"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Marcelo & Sonia 08 - Comida no Restauran


autor: MarceloDias
publicado em: 20/05/16
categoria: traição
leituras: 5696
ver notas


Marcelo & Sonia 08 – Comida no Restaurante na frente do Marido.

Só depois que Edir voltou para São Paulo, eu e Sonia conversarmos sobre tudo que tinha acontecido. Ela falou que eu era o responsável por tudo que tinha acontecido, disse que jamais teria se permitido aquilo tudo, se eu não tivesse falado que queria ver ela com outro macho. Que adorou eu ter mostrado para ela que uma mulher pode ser diferente e pode sentir prazer sem culpas e sem deixar de amar o marido. Confessou que tinha gostado de dar para outro macho e ser comida na minha frente mexia demais com ela, admitiu que o tamanho do pau dele a deixava doida e com vontade de dar. Falou que não sabia se ia conseguir ser fiel e comportada como era antes. Eu sorri, beijando ela na boca, E você acha que eu quero que você seja comportada. Sonia riu. Falou que ficou muito decepcionada com Gerci. Gostava dela e sentia falta dos carinhos e do jeito que a amiga a pegava na cama. Mas, não queria mais nada com ela. Sabia que Gerci queria estragar o casamento dela para ficar com ela e isso ela não queria.

Gerci depois de tudo que aconteceu mudou do prédio sem falar com minha esposa. Nem se dignou a se despedir de nós. Tinhamos vivido tantos momentos maravilhosos, que achei chato nos afastarmos dessa maneira. Até hoje não sabemos o que fez ela ter aquela atitude e se afastar de forma tão grosseira.

Sonia depois que deu para outro mudou completamente, queria todo dia. Eu tinha que comer ela direto para deixar ela satisfeita. Eu no fundo sabia que ela queria mais. Depois que você experimenta o sexo como ela experimentou, não consegue mais viver sem. Quem já teve esse tipo de experiência sabe do que estou falando.

Alguns dias depois, estávamos na cama e ela falou comigo do restaurante que tínhamos ido com Edir. Amor sabe aquele restaurante que nós fomos? Eu a olhei nos olhos. Você quer voltar lá, não é? Ela sorriu de um jeito safado. Você me conhece mesmo, queria, eles não conhecem a gente, eu gostei da mulher do caixa, o nome dela é Denise. Eu sorri para ela. Eu sei que você gostou, ficou um tempão de papo com ela. Sonia riu. Ela me cantou, sabia? Disse. Não! Conta para mim. Como foi? Pedi. Ela sorriu, conto, eu fiquei sentada bem de frente para ela e ela ficava me olhando, me encarando, me olhando com desejo, o jeito que ela me olhava me deixou atraída e eu correspondi aos olhares dela, ficamos trocando olhares, eu sorria para ela, só não sabia como fazer para falar com ela.

Aproveitei que você estava conversando com o Edir e fui ao banheiro. Quando saí, ela estava sozinha no caixa. Eu parei bem ao lado dela e puxei assunto com ela. Perguntei o nome dela, ela falou e eu disse o meu. Ela perguntou se você era meu marido falei que era. Ela disse que eu era linda. Você também é uma graça, falei para ela. Ela sorriu. Pena que estou com um amigo. Ela me encarou, volta outro dia sozinha. Olhei bem nos olhos dela e disse, vou voltar outro dia com meu marido. Só nós dois para conversar mais com você. Ela colocou a mão no meu braço e ficou acariciando minha mão. Eu deixei, você vem mesmo? Ela perguntou. Venho! Você quer? Perguntei meio que provocando. Ela sorriu. Quero! Você sabe o que eu quero não sabe? Eu sorri para ela. Sei querida, eu sei muito bem o que uma mulher quer, quando me olha do jeito que você me olhou, eu vou dar tudo que você quer. Provoquei. Ela sorriu, vai dar, ela falou me olhando de um jeito safado. Vou disse. Ela acariciou minha mão, vou esperar você voltar, ela disse. Eu vou voltar, falei indo para mesa.

