"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Sou tua patroa, porra, me obedece!!


autor: LadyLU
publicado em: 23/05/16
categoria: hetero
leituras: 9546
ver notas


-André?


-Oi, dona Lu, pois não??


-Vem aqui dentro, agora!!


-Oi, pois não, tô indo...



Minutos depois o André chegou na sala da minha casa e me encontrou no sofá... com as minhas torneadas pernas aloiradas cruzadas, recém acordada, só de camisolinha em seda rosinha por sobre minha pele dourada, sem sutiã e calcinha por baixo, onde eu mexia em meus lisos e curtos cabelos loiros esbranquiçados num ar de preguiça, toda manhosa e com um certo riso sínico em meu rosto... olhando para ele com meus esverdeados olhos insinuantes e famintos, e ele parado ali em pé na sala e de frente pra mim, trajado de calça social cinza, camiseta colada preta e sapatos sociais... 1 metro e 90 de puro tesão, um negro da pele bem escura, cabeça raspada e lábios grossos, dono de uma barriga saradérrima, um robusto par de bíceps e um peitoral endurecido e sobressaltado na camisa colada, todo gostoso no auge dos seus 26 anos, um legitimo deus do ébano, um puro sangue negro:

-André, quero que tu me faça um favor...


-Às ordens, dona Lu!!


-Desce a calça!!


-Hã???


-Xeu vê teu pau!!


- rsrsrs... Qué isso, dona...


-kkkkkkkk, anda, André... tô mandando... bota essa pica pra fora da calça, vai!!


-Dona Luu... peraê, né assim não, a senhora... rsrsrs, tá maluca?


-Sou tua patroa ou não sou? Anda... mostra esse pau, vai!!


-Dona Lu, se seu pai sabe disso eu tô ferrado!!


-Tu tá vendo o merda do meu pai aqui por acaso, tá?Tu tá vendo a bêbada da minha mãe aqui, tá?Tamo só nós dois aqui, porra!!Tu acha mermo que eu ia pedir pra ver teu pau com a casa cheia de gente?Fala sério!! Anda... tira essa benga pra fora, vai... quero ver!!


-Dona Luuuu... a senhora é de menor... é linda e tal... mas é de menor... não complique as coisas pra mim não, por favor!!


-André, eu posso não ser grandinha na idade, mas tenho total consciência do que eu quero, tá?... Bora, mostra essa pica, vai!!


- Cadê a dona Maria e as meninas? Tão na dispensa? Elas podem aparecer aqui, né, dona Lu?...


-Tem ninguém aqui nãããão, otaariooo... Tu acha mermo que eu ia dar bandeira? Semana santa, meu bem, tão tudo de folga hoje... Tamo só nós aqui... só nós dois... o maconheiro do meu irmão vai passá o dia na casa da baranga dele... Anda... proveita que nós tamo de boa aqui a sós e faz um agrado pra tua patroinha, anda!!


-Doona, Luuu... a senhora... é maluuca...


-André... o papai te contratou pra me servir, poorraa... então? Me sirvaaa... me mostra essa pica, anda, porra!!


-A senhora num vai... num vai falá pra ninguém não, né?


-kkkkkkkkkkkkk, meu deeus do céu, comé qui poodiiirr?? kkkkkkkk... um negão desse tamanhão com medinho de uma menininha de 17 anos? Kkkkkkkkk, puuta qui o pariiu, viu, kkkkkkkk... Anda, viado... me mostra o caralho, poorraa!!


-Noossa... eu não acredito nisso...


-kkkkkkkkkk, tu é muito sonso, né, filho da puuta? Isso é o que tu é, sabia? Um sonso... André, tu acha mermo que eu nunca manjei tu e os outros seguranças da porra dessa casa olhando pro meu rabo uma porrada de vez não?... Dia desses, quando tu foi me buscar na facul, eu tava no banco traseiro de mini saia e perna aberta de propósito pra tu espiá minha calcinha, sabia?... tu pensa mermo que eu não te vi me manjando pelo retrovisor?... até aposto que depois tu deve ter batido uma punheta pra mim, né filho da puuta?...Tu acha mermo que eu sô tão demente que eu nunca manjei tua pica dura pra mim, André? Prestenção, idiota, olha pra mim aqui ó... eu... uma puta de uma novinha cum mó fogo na bucetinha, te dando mó mole numa casona dessas cheia de quartos e sem papai e mamãe por perto e tu prefere pagá de frouxo? Deixa esse respeito pra quando eu tiver na presença do papaizinho, seu idiota... à sós contigo eu num quero respeito não... eu quero é rola... rola na buceeeta, tendeu? Anda... Eu sei que tu me manja e né de hoje... Vem, medroso... mostra essa pica pra mim, anda!!


