"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Marcelo & Sonia 20 - Submissão 1


autor: MarceloDias
publicado em: 29/05/16
categoria: lésbicas
leituras: 3437
ver notas


Marcelo & Sonia 20 – A Submissão de Sonia 1

No dia seguinte acordei cedo, me vesti e deixei Sonia na cama dormindo, fui à cozinha e Edna já tinha feito o café, usava um vestido bege, fiquei olhando como ela era grande, tinha um corpo que chamava a atenção. Ela me olhou e sorriu. Bom dia Edna, falei me aproximando dela, beijei a no rosto, ela retribuiu. Bom dia, Marcelo. Vi que ela gostou do jeito intimo que eu a tratei. Sentei à mesa e ela me serviu o café. Falei para ela tomar café comigo, ela se serviu e sentou na minha frente, A Sonia ainda esta dormindo, nos estamos muito contentes de você estar aqui em casa, eu quero que você seja amiga dela, ela gostou muito de você. Edna sorriu. Nos já somos amigas, ontem nos saímos juntas e ela foi muito carinhosa comigo. Eu a olhei nos olhos, Ela me contou, nos não temos segredos, Edna. Minha esposa precisa de uma mulher como você, que seja mais que uma amiga, você me entende. Ela sorriu, entendo Marcelo, eu sei o que você esta falando, quero ser mais que uma amiga para vocês. Eu sorri para ela, eu quero que você seja. Acabei o café, me despedi e desci deixando as duas sozinhas em casa. Sabia que Edna tinha entendido o que eu falei.

Sonia acordou logo depois que eu saí, tomou um banho demorado e colocou uma calcinha bem pequena branca, que mal cobria a boceta e entrava toda no bundão exagerado dela, ela saiu do quarto praticamente nua exibindo os seios duros com os bicos grandes excitados. Foi até a cozinha, Edna estava na pia, tinha tirado o vestido depois que eu saí e estava só com uma calcinha bege, Sonia ficou parada na porta, olhando fascinada, o corpo farto dela, ela era toda grande, as costas largas, as coxas muito grossas, a calcinha entrava toda na bunda enorme.

Ela percebeu Sonia parada na porta, Sonia sorriu para ela, ficaram se olhando, Edna olhava o corpo dela. Bom dia, querida. Sonia falou se aproximando e abraçando Edna, beijando ela na boca, Edna beijou os lábios dela de leve, Sonia sentiu a mão quente de Edna segurando sua cintura, ficaram se olhando, Sonia beijou o rosto dela, Edna procurou os lábios grossos de Sonia, as bocas se uniram, Sonia correspondeu ao beijo dela, se beijaram com paixão, Edna esfregava a língua grande e molhada na língua de Sonia, sua boca mordia de leve os lábios de Sonia, que se abraçou ao corpo dela, se encostando toda no corpo dela, as bocetas se esfregaram por cima das calcinhas, Edna segurava o rabo enorme de Sonia, ela sentia as mãos de Edna apertando suas nádegas grandonas, Sonia gemeu nos braços dela, as duas se beijavam com desejo.

Eu estou apaixonada por você, to louca por você, Sonia disse, Edna olhou nos olhos dela, eu sei, você ta doida para me dar a boceta, Edna provocou, estou, Sonia disse, você gosta de mulher, não gosta, Edna perguntou. Gosto, querida, eu amo meu marido. Mas, gosto de mulher. Edna acariciava o bundão dela. O Marcelo falou comigo antes de sair, que você gostou de mim, ele sabe que você gosta de mulher. Sonia a beijou, sabe, meu marido deixa. Ele entende. Edna olhou Sonia nos olhos, eu sou diferente das mulheres que você saiu, Sonia beijou ela, diferente como? Eu sou autoritária, gosto de mandar, gosto de dominar na cama, de ser dona, ela disse, Sonia beijava o rosto dela, Eu sei que você quer uma mulher que bote uma rédea em você e faça você se sentir puta na cama, não é isso que você quer. Sonia beijou os lábios dela, É, eu quero ser puta. eu sinto uma atração louca pelo teu corpo, você mexeu comigo, eu me senti atraída por você quando você veio aqui em casa. Edna sorriu, eu percebi, querida, vi como você ficou me olhando, eu também adorei seu corpo. Você é uma mulher muito fina, linda, gostosa, eu adoro mulher como você. Sonia a beijou, como eu, Sonia perguntou, eu gosto de mulher que tem bunda grande, como você, você tem um rabo enorme, lindo.