Esse foi o nosso papo. Eu olhei Sonia nos olhos, você sabe que o Lívio, vai querer comer você. Ela riu. Eu sei. Eu vi como ele me olhava. Você quer que eu dê para ele; não quer? Eu a beijei na boca. Quero, você dá? Dou! Você jura que você gosta de me ver ser comida por outro homem. Ela perguntou. Eu nunca pensei que ia gostar disso. Mas, eu gosto, eu fico doido quando vejo você sendo comida, disse. Eu também gosto de dar na tua frente, fico com mais vontade sabendo que você está ali vendo eu ser comida. Nos beijamos cheios de tesão. Vamos lá amanhã de tarde, eu saio mais cedo do trabalho, pego você em casa e nós vamos, de tarde deve estar vazio e é mais discreto. Sonia ficou feliz e cheia de tesão. Eu vi que ela estava doida para voltar lá.

Sonia tinha me confessado que nunca tinha sentido atração por mulher, nunca tinha imaginado se entregar para uma mulher. Mas, depois que conheceu Gerci, passou a sentir desejo por outras mulheres e que a boceta de uma mulher a deixava tão excitada quanto uma pica. Eu sabia que minha esposa não era indiferente a uma mulher, ainda mais se ela fosse madura, gostosa e dominadora. O jeito submisso da minha esposa não resistia ao assédio de uma mulher.

No dia seguinte sai do trabalho às 13 horas, passei em casa e peguei Sonia, ela estava linda, cabelos lisos, maquiada, usava um vestido estampado de alça, bem colorido de tecido fino, justo e curto, marcando o corpão dela. Os quadris largos dela chamavam a atenção. O vestido mostrava como as coxas dela eram grossas e o tamanho exagerado da bunda. Ela usava uma calcinha branca fio dental e uma sandália de salto. Eu estava um pouco apreensivo em voltar naquele lugar, tinha certeza que eles iam comer minha esposa, mas não conhecia nem o dono nem a mulher, apesar deles parecerem ser boas pessoas.

Chegamos ao restaurante, o estacionamento estava vazio sem nenhum carro. Parei bem na entrada e descemos, parecia fechado, entramos e não tinha ninguém. Logo que entramos vimos Denise em pé perto do balcão. Ela era uma coroa muito gostosa. Mais velha que minha esposa, tinha 48 anos. Não era bonita, mas tinha um corpão como o da minha mulher. Os cabelos eram curtos, o rosto largo. Era peituda. Usava um vestido justo acima dos joelhos e tinha uma bunda enorme. Ela olhou quando entramos, abriu um sorriso e veio em nossa direção.

Ela segurou as duas mãos da minha esposa e elas se olharam, não acredito que você veio, Sonia, você está linda, Denise sorriu para mim e beijou minha esposa nos lábios na minha frente. Sonia correspondeu. Ficaram se olhando. Pensei que você não ia voltar. Ela disse. Eu falei que ia voltar. Sonia disse, eu achei que tinha me esquecido. Não esqueci. Não dá para te esquecer, Sonia falou sorrindo para ela. E o Lívio? Perguntei. Está lá dentro, Denise disse, segurando a mão de Sonia. Lívio veio lá de dentro e abriu um sorriso quando nos viu. Olha quem veio nos ver. Denise falou para ele. Lívio apertou minha mão e beijou Sonia no rosto. Você está maravilhosa, querida. Ele disse para Sonia. Ela sorriu, Denise abraçou Sonia beijando ela no rosto. Lívio me olhou e sorriu, a Denise não parava de falar em vocês, estava doida para ver sua esposa. Denise estava abraçada com ela e ficava beijando Sonia. Estava mesmo, eu gostei muito dela, falou me olhando. A Sonia também gostou muito de você, falei para ela. Denise encarou Sonia, Gostou de mim, ela perguntou, gostei, gostei muito, Sonia disse para ela, rindo e oferecendo a boca, Denise a beijou na boca, as duas se beijaram com paixão. Porque você não leva a Sonia lá dentro. Vocês devem ter muito que conversar, Lívio falou indo fechar a porta de entrada.