-Olha... se a senhora quiser eu lhe levo pra um motel agora mesmo... mas aqui num dá, é arriscado!!


-kkkkkkkkk, meeu deeuus que homem maais frooouxooo, kkkkkkkkk... Caraalho, poorra, é tão complicado assim mostrá o pau duro pra mim, é? Tu num me deseja não, porra? André... eu posso pegá o meu celular aqui e chamá qualquer outro segurança lá fora pra vir aqui agora me comer todinha e quantas vezes eu quiser... mas eu escolhi tu... deixa de ser otário... aproveeitaarr...


-Deixa eu primeiro dar uma olhada ali fora, pra ver se os outros caras tão lá no portão mermo, aí eu vou pro carro e espero a senhora, aí eu lhe levo prum motel... tá bem?


- Eu num quero ir pra porra nenhuma, eu quero aqui e agora... Anda, deixa de ser cagão, vai... viado eu sei que tu num é porque eu já te vi uma porrada de vez de pau duro pra mim...


-rsrsrs, puuta que o paariu, rsrsr, tu é safada demais, meniinaa, rsrsrs...


-Ooobaarr, tá começando a me tratar como eu mereeço, rsrsr... é isso aê... melhor ceder do que bancar o otário, né não?...


-Safaadaa!!


-kkkkk safada é doce demais pra mim... capricha mais, vai...


-Filha da puuta...


-Pedi pra me xingar, não a minha mãe, rsrsr, anda...


-Puuuta... cachoorraa... sua pau no cu...


-aaiiimmmrr... putinha e cachorra eu sou sim... agora, pau no cu depende de você, rsrsrs... pois primeiro quero ver essa tua rola, pra ver se ela merece mermo entrá no meu cuu...


-Puuta safaadaa, vem cá, veeeiimmrr...



O negão ali na minha frente de pau duro sobressaltado na calça não aguentando mais veio com tudo pra cima de mim, se jogando em mim ao tempo em que me chupava o pescoço, mas eu o contive empurrando-o com minhas mãos em seu peitoral, falando:


-Ei ei eeei, caalmaarr... saaai, saaii... péra um pouco... fica em pé aí mermo, vai... iiisssooo.... bom meniinoo... me obedece negrinho safaado, rsrssr... deixa eu admirar um pouquinho mais essaaa... esse monstro explodindo na tua calça... fica parado aí, vai...


-A senhora gosta de ver, né?


-Senhora é a tua mãe, filho da puutaa... me xinga de tudo, mas não me chama de senhora... tira a mão da calça, vai... quero ver...


-aaiiimm caraalho, tu me deixa de pau bem duuro, sabiaaarr?


-hhhmmmrr.. finalmente tamo falando a merma língua, rsrsrs... Sabia que eu nunca dei pra um segurança... eee... tu qué saber por que eu te escolhi?


-Por que?...


-Digamos queee... desde o primeiro dia que tu veio trabalhar aqui eu te manjo... Tu lembra daquele dia na piscina, que eu tava com umas amigas?... aí tu chegou pra me dá um recado do papai... aí tu ficou espiando a Veridiana, aquela morena rabuda que tava deitada de bruços na cadeira tomando sol, rsrsrs... André, eu tava sentada perto de ti atendendo o telefone, e eu olhei pra tua calça, nooossaa, kkkkkkk... fiquei impressionada com o tamanho do volume, sabia? kkkkkkk... tu até disfarçou colocando as mãos na frente e se virando, sem notar que eu tinha manjado, rsrsr... aí depois eu fiquei pensaandoo... caralho, será que a pica desse segurança novo é isso tudo mermo? Kkkkkk... Será que todo negão é pauzudo como dizem? Pois é, meu querido... chegou a hora da verdade, rsrsr... Eu tenho mó vontade de sentir uma picona preeeta aquii óóó...



Nesse momento eu descruzei as pernas e fui me arreganhando toda pra ele, onde com meus dedinhos apartei os beiços da minha bucetinha loira raspadinha diante da minha camisola erguida... pra ele ver tudinho, em pé de frente pra mim, enquanto apalpava o pau por sobre a calça de tão maluco... e eu continuei incitando ele falando meio sussurrado e toda manhosa...


-Quero tua picoona preta beem aquii deentroo, óóórr... bem dentro da minha bucetinha loira novinha e apertadinhaaarr... Sabia que a minha buceta é bem apertadinha? Mmmrr?Tu nunca sentiu vontade de meter pica na buceta de uma loirinha não, é?Todo negão tem tara por loirinha, né não?... e não é de hoje que euzinha aqui tô querendo uma oportunidade na porra dessa casa pra ficar a sós contigo, sabia?


