo garantiam pontos a ele, mas algumas vezes me tiravam do sério, durante alguns dos diversos jantares em que tivemos não foram poucas as vezes em que eu queria jantar e depois ser jantada, por diversas vezes coloquei saias curtas, calças apertadas, blusas com decotes que meus seios quase pulavam para fora, mas ele sempre manteve um respeito louvável sem querer avançar o sinal mesmo quando eu dava todos os indícios que ele podia fazer!
Já estava cansada de quando saia com ele ter uma noite agradável de bom papo, mas no final nada de sexo, ouve vezes que depois que ele ia embora me deixando chupando dedo eu procurava algum P.A. para me satisfazer.
Em uma noite após um novo convite dele para sair, pensei essa será a ultima vez, se não rolar nada após o jantar não haverá um próximo.
Me vesti provocantemente, sugeri um local mais intimo para jantar com música para dançar.
Exalava tesão, após o jantar, dancei sensualmente para ele me esfregando em seu corpo e sentindo seu membro duro por dentro de sua calça social!
E no final da noite tive uma surpresa, não a que eu esperava, meu amigo me entregou uma pequena caixa e dentro dela havia um anel, em seguida ao abrir a caixa e avistar o anel ele me perguntou se gostaria de namorar sério com ele.
Fiquei confusa esfriei o tesão que estava e objetivo que tinha naquela noite, pedi uns dias para pensar, procurei conselhos de amigas e amigos e uma semana depois tinha uma resposta para dar a ele.
Preparei um jantar e convidei para ir até meu apartamento, me vesti sensualmente, ele voltava do serviço ainda fardado.
Após o jantar e mais uma conversa boa, me dirigi em sua direção que ainda sentado me olhou parar ao seu lado, me sentei em seu colo, comecei a acariciar seu rosto, sem dizer nem uma palavra apenas nos olhando olho no olho, comecei a beija lo após a troca de olhares, em meio aos beijos eu falava em seu ouvido; "Você quer que eu seja só sua?", "E você vai ser inteiramente meu?"
Com gestos afirmativos e o um singelo sim, continuamos a nós beijar, peguei uma de suas mãos que repousava em minha coxa e a levai aos meus seios, olhei para ele que demonstrou certo espanto (parecia até um adolescente), falei sedutoramente para me levar ao quarto, ele me tomou em seus braços e me levou até minha cama, após beijos ardentes, nosso sexo foi algo monótono fizemos um papai e mamãe em que meus poucos gemidos foram abafados por seus beijos, após chegar ao seu gozo meu policial cansado adormeceu me deixando ainda com vontades ao perceber que ele não iria acordar novamente adormeci também.
Acordei primeiro e olhei para ele ainda dormindo tranquilamente, olhei então para seu pau grosso de aproximadamente 18 cm e extremamente cabeçudo. Eu ainda estava precisando gozar, não pensei duas vezes olhando aquele pau adormecido, desci em sua direção comecei a chupa lo a mesmo tempo em que subia por cima do corpo do meu policial, posicionando minha bucetinha em seu rosto ele acordava e já entendei oque eu queria.
Fazíamos um 69 delicioso, depois de minutos deliciosos chupando e sendo chupada ele anuncio que iria gozar e puxando meus cabelos e falando "Para, Para, eu vou gozar!" Tentando me impedir de sentir sua porra em minha boca, eu o chupava ainda com mais vontade e enfiava minha amiguinha em sua cara para abafar seus pedidos, não tendo como conseguir evitar ele esporrou em minha boca, cuspi uma quantidade em seu pau de volta e comecei a punheta lo e a bater com aquele pau em meu rosto, tudo isso me fez a gozar deliciosamente em sua língua.
Fora a parte sexual que era de dias ruins e bons, mas mais ruins do que bom o nosso namoro ia bem, eu só evitava ao máximo os encontros de família em que pode se ter o Thiago presente.
Meu policial era um homem bem família, diversos passeios nossos incluía sua pequena princesinha que ganhava meu coração, íamos a festinhas da escola, apresentações do ballet e por algumas vezes reparava os olhares de pais tarados em minha direção, apesar que depois do fim do meu casamento eu não ser mais adepta a monogamia, eu me mantinha fiel a meu namorado, mesmo não estando tão satisfeita sexualmente como antes.
mas sempre em conversas com amigas próximas sempre chegava a conclusão que o sexo não era tudo e o jeito respeitoso, carinhoso e amoroso em que eu era tratada compensava os muitos orgasmos que não tinha mais.