Denise pegou Sonia pela mão e foi levando ela para dentro. Sonia me olhou e sorriu, vem amor, falou para mim. Lívio colocou a mão no meu ombro. A Denise está doida para comer a tua mulher. Ele falou. Eu sei e a Sonia está doida por ela. As duas foram para dentro do restaurante e fomos atrás. Elas seguiram por um corredor onde havia dois sofás e entraram num quarto no fim do corredor. Era um quarto pequeno só com uma cama de casal baixa. Ficamos olhando da porta. Denise abraçou Sonia beijando ela na boca com a mão no bundão da minha esposa, Sonia se entregou toda ao beijo dela, Denise foi subindo o vestido, pegando nas nádegas grandonas dela, apertando, Sonia gemeu. Lívio olhava do meu lado, segurando o pau por cima da calça, dava para ver o volume, o pau dele era bem grande. Tua esposa é muito gostosa Marcelo, que rabo que ela tem, você gosta de ver ela ser comida, não gosta? Ele perguntou. Gosto, Lívio, eu fico doido, falei. Posso comer, ele pediu. Eu trouxe ela aqui para ela dar. Ela tá querendo pica, falei. Ele sorriu, se é pica que ela quer, eu dou. Ele abriu a calça e botou o pau para fora. Era comprido e bem grosso, tinha 19 cm e era ligeiramente mais grosso que o do Edir.

Denise continuava segurando o bundão de Sonia, o vestido tinha subido todo. Ela beijava Sonia na boca, foi tirando o vestido e deixou Sonia só de calcinha, a calcinha era pequena e entrava toda na bunda. Mostrando as nádegas volumosas. Denise tirou a calcinha dela, deixando minha esposa sem nada, Sonia tirou o vestido de Denise, ela estava sem calcinha e ficou nua na nossa frente. Era grandona, peituda e tinha a boceta avantajada e a bunda grande e empinada. As duas se abraçaram, as bocetas se encostaram, Denise beijou os seios de Sonia e colocou o mamilo todo na boca, mamando de um jeito forte, fazendo Sonia gemer alto. Ela segurava a bunda de Sonia, abrindo as nádegas grandonas e acariciando o cu, Sonia empinou o bundão, deixando-a acariciar. Se entregando as caricias dela.

Denise acariciou a boceta de Sonia, sentindo como a boceta estava encharcada, Sonia abriu as coxas, facilitando ela pegar na boceta. Aiii Denise que mão gostosa, eu fico doida assim. Denise largou o peitão dela e beijou os lábios de Sonia. Fica doida, gosta de carinho na boceta. Ela provocou gosto, pega na minha boceta, minha esposa implorou. Denise enfiou a mão de novo na boceta, Sonia gemeu e apertou as coxas prendendo a mão dela. Denise a beijou. Sonia colocou a mão no meio das pernas dela, acariciando a boceta. Denise gemeu. Sonia ajoelhou e encostou o rosto na boceta, esfregando a cara no bocetão. Denise segurou nos cabelos dela e enterrou a cara da minha esposa na boceta. Aaaaaiiii que boca maravilhosa. Chupa gostosa, que boca quente, chupa ela toda. Denise mandava. Eu e Lívio olhávamos da porta. Ele tinha tirado a camisa e a calca ficou só de cueca, se masturbando. O pau estava duro e inchado. Sonia ficou de joelhos abraçada nas coxas da mulher chupando a boceta dela. Denise a segurava pelos cabelos esfregando a boceta na boca.

Eu fui tirando a minha roupa e largando no chão, meu pau estava duro, Lívio do meu lado masturbava o pauzão grosso, tinha uma senhora rola. Ele me olhou e encostou o pau no meu, segurei a pica e senti na mão como era grosso. Masturbei o pau, eu vou meter isso tudo nela, ele me deixou na porta olhando e se aproximou das duas mulheres, parou do lado delas com o pau duro e ficou com a pica próxima do rosto da minha esposa, Sonia parou de chupar a boceta de Denise e ficou olhando fascinada para o pau dele e depois olhou para cima, ele encarou ela, masturbando o pau, Sonia não resistiu e beijou o pauzão, esfregando os lábios, Denise segurava os cabelos dela e forçou a cabeça. Chupa o pauzão, mandou, ela abriu os lábios grossos e foi engolindo a pica, Lívio tomou o lugar de Denise e segurou a cabeça dela, enterrando a pica grossa na boca da minha esposa, fodendo aquela boquinha linda.