-Tu é muito safada mesmo, sabia?


-Me fala, negão... tu já comeu uma loirinha?


-Não... uma branquinha já... mas loirinha não... Caralho, tô muito doido aqui... vô batê uma punheeta...


-Calmaarr... não tira da calça agora... espera... deixa eu ficar olhando o volume assim do jeito que tá...


Eu falava isso enquanto de pernas aberas sentada no sofá masturbava a minha xaninha rosadinha bem devagar pra ele ver...


-Anda, safada, te decide, tu qué que eu mostre ela ou deixe dentro da calça?


-KKKKKKK, calma, porra, eu já te convenci mermo a mostrar... agora eu não tenho pressa nenhuma...


-Rrraaarrr... meu pau tá doendo... quero fuder essa tua buceta novinha, sua cadela gostosa...


-Já ouvi história de que um cacete preto é mais duro que o comum... será? Kkkkk...


-Bem que os caras falam que tu é sem vergonha mermo, sabia?...


-Meu querido... eu amo dar a minha buceta sim... e se eu amo dar a bucetinha, é por minha conta, nenhum filho da puta que fala de mim tem a ver com isso não... e eu tô aqui, agora, louca pra dar ela pra ti porque tu é negão e eu sou louquinha pra sentir uma pica preta me fudendo gostoso... Quero que o teu pau seja o primeiro pau preto a fuder a minha buceeta......... Ó qui ó... olha só... tá vendo, negão?... Comecei a falar safadezas pra ele enquanto eu tocava na buceta massageando ela de todas as formas pra ele ver, inclusive metendo o dedo e repuxando meu grelinho molhadinho: Olha como a danada é rosadinha, ó... toda inchadinha, né? Tá até molhadinha, rsrsr... ela tá babando de vontade de engolir uma picona pretaaarr... Olhaarr... tu tá babando né, negão? Kkkkkkk... Olha bem pra essa buceta novinha, oolhaarr... apertadinhaaa... tá toda molhadinha só de desejar a tua pica preta dentro dela, sabia? Mas primeiro quero que tu caia de boca nela e chupe meu grelinho bem gostooso... depois quero que tu me meta a pica preta e me foda muiitoorr... andaaarr... não me faz esperar que eu vouummmmrrrffrr...


Nossa, o negão veio com tudo pra cima de mim... se ajoelhando no meio, pegando minhas pernas e colocando por sobre seus ombros e caindo de boca na minha buceta...


-aaaaammmmmhhhrrr, iiissuuuurrr.... aaiiiimmmrrr.... iiisso neeegããoommrr... aaiii, chuuupaaarr... mmmmrrr... iiissuuu, chupa gostoso a minha buceeta, vai negãão safaadooorr, chuupaarrr... aaaiiimmmrrr...


-Filha da puuta gostoosaa, aauuummffrr, aaaiii bucetiinha tesuudaarr, mmmrrrr...


-Iiissoo, negãão, mete essa língua gostoosa bem dentro, meeteerr... aaiiimmrr... aaii, poorra, que booca nervoosaaarrr, chuuuupa, meu negão, chuuupaaarrr, aaaaaaiiimmmrrr...


O filho da puta chupava forte meu grelinho, lambia o meio da minha buceta, cuspia, babava nela, enfiava os lábios grossos dele e mamava sem parar, me deixando sentada no sofá toda me contorcendo de tesão e gemendo feito uma gatinha...


-aaaummmrrrr... aaaiii, loirinha da buceeta tesuudaarr, mmmmrrff...


-aaaiii, negããão, vô goozá na tua boooca, poorraaaarr... aaaarrraaaammmmrr...


-mmmrrr.... rrrmmmffrr.... mmmmfffrrr... deliiciaaarr... mmmmffrrr... toda molhaadiinhaarr... buceeta delicioosaarr, aauummfffrr...


Gozei tão forte que tremi a minha bucetinha loira na bocarra do meu negão guloso, deixando os beiços dele brilhosos de tão ensebados...


-rrrrmmmmrrr... beebiiirr, rraauuummmrr... bebe o melziinho da minha xerecoona, seu poorraa, vaaiiimmrr... aaaiii, goozaada do caraalhooorr, mmmmmrrr... rrraaammmrr... aaiii, doeu até minhas peernaaarr, rrraaaiiimmmrrr... chuupa, neegããoo, chuupa meu buceetão looiro, chuupaaarrr... mmmrrr...


