"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Marcelo & Sonia 24 Sexo em Família 2


autor: MarceloDias
publicado em: 30/05/16
categoria: incesto
leituras: 7042
ver notas


Marcelo & Sonia 24 – Sexo em Família 2

Sonia sabia que Renata estava se oferecendo para Edna e decidiu sair para deixar Renata e Edna sozinhas. Arrumou-se, colocou um vestido curto e pegou sua bolsa. Foi até o quarto de Renata do lado do seu, Renata dormia só de calcinha. Sonia fechou a porta e encontrou Edna na sala. Eu vou ao shopping, você cuida da Renata, não deixa ela sair para encontrar com o Jorge, pediu. Edna abraçou Sonia beijando ela na boca. Você sabe que eu cuido, não sabe, Sonia sorriu, sei, disse. Edna acariciou o bundão dela por cima do vestido, posso cuidar dela como cuido de você. Sonia riu, beijando ela, você não presta, esta doida para comer a Renata. Edna não disse nada. Sonia saiu deixando Edna sozinha com Renata.

Edna logo que Sonia saiu tirou o vestido e ficou só de calcinha, Renata acordou um pouco depois e saiu do quarto só de calcinha, viu Edna na sala, ficou olhando o corpão de Edna, viu como Edna olhava com desejo para o corpo dela. Sua mãe saiu. Ela disse. Renata sorriu, Edna se aproximou encarando Renata. As duas se olharam com desejo, nos estamos sozinhas. Edna disse. Renata sentiu as mãos de Edna acariciarem seu quadril largo e pegarem na sua bunda grandona, apertando as nádegas fartas, Edna encostou ela na parede colando seu corpo no dela, sua boca procurou a dela, beijando os lábios grossos, Renata correspondeu, suas bocas se uniram, as línguas se esfregaram, Renata abraçou Edna, sentiu a boceta enorme de Edna se esfregando na sua por cima das calcinhas. Renata gemeu e sua mão procurou a boceta enorme de Edna, esfregou a palma da mão na boceta por cima da calcinha. É isso que você quer, falou beijando Renata na boca! É! Ela sussurrou. Viu como tua mãe chupa minha boceta, Edna provocou. Vi! Renata falou. Você quer chupar também, não quer, Edna provocava Renata. Você sabe que eu quero, deixa, ela pediu. Tua mãe é doida pela minha boceta, meu bem. Vem querida vamos no meu quarto, Renata se deixou levar para o quarto de Edna. Sentia a mão de Edna na sua bunda, apertando o bundão, deixando ela cheia de fogo.

Ficaram abraçadas do lado da cama de Edna, Renata ajoelhou e esfregou o rosto na boceta de Edna por cima da calcinha, sentiu as mãos dela segurando sua cabeça, guiando seu rosto, Renata foi descendo a calcinha, deixando Edna nua, ficou ajoelhada admirando a boceta enorme de Edna, sua boca beijou a boceta, esfregando os lábios grossos, colando a boca na boceta, Edna apertava sua cabeça, esfregando a boceta na boca de Renata, Edna gemeu quando a língua delicada de Renata invadiu a boceta. Edna gemeu sendo chupada por Renata. Ela afastou Renata e deitou na cama toda aberta, Renata ficou em pé olhando, Edna encarou Renata acariciando a boceta, Renata olhava fascinada a boceta enorme dela, não resistiu e subiu na cama, sua boca procurou a boceta, chupou com desespero, esfregando a boca no bocetão molhado. Edna gemia segurando Renata pelos cabelos, exigindo sua boca na boceta. Suas coxas grossas prendiam Renata, mantendo sua cara enterrada na boceta. Renata completamente descontrolada beijou o cu, sua boca chupou, deixando Edna alucinada, ela se entregou aos carinhos de Renata, sendo chupada, Renata beijava suas coxas, esfregando a boca. Edna gozou, seu corpo estremeceu todo, Renata subiu beijando ela toda, mamando os peitões dela, engolindo os mamilos grandes de Edna, chupando com força.

Sua boca procurou a boca de Edna, se beijaram como duas loucas. Edna abraçou Renata, segurando a bunda grandona dela, apertando as nádegas enormes. Renata gemeu quando sentiu o dedo de Edna acariciar o cu. Ela foi passando cuspe e enterrando o dedo, o cu se abriu recebendo o dedo todo. Você já deu esse rabão, Edna perguntou. Já, Renata sussurrou. O Jorge já meteu nesse bundão gostoso, Edna insistiu, já, eu dei para ele, ele que tirou o cabaço do meu cu. Ela disse. O teu marido não comia, Edna perguntou. Não, só o Jorge. Ela disse. Tua mãe falou para mim que ele tem pau grande. Renata beijou Edna, tem, é enorme, grosso. Edna sorriu, e você aguenta o pau todo. Renata sentia o dedo grosso de Edna entrando no cu. Aguento Edna dói mais eu aguento. Eu sou doida pelo pau dele, depois que eu dei para ele perdi a vontade de ficar casada. Edna a beijou, você tava precisando de pica, meu bem, Renata sorriu, estava eu gosto de pica grande. Edna beijou Renata na boca. Você é igual tua mãe tem um fogo na boceta. Renata riu, acho que nos duas somos iguais, você acha que ela vai ficar com raiva por causa de nos duas. Edna riu, não meu bem, ela percebeu que você estava querendo me dar. Ela saiu para deixar nos duas sozinhas, tua mãe adora você.

