"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Aula especial para professora gostosa 1


autor: Chronos
publicado em: 19/07/16
categoria: romance
leituras: 1737
ver notas


Sou Felipe, hoje tenho 20 anos e trabalho como Produtor Musical no estúdio do meu pai.

Desde novo, aprendi a ter carinho por música. Seu Wagner, meu pai, adorava Bossa Nova, aqueles sambas antigos tipo Cartola, Almir Guineto, toda essa velha guarda do bom samba que todos nós aprendemos a reverenciar. Cresci ouvindo eles, logo despertei a paixão pela música, sendo que meu estilo é o pagode.

Cresci num colégio tradicional do Rio de Janeiro, e o caneludo do Renato era meu colega de classe. Muito ao contrário dele, que ralava pra tirar um 10, eu era quase um autodidata. Não tenho muito que relatar sobre minha vida escolar. Ser inteligente para mim era normal, tanto que nem estudava pra prova. A minha paixão mesmo era, é e sempre foi musica, e apesar do meu pai ganhar dinheiro escrevendo músicas para todo mundo, eu mesmo comecei a escrever meus próprios pensamentos em canções.

Em matéria de escrever, hoje ganho mais dinheiro que meu pai. Toco e canto, mas meu lugar preferido é nos bastidores, criando arranjos, descobrindo novas potências, escrevendo canções.

O que vou contar tem a ver com minha vida escolar. No Ensino Médio já compunha canções e nem perdia meu tempo ouvindo os professores explicando matéria. Abria o livro, fazia as considerações mais importantes, pegava aa fórmulas, e levava pra casa e estudava.

Teve uma professora que adorava me perturbar, pq nem abria a porra do livro pra nada. Teve um dia que ela faltou, e a turma precisava de fazer a revisão pra prova. Recebemos o comunicado da diretoria que a professora estava doente.

Como eu não tava fazendo porra nenhuma, me levantei e perguntei quem tinha dúvidas e ensinei a matéria para todo mundo. Haviam exceções: Lívia e Renato. Lívia era cobra que nem eu, sentava lá na frente e até gravava as aulas. Renato tinha mais dificuldade, pois caso ele não tenha contado a vocês, era dislexo. Mesmo assim, era foda.

Ensinei a matéria para todo mundo, fiz um rascunho com a chamada, e todo mundo saiu ganhando. Embora nao ligasse para a aula da Amanda, nossa professora de Matemática, me importava com a turma, pois era a melhor do Colégio. E nossa media era a mais alta da escola.

Nosso colégio era puxado. A média era 8.0 e tínhamos quatro testes por mês. Além disso, tínhamos atividades para um dia inteiro, como esportes, artes, informática, grupos de estudo, e o Renato sempre andava comigo. Reconheço pra vocês, era chegou com muitos problemas, mas foi um milagre. O cara correu atrás e superou tudo!

No dia que a professora faltou, ela ligou para a escola e perguntou qual professor a substituiu na aula de revisão . A diretora pedagógica disse que Felipe Moreira foi o ministrador. Amanda arregalou os olhos e ficou assustada.

Amanda: Como assim, O Lipe!? Ele só fica escrevendo canções de pagode nas minhas aulas!

Diretora: Jkkkkkkkk, mas ele é seu melhor aluno. Ele faz o dele e querem que o deixem quieto.

Amanda: Mas quem fez a chamada!?

Diretora: Ele mesmo

E passou toda a lista por telefone para Amanda anotar. Incluindo todo o esboço ministrado. Obvio que eu não fiz sozinho, Lívia me ajudou nas anotações. Esse bagulho de diário não é comigo,,não, rsrsrs!

Passou-se alguns dias, veio a prova. Como eu já sabia toda a matéria, e havia rabiscado tudo em casa no livro os pontos dados em aula, tirei 10.0. Sabia que tinha tirado. A filha da puta da professora me deu zero, pois eu entreguei somente as respostas.

Eu: Amanda, que porra é essa aqui?

Amanda: Desaprendeu a ler!? É um zero!

Eu: Porra, tu ta maluca, cara!?