-aaaiiimmmrr, noviinha gostoosaarr, mmmrrr...


Daí eu empurrei a cara dele de entre as minhas pernas, fui sentando e disse:


-Levaanta, levaantaarr... me moostra esse picão loogo, veeiimmrr, vem, veeiimmmrr... me moostraarr... tira esse cintoorr... aaiiimmmrr, tira a mão, tira tira tiiiraa, eu abro, eu abroo...


Quando enfim abaixei com minhas duas mãos a cueca preta do negão, a pica do safado saltou diante da minha cara ereta, batendo no meu queixo e logo ficando em prontidão diante dos meus olhos... enorme... imensa... nem sei quantos centímetros eram porque não perco tempo lembrando de tamanho de picas, só sei que eu as amo imensas e fico cheia de tesão quando vejo uma... mas essa em particular era a mais perfeita para a minha boa experiência com picas de todos os tamanhos, sendo que a do André, o meu segurança, era a que eu nessa época nutria toda uma curiosidade de ver... e era a mais linda e suculenta rola, dura feito ferro, da cor bem escura parecendo um cacetete e toda cheia de veias irrigadas de sangue de tão estimulada, com a pele abaixada e a cabeçona do tamanho de uma pera, marrom escura e um buraquinho que dava pra eu meter a ponta da minha língua, e por baixo uma sacolona preta de bolas dependuradas e sem pelos nenhum... a pica além de imensa e grossa fazia uma curva para cima... eu aqui punhetava ela delicadamente enquanto admirava e lambia meus beiços de tesão...

... Noooossaaarrr... meeu deeeus do cééuuurr... puutaquiopaariooorrr... eu sabiiaaarrr, eu sabia, eu saabiiaaarr... caraaalho, negãããoo, que cacetão graaandiiirrr... Ooolha iiissuurr... Isso é quié piicaarr, não essas piroquiinha branquela que costuma entrá na minha buceetaarr... aaii Anndreeeerrr, vô esfolá minha buceeta nesse paauu, sabiiaarr?? Aauummmffrrrr...


Segurando o enorme caralho preto do André entre as minhas duas mãos, sentada na beirada do sofá de pernas arreganhadas diante dele em pé de cueca e calça arreadas até os tornozelos, eu abocanhei a cabeça da rola dele e dei-lhe um senhor boquete que o fez gemer e bambear as pernas... eu praticamente estuprei o falo dele com a minha boca de tão louca que eu sou por rolas... e sendo essa uma belíssima rola preta foi que eu fiquei mais esfomeada ainda, boqueteei fazendo barulho com os lábios, lambendo, escorrendo baba pelos cantos da minha boca, entalando ao enfia-la por sobre a minha língua garganta adentro, gorfando tufos de babas, me lambuzando toda enquanto eu destruía essa deliciosa e preta pica grossa...


-Aaaiiiimmmrr, patrooaaarr, que booca gostoosaarr... iissoorr, chuupaaarr... aaarrrr que putinha mais safaaadaaarr... aaiii, caraalho, tu vai arrancá meu paauu, pooorraaarr, aaaarrr...


-Aiiirrr, iisso é que é piicaarr, isso é que é piicaarr... olha só o tamanho dessa cabeeçaarr... mmmmrrr... duuraaarr... grossonaarr.... preetaar, preetaarr, preetaarr... adoooro pica preetaarr... rrraaiiimmmrr... meu deuus, que soonho de piiicaarr... oolha iisssoorr... tooda preetaarr, tooda preetaarr, todinha preta do que jeito que eu imaginaavaarr... aaaiiimmmrr... vem caaarr, aauuummmffrr...


-rrruummmmrrr... vô goozaarrr.... aaauuu, poorraaarr... chuupa devagaarr, cachoorraaarr...


-mmmrrrr, raauuummmffrrr... shhhuupss, shhhsspss... aauummmgggfffrrr... mmmrrffrr... sshhpss...


De tanto eu punhetar a picona dele com minhas duas mãos ao mesmo tempo em que fazia a sucção da cabeçona com meus lábios, ele não aguentou e encheu a minha boca todinha com um jato de porra bem quente e espesso que bateu até na minha garganta de tão explosivo esguicho...


-aaaaiii, tô goozaaammmmm... aaaammmmrrr... aaaiiiimmmrrr.. rrraaaaarrr...


-Deliiciiaaarrr, rraaammmrr... deliiciiaaarr... mmmrr... é a poorra mais gostoosa que eu já bebiiirr... aaii, queeero mais poorra dessa piicaarr... eu queeruuurr... gooza, gooza, gooza, neegããoommmmrr...



