"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Marcelo & Sonia 22 –A Filha Renata


autor: MarceloDias
publicado em: 30/05/16
categoria: lésbicas
leituras: 5455
ver notas


Marcelo & Sonia 22 – A Descoberta de Renata

Sonia adormeceu, eu e Edna a deixamos dormir e fomos nus para a sala. Edna me abraçou se encostando toda em mim, segurando meu pau, sua boca procurou a minha, nos beijamos no meio da sala, segurei a bunda imensa dela com as duas mãos, apertando, sua boca grandona chupava meus lábios, a levei para o sofá e sentei, Edna sentou no meu colo, nos beijamos com desejo, ela me olhou e sentou no chão no meio das minhas pernas, sua boca beijou meu pau duro, engolindo ele todo, sentia os lábios no cabo grosso do pau. Sua boca beijava minha barriga, subia chupando meu peito, mamando os bicos, ela tornava a descer, lambendo, esfregando os lábios até engolir o pau todo. Ela me fez deitar e continuou mamando, chupando o saco, beijando o cu, tentei tirar a boca dela, deixa Marcelo, pediu, colando a boca me deixando doido, seus lábios grossos e molhados chupavam aonde queriam, a empurrei para o chão.

Edna deitou toda aberta, a boceta dela era enorme, montei nela, ela se agarrou no meu corpo, me chamando para dentro, o pau entrou todo, sentia os lábios grossos da boceta grudados no cabo da pica, meti forte nela, Edna gemia com o pau todo na boceta, sua boca me beijava com desespero, ela me apertava contra ela, empurrando a boceta para frente, suas mãos acariciavam minhas costas, segurando minha bunda grande, o dedo acariciava o cu, senti o dedo grosso dela me invadir, deixa Marcelo, ela pedia, ela não se contentou só com um dedo, passou a enterrar dois dedos, deixei. Continuei metendo forte na boceta dela, deixando ela fazer o que queria comigo. Ela beijava meu ombro, o pescoço, procurando minha boca.

Edna virou ficando de joelhos apoiada nas duas mãos, com o bundão empinado, abri o rabão e encostei o pau duro no cu, ela gemeu quando o pau entrou, puxei os quadris enterrando tudo, Edna gemia alto tomando no cu, eu metia forte nela, botando tudo, Edna gemia, me chamando de filha da puta, me mandando meter forte. Não aguentei e gozei enchendo ela de leite, ela deitou me puxando, ficamos abraçados nos beijando, Edna me beijava todo, sua boca desceu pelo meu peito, me virando, beijando minha bunda, me abrindo e me chupando, sua mão masturbava meu pau, me deixando alucinado, ficamos assim no chão, gozei novamente com a boca gostosa dela, me enlouquecendo. Fomos para o sofá e ficamos abraçados nos beijando, Sonia acordou e veio nua para a sala, ela sorriu quando nos viu. Vocês já estão assim? Nesse dengo todo. Falou brincando.

Edna levantou e abraçou Sonia beijando ela na boca, Edna levou Sonia para o sofá e sentou do meu lado com as coxas abertas, Sonia ajoelhou no meio das pernas dela e Edna trouxe o rosto dela para sugar sua boceta, Sonia esfregou os lábios, beijando a boceta, Edna gemeu enterrando a cara dela na sua boceta, Sonia chupava com gosto a boceta dela, mamando o bocetão de Edna. Sonia me olhava e voltava a chupar a boceta dela.

Edna me olhou, Marcelo pega o pau no quarto, mandou. O pau estava em cima da cama com um tubo de creme do lado. Levei para a sala, Edna levantou e ajudei-a a prender o cinto. Ela fez Sonia levantar, se beijaram e Edna acariciou o rabão dela, abrindo e passando creme no cu, seu dedo melado entrava todo no buraco. Sonia gemia cada vez que ela enterrava o dedo, Edna melou o pau com creme e fez Sonia ajoelhar no sofá com o bundão empinado, Edna ficou atrás e abriu as nádegas fartas. Sonia sabia que ia tomar no cu. Olhou-me e eu vi que ela estava doida para dar a bunda. Edna encostou o pau grosso e forçou, o cu abriu e a pica entrou, Sonia gemeu alto, aai ai ai Edna ai, Edna segurou ela pelos cabelos, deixa eu comer para o Marcelo ver que você esta dando esse rabão para mim, você deu esse rabo enorme para mim, o dia todo. Sonia chorou quando o pau grosso entrou todo, ficou chorando baixinho, tomando no cu. Edna metia tudo, castigando o rabão dela, Sonia me olhava gemendo, sendo comida na minha frente. Eu me masturbava olhando. Ai Marcelo, ela ta metendo na minha bunda, eu to larga de tanto dar para ela, olha amor como ela bota no meu cu, querido. Enfia tudo Edna pro Marcelo ver como eu dou a bunda para você. Ai que pau grosso, caralho, eu adoro sentir um pau grosso no cu. Mete querida, meu marido sabe que eu sou puta. Sonia falava fora de si. Edna ficou abraçada na cintura dela, metendo tudo no rabão, Sonia gemia desesperada, ela gozou com o pau todo no cu, Edna continuou metendo, abracei Edna por trás colocando o pau no meio das nádegas dela, ela gemeu quando o pau entrou, fizemos um trenzinho, Edna metia forte em Sonia com o meu pau todo no cu. Gozei enchendo o bundão dela com meu leite grosso. Ela continuou metendo em Sonia até ela gozar chorando histérica no consolo grosso de Edna. Fomos para a cama, abraçados. Nem jantamos naquela noite, ficamos metendo até tarde. Edna dormiu na nossa cama.

Todo marido que já viveu uma situação dessas sabe como e gostoso dividir a esposa com outra mulher. Edna passou a comer Sonia todo dia, deixou de ser empregada e mudou para o quarto do lado do nosso, todas as noites ela dormia na nossa cama. Edna virou o macho da minha esposa, Sonia se entregava toda para ela. Edna dominava minha esposa na cama, as duas ficavam em casa nuas, sozinhas, se esfregando, Edna comia o rabão dela várias vezes. Sonia não resistia, gostava do jeito dominador de Edna. Apanhava na cara e na bunda enorme. Depois, tomava no cu chorando aguentando o consolo grosso de Edna.

Minha esposa e Edna se davam cada dia melhor, ela sabia deixar minha esposa doida, tudo ia muito bem. Uma tarde Sonia e Edna estavam nuas na sala, Edna sentada no sofá e Sonia ajoelhada no meio das pernas dela, chupando o bocetão de Edna. Nem perceberam o barulho da porta se abrindo.

Quando perceberam, Renata nossa filha, estava parada segurando uma mala. Renata ficou parada vendo Sonia nua de joelhos chupando a boceta daquela mulher grandona. Sonia ficou sem ação quando viu Renata ali parada. Não sabia o que fazer! Sonia e Edna se levantaram nuas, Renata olhava para as duas sem conseguir controlar o olhar que teimava em olhar para aquelas duas bocetas enormes. Edna viu como Renata olhava para sua boceta, Renata não disse nada, usava um vestido muito justo e curto, Sonia olhou para Edna, vai lá pra dentro Edna, eu falo com ela, Edna saiu sem falar nada. Quem é essa mulher? Renata perguntou. Sonia sem graça encarou Renata. Vamos conversar no meu quarto, pediu. Renata deixou a mala na sala e foi com a mãe para o quarto.
Continua. . . . .





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.