"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Marcelo & Sonia 04 - Fudida em Casa


autor: MarceloDias
publicado em: 20/05/16
categoria: traição
leituras: 3308
ver notas


Marcelo & Sonia 04 – Fudida em Casa

Tudo aconteceu exatamente do jeito que está sendo contado.

Sonia e Edir foram para o nosso quarto, acompanhados de Gerci, eu fui logo atrás. Quando entrei no quarto, minha esposa estava abraçada com Edir, eles se beijavam na boca e ela correspondia ao beijo. Edir segurava o bundão dela com as duas mãos, apertando com força. O pauzão dele continuava duro. Fiquei parado na porta olhando, Gerci sentou numa poltrona do lado da nossa cama e ficou olhando os dois junto comigo.

Sonia e ele se beijavam com paixão, ele prendia os lábios grossos dela na boca e chupava apertando a bunda dela com vontade. Ela gemia se esfregando na rola dele. Dava para ver que ela tinha perdido completamente o controle e se entregava toda as caricias dele, permitindo que ele pegasse do jeito que quisesse no seu rabão enorme. O corpão dela deixava ele doido. Ela me olhou e sorriu abraçada ao corpo dele, segurando a pica grossa. Edir a empurrou para cama, Sonia deitou e ele abriu as pernas dela e colocou o rosto no meio das pernas de Sonia, sua boca procurou a boceta, ele chupou com vontade, Sonia gemeu alto, se abrindo toda, sua boca devorou a boceta, ele chupava com força, deixando ela fora de si. Ela segurava na cabeça dele e se esfregava na boca dele.

Eu tinha tirado minha roupa e me masturbava só de cueca. Edir parou de chupar e montou nela, o pau dele estava enorme, ele encostou o pau na boceta e foi botando aquela coisa enorme. Sonia gemeu toda aberta se agarrando nele, bota devagar, pediu. Eu fiquei atrás deles olhando, dava para ver o cabeção forçando os lábios grossos da boceta da minha esposa. Insistindo, querendo entrar. Sonia gemeu alto quando a pica entrou. Devagar, ela implorou quase sem voz. Ele não ligou, foi empurrando, forçando, invadindo a boceta dela. Edir sabia que ela queria pica.

Sonia se agarrou nele, gemendo descontrolada, Edir tinha enfiado metade do pau na boceta dela. Dava para ver a pica grossa cravada na boceta. Aaiiii aiiai ai aiai que pau enorme, ai ai minha boceta. ai Edir ai ai porra, tá me rasgando toda…ai…ele foi se agarrando nela como um polvo e metendo, sem ligar para os gemidos dela. Sua boca procurou a dela, Sonia correspondeu ao beijo, se entregando toda. Ele aproveitou e cravou o pau todo na boceta até o talo, Sonia chorou, gemeu desesperada aguentando o caralho enorme. Ela agüentou tudo gemendo de um jeito sofrido.

Por trás eu via o pau exagerado daquele homem enterrado na boceta dela. Os lábios da boceta estavam abertos, arreganhados pela pica. Ele bombava a boceta da minha mulher com força, fudendo ela sem pena. Fui até ao lado da cama e beijei o rosto dela, ela me olhou e gemeu manhosa, aai Marcelo ele ta botando tudo na minha boceta amor, ta me abrindo toda, aaaaaiii puta que pariu aai minha boceta, que pau enorme. Dói mais é gostoso. Ela disse. Me beijando na boca. Você queria dar para ele não queria, provoquei, queria amor, eu estou doida pelo pauzão dele. Ela disse, Edir me olhou metendo com força, queria que eu visse que ele estava fudendo a boceta da minha esposa, metendo tudo, comendo ela, deixando ela doida pela pica dele.

Eu e Sonia nos beijamos, ele continuava castigando a boceta dela, ela me olhou, gemendo, aaaiiii amor, ele tá enfiando tudo na minha boceta, eu vou gozar, aaai minha boceta, eu não aguento, eu to gozando, o corpo dela tremeu todo, ela se agarrou no pescoço dele com o pau todo na boceta, ele continuou metendo, enfiando o pau nela, comendo o bocetão da minha mulher. Ela continuou abraçada nele, levando pau, Gerci olhava a foda dos dois, ela sorriu pra mim, viu como ela adora uma pica, não falei que ela aguentava o pau dele.

Edir continuava metendo com vontade nela, minha esposa gemia de um jeito sofrido, mas eu vi que a boceta dela já aceitava melhor o pau dele. Ele metia com força, botando tudo nela, ela começou a choramingar, gemendo, já pedia para ele botar tudo nela, aai mete tudo, mete, maltrata minha boceta você já me estourou toda, bota tudo na minha boceta. Você já me comeu, enfia Edir..aaaaiiii. Ela gozou outra vez de um jeito ainda mais forte, ficaram na cama abraçados ele metendo. Enfiando, comendo a boceta, quanto mais Sonia gemia mais ele metia, Edir começou a gemer e gozou com o pau atolado na boceta dela. Ele desabou em cima dela, quando tirou o cacetão da boceta, a porra começou a escorrer. Ele esfregou o pau na boceta, Sonia beijou ele na boca de um jeito apaixonado, os dois se beijaram demoradamente, Sonia acariciava as costas dele.