Ele tava bambeando das pernas quase caindo com o estrondo do gozo do boquete, mas tirou o restante da roupa, me mostrando aquele físico escultural e viril, todo preto escuro, durinho e sarado, com o obliquo rasgado e a benga enorme e babada incrivelmente em riste apontada pra mim e veio pra mim de vez...


-Vem cá, veem, cachoorrraaarr... Aanda, fiilha da puutaarr... tu vai levá na buceeta agooraarr... tu queria a roola do negãão, neera, patricinha filha da puutaa? Então vai levaaarr...


Ele veio me montando e rasgou a minha camisolinha ao meio, daí caiu de boca nos meus peitos loiros, jogando seu corpo negro avantajado por sobre o meu, entre as minhas pernas que se arreganharam todas para ele... eu deitada no sofá e ele me fuçando entre mamadas em meus peitos excitados, chupadas em meu pescoço e lambidas em meu rosto junto a beijos chupados na minha boca...


- rraaammmrrr... iiissuurr, neegããoorr... me devooraarr... me foode, veeeiimmrr...


-Caaala booca, filha da puuta gostoosa, eu vô te cumer do jeeito que eu queeero, poorraaarr!!


-aaaiii, o negão tá valeente, ééérr? Mmmrr? Então veeiimmrr, filho da puutaarr, me soooca essa rola preeeta na buceeta, caraalhooorr... me coomiirr... veeiimmrr que a minha buceeta tá louquiinha pra prová dessa picoona preetaaarr... iiissuuurr, me arreegaaanhaarrr, me fooodiirr... aaiiimmmrr, aaaiimmmrrr, entrooooorrr, aaiaiaiaiiimmmmrr... Puuuta quee oo paaaariiiiuurrr, que pau gostooosuuurrr...


Eu, aqui, todinha arreganhada pra ele, senti a benga preta dura dele rasgando a minha xerequinha loira ao entrar como se quebrasse o meu cabaço, e olha que eu nem era mais virgem, pois desde muito mais novinha fui sexualmente ativa, só que nada tão grosso e duro havia fudido a minha xotinha novinha como essa picona preta gostosa... nossa, foi delicioso sentir aquela vara grossa e comprida me alargando as molhadas paredes vaginais, me dilatando... eu tremi a buceta enquanto ele mexia a virilha dele impulsionando sua rolona todinha dentro de mim e aos poucos me dando socadas...


-aaiii, caraalhooorr, buceeta apertaadaaarr... aaammmrrr...


Depois de toda dentro, ele ergueu seu escuro corpo delicioso por sobre mim e apoiando-se no sofá aos meus lados, ficou me olhando de cima e começou a me ritmar uma batida de virilha entre as minhas pernas que começou na velocidade 1 e em pouco tempo foi pra velocidade 5... sacudindo descontroladamente comigo deitada debaixo dele enquanto eu sofria de tesão e prazer a cada socada dessa pica dentro de mim...


-iiissuu neegããooorrr, iiissuuur, negããooorr, não paaraarrr, não paaraaarr... fooode a buceeta da loiriinha foodiirr, fooode a buceeta da loiriinha fooodiiirr... aarregaaça a buceeta da loiriinhaaarr, aarregaaça a buceeta da loiriinhaaarr, aarregaaça a buceeta da loiriinhaaa vaaiiimmrrr, vaaaiimmmrr, vaaaiiimmmrrr... aaaarrr, aaaarrr, aaarrr, aaaarrr... aaaiii paauu gostooso, paauu gostooso, paauu gostoooosooooorrr...


-aaaaarrrr.. aaaiii, safaaada da buceta gostoosaaarr... aaiii, minha piicaarr... aaarr...


- vaaaiiiirr, não paraaar, fiilho da puutaaarr, não paaraar, vaaiirr... me mete piiica neegããoo, anndaaarrr... me mete essa pica preeta que eu gooostuuurr, aaaarrrr... Não paaraarr, não paaraarr... veeiimmrr, andaarrr, marteela minha bucetinha loiriinha, veeiimmrr... aaaarrrr, iiissuuurrr... aaiii negão da vaara tesuuudaarrr...


-Caaachoorrraaarr, aaammmrr, aaaammmrr, tooma, poorraa, tooomaaarr, é pica preeta na buceta que tu qué, né, cachoorra, pois toomaarrr...


-aaiii, fiilho da puutaa, tô gozaando no teu paaau pooorrraaaarrr... mmmmrrr...



