"Os mais excitantes contos eróticos"

 

1》Churrascada e o Mestiço Forte


autor: Máquina55
publicado em: 20/05/16
categoria: hetero
leituras: 2592
ver notas


Oi! Gente!
Quero contar um casinho que tive numa festinha em um Condomínio de casa de minha prima.

Diga-se de passagem um frio intenso de uma noite de céu limpo. Entretanto foi aquecida pelas brasas da churasqueria que assava um lote de carnes macias para os presentes.

Caminho entre as cumprimentando os presentes mais conhecidos. Vejo o filho de um casal amigos do Mato Grosso que conheço de muito tempo, noto que ele se tornou um homenzarrão aliás um pedaço de bom caminho.

Para uma mulher madura solteira sem nenhum relacionamento, reconheço que tenho um corpão ainda enxuto apesar dos meus 40 anos é sempre um bom motivo para imaginar com um exemplar de tamanha beleza.

Ele deve ter uns 23 anos acompanhado de uma garota na sua faixa de idade. Parece com os pais com a etnia mestica ou mistura de raça branca com indígena. Pense numa cor caramelada.

Passo por eles e o cumprimento já o conheço desde adolescente por conta da família. Ele sorri e me beija no rosto e murmura que sou inesquecível. Seu olhar é penetrante.

Sinto um arrepio não esperava tamanha ousadia dele. Preciso ir na minha casa buscar uns pratos de louça para os presentes, pois da festa a quantidade é insuficiente.

Marília minha prima pede para ele ir comigo de carro. No caminho vai cheios de ousadia, vou permitindo e vendo no que vai dar. Entramos e ele bem solto me encosta na parede e eu sem saída ele me beija e aperta meu corpo todo, fico mole mas tento me desvincular dele. Tarde demais.

Murmura:
- "Era a oportunidade que queria, fica se oferecendo em toda festa está me tentando, com esse corpão."

A excitação me domina, e sem resistência ele levanta minha blusa e solta meu soutien fazendo meus bicos dos peitões saltarem firmes.

Murmura:
- "Era tudo que sonhava chupar nessas mamões suculentos e apetitosos como já te vi de biquíni."

Não perde mais tempo e chupa... chupa eles endurecem e ... lambe urrando e me entrego.

Ele me" rasga" como ninguém na boca faminta e sinto desejo ... quero... gozo. Ele tira sua roupa e eu o resto da minha. Nua ele desce a boca ate o umbigo.

Sussurra:
- "Xoxota na língua a pontinha do grelo, delirava quando passava".

Me deito no chão e ele vem chupa sente meu gosto e tenho sobressaltos ... gemo ... chupa toda ... quero ele também.

Ele me pega nos braços e me leva pro quarto e fazemos um 69 chupando sua pica branquinha ... comprida e potente.

Ele tem pressa e me viro posicionada de quatro e ele vem... vem... encosta ... pincela... a " portinha" da xanona que pisca ... e ele inicia a penetração ... minha xoxota engole seu picão cadenciando... gostosa ... na minha fenda vaginal sem pena e tira e soca me deixando louca... come com fome minha xana e gooozo.

Ele ainda navegando nas minhas profundezas das minhas carnes suculentas e goza.

Não podemos chegar na festa cheirando a sexo, vamos ao banheiro e banho com chupadas e mamadas ... e surra de pica com uma perna pendurada na pia ... ele soca soca e gozamos...

Ele parece uma máquina e eu quero mais e mais .... fico com sua cueca. Murmuro cheirando a cueca:
- "Só entrego se vir buscar."

Ele sorri e me agarra nos beijamos e percebemos que é tarde. Nos trocamos e voltamos para a festa com promessa de no outro dia completar o jogo do amor.


Agradeço a leitura dos seguidores e dos novos leitores. Comentem e Votem.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.