Vi que Gerci olhou para eles de um jeito estranho, achei que tinha ficado enciumada, vendo minha esposa cheia de carinho com ele. Naquela hora minha esposa só tinha olhos para o Edir, Gerci sentou na cama do lado deles e beijou Sonia na boca ela correspondeu ao beijo da amiga, abraçada ao corpo do novo macho dela e mal acabou de beijar Gerci beijou Edir de novo, segurando no pau dele que estava amolecido, mas mesmo mole era muito grande. Ficamos ali esperando eles se recuperarem, Sonia ficou abraçada nele, sua boca procurava a dele.

Gerci fez ela parar de beijar ele. Levantamos e fomos para a sala. Sonia e Gerci colocaram um lanche e comemos juntos, Sonia ficou sentada no colo de Edir, você é gostoso demais Edir, sabe comer uma mulher, eu adorei o jeito que você me comeu. Sonia disse, beijando e acariciando Edir na nossa frente. Eu percebi que Gerci não estava gostando daquilo, ela estava calada e não falou nada. Eu aproveitei que Edir foi no banheiro e Sonia foi à cozinha, e perguntei para ela, por que você esta assim? Assim como? Assim calada, parece que não esta curtindo! Você queria o que, tua mulher nem liga para mim. Ela disse. Nós chamamos ele aqui para comer ela, deixa ela aproveitar Gerci. Ela não precisa esquecer nos dois. Eu acho uma sacanagem ela fazer isso comigo e com você.

Gerci estava acostumada a ter toda a atenção de Sonia, ela enchia Gerci de dengos e fazia tudo que a amiga queria e agora a amiga não tinha gostado de ver ela enchendo aquele homem de carinho. Gerci, quando Sonia voltou da cozinha, falou que ia em casa e depois voltava, minha esposa insistiu para ela ficar mais ela disse para minha esposa, você não precisa de mim, quando você estiver sozinha você me procura e saiu deixando minha esposa falando sozinha. Edir pegou o final da cena e me olhou, o que foi Marcelo. Nada, Edir a Gerci ficou com ciúme de você com a Sonia. Falei. Não acredito, ela que me chamou, que coisa, parece criança, você que tinha que ficar com ciúme, aceitou tudo numa boa. Ficamos conversando, aquilo deixou minha esposa perturbada, eu achei que Gerci ia voltar, mas o tempo passou, ficamos na sala conversando e nada dela voltar, depois de algum tempo esperando, subi com Edir até ao apartamento dela, tocamos e ninguém atendeu. Insistimos e nada, desci com ele até à portaria e perguntei ao porteiro se ela tinha saído, ele falou que ela desceu com uma mala e pegou um táxi na porta do prédio.

Subimos e contamos pra Sonia que ficou aborrecida com a atitude dela. Só então, Sonia me contou na frente do Edir que Gerci ficava se declarando para ela, dizendo que era apaixonada por ela e ficava perguntando se ela se separasse de mim, se ela aceitaria viver com ela, Sonia falou que não ia se separar de mim, que não queria acabar com o casamento dela. Edir falou que não queria causar problemas, que veio porque achou que seria bom para todos, que conhecia Gerci a muito tempo e ela sempre foi temperamental. Só então entendi porque aquilo tudo tinha acontecido, minha esposa continuava nua, tinha colocado só uma calcinha rosa bem pequena enterrada na bunda, ela me beijou na boca, fiquei puta com a Gerci. Se ela pensa que vai estragar tudo, amor, está enganada, vamos continuar sem ela, quero mais que ela se foda, disse abraçando Edir e beijando ele na boca. Ele correspondeu, por mim, eu quero continuar comendo a tua esposa Marcelo. Ele disse me abraçando. Eu quero ver mais Edir.

Ficamos rindo e Sonia se abraçou a nós, segurando o pau de Edir por cima da calça. Beijando o rosto dele, você castigou a minha boceta Edir, ela ta ardendo ainda. Ele sorriu, segurando no bundão dela. Eu sei que castiguei princesa, mas você estava doida para ser castigada e eu vou querer comer de novo, você vai ter que agüentar. Ela sorriu safada pra nós e disse: Eu aguento Edir, tua pica enorme me deixou doida para dar a boceta. Pode continuar castigando que eu aguento.

Eu fiquei com Edir na sala conversando, enquanto Sonia foi tomar um banho. Tiramos a roupa e ficamos os dois de cueca. Marcelo a boceta da tua mulher é gostosa para caralho, como ela é apertada cara. Ela deu gostoso. Ele disse. Eu vi que você gostou. Você vai dormir com a gente e vai comer ela a noite toda. Vai poder aproveitar muito o corpão dela. Falei. O meu pau era como você queria? Ele perguntou. Eu sorri, e falei: bem mais do que eu queria, teu pau é enorme, eu achei que ela não fosse agüentar. Ele sorriu. Posso falar uma coisa. Ele disse. Pode. Ri. Você não vai ficar chateado. Eu olhei para ele, eu quero que você se solte Edir, não precisa ficar tímido, se ela deixar pode abusar dela, disse. Ele sorriu. Eu to doido para comer o bundão da tua mulher. Doido mesmo Marcelo, ela tem o rabo grande do jeito que eu gosto. Ele riu sem jeito. Edir eu também quero ver ela dar a bunda para você, quero ver ela agüentar isso tudo no cu. A gente vai fazer ela dar o rabão para você. Ela, desde que casou comigo dá a bunda, eu que tirei o cabaço, sempre gostou de tomar no cu, nunca deu para ninguém só para mim. Mas eu quero ver ela agüentar um pau do calibre do teu. Nós olhamos com cumplicidade.

Na próxima parte vou contar como foi a noite com Edir, quando Edir arrombou o rabão da minha esposa e o fim de semana que Sonia levou ferro direto dele.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.