Eu estava inconsciente enquanto sentia o orgasmo tomando de conta de mim por completo ao mesmo tempo em que sofria com a trepidação do negro descontrolado me fudendo entre as pernas... como se estivesse ligado na tomada, cheio de energia... de pica dura feito ferro me esfolando a buceta...


-rrraaiiimmm buceeta gostoosa de metê piiicaaarr, rrrrrmmmmrrr...



Tive que em meio as sacudidas que eu tomava sem parar propor uma posição diferente ao menos para ele parar de me socar tão forte que eu já estava quase sangrando na buceta tamanha a surra de pica que eu levava com força...


-Deita, deita, deita, negão, que eu quero cavalgá nessa benga, vaaiiirr...


-aaiii, safaaadiinhaarrr... que corpo liindo tu tem, sua vadiiiaarr... olha esses peituuss... noossaarr...


Ele saiu de entre as minhas pernas, porém me laçou ao meio com seus fortes braços me puxando de encontro a ele e foi deitando de costas e eu indo pra cima dele, ficando montada nele...


-Deita, poorraa... cala boca que a minha xana gulosa qué fazer essa vara preta sumir toodinha... aaaiiimmmrrr... seente a minha buceeta, filho da puuta, seentiiirr... aaiiimmmrrr... aaaiii, caraalho, como é booom botá essa pica pra deentrooorr... aaiiiimmmmrrr... arregaaaça buceta safaadaarrr, aaaaammmmmmrr...


Eu aqui em cima dele dei-lhe aquela bela cavalgada onde eu galopei na picona preta dele indo para frente e para trás, erguendo a minha bunda e sentando gostoso, fazendo a rola dele entrar e descer dentro da minha molhada xota sem sair de dentro...


-eeeita noviiinha da buceeta apertaaadaarr... aaiii, meu paauuurr, mmmmrrr...


-aaiii, neegão, te prepaara que eu vou envergar essa vara de tanto que eu vou dá suurra de buceeta neelaarr... aaassiimmmmrrr... aaarrraaammmmrrr... aaaammmrr... aaaammmmrrr... aaarrrr, aaaarrrr, aaarrrr... aaaii roola gostooosaaarr, deliiciaaarrr, aaarrr, aaaarrr, aaarrrr... aaiii que sooonho de roolaaarrr, aaarrrr, rrrraaammmrrr... ooouummmrrr... aaai aaii aaaiiiimmmrrr...


Ele então me segurou ao meio e me puxou, onde aqui montada nele eu colei meus peitos no peitoral dele enquanto ele mexeu aceleradamente os quadris dele me dando uma foda violenta de baixo pra cima, fazendo um imenso barulho de rola socando buceta misturado ao meus gemidos descontrolados...


-aaaiii, filho da puutaa, tô goozaaaaannnndooooorrrr... aaaarrrrrmmmmrrr...


A essa altura estávamos cansados já, molhados de suor, mas ainda loucos pra fuder ainda mais... principalmente eu, que estava aqui provando da minha primeira pica preta... e estava uma delicia, melhor do que eu pude imaginar... fiquei cavalgando nele por mais alguns minutos enquanto falava as mais loucas putarias pra ele e passava minhas mãos no peitoral negro e suado dele... no abdômen rasgado dele... galopando, galopando, sentindo a pica deslizando pra cima e pra baixo dentro da minha xota latejando completamente dormente e molhada...


-Filha da puuta vaadiia, eu sempre quis te coomer, sabiaarr?? Mas nunca pensei que tu quisesse da pro negão aquiiirr... noossaarr... nem acrediito que isso ta se realizandooorr... aaaiiimmrr... tu é delicioosa, sua gostooosa do caraalhoorr...


-Cala booca, neegroo... sente a bucetinha da loirinha, vaaiiimmrr... sente no pau a minha bucetinha tooda molhadiinha, seentiirr... mmmmrr... aaiimmmrr... aaiii como é bom cavalgar numa benga preetaarr... aaiiimmmrrr deliiciiaaarr... aaiimmmrr... aaiiimmmrrr... aaiiimmrr... aaiii minha xoootaaarr...


-Deixa eu meter no teu cuzinho, sua putinha, deiixaarr??


-rsrsr, safaadooorr... só porque eu te dei a bucetinha, tu já qué meu cuzinho, éérr?? Pensa que é só pedir e eu libero, éérr??


-Mas tu falou que queria sentir o meu pau no cu, sua cachoorraa...


-Só libero o cu se tu me prová que essa pica não vai brochar, seu puutoorr... me come mais, muito mais que eu te dô de presente o cuzinho... mas antes me faz gozá mais, vem...