Sonia sentiu as mãos de Edna apertando as nádegas grandonas dela, ela pegava com força, Edna deu um tapão forte no rabão dela, o barulho ecoou na cozinha. Aaiiii. Sonia gemeu, Edna deu outro tapão ainda mais forte no bundão dela, aaai Edna. A empregada beijou Sonia na boca, Você gosta de apanhar na bunda, ela perguntou. Gosto, Edna, bate amor, da na minha bunda. Sonia pediu, Edna deu outro tapão, que estremeceu o rabão de Sonia. Ela gemeu e soltou o corpo de Edna se apoiando com as duas mãos na pia, oferecendo o rabão. Edna a segurou pelos cabelos e deu outro tapa violento na bunda dela, Sonia sentiu a bunda estremecer, Edna batia com prazer no rabo enorme dela, Sonia gemia alto a cada tapa firme que recebia na bunda. Edna desceu a calcinha, deixando Sonia nua, abriu as nádegas dela, Sonia sentiu o dedo molhado de saliva acariciar o cu, Edna foi enterrando o dedo todo, tirava e colocava de novo, enlouquecendo Sonia. Ela empinava o bundão para receber o dedo grosso todo no cu. Edna levou a mão dela para trás e fez Sonia enfiar o próprio dedo no cu, Sonia enfiava o dedo todo no cu, olhando para Edna, sentiu o dedo de Edna encostar-se no dela, Sonia sentiu os dois dedos invadindo juntos seu cu. Edna segurava Sonia pelos cabelos, Sonia sentia o cu apertar os dedos. Edna fez Sonia virar e a beijou na boca, acariciando a boceta dela, Sonia sentia a boceta toda na mão dela.

A empregada a levou pelos cabelos para a sala sentou no sofá só de calcinha, a calcinha pequena só tapava a frente da boceta, Edna encarou Sonia, acariciando a boceta, mostrando para Sonia o tamanho exagerado da boceta, viu que Sonia olhava com desejo a boceta dela, olha meu amor como a minha boceta é grande, ela provocou. É linda me deixa louca, Sonia disse. Ela olhava em pé acariciando a própria boceta. Vem chupar minha boceta, você ta doida para sentir meu gosto, Edna mandou, Sonia ajoelhou no meio das pernas dela e esfregou a boca na boceta por cima da calcinha, Edna segurou nos cabelos dela, esfregando a cara na boceta, Sonia tirou a calcinha dela, deixando Edna nua, a boceta dela era enorme, grande, negra e um pouco peluda, Sonia beijou a boceta, esfregando os lábios grossos, Edna enterrou a cara dela na sua flor negra, Sonia mamou o bocetão, chupava com paixão. A boceta melada deixava os lábios de Sonia molhados, ela beijava, esfregando os lábios, colava os lábios na boceta, chupando com força, deixando Edna louca, ela segurou Sonia pelos cabelos e fez Sonia olhar para ela, passou a mão aberta na boca de Sonia, esfregando a palma aberta na boca, Sonia beijou a mão dela de olhos fechados, ela roçava os lábios, Sonia olhou Edna nos olhos, da na minha cara, pediu quase chorando.

Edna deu um tapa forte na cara dela, aai Edna, ela gemeu. Ela deu outro tapa ainda mais forte, ai Edna bate na minha cara, eu gosto de apanhar na cara, implorou. Edna deu outro tapão forte na cara dela, Sonia chorou, Edna segurou os cabelos dela com brutalidade e deu um tapão de mão aberta na cara dela, Sonia beijou a boceta dela e seus lábios desceram beijando as pernas dela, sua boca desceu até os pés, Sonia beijou o peito do pé de Edna, esfregando os lábios, sentindo o cheiro forte dele, esfregou os lábios grossos neles, lambendo, molhando com sua saliva os dedos, Edna levantou o pé, Sonia beijou a sola grossa dos pés, esfregando a boca. Edna acariciava a boceta vendo Sonia submissa completamente dominada por ela, beijar seus pés. Sonia esfregava a boca, lambendo a sola dos pés dela, Edna puxou Sonia para o meio das coxas, exigindo a boca dela na boceta, Sonia beijou a boceta e chupou, Edna enterrou a cara dela na boceta e gemeu, seu corpo estremeceu todo, ela gozou na boca de Sonia que continuou beijando, enchendo de carinho a boceta grandona dela.

Edna toda nua, com as pernas arreganhadas e a boceta enorme aberta, tinha Sonia de joelhos submissa a ela. Sonia beijava a boceta com o bocão colado, mamando, ai Edna que boceta gostosa, tua boceta é maravilhosa, Sonia falou olhando para ela. Gostou da minha boceta, Edna provocou, gostei você tem um bocetão, eu gosto de boceta grande. Edna acariciava os cabelos de Sonia, enquanto ela chupava. Você agora é minha mulher, eu que mando em você. Sonia beijou a boceta, eu adoro você, sou tua mulher, eu quero agradar você, eu faço tudo que você quiser. Edna puxou Sonia fazendo ela sentar no seu colo, Sonia se abraçou ao corpo dela, as duas se beijaram, Edna colocou a mão entre as coxas dela, acariciando a boceta dela, Sonia sentiu o dedo grosso dela entrar na boceta. Ficaram se beijando, teu marido falou comigo antes de sair, ele queria que eu comesse você, o Marcelo gosta que eu seja puta, ele gosta de ver. Edna sorriu, então ele vai gostar de saber que você virou minha puta, Sonia a beijou, vai, ele vai gostar.