Sonia mamava a rola, engolindo quase tudo. Babando e fazendo barulho quando chupava, a saliva escorria, Lívio enterrava o pau todo na boca de Sonia, segurando a cabeça dela. Ela, às vezes, engasgava, mas continuava chupando. Ele me olhou parado na porta e me chamou, fui até eles, Olha como ela chupa Marcelo, ele disse. Fiquei olhando. Ele tirou o pau da boca de Sonia, ela olhou para mim e beijou a pica. Lívio me olhou, pega na pica e bota na boca da tua mulher. Eu segurei a pica grossa e levei até a boca de Sonia, ela beijou minha mão e abocanhou o pau com vontade, chupou de um jeito desesperado. Lívio segurou a cabeça dela e fodeu a sua boca, como se fosse uma boceta. Sonia engasgou. Ele meteu de novo, obrigando ela a chupar. Denise passou a ajudar na chupada, pegava no pau e colocava na boca de Sonia, incentivando ela a chupar. Minha esposa obedecia, mamando o caralho grosso dele.

Lívio a fez levantar e beijou Sonia na boca, ela abraçou o pescoço dele encostando a boceta na pica e correspondeu ao beijo dele. Ele segurava o rabão dela com as duas mãos, apertando as nádegas grandonas. Sonia não parava de beijar os lábios dele, eu via a língua dele invadir a boca de minha esposa e as línguas se esfregando. Ele a empurrou para cama e a fez deitar-se de costas, suas mãos fortes abriram as coxas grossas dela, deixando ela toda aberta, ele montou nela, ela estava querendo, se abraçou ao pescoço dele, a pica dura encostou no bocetão e foi entrando. Sonia gemeu sentindo a grossura do pau, Lívio foi metendo tudo, cravando o pau todo na boceta da minha esposa, ela gemia de um jeito manhoso, ele se agarrou no pescoço dela e foi metendo com força na boceta, metia com brutalidade, castigando a boceta dela.

Eu e Denise ficamos olhando. Sonia passou a gemer de um jeito desesperado, eu escutava o barulho do corpo dele batendo no da minha esposa. A pica entrava e saia. Ele era bruto demais! Sonia aceitou, se agarrava no corpo dele falando completamente descontrolada. Aaai me fode Lívio, eu quero pica. Aaai...porra, você é bruto, não tem pena da minha boceta mete gostoso. Mete na minha boceta, castiga minha boceta, castiga, me fode, aaaaiiiiii aí que pau grosso que tu tens. Lívio tirou a pica, estava muito dura, ele me olhou, vem Marcelo bota a pica na boceta dela. Eu me abaixei, segurei o pau e guiei a vara grossa para a boceta, estava vermelha e aberta de tanto levar pau. O pau entrou fácil na boceta dela, ele voltou a castigar o bocetão dela. Metendo com força, minha esposa passou a gemer cada vez mais alto, falando que ia gozar, pedindo pau. Seu corpo tremeu todo com a pica enterrada na boceta e ela gozou agarrada no corpo dele. Ele continuou metendo forte, era bruto, socava com muita força, dava para escutar o barulho da pica fodendo a boceta dela, Sonia começou a gemer alto, fora de si e gozou de novo, levando pica na boceta.