Ele daí me empurrou para trás onde eu saí de cima dele e ele foi saindo do sofá e em pé ele me pegou de supetão pelas pernas e me virou de bruços, caindo em seguida de boca no meio da minha bunda loira e chupando gostoso o meu cu com tanta gulodice que eu gemi agoniada ao sentir a língua dele todinha sendo socada no meu buraquinho rosadinho... nossa, estava uma delícia isso, era praticamente a melhor forma de me convencer a dar o cu pra ele... mas nem precisava tanto, porque louca por anal como eu sou, claro que eu iria querer provar daquela benga preta fudendo meu furinho safado... afinal, meu cu sempre pede rola, ainda mais se ela for uma delícia como essa do André...


-Joga essa bunda pra cá, anda, safada!!


-Assim tá bom?


-Mais, empina mais... abre as pernas... empina, vai!!


-Assim, safaadoo? Tá bom assim, táarr? Tu gosta da minha bunda?


-Gosto, sua vadiiaarr... noossaarr... linda, linda, lindaarr... nossa, sempre quis ver esse rabo loiro assim... de quaatroorr... coisa mais tesuuda do papaaii... aaarrr... olha que cuzinho mais liindo... mmmmrr...


-Olha meu cuzinho piscando pra ti, oolhaarr... ele tá chamando piica, sabiaarr?? O bichinho tá louquinho pra ser atolado com essa tua picoona preetaarr... iiissuuurr... mmmrrr... iissuurr... esfrega essa cabeçona no meu cu gulooso, esfreegaarr... aaiimmrrr... aaiii rooola gostoosaaarrr... mete logo, meeetiirr... aaiii vontade da poorra de tomá no cuuurrr... mete, negããoo, encaceta meu cuuurr, vaaiiimmmrr...



Ele estava louco e excitadamente empolgado em me ver aceitar dar o cu dessa forma tão tarada, sem medo nenhum de sentir dor... Assim ele segurou na minha anca enquanto segurava o próprio pau com a outra mão e esfregava a sua cabeça preta nas minhas piscantes preguinhas, diante do meu rabo loiro de quatro pra ele, cheio de peluginhas aloiradas nas minhas redondas nádegas, e ele foi empurrando a cabeça do pau no meu buraquinho, empurrando, empurrando... e eu de quatro no sofá já me arrepiando diante da delicia de sentir a vara dele entrando, entrando... até que eu gemi de tesão ao sentir tudinho dentro... e ele mais louco ainda por estar comendo a minha bunda delirou, me pegando pelas ancas e começando a dar socadas de pica no meu cu...


-aaaiiii deliiciiaaarrr, aaiiii deliiiciiiaarrr...aaaaiiimmrr, aaaiiimmrr, aaaaiiimmrr, não paaraaarr, não paraaarrr, sooca rola no cu da ninfetiiinha, sooca negão, sooocaarrr... rrraaaammmmrr... rrraaarr, rrrraaaarrr, rrraaaarrr... aaiii, caaraalho, tu vai arrombá meu cu com essa beenga, nego filho da puutaaarrr, rrraaammmrrr, rrraaammmrr, rrraaammmrr...


André estava excitadamente louco e descontrolado currando o meio da bunda dessa novinha safada que aqui vos fala, enquanto de quatro no sofá feito uma cachorra eu sentia minhas pregas arderem com a forçação do grosso pau preto sendo empurrado no meu cu rosadinho... Eu chorava de dor sim, porque dar o cu dói, mas essa dor em mim me causa um prazer tão indescritível que eu mais pareço masoquista por aguentar e em muitos momentos me emocionar mesmo, me emocionar do tipo de me sentir privilegiada por provar algo tão gostoso, enfim, só quem ama dar o cu consegue me entender...


-aaiiimmmrr, vô gozá nesse cuurr, vô goozarr, vô goozarr, aaarrr, aaarrr, aaarrr, aaiii, meu deeus, como é bom comer teu cuu, safada gostoosa, como é boom, como é bom, como é boooouuummrr, aaarrrr...


- aaiiimmm, aaaiimmmrrr, aaaimmmrr, aaauuummmrr, oooommmhhhrr, não paaraarr, não paaraaaarr, não paaraaarr, iiissuurr filho da puutaaarr, me soca rola, soocaarr... aaiiimmrrr, me faz gozá noo cu, neegããoohhrr, vaaiimmrr, iissuuurrr, me faz goozá no cuuu por faavooorrr, aiiiimmmrrr, meu cuu qué goozaaaaarr, aaarrr, aaarrr, aaarrr, deliiciiiaaarrr, iiissuuurr, não paaraaarr, aaarrr, aaarrr, bate nesse rabo safado, baaatiirr, rrraaammrr, rrraaammmrr, iiissuuurr, não tiiraarr, aaiii pauzão gostoosuurr... atoola, negão, atoola esse pauzão toodinho nesse meu cuu safaado atoolaaarrr... atoola que o meu cu gosta é de piicaarrr, meu qué piicaarrr... aaaiiimmmrr, aaaiimmmrr...