Amanda: Como você me prova que não colou durante toda a prova!?

Eu: Como você me prova que eu colei!? Porra, fui eu quem deu a aula pra você quando você ficou arriada!

Amanda: Doente, querido, e mais respeito comigo, porque odeio gente machista e ogra que nem você!

Eu: Olha, professora, minhas notas são incontestáveis e você sabe disso, agora somente uma observaçãozinha: Homem sensível, legalzinho, que desce a piscina pela borda, pra mim é viado! Se tu gosta de gente agua de salsicha, problema é seu, nao tenho nada a ver com sua vida. Sou machista mesmo, tenho comportamento de homem, não de mulher. E cá pra nós, dou uma aula melhor que essa água de salsicha que tu ministra aí.

Amanda: Se sabe tanto, porque está na escola!?

Eu: Ocupar meu tempo, que já é curto, e só pra pegar um diploma e meter o pé daqui!

Amanda: Você é um grosso, não sei como as garotas aqui suportam você!

Lipe: Professora fecha a porta!

Amanda foi lá e fechou a porta. Levantei-me e combinei com todos que o que iria,falar nao sairia da turma. E todos concordaram.

Eu: Amanda, deixa eu dizer uma coisa: Sou ogro, grosso, estupido, mas não tem uma garota nessa escola que me trate do jeito que você me persegue. Outra: Não sei se você tem algo contra mim, pouco me importa, to me lixando, mas eu não sou culpado pelo fato de você escolher mal quem te come!( houve uma gritaria na turma, que chegou a me ensurdecer, mandei todo mundo calar a boca!), eu vim aqui mesmo para passar o tempo, nao precisava estar na escola pq em casa já sei tudo que você vai falar aqui. Nunca abri minha boca pra te chamar de feminista ou a porra que for, fico quieto no meu canto escrevendo pagode, e toco aqui mesmo pra vc ouvir. Agora, pro caralho com esse zero da porra, põe a nota certa aqui ou então me passa qualquer trabalho que valha uma nota, pq se eu ficar com esse zero, por capricho seu, nem chamo meu pai aqui. Eu me candidato pra dar aula no seu lugar! E não duvide, porque eu consigo!

Cara, eu falei tantas merdas que Amanda chorou. Lívia brigou comigo, disse que joguei pesado e me exigiu um pedido de desculpas.

Amanda: Não, Lívia, deixa. Eu aguento! Ok, Felipe, vou te dar um trabalho pra você fazer até o fim da aula. É uma questão só. Se errar, é zero!

Eu: Que tal eu te passar um cálculo!? Se tu errar, tu me dá meu 10.0 de volta e ficamos quites!

Amanda: Tá louco, garoto!? Kkkkkkklkkk, quer me tirar!?

Eu: Me dá a oportunidade ?

Peguei a caneta pilot e escrevi o problema no quadro. Cinco linhas só . Entreguei a caneta na mão dela.

Eu: Divirta-se, amor! Rsrsrs

A questão era de astronomia e ela tava fazendo mestrado em astronomia.

AMANDA: Porra, Felipe, eu não aprendi isso aqui, não!

Eu: Tá, deixa eu mostrar...

Eu tinha livros de astronomia em casa, apesar que acho chato ficar vendo um monte de corpos celestes, fazer cálculos absurdos para provar o que? Nada! Nao serve de porra nenhuma pra tua vida! Mostrei a solução pra ela enchendo o quadro de cálculos e fórmulas, e era somente uma probabilidade. Não tava nada provado ainda!

Era uma tese que eu tinha lido só pra passar o tempo, e ela ainda não sabia mesmo, porque ela tinha acabado de começar.

Fiz pra sacanear Amanda. E consegui meu 10.0 de volta.rsrsrsrs. Ela tava puta, mas fui até ela, pedi perdão por cada palavra na frente de todos, pedi total discrição sobre o ocorrido, e emocionada, me abraçou e deu um beijo. Pedi seu telefone no pé do ouvido pra gente poder bater um papo. Ela tomou um susto. Me mandou eu sentar.