Lívio a soltou, o pau continuava duro, Denise deitou na cama beijando-a na boca e sua boca desceu procurando a boceta. Sonia abriu as pernas e Denise chupou a boceta fodida dela. Lívio ficou olhando, masturbando o pau do meu lado. Ele saiu do quarto deixando Denise chupar a boceta de Sonia, voltou trazendo um tubo de creme e ficou passando no pau. Eu sabia o que aquilo significava. Ele queria o rabão da minha esposa. Ele era decidido e fez Denise parar de chupar e pegou Sonia pelo braço e fez ela levantar. Deu o tubo para Denise, fazendo Sonia virar o bundão para ela. Eu abri as nádegas grandonas dela e Denise foi passando creme no cu. Seu dedo entrava todo no cu, Sonia me olhou assustada gemendo, dava para ver o desejo no seu olhar, ela estava excitada, deixa, falei, acariciando os cabelos dela. Denise colocou dois dedos no cu, encharcando o buraco de creme.

Lívio fez ela ajoelhar na cama com as coxas abertas e o rabão empinado. Denise abriu as nádegas dela, ele me olhou e eu entendi. Segurei a pica e coloquei na entrada do cu. Sonia me olhou, ele encostou o pau e forçou. O cu resistiu mais se abriu. Ele foi metendo o pau grosso no rabão da minha esposa. Sonia chorou mais aguentou o pau todo na bunda. Eu via a pica grossona dele entrar toda. Ele meteu sem pena. Com força; o jeito bruto dele meter deixava Sonia doida. Ela chorava, mas deixava! Aguentava tudo na bunda. Aaai amor ele tá me rasgando toda, ela falou me olhando excitada. Lívio enfiava com força, comendo para valer a bunda dela, Ele cravava a pica grossa até o cabo, deixando Sonia desesperada. Ela chorava baixinho, ele tirava o pau para me mostrar como o cu dela estava largo. Ele forçava e o cuzão dela se abria todo engolindo o pirocão grosso dele. Sonia deu o rabão para ele chorando. Ela acabou deitando de bruços com ele em cima dela comendo o cu. Sonia gozou com a pica toda no cu. Ele continuou metendo maltratando o rabão dela. Foi uma foda demorada. Sonia gozou de novo, só então Lívio encheu o rabo dela de leite.

Quando ele saiu de cima dela, Denise a beijou na boca e beijou o bundão dela, chupando o cu cheio de leite. Ela se deliciou lambendo o bundão da minha esposa, Sonia gozou de novo sendo chupada por Denise. Lívio me chamou e deixamos Sonia e Denise na cama. Da porta olhei para a cama e vi Sonia deitada toda aberta e Denise chupando a boceta dela, ela gemia, eu e Lívio tomamos uma cerveja nus no sofá em frente a porta do quarto. Ele elogiou Sonia falando que ela era deliciosa e tinha um rabão maravilhoso, ficamos bebendo e conversando, deixando Sonia e Denise sozinhas, eu e Lívio escutávamos o barulho dos tapas que Denise dava em minha esposa e os gemidos sofridos dela, apanhando, eu sabia que Sonia gostava de ser dominada daquele jeito.

Lívio comentou que Denise adorava dominar uma mulher na cama e devia estar castigando o rabão da minha esposa. Ficamos ali bebendo mais de uma hora. Quando voltamos encontramos as duas na cama, Denise estava deitada e Sonia chupava a boceta enorme dela, minha esposa me olhou, estava descabelado, o rosto vermelho, com chupões no pescoço e nos seios e a bunda muito vermelha, mostrava que Denise tinha espancado a bunda dela. Lívio pegou Sonia pelo braço sem dizer nada e fez ela deitar, montando nela, Sonia gemeu quando a vara dura invadiu a boceta. Ele comeu a boceta da minha esposa, metendo forte, Sonia gozou gemendo, ele continuou fodendo ela até gozar, enchendo ela de leite.

Sonia estava acabada, tinha levado ferro a tarde toda. Nos vestimos. Denise foi abraçada com Sonia, até nosso carro. Elas se beijaram na boca. Gostou, Denise perguntou, minha esposa sorriu, você me castigou, Denise riu, eu sei que você gostou e adorou ser minha putinha, estava doida pra levar umas porradas. Minha esposa a beijou na boca. Eu adorei o jeito que você me tratou. Você é maravilhosa, sabe tratar uma mulher. Sonia beijou Lívio e prometeu que ia voltar. Foi a segunda vez que minha mulher deu para outro macho.

Continua....








ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.