Com 4 meses de namoro teria um encontro com Thiago impossível de evitar seria o aniversario da princesinha de meu namorado, eu estava segura enquanto aos meus sentimentos ao meu namorado se eu ainda não o amasse no minimo havia um forte carinho a ponto de ser fiel a ele, dispensando inúmeros convites de P.A's que iriam me satisfazer plenamente coisa que muitas vezes não ocorria entre eu e meu namorado, mas meu medo maior sobre o Thiago era de que ele pudesse falar sobre tudo que rolou entre nós.
Na festa ajudei a receber os convidados no buffet junto a mãe e seu atual marido e meu namorado, quando Thiago chegou não fez a minima questão de me cumprimentar, durante a festa Thiago sentado na mesa com alguns familiares me olhava como se a qualquer momento fosse soltar a bomba de que já havia transado comigo!
A festa transcorria bem até o momento que sai do salão da festa e fui a até o banheiro, na saída Thiago me esperava ao lado da porta, assim que sai ele segurou em meus braços e me arrastou até próximo a cozinha e eu pedia para me soltar pois ele apertava tanto meu braço que até doía, ao chegar ao lado da porta da cozinha ele me imprensou na parede e falava o porque eu estava fazendo aquilo com ele enquanto tentava me beijar, eu tentei resistir mas aos poucos cedi e começamos a nós beijar,eu usava um vestido decotado de pano leve e Thiago percorria suas mãos pelo meu corpo sua pegada era forte e deliciosa deixou minha pequena calcinha fio dental melada pelo liquido que sai pela minha amiguinha, lembrei de onde estava e minha condição de namorada fiel empurrei Thiago e falei para ele sair dali, fiquei alguns segundos recobrando o folego e voltei ao salão, ao voltar ao salão meu namorado me perguntou por que eu estava com uma cara assustada? Respondi que havia visto uma barata no banheiro, e depois tentei de qualquer forma ter até contato visual com Thiago.
Ao fim da festa eu iria dormir com meu namorado naquela noite, confesso que após o beijo fiquei um tanto desestabilizada durante o caminho de volta não abri a boca para falar nada apenas pensava apenas na pegada de Thiago.
Entre quatro paredes com meu namorado eu me libertei, chupei seu pau como louca e pela primeira vez ofereci meu cuzinho a ele, que enfiou aquela enorme cabeça e enquanto ele me fodia eu esfregava a mão em meu clitóris eu gemia e pensava em Thiago!
No outro dia desabafei com minha amiga Mallu que me aconselhou a seguir meu coração, mas eu estava confusa ao mesmo tempo que me acostumava a monogamia em ser bem tratada pelo interior e não pelo corpo sensual, Thiago acordou minha puta interior que começava a adormecer.
Fiquei com esse conflito em minha cabeça, toda vez que era mal comida pensava em terminar mas sempre depois ele fazia algo fofo que me derretia toda.
Em uma noite houve reunião de condomínio em meu prédio e lá estava João um vizinho meu que mora no andar de cima sempre conversamos mas sempre no maior respeito, afinal João é casado pai de uma linda menina, nossos papos sempre foram sobre trabalho, condomínio e pasmem até futebol.
Nesta reunião ele estava sozinho sem a companhia de sua esposa, ao final da reunião pegamos o mesmo elevador e fomos conversando, o papo estava bom quando chegou no meu andar ficamos papeando na porta do elevador e ouvimos alguém bater na porta em outro andar pois seguravamos o elevador em meu andar, João saiu de lá então continuamos o papo no corredor, ofereci um copo de suco ou água e o convidei para entrar em meu apartamento, ainda conversávamos sobre politica, copa, olimpiadas, economia do Brasil e o preço dos alimentos, até que João decidiu mudar o assunto, começou a falar das fofoqueiras do prédio e o ciúmes de uma possível proteção que eu recebia do porteiro e do zelador.
Estávamos em minha varanda conversando e o papo chegou ao meu namoro, João disse que ele e os outros homens notaram uma mudanças em mim, e que eu não fazia mais a alegria dos homens de plantão, depois voltou de novo a falar sobre meu relacionamento dizendo que de uns tempos para cá eu não aparentava estar feliz, não entendi oque ele quis dizer sobre não parecer estar feliz e isso me incomodou um pouco, mas continuamos o papo e sem querer bati com o pé na mesinha que estava a jarra de suco derrubando a em cima de João rapidamente me levantei achando que a jarra poderia ter o cortado, eu pegava alguns cacos de vidro no chão e João passava seus dedos em meus cabelos tirando os de meu rosto, olhei para ele e então aproximando se de mim tentou me beijar, cedi a um primeiro selinho, mas pedi que parasse pois aquilo não era certo, João pegou em minha mão que segurava os cacos da jarra e as virou derrubando no chão novamente, com a outra segurou em meu rosto e aproximando seus lábios do meu disse "A tempos que eu quero fazer isso!" para em seguida sem nenhuma resistência da minha parte me beijar.