-aaarrrraaaarrr... tô gozaaann.... aaarrr...


-Iiiisso, enche o cu da loirinha de poorra, vaaiiimmrr... vaaiiimmmrr... iissuuurr, tira a rola pra tu vê meu cu cuspindo poorra, tiiraarr... mmmmrrr... olhaaarr... mmmrr... tá vendo, negão? Tá vendo quanta poorra cabe no meu cuurr? É lindo o meu cuzinho babando poorra, né? Meu cu tá feliz, sabiiaarr? srsrsr... vem, qué terminá de arrombá o cu da noviinha, quéérr? Vem, andaarr, mete de novo, vai... mete que o meu cu qué ser varado, vaaiiimmrr... iisssuuurr, meeete gostooosinhooorrr... aaiii negão da piica duuuraaarr... mmmmrrr, mmmmrrr... iissuurr, iissuurr, mais foortiirr, mais foortiirr, monta na minha buunda, vem, neegããoorr...aaaammmrr, aaammmrr, aaammmrr...


-aaammmrr, vaadiia, fiilha da puutaarrr, aaaaammmrr...


Não vou aqui contar tudo o que rolou porque vai ficar longo demais, mas eu dei a buceta pro André em pé, com ele me segurando as duas pernas e socando por baixo, eu chupei o cacetão dele mais algumas vezes, ele gozou na minha cara, me deu surra de pica na cara, me currou em pé encostada num móvel, socou no meu cu comigo de ladinho... me meteu a vara preta dele de todas as formas nessa sala... foi delicioso, foi inesquecível por ser a minha primeira vez com um negro, como eu queria e havia planejado desde o momento em que vi esse deus do ébano sendo meu segurança e motorista particular... afinal, qual menininha rica ou dondoca que nunca deu uma com um empregado gostoso ou cafajeste da casa, hein? Eu fiz isso e foi maravilhoso... E depois dessa foda, com nós dois ali na sala, suados e acabados, respirando ofegantes e embriagados de tanto gozar... e enquanto catávamos nossas roupas e nos vestíamos, falamos:


-Noossa, dona Lu... a senhora, quer dizer, você é deliciosa, sabia? Vô te comer muito... todo dia vô te meter vara... pode esperar...


-Êpa, peralá, meu filho... isso se eu quiser, né? Não se esqueça de quem somos... cada um no seu lugar... eu sou a patroa, tendeu?... eu peço pra ser comida quando eeeuu quiser e se eeuu quiser... nem se anime e nem tente nada, porque quem manda na sua pica preta aqui dentro dessa casa sou eu, rsrsr...


___________________________________________________________________




Eu era novinha sim, não se espantem, mas e daí? Pois desde que eu comecei a transar, mesmo que muito precoce, foi porque eu quis e tive minhas motivações para querer... jamais fui pressionada e seduzida por ninguém, jamais fui molestada, eu quem sempre quis e seduzi... Bom, e o André, esse negro tesudo, pauzudo e tudo de bom, ainda hoje é segurança aqui de casa, todos os outros seguranças, ao longo desses anos até hoje, aos meus 22, foram trocados, mas ele não... porque eu pedi pro papai manter ele, alegando confiança e “bons serviços prestados” rsrsrsr... mas taradices e safadezas à parte, o André é um amigão pra qualquer ocasião, e ficamos íntimos sim, ele me diverte, já saímos pro cinema, pra beber umas brejas, ele me dá conselhos, me faz rir, se preocupa comigo, procura saber meus horários e lugares onde vou, sempre me leva e me trás da facul e das baladas, só que nossas fodas foram apenas nessa época minha de 17/18 anos, e depois quando fui crescendo esse sexo inter-racial foi parando porque eu quis e ele acatou... eu parti para outras taras e transas, mas não quer dizer que eu não perdi a tara por picas pretas e nem disse pra ele que eu não queria mais fuder com ele... nada disso, afinal, o cara é delicioso, vigoroso e pauzudo... e claro... é meu empregadinho, rsrsr e eu faço dele o que eu quiser...





Beijos e até uma hora qualquer, e por favor, comentem, ok??






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.