Amanda era jovem, 25 anos, Começou a estudar bem cedo e terminou o ensino médio com 16 anos. Era muito inteligente, mas meio anta por ser muito detalhista. Até onde sabia, era separada. Estava se divorciando. Enfiou a cabeça no trabalho e no estudo e nao fazia porra nenhuma da vida a não ver números.

No fim da aula, ela me chamou, dispensou a todos pro intervalo e me deu a prova corrigida devidamente e um papel dobrado dentro da prova.

Quando saí da sala, peguei o papel e fui para o banheiro ler:


Lipe, perdão por tudo que falei pra você. Sempre admirei seu jeito despojado de ser, sua inteligência, seu porte. E passei a vê-lo com outros olhos. Um dia parei para ouvir uma música sua no intervalo, sabia que você estava cantando, pois quando ouvi sua voz estremeci, e me reprovei por isso. Você tava cantando uma canção que falava sobre minha vida. Eu precisava ouvir aquilo para tomar um rumo e terminar um relacionamento que era só de aparência. Falo isso com você pois você é um homem, que entende das coisas de uma forma que mexe comigo quando canta. Por isso, quero conhecer você fora daqui do colégio . Você é mais que um rótulo. Te dei esse zero para chamar tua atenção, e você disse a verdade. Sempre fui uma tapada que escolheu mal os namorados. Nao precisava ser tão sincero,rsrsrs. Perdoe por isso, mas tenho ouvido sobre você nos corredores da escola, e oelo que as alunas falam, você é um gostoso. Será mesmo!? Está aqui meu telefone e e-mail. Quero te conhecer.

Bjo carinhoso,


Amanda

P.S: Me chama de Mandy

Fiquei atônito. Amanda tava afim de mim!? Porra, que louco, véio! Cara, uma coisa eu tinha certeza: Embaixo daquele vestido havia uma mulher carente. Ela linda, mas se vestia mal pra caralho, uma vez veio dar aula de moleton, eu fiquei olhando e pensando: " que porra é essa!?" . Depois descobri que tava se separando, tava deprimida, provavelmente se acabando de comer doce, sorvete no fim do dia, uma pena mesmo.

Ela usava aparelho, é morena, cabelos compridos beem escuros, alta, quase do meu tamanho, tenho 1.85m e ela 1,80m. Sempre muito cheirosa, mas se vestia mal, outa que pariu! E vocês acham que eu ia pegar um bagulho mal arrumado daquele!? Bom, deixa eu ir embora daqui!

-------------------------------------


Bom, gente, retornando de onde parei pois eu fui tirar uma soneca enquanto escrevia essa história. Acordei bolado, mano, sonhei com essa Amanda depois que eu li aquele papel antes de dormir aquele dia:

Sonhei que tava jantando com ela num lugar caro pra caralho, e longe da minha casa. Enquanto comia com ela, conversávamos amenidades, e a música local tava caidinha pra burro, era um grupo que tava tentando começar a carreira. Quando o vocalista perguntou se alguém queria dedicar uma musica para alguém, levantei-me e disse: " Posso tocar?"

Eles me cederam um cavaco, peguei o microfone e dediquei a música para ela: Amanda. No dia ela estava com um vestido preto, salto 15, que a deixou da altura do Renato, quase isso, e um batom rubro que pedia para ser tirado com um beijo quente e gostoso. Cantei a mesma musica que ela tinha ouvido no colégio, e varias pessoas se levantavam pra aplaudir . Amanda ficava tão emocionada que me dava um abraço e um beijo que levantava meu pau e nao dava pra esconder. Acordei assustado, que sonho maluco, já teve um sonho assim!?

Parecia coisa de moleque nerd pirado pela professora. Agora, gente, nao conseguia tirar ela da cabeça, e já tinha batido umas três punhetas pensando nela. Sempre ao fechar os olhos pensava naquela mulher com o bundao empinado pra mim e eu rasgando aquele caneco com vontade! Amanda nao saía da minha cabeça. Vou ligar pra ela e marcar um encontro!

Continua.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.