João foi me empurrando em direção a sala enquanto me beijava era difícil resistir aquele moreno de 1,80 de alguns músculos definidos, eu deitei no sofá e João deitou se sobre mim, minhas mãos percorriam aquele corpo gostoso, João colocou sua mão por dentro de minha camisa de malha, ele apalpava meus seios enquanto eu tirava sua camisa e revelava seu peitoral e alguns gominhos de seu abdômen, João começou a tirar minha roupa, aos beijos foi tirando minha calcinha e depois voltando beijando toda minha perna até enfiar a língua em minha gruta molhada.
João chupava deliciosamente, então pedi para ver seu mastro, ele então levantou se e abaixou sua bermuda revelando um pau de uns 20 cm que parecia maior pois estava todo depiladinho!
Dei uma chupadinha nele, João me posicionou debruçada no sofá e eu toda empinadinha para ele fui penetrada, João enrolou meus cabelos em suas mãos e começou a me estocar, eu gemia e pedia mais ele falava "Sua cadela gostosa, faz tempo que eu quero te pegar, safada!"
Eu pedia para ele me fuder cada vez mais gostoso, João cuspiu em meu cuzinho e com o dedo polegar pressionava o, aumentando meu tesão.
joão anunciou que iria gozar mas nem se preocupou em tirar seu pau inundando minha grutinha e mesmo depois de gozar ele continuou a me penetrar e ele passava seus dedos em minha bucetinha gozada e melada dos meus líquidos e dava para mim chupar, isso me fez ter mais tesão e me fez gozar como a tempos não acontecia!
Depois dessa noite quando meu namorado não me satisfazia eu recorria ao João!
Chegava aos quase seis meses de namoro, voltava a fazer a alegria da macharada de plantão do prédio com roupas curtas e dava umas puladinhas de cerca de vez enquanto, não só com João mas também com gatinhos que conhecia nas baladas que não ia com meu namorado.
Soltinha aceitei um convite de meu namorado para um fim de semana em uma chácara de parentes dele sem me preocupar se Thiago estaria lá ou não.
Levei biquinis pequeninos revezava em ser a madrasta boa quando estava com a princesinha e a mulher periguete, minhas cunhadas mordiam o cotovelo os homens me olhavam com desejo, Thiago era oque menos disfarçava por inúmeras vezes não conseguiu esconder a ereção.
Eu passava o dia na beira da piscina em uma tarde todos estavam na piscina quando acabou a cerveja do cooler me ofereci para ir até a casa buscar, quando me levantei meu corninho e seus primos e tios ficaram me observando subir até a casa para buscar mais cerveja.
Na volta entre a casa e a piscina havia uma casinha em que se guardava os equipamentos de limpeza da piscina e ferramentas de jardinagem, ao chegar próximo a essa casinha Thiago me aguardava lá, já de pau duro tentei passar por ele que me segurou e me empurrou para dentro, o perigo me excitou e não resisti começamos a nos beijar Thiago beijava minha boca e as vezes descia e beijava meus seios, eu punhetava seu mastro grosso e duro até ele gozar em minha mão, sai dali como se não houvesse acontecido nada com a chaninha molhada e a mão gozada.
Naquela noite estava com o tesão a flor da pele, ataquei meu namorado que na primeira noite não quis fazer nada alegando que sua filha estava no mesmo quarto que nós, mas desta vez ele não teve como escapar, cavalgava em cima dele lembrando da safadeza que havia feito com seu sobrinho naquela tarde!
No outro dia todos estavam na piscina, eu ficava só olhando para ver as reações de Thiago, quando me levantei ele sabia muito bem aonde me encontrar, sai da piscina dizendo que iria dar uma voltinha e voltava logo, meu corninho não desconfiou e novamente sobre o olhar dele e de seus parentes me viu subir em direção a casa novamente, mas no meio do caminho Thiago já me aguardava, entramos para dentro da casinha de materiais e começamos a nós beijar, Thiago falava; "Eu te amo, deixa meu tio e casa comigo!" Eu o mandava calar a boca e me beijar, que pegada gostosa tinha aquele rapaz de 18 anos desta vez eu não resistiria ficar apenas nos beijos e nem ele a ficar só na masturbação!