Renata sorriu. Eu sei, eu também adoro ela, Edna beijou Renata na boca, segurando os peitos duros dela, sua boca desceu beijando os seios, abocanhando o bico duro, mamando, deixando Renata doida, ela sentia a mão de Edna acariciando a boceta dela por dentro da calcinha, o dedo grosso entrando na boceta melada, Edna tirou a calcinha dela, deixando Renata nua, sua boca desceu beijando a barriga, Renata se abriu toda, oferecendo a boceta, gemeu quando sentiu a boca de Edna na boceta, Edna mamou a boceta, Renata segurava a cabeça de Edna, gemendo e esfregando a boceta na boca grandona, recebendo a língua grossa na boceta. Renata rebolava, prendendo a cabeça dela com as coxas, Edna chupava com força, deixando Renata alucinada, Edna fez Renata virar de bruços com o bundão todo para cima e beijou a bunda, abrindo as nádegas, sua boca beijou o cu, deixando Renata maluca, ela gemia empinando o bundão farto sentia a boca de Edna no cu, chupando com força. Você é muito gostosa, tem uma bunda linda, você puxou a tua mãe, tua bunda é grande como a dela. Edna puxou Renata, as duas se abraçaram, se beijando. Você gostou da minha bunda. Edna sorriu, apertando o bundão dela, muito, teu rabão é delicioso, não é só do Jorge, agora é meu também, não é. Edna perguntou provocando, é, eu quero ser tua, eu me apaixonei por você quando vi voce com a minha mãe, Renata disse. Edna levantou e abriu o armário, pegou o consolo e amarrou na cintura. Renata ficou na cama, olhando. Era grande e grosso. Edna passou KY nele, mostrou o tamanho exagerado do pau para Renata. O do Jorge é grande assim. Renata deu um sorriso safado, é quase desse tamanho, disse.

Me dá tua bunda, Edna pediu puxando Renata, ela já sabia o que Edna queria e ajoelhou na beira da cama, empinando o bundão, Edna abriu o rabão dela e encostou a pica grossa no cu, Renata sentiu o pau forçar, seu cu foi se abrindo recebendo o pau grosso, Edna segurou firme nos quadris dela e foi cravando o pau, Renata gemeu desesperada quando o pau entrou, Edna foi metendo sem pena no cu de Renata, ela aguentava gemendo, Edna ia botando cada vez mais, enterrando o pau grosso no cuzinho dela, Edna via que o cu ia se abrindo, percebeu que Renata estava acostumada a dar a bunda, Renata chorou como a mãe, quando Edna botou tudo, a Sonia aguenta tudo meu bem, Edna falou, Renata gemia desesperada aguentando o pau todo, sendo comida por Edna. Sentia a pica grossa arrombar seu rabão. Edna a castigava, metendo sem pena no bundão dela. Renata se entregava toda, aguentando o pauzão de Edna todo na bunda, chorava, falava que tava doendo mais deixava Edna comer a bunda dela, sentia Edna cravar a pica toda no cu, deixando ela doida. Renata gozou tomando no cu. Edna continuou comendo Renata, meteu a pica na boceta dela, deixando Renata descontrolada, Edna comia metendo firme na boceta, renata foi ficando manhosa, gemia, chorando baixinho, foi ficando histérica, implorava para Edna meter tudo na sua boceta, Renata gozou com o pau enterrado na boceta, seu corpo foi se acalmando, as duas passaram a tarde na cama, namorando, trocando beijos e se chupando, Renata estava apaixonada por Edna.

Quando Sonia chegou em casa, escutou os gemidos que vinham do quarto, foi até o quarto e viu Renata em pé apoiada na parede com as duas mãos, as pernas abertas, a bunda grande empinada sendo enrabada por Edna. Ela gemia alto, descontrolada, dando a bunda, Sonia ficou parada olhando, sentiu um calor no meio das pernas, subiu o vestido e acariciou a boceta por cima da calcinha, Renata gemia de um jeito sofrido, viu que Edna metia forte na bunda dela. Renata olhou para o lado e viu Sonia parada olhando ela com a mão na boceta, se olharam e Sonia sorriu para ela, se aproximou e beijou Edna na boca, acariciou os cabelos de Renata que olhou para ela gemendo, Edna enterrava tudo no rabão dela na frente de Sonia. Segurando Renata pelos quadris, Sonia abriu as nádegas de Renata, olhando a pica grossa toda no cu, Renata olhava para Sonia com cara de choro, Edna acariciava a bunda enorme de Sonia por cima do vestido, Renata segurou o braço de Sonia e beijou de leve os lábios grossos dela, Sonia afastou os lábios e beijou Edna abraçando o corpão dela, Edna deixou a pica sair, Renata e Edna foram tirando o vestido de Sonia, deixando ela só de calcinha, Renata beijou Sonia na boca, ela não conseguia mais resistir, sentiu Edna tirando sua calcinha deixando ela nua, as duas acariciavam sua bunda enorme, sentiu o dedo grosso de Edna passando gel no cu e as duas a conduzindo para a cama…




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.