Edna deu o peito farto para Sonia chupar, ela tinha os mamilos muito grandes e bicudos, Sonia colocou o bico todo na boca, Edna gemeu quando ela chupou, Sonia mamou os peitões dela, deixando Edna alucinada, Sonia mamava com força, Edna puxou ela pelo cabelo, fazendo Sonia soltar o bico e olhar para ela. Você sempre foi puta, Sonia olhou para ela, não eu era uma mulher seria, casei virgem, só dava para o meu marido, só depois que minha filha casou que virei puta, Edna acariciava os cabelos dela, teu marido queria que você desse, Edna perguntou, queria, eu no começo não aceitava, Sonia se abriu com ela, contou o caso que teve com Gerci, o primeiro macho que foi Edir, falou de Lívio, do envolvimento com Cléia e como teve que dar para Alda e o marido, falou de Lenita e do marido, do envolvimento com Alberto e Silvio. Edna a beijou, você só soltou a puta que tinha dentro de você, o Marcelo só ajudou. Todo homem gosta de mulher puta, Sonia não parava de beijar Edna, eu sei Edna, eu sou muito discreta, ninguém sabe, para você não preciso fingir, Edna olhou ela nos olhos, você é puta, não é. Edna provocou, sou Edna, eu gosto de putaria, Edna fez Sonia levantar, ela encarrou Sonia, beija meus pés, mandou. Sonia ficou de joelhos e curvada sobre os joelhos, beijou os pés dela, lambendo os dedos, Edna esfregou a sola na cara dela, Sonia acariciava os pés dela com os lábios, enchendo o pé de sua dona de beijos, chupa sua puta, mostra que você gosta de mim. Sonia obedecia completamente dominada por Edna. Você gosta que eu te trate assim. Edna perguntou. Gosto, eu fico doida quando você fala assim comigo. Edna afastou Sonia e levantou, Sonia se abraçou ao corpo dela de joelhos, beijando a boceta.

Edna segurou Sonia pelos cabelos a fazendo levantar, ela levou Sonia para o quarto, foram abraçadas, nuas, Edna segurava o rabão dela, na porta do quarto, Edna deu um tapão que estremeceu o rabo farto de Sonia. Em frente a cama de Sonia, se beijaram com paixão, Edna fez Sonia olhar nos olhos dela e deu um tapa forte no rosto dela, mostrando quem mandava na cama, Sonia beijou a mão dela, Edna deu outro tapão na cara dela, Sonia chorou, Edna deu outro tapa na cara dela. Deitaram abraçadas se beijando, os lábios grandes de Edna beijavam Sonia toda, chupando o pescoço dela, deixando o pescoço de Sonia marcado pelos chupões, sua boca desceu mamando os peitos duros de Sonia, Edna colocava o bico inchado todo na boca e chupava com força, deixando Sonia descontrolada, seu dedo grosso entrava todo na boceta de Sonia, Edna desceu beijando o corpo dela, Sonia se abriu toda, sentiu a boca de Edna beijar sua boceta, ela chupava e mordia os lábios grossos e grandes da boceta, deixando ela doida, Sonia segurava os cabelos de Edna, enterrando a cara dela na sua boceta, Sonia gozou dando a boceta para Edna, a empregada continuou comendo ela, mamando a sua boceta, Edna fez Sonia ficar de bruços na cama, com o rabão enorme todo para cima, ela abriu as nádegas e seus lábios grossos beijaram o cu, Sonia gemeu desesperada quando Edna chupou o cu. Ela empinou o bundão, sentindo a boca quente de Edna chupar sua intimidade, Edna batia na bunda dela, deixando as nádegas vermelhas, Sonia sentia a boca quente dela no cu, rebolava, gemendo, completamente alucinada, Seu corpo tremeu todo quando gozou, Edna sabia deixar uma mulher louca. Sonia ficou deitada sem forças.

Edna saiu do quarto e Sonia ficou um tempo deitada se recuperando, ainda queria mais, seu corpo pedia mais sexo, ela olhou para a porta e viu Edna parada nua, tinha uma cinta amarada na cintura que prendia um pau grande e grosso. Sonia entendeu que Edna tinha colocado a cinta para comer ela, sentiu uma quentura na boceta uma vontade louca de dar, sua boceta pedia pica.
Na continuação – Vou contar como Sonia foi comida por Edna e como Edna se tornou dona dela






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.