Enquanto ele beijava meus seios eu comecei a virar de costas para ele deixando meu bumbum todinho para ele, eu estava extremamente excitada, me empinei todinha para ele e implorei que me fudesse, Thiago tirou sua rola e me penetrou com facilidade devido minha lubrificação, tentava conter meus gemidos mas sempre escapava um ou outro o risco de sermos pego era excitante, Thiago tremia as pernas a cada estocada que me dava em minutos suas pernas extremeceram mais ainda e em seguida senti um forte jato em minha grutinha, mas Thiago estava insaciável, continuou a me estocar estava difícil segurar os gemidos.
Soltei um, pouco mais alto quando cheguei ao orgasmo, Thiago ainda estava com seu pau duro dentro de mim, pedi para ele tirar sentir a porra escorrer pelas minhas pernas, me agachei e comecei a mamar aquele caralho grosso, Thiago segurava minha cabeça e declarava seu amor a mim pedindo para não deixa lo senti sua cabeça inchar em minha boca segundos antes de ele gozar tentei tirar o mais rápido possível mas ainda sim recebi um bom jato na boca, o restante foi em meus seios, estávamos todos suados levantei e dei um pequeno beijo na boca de Thiago que mais uma vez pediu para que eu largasse seu tio e assumisse o romance com ele, me sentei em uma caixa e peguei um pano velho para limpar a porra em minhas coxas e nos meus seios, Thiago em pé na minha frente continuava a insistir que me faria mais feliz do que seu tio poderia me fazer, depois daquele sexo perigoso eu terminaria com meu policial corno, mas não para ficar com Thiago, mas sim por que não via mais futuro naquela relação.
Derrepente a porta do quartinho se abre e meu policial entra na casinha, meu coração quase parou, meus seios ainda estavam de fora, Thiago ainda apresentava uma pequena ereção não havia como justificar aquela situação, meu corno então pediu que seu sobrinho se retirasse dali, pensei comigo agora morri!
Não sabia se falava para ele deixar tentar explicar o que era visível ou aguardava só o primeiro tapa!
Mas para minha surpresa antes que eu falasse qualquer coisa ele se ajoelhou em minha frente e com os olhos cheio de lagrimas, pediu que eu não o deixasse que o que tivesse acontecido entre eu e Thiago seria superado entre nós e que me amava e me perdoava!
Aquela cena patética me fez ver o quão frouxo ele era e como era necessário o fim do nosso pifiu relacionamento.
Pedi para que ele me levasse embora naquela tarde, mas ele implorou para que eu ficasse pois se não sua filha ficaria muito triste, com dó da menina acabei aceitando, mas disse que não dormiria com ele na mesma cama, ele concordou.
Fui atrás de Thiago e pedi que ele arruma se uma desculpa e fosse embora dali e que depois conversaria com ele, com sua paixão por mim ele acatou meu pedido e foi embora.
Durante a noite acordei com meu ex corno alisando meu corpo, olhei para ele e disse que se não sai se de cima de mim gritaria, com medo de um escandalo ele saiu.
Pela manhã após o café saímos praticamente sem se despedir de ninguém, durante a viagem ouvi todos seus argumentos para continuarmos juntos, mas fui irredutível.
Naquela noite recebi a visita de Thiago, tentei a todo custo explicar que só queria aventuras ainda mais com ele por ser tão novo.
Parecendo conformado na hora de ir embora o safado decidiu tirar umas casquinhas e eu mais uma vez cedi, nos meios dos beijos aqueles passa passa de mãos, acabei mais uma vez me entregando a ele, que me fudeu violentamente no chão da sala me colocando em um franguinho assado me penetrando fundo arrancando gemidos altos de prazer!
Assim que gozei segundos depois minha campanhia tocou insistentemente, me enrolei em uma toalha e olhei pelo olho mágico era meu ex namorado policial pedi para Thiago se vestir rápido e sair pela cozinha, me despedi com um beijo e mostrei a ele por que não poderiamos ficar juntos mostrando que seria complicado a família aceitar e que era melhor apenas termos encontros casuais.
Abri a porta da sala e meu ex entrou e perguntou sobre o sobrinho, tentei dizer que estava sozinha em casa mas ele disse ter ouvido toda nossa conversa inclusive ouviu nossa transa e a forma que eu gemia coisa que nunca havia feito com ele.
Discutimos a relação até quase o dia amanhecer e finalmente consegui mostrar para ele que era impossível existir uma relação